Casa dos Contos Eróticos

Carlos me comeu no trabalho dele

Autor: Alyne Limma
Categoria: Heterossexual
Data: 14/11/2017 18:36:52
Nota 10.00
Ler comentários (1) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Amores da minha viida!!!

Para aqueles que estão lendo pela primeira vez, minha descrição, sou gaúcha, tenho 18 anos, até pouco tempo atrás era bobinha e achava que tudo relacionado a sexo era errado, até que virei uma putinha (na cama).

Tenho mais ou menos 1,70 de altura, morena, coxas grossas, pele bem branquinha, bundinha empinada, seios pequenos e durinhos, bucetinha pentelhuda e segundo me dizem: uma carinha de safada!

Tenho lábios bem grandes, que alias fazem um boquete espetacular, adoro chupar e ser chupada, amo sentar num caralho duro e as vezes libero o cuzinho.

Na época em que namorei Carlos, ele era vendedor em uma loja de eletrodomésticos. Eu estava passeando com minha mãe pelo centro da cidade e passamos na loja, ele estava em mais um dia de trabalho, poucas pessoas na loja, movimento bem fraco.

Entrei, olhei e ele estava sentado em um dos terminais de atendimento, quando entrei com minha mãe, ele levantou e vei ao nosso encontro, minha mãe gostaria de ver alguns itens e eu queria ver outros. Como sempre atendeu nós duas de forma muito profissional, acompanhando-nos pelos setores da loja.

Mesmo mantendo a postura profissional, não conseguia deixar de me olhar com uma cara de tesão.

Eu estava vestida bem linda, usava uma blusa branca, meio transparente que deixava bem aparente o meu pequeno sutiã preto, contrastado com minha pele branquinha, uma saia comprida de pano, deixando a mostra a curva da minha cintura e minha bundinha empinada, aparecia a marca de uma minuscula tanguinha enfiada no meu rabo. Meu rosto parecia angelical, destacado por um óculos de armação larga, deixando-a com cara de nerd safada.

Após nos mostrar os produtos que procurávamos, sentamos e começamos a negociar.

Minha mãe adorou as condições que ele propôs, e acabou comprando.

Porém havia um problema, os produtos eram pesados e nós não conseguiríamos levar para casa sozinhas. Então, como bom vendedor ele se ofereceu para levar no seu carro após o expediente.

Na hora minha mãe ficou muito agradecida e aceitou (assim não precisaria pagar pelo frete), então perguntei se ele se importaria se eu ficasse para ir junto, (não vi maldade nenhuma até aquele momento) ele aceitei na hora.

Minha mãe foi embora e eu fiquei sentada esperando o final do expediente de Carlos.

Logo que ele acabou os afazeres, a loja fechou, ele me disse que pegaria os produtos no estoque e já íamos até minha casa. (nessa época eu morava com minha mãe ainda).

Eu, muito prestativa levantei e fui me auxiliar o Carlos, entramos no estoque da loja, ele me deixou ir na frente e ficou só admirando a minha bundinha, imaginando o que havia por debaixo da minha saia. Eu imaginando o que ele pensava, me perdi em pensamentos enquanto ele não tirava o olho do meu rabo... Notei em poucos instantes que inconscientemente seu pau ficou duro, dando um volume na sua calça, fui passar ao seu lado e acabei encostando nele, sentindo a tora dura, olhei para ele assustada (ao mesmo tempo com tesão), ajeitei meu óculos e sorri.

Carlos carregou um dos produtos, aproveitou para verificar se todos os colegas já tinham ido embora. Com a certeza que estávamos sozinhos, resolveu vir para cima de mim.

Passou por mim, dessa vez colocou a mão na minha cintura, não escondi que gostei e suspirei.

Com meu suspiro, foi como se eu desse um sinal verde, ele me agarrou por trás, me fiz de difícil no início, disse que tínhamos que ir logo.

Foi quando ele calou minha boca com um beijo de língua delicioso, senti-me vulnerável e acabei por me entregar.

O tesão era muito, aquela amaço esquentou o clima e o medo de ser pega era enorme, pois estávamos no local de trabalho dele. Então ele tirou o pau pra fora e eu muito gulosa cai de boca sem pensar me mais nada, chupava como uma vadia com sede de leite, engolia aquele pau inteiro, olhando para ele através das lentes do meus óculos.

Enquanto eu o chupava, ele abriu a camisa e baixou toda a calça, levantei e deixei ele explorar meu corpo inteiro. Me deitou em cima de uma mesa e começou a erguer minha saia, revelando minha tanguinha minúscula azul, enfiada na bundinha.

Foi me beijando dos pés a cabeça, e lentamente tirou minha calcinha pequena deixando minha bucetinha pequena a mostra, com os pentelhos levemente aparados e totalmente molhada. O tesão tomava conta de mim nesse momento.

Ele me chupou muito, brincava com meu grelinho duro enquanto eu brincava com meus peitinhos pequenos.

Após me chupar muito e me beijar na boca, abriu minha pernas, ficando em pé na beirada da mesa e foi metendo bem devagar, eu gemia e pedia pra ele foder forte.

Os movimentos ficaram ritmados numa sintonia perfeita nossos corpos grudados e eu sentindo o seu pau atolado na minha xoxotinha peluda.

Depois ele tirou o pau de mim todo labuzado do meu mel, sentou em uma cadeira e eu completamente putinha sentei com tudo no pau dele, subi e desci inúmeras vezes, rebolei gostoso, até que tremi e gozei beijando a boca do meu namoradinho safado. Quando eu gozei, minha bucetinha se contraiu apertando aquele pau gostoso, fazendo ele gozar como louco dentro mim, me enchendo de porra quente.

Ficamos ali abraçados e parados por instantes, exaustos. Levantei e sentir a porra escorrendo pelas minha pernas, passei o dedo e lambi tudinho (afinal, não podia chegar em casa suja de leite).

Logo nos recompomos e ele terminou de carregar o carro, me levou em casa, descarregou o carro e ao se despedir, aproveitando o tesão que ainda estava presente em nós, me deu um beijo molhado e muito gostoso.

Nessa época Carlos se deu muito bem, tinha uma namorada, uma amante, uma cliente e uma putinha em uma só mulher! EU!

Amados, espero que gostem!

Beijinhoooos

Contato de e-mail: lyneschneider@gmail.com (NÃO peça FOTO, NÃO peça whatsapp, NÃO quero relacionamento com ninguém, nem conhecer ninguém pessoalmente.

Sugestões, críticas e troca de ideias são bem-vindas)

Comentários

21/11/2017 12:05:18
ótimo conto.. fico puto de tesão ao ler.. e com vontade de conhecer esse tipo de mulher safada independente de ser evangelica, crente..comprometida ou apenas curiosa, enfim uma mulher que gosta de ser bem fodida, mesmo que as vezes não tenha coragem pra falar mais morre de desejo, depois de algumas exp. passei a gostar demais de ficar cobiçando uma mulher safada, ou vela se exibindo, até mesmo ajuda-la a perder a timidez e mostrar todo desejo e vontade reprimida. quem sabe ajudando a conhecer esses desejos..e vontade.. whats (dezenove) nove, dois, três, três-vinte e sete, nove oito) seja curiosa ao menos, rs rs!!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.