Casa dos Contos Eróticos

DOMINAÇÃO TRANTRICA XXV – CATIVEIRO

Categoria: Heterossexual
Data: 13/11/2017 22:08:27
Nota -
Ler comentários (0) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Fernando Pessoa certa vez escreveu: “A liberdade é a possibilidade do isolamento. Se te é impossível viver só, nasceste escravo”. Mas desde que DEUS tirou a costela de Adão e a transformou na mulher todos os seres humanos começaram uma busca incessante. Acredito que os homens buscando recuperar a parte amputada de seu corpo e as mulheres procurando o aconchego do peito masculino.

Não bastasse, Moises sobe o Monte Horeb (Sinai) e desce com as tábuas da lei. Irritado com o culto a Mamon, quebra-as e escreve novas normas. Nas Leis, agora de Moises, dois mandamentos fincam bases na monogamia, melhor dizendo na monotomia: Não pecar contra a castidade (6º) e não cobiçar as coisas alheias (10º). Vale lembrar que entre as coisas alheias estavam as mulheres, tidas na época como propriedade. Deve ter sido por isso que DEUS não permitiu a entrada de Moises na Terra Prometida, aquela onde vertia leite e mel.

Recentemente através de um contato em um site de relacionamento liberal uma mulher me adicionou e passamos a conversar sobre seus desejo, medos e fetiches. Flavia se apresentou como profissional liberal respeitada, cheia de compromissos e problemas para encontrar relacionamentos. Me contou da sua precocidade, descobrindo seus primeiros desejos sexuais com um primo. Disse que sentiu tesão ao brincar de esconde esconde e foi de certa forma encoxada pelo moleca travesso.

A partir desse momento passou a olhar o sexo oposto como uma forma de atingir o prazer. Foi justamente com o priminho que ela deu os primeiros beijos, primeiros amassos e experimentou o sexo anal. Levantou a saia, colocou a calcinha de lado e ela estava ela levando rola no cuzinho juvenil até então virgem. Deu gostou e foi ao próximo estagio, apaixonar-se e presentear o cabaço ao ser amado, ao primeiro amor.

Flavia segui o ciclo. Estudou, casou, teve filhos e se divorciou. Agora como mulher madura queria aproveitar a vida e entregar-se a realização dos desejos, mergulhou no mundo BDSM. Queria ser dominada, amarrada, usada. Chegou ao ponto de contratar um consultor, um Personal Dominator. O passou seguinte foi arrumar um DON ou Dono como ela prefere chamar. Iniciou a sua vida de escrava sexual.

Como tudo, no começo é uma maravilha. Mas tudo virou um problema quando descobriu que o seu DONo tinha uma DONA e que a verdadeira Dominatrix era ela. Nada pior do que uma Dominatrix furiosa. Ela literalmente põe no seu rabo e transforma a sua vida num inferno. Flavia descobriu esse poder da pior maneira. Afinal, a DONA passou a persegui-la pois se sentiu traída e descobriu a traição via Whatsapp aberto. Havia digitais nas provas.

Em 30 minutos de conversa, não preciso nem dizer que a pergunta fatal veio: Você é casado? Quando respondi qual a importância disso, obviamente a resposta estava implícita. Flavia que a principio seria buscava um DON, um Senhor, despertou a sua veia Dominatrix e começou a ditar a regras. Mal sabia ela que adoro apagar fogo com gasolina e percebendo acendi o isqueiro.

Logo de cara já me perguntou quantas SUBs eu tinha e a minha resposta foi direta: várias. Nesse momento, o demônio DOMINATRIX mostrou seus dentes e disparou: Não aceito irmãzinha de coleira. A mulher que sonhava em ser abusada em cativeiro, currada, estuprada e fodendo por pelo menos 3 dias seguidos, agora estava preocupada se o seu futuro DON era fiel a outra mulher ou não.

Num minuto, Flavia estava mandado fotos suas nua, mostrando sua menina e no segundo seguinte estava literalmente tendo uma DR comigo. Nem havia começado a brincadeira e lá estava ela mais tensa do que no dia em que foi currada pelo priminho sacana. Rapidamente confessou que havia mentido no inicio da nossa conversa, mas ficou muito nervosa com as verdades que falei. Tempos estranhos esses: mentirosos ficam bravos com pessoas falam a verdade.

Foi nesse momento que lembrei de Moises e suas leis, da costela de Adão e de todo restante. Flavia não quer ou queria um DON. Ela está na verdade buscando o espaço de onde foi retirada. Se diz liberal e busca praticas de sexo livre, mas não consegue ficar só ou dividir. Agora posso dizer que conheci uma verdadeira ESCRAVA. Uma escrava que não conhece os verdadeiros mandamentos, aqueles que estavam escritos na tábuas originais quebradas pelo Patriarca e felizmente recuperados por seu filho adotivo Esse: Não degradarás o Amor. O Amor é a dadiva sagrada do teu Pai Celestial (6º) e não cobiçarás as propriedades do teu vizinho. A Lei te dará presentes muito maiores, e até a terra e os céus , se guardares os Mandamentos do Senhor teu D’us. (10º). E assim, vamos todos navegando através do espaço na nave chamada Terra carregando o peso da nossa ignorância e julgando os outros instantaneamente na velocidade das digitais no teclado. Esse é o nosso cativeiro.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.