Casa dos Contos Eróticos

33. Ajudando Jean virar Gianna

Autor: CD Sandra
Categoria: Homossexual
Data: 14/11/2017 23:53:58
Nota 10.00
Ler comentários (3) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Eu ainda tinha mágoas do Toni e vi em Jean/Gianna minha chance de ajudar alguém e ao mesmo tempo me vingar to Toni. No dia seguinte minha irmã foi trabalhar, nem suspeitava de que Abel tinha vindo, Laura continuava seca comigo pelo telefone e também não desconfiava de mim. Fiz minhas tarefas e almocei, a campainha tocou, era Jean, abri a porta para ele e ofereci um café. Ele disse que Toni tentou falar com ele, mas que ele estava evitando. “Jean, você é um pouco afeminado igual eu era, mas eu quero te perguntar algo, se você tivesse agora um macho lindo e uma fêmea gostosa aqui, os dois te querendo, para qual lado você iria pesar mais?” Ele respondeu que não sabia “pergunta difícil, não posso ter os dois?” ele falou rindo “pode... mas tem um lado que a gente prefere mais...” eu disse “e qual você prefere?” ele quis saber “eu tenho uma namorada, sexo com ela é ótimo, mas recentemente conheci um homem que cada vez mais eu me sinto mais femea com ele, no final das contas, gosto mais de machos” eu respondi o que eu sentia. “e como eu faço para saber?” ele perguntou e eu respondi “experimentando os dois...”, “para você é fácil, toda linda e gostosa, todos dois te querem, eu só tenho o Toni” ele disse. “Então eu vou ser os dois para você” eu falei e ele ficou confuso “mas você é minha amiga” ele disse tímido “e amigos fazem isso um pelo outro!” fui até ele no sofá e dei um beijo nele que me correspondeu, ele era tímido e desajeitado, seu toque afeminado, mas eu iria tratá-lo como macho naquele momento. Enquanto nos beijávamos fiz ele me abraçar, levei minha mão até sua perna e subi até a virilha ficando em cima do seu membro “é a primeira vez que te tocam?” perguntei “é...” ele respondeu e voltamos a nos beijar. Enfiei minha mão dentro de sua calça e senti uma textura “você está de calcinha?” eu perguntei e ele disse que sim, sutiã também. Eu ri e tirei tudo dele deixando ele nu “agora você é macho... depois quem sabe...” comecei a punhetá-lo enquando colocava meus seios para fora para que ele chupasse. Ele não tinha muita ideia de como fazer então eu ensinei para ele. Seu pau endureceu na minha mão, era bem grande, menor do que o de Abel ou dos rapazes, mas um bom tamanho. Quando já estava pingando eu caí de boca nele, ele gemeu alto quando minha língua passou por sua cabeça até a base da rola, chupei o seu saco e voltei ao seu membro, ele gemia muito passando as mãos pelos meus cabelos, levantei a cabeça “pega uma camisinha aí na gaveta!” ele me obedeceu, abriu e pegou uma, eu abri e encapei o pau dele com minha boca, eu via que seu coração estava a mil quando sentei no colo dele, arredei a calcinha para o lado e posicionei seu pau no meu cu “está pronto para perder a virgindade?” perguntei e ele fez que sim com a cabeça. Deixei seu pau entrar dentro de mim e me preencher, ele gemeu alto quando comecei a cavalgar. Ele não sabia o que fazer com as mãos, então fiz com que ele agarrasse meus peitos e me beijasse enquanto eu fazia o resto. “Quer de quatro?” perguntei no ouvido dele e ele disse que sim, fui para o chão, empinei a bunda e ofereci para ele. Suas mãos prenderam na minha cintura e ele deslizou o pau para dentro do meu cu. Ele me fodia um pouco sem jeito, mas falei algo para elevar sua moral “nossa, que pau gostoso, tem certeza que você é virgem?” ele aos poucos foi metendo mais devagar, até quase parar e eu perguntei “algum problema?” e ele disse “to quase gozando, to segurando para aproveitar mais...” eu saí debaixo dele e o empurrei no sofá “temos a tarde toda! Goza na minha boca!” tirei a camisinha dele e comecei a chupá-lo. Ele começou a soltar o seu leite na minha boca, gemendo alto enquanto esporrava, quando acabou, fiquei de joelhos, abri a boca e mostrei para ele o seu leite antes de engolir. “Uau, isso foi ótimo!” ele disse “foi mesmo?” eu perguntei “foi! Adorei!” ele disse “então podemos ficar só assim hoje, né? Eu tinha algo para a Gianna, mas parece que você gostou de ser Jean...” eu disse provocando “o que você tem para a Gianna?” ele me perguntou “é surpresa, só quando ela aparecer que eu vou revelar... então, quer ser Jean a tarde toda ou vai querer experimentar ser a Gianna?” eu perguntei e vi a dúvida em seu rosto. “E se eu for Jean hoje e Gianna amanhã?” ele me perguntou “amanhã eu estou bem ocupada querido... sua chance é hoje!” eu sabia que ele tinha gostado de me comer, mas como eu já estive no lugar dele, sabia que seu desejo feminino tinha mais voz e que essa decisão era difícil! Eu peguei em seu pau mole e comecei uma punheta “então.. Jean de novo?” larguei ele e levei um dedo ao seu cu e o penetrei “ou Gianna?” ele soltou um gemido alto e junto “Gianna! Quero ser Gianna!” eu sorri para ele “então agora você é minha amiguinha Gianna, vamos para o banheiro...” a levei para o banheiro nua e fomos para a frente do espelho “o primeiro passo é tirar esses pelos horriveis do seu corpo!” eu falei. Passamos um creme no corpo e eu raspei todos os seus pelos com um barbeador, fazendo um filete de pelos acima do pênis “assim você fica mais garota” eu falei, tomamos um banho juntas e depois secamos. Fiz uma maquiagem básica nela com batom e sombra, prendi a peruca que tinha nela e firmei com grampos. Fomos para o meu quarto e fiz ela vestir uma lingerie que Laura tinha me dado, um espartilho com calcinha e meia 7/8. Ela ficou durinha na hora que a vesti “meu sonho foi sempre usar algo assim, to muito excitada” Gianna falou, produzida eu a levei para frente do espelho e ela ficou encantada com o que viu, se admirando mas incomodado com o membro duro “eu seria uma garota se não fosse isso!” ela disse e eu concordei. “É sua primeira vez querida, ainda vai aprender a controlar isso!” eu falei. “e agora?” ela perguntei, eu falei para deitar na cama e esperar. Fui até a sala e vesti a roupa com que ela veio, prendi o cabelo e coloquei um boné, enfaixei os peitos para deixar tudo reto e voltei para o quarto, tentei fazer uma voz máscula mas vi que já tinha esquecido como fazer e saiu estranho “sou Sandro, seu macho de hoje!” eu disse e acabei rindo, ela também riu. Me sentei ao lado dela da cama e começamos a nos beijar “você é a garota inocente, eu vou me aproveitar de você!” eu falei e ela concordou, enquanto trocávamos saliva eu fiz ela pegar no meu membro por cima da bermuda, aos poucos foi tomando iniciativa e enfiou a mão dentro da bermuda me punhetando. Eu passei a mão nos mamilos dela igual gostava que faziam comigo e ela gemeu, meu membro já estava duro e ela puxou ele para fora da bermuda, vi a decepção na cara dela com o tamanho e falei “ei, sou mais garota que garoto, é o que tem pra hoje” ela riu e caiu de boca. Ela me chupou bem desastrada, acabamos fazendo um 69 para ensinar como chupar, até que ela pegou o jeito. Eu parei de chupar e deixei ela fazendo em mim. Estava até gostoso a chupada dela. Quando já estava dura, a coloquei de quatro e dei um banho de língua no cu dela que gemeu muito “nossa, isso é muito bom!” ela falou, então enfiei um dedo dentro dela “ai que gostoso!” ela disse, “pronta para o seu primeiro pau?” eu perguntei e ela disse que sim, perguntei como ela queria “me come de quatro?” ela pediu. Eu coloquei uma camisinha e me posicionei atrás dela, foi estranho para mim estar ali atrás quando normalmente estou de quatro recebendo. O cu dela era apertadinho e aos poucos fui abrindo espaço, ela foi gemendo e relaxando, até que entrei dentro dela “ai que cu gostoso!” eu falei e comecei a foder. Agarrei a cintura dela e fui metendo “ta gostoso?” perguntei, “ta, mas não se ofende, eu queria um maior...” eu não me ofendi, entendia ela “me chupa então que vou te dar um maior!” sai de dentro dela e ela veio me chupar. Ela me chupou e eu ensinei a tática de lamber a cabecinha para gozar mais rápido e ela fez em mim, eu gozei na boca dela e ela engoliu tudo. Me levantei e peguei no armário a cinta que eu usava na Laura e vice versa, “esse tamanho tá bom?” perguntei e ela disse que sim, coloquei a camisinha nele e voltei para trás dela de quatro. Tanto tempo sem usar meu membro, me senti mais a vontade colocando aquele consolo nela que meu próprio membro. Aos poucos deslizei para dentro dela e ela gemeu “isso, esse tamanho é perfeito!” já estava tudo dentro dela quando comecei a movimentar. Ela gemia a cada metida e eu gostava de ver ela assim com prazer. Vi que seu membro pingava muito na cama, mas nenhuma de nos duas tocava nele que estava muito duro. Depois ela cavalgou virada para mim, eu chupei seus mamilos e nos beijamos, depois fizemos mamãe e papai, seu rosto estava rubro de tesão, seu membro não parava de pingar e ela gemia sendo fodida “puta merda, vou gozar...vou gozar!” ela falou e começou a ejacular sem mesmo ter se tocado, seu esperma voou até o seu rosto, eu não resisti e limpei com minha língua, tudo até a lingerie, nos beijamos depois com seu leite na minha boca, mesmo gozando ela quis me cavalgar, dessa vez eu a punhetei, seu membro não diminuiu nada de tamanho depois do gozo e ela continuava com tesão, continuei fodendo o seu cu enquanto a punhetava e quando vi que ia gozar de novo eu a empurrei para trás, continuei fodendo e dessa vez ainda levei o pau dela até minha boca. Ela gozou muito forte, quando acabou estava sem forças, eu fui até ela e em um beijo dividimos o seu esperma. Ficamos abraçadas em silêncio até ela falar “não tem jeito.. sou Gianna mesmo, se com você foi bom assim, imagino com um macho!” sorri para ela e falei “fico feliz em ter te ajudado! Agora escolhe um macho de verdade, não perde tempo com aquele idiota do Toni!”. Mas ela não me escutou...

Comentários

16/11/2017 01:46:17
Eu gosto contos com uma temática diferente assim....continua, please!!!
16/11/2017 00:49:40
Muito bom. Nota 10!
15/11/2017 01:58:17
Continua!!!!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.