Casa dos Contos Eróticos

Seduzido pela enteada

Autor: Roots
Categoria: Heterossexual
Data: 28/10/2017 01:50:31
Nota 8.78
Ler comentários (8) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Hj o q vou relatar a vcs uma das coisas mais loucas q já aconteceram comigo ao longo dos meus 38 anos de vida. Trata-se de um desabafo, um fato verídico,q eu acreditava q só acontecesse nos contos... filmes e etc... mas por ironia do destino aconteceu comigo coisa de 1 ano atrás! Este acontecimento (s) é o tipo de coisa q não posso nem sonhar q minha esposa, amigos ou familiares saibam, mas eu precisava desabafar de alguma maneira, mas não tenho coragem de contar nem para o meu melhor amigo.

Sou casado a 10 anos e amo muito minha esposa, quando nos conhecemos ela havia acabado de sair de um casamento,do qual ela teve uma filha a Renata. Quando nos casamos Renatinha, estava com 7 anos, hj ela já esta com 17 anos, e ao longo destes anos nós sempre mantivemos um ótimo relacionamento, apesar de tantos anos de convivência Renata nunca viu em mim uma figura paterna, pois ela sempre manteve contato com o pai ele sempre foi presente, mas o q nunca impediu q mantivessemos um excelente relacionamento.

Falando de verdade, eu nunca havia olhado com maldade ou algo parecido para minha enteada ao longo de todos estes anos, até pq eu convivo com ela desde criança e acompanhei todo seu crescimento, e mesmo não querendo e sabendo separar as coisas, havia um olhar paternal ali. Mas as coisas foram mudando com o passar do tempo, não por minha parte mas hj vejo q por parte dela.

Começarei nos descrevendo para q vcs possam "viajar" melhor nesta loucura!

Tenho 38 anos, sou moreno claro, 1,76m, magro 70kg, olhos e cabelos castanhos curtos dizem até q lembro o cantor Diogo Nogueira, mas sem os olhos azuis (rsrsrsrs) Ela hj tem 17 anos(na época tinha 16) moreninha clara, 1,67m, de 52 à 55 kg,cabelos bem lisos e longos castanhos escuros, olhos castanhos, seios pequenos e bem bicudinhos, aquela falsa magra de bundinha redonda e cinturinha fina, resumindo... linda demais!!!

Renata sempre foi muito tranquila... sempre na dela,mas de um tempo pra cá eu e mãe reparamos q ela estava diferente, mais solta...digamos mas ousada! Achamos até muito normal, coisas da idade... coisas de adolecente descobrindo a vida! Mas logo... logo eu veria q não!

Eu tenho um horário bastante flexível no trabalho, então certo dia fui em casa durante a tarde, quando entrei reparei q seus livros estavam em cima da mesa abertos como se ela estivesse estudando, porém ela não estava na sala, quando subi para o andar de cima ainda no corredor comecei a escutar algum tipo de sussurro baixinho q vinha do quarto de Renatinha, ao chegar mais perto percebi q a porta estava apenas encostada, então cuidadosamente fui colocando o rosto na fresta da porta e pelo espelho deu para ver Renata deitada com a mão por dentro da calcinha se masturbando, mas estava tão concentrada... tão empolgada de olhos fechados se contorcendo q nem reparou minha presença.

Na hora fiquei meio sem perplexo, senti o que podemos de chamar de vergonha alheia, o mesmo sentimento de quando eramos adolecente e pegamos nossos pais transando(quem já viu sabe o q estou falando) mas confesso q tb fiquei excitado, me repreendi de imediato afinal a vi crescer. Desci rapidamente e fiz barulhos para ela perceber q alguém havia chegado em casa. Depois d alguns minutos ela desceu meio q com cara de assustada, mas acho q percebeu q nada tinha sido visto e relaxou e até brincou comigo dizendo: quando trabalhar quero um emprego desse, q pode vir em casa no meio do expediente.

Eu sorri e disse q nao iria demorar muito, ela se sentou no sofá e eu comendo um sanduiche sentei em uma poltrona de frente para ela. Ela usava um shortinho de dormir e um top de malha sem sutiã, antes do recente acontecimento eu nem me ligaria nesses detalhes, mas era mais forte q eu, comecei a observar cada detalhe daquele corpinho perfeito. Sentia uma mistura de tesão e sentimento de culpa, sei lá! Só sei q fiquei com aquela cena o dia inteiro na cabeça, eu não conseguia parar de pensar no que havia visto, e o pior eu ficava excitado e isso me encomodava bastante. Depois ligando os fatos reparei q a mudança de Renata começou depois q ela passou a ir para casa de uma amiga.

Passando-se uns dois dias depois, eu ainda pertubado pelo fantasma da masturbação de Renatinha, resolvi dar um outro pulo em casa, não querendo aceitar que era, mas sim na maldade no subconsciente! Quando chego em casa, mais uma surpresa! Estava Renata com um amigo de colégio em casa sozinhos, e como não sou nenhum bobo os dois com cara assustados disfarçando não sei o q... mais ou menos daqueles jeito q é melhor ficar calado para não falar merda. Ela sempre com aquelas roupinhas a vontade de ficar em casa.

Com cara de puto e de quem não tinha gostado do que tinha visto mandei o moleque ir embora, ou melhor, quase o expulsei! Ela fingiu estar chateada com meu jeito estupido de falar com eles, mas percebi q na verdade q ela gostou da minha atitude ciumenta. Após este fato Renata comecou agir comigo como nunca antes, eu sentia ela me olhar com um certo olhar de maldade,começou usar roupas bem provocantes quando estavamos sozinhos como shortinhos de malha e sem calcinha aqueles bem curtinhos a ponto das poupinhas aparecerem, blusas soltinhas sem sutiã que marcavam aqueles seios durinhos e bicudos, mas no fundo eu achava q aquilo não era possível,que eu estava imaginando uma situçao absurda, até mesmo depravada... incestuosa!!! Achava q ela não tinha toda essa malícia e friesa, ainda mais por eu ser marido da mãe dela, o homem q por mais q não fosse o pai dela, foi quem praticamente a criou. Estava a ponto de enlouquecer até mesmo procurar ajuda médica psicológica, pois não me conformava em manter aquela mistura de desejo... tesão imaginando uma coisa q parecia ser impossível de acontecer. Mas ficava bem difícil olhar pra ela da mesma maneira de antes, por mais q eu quisesse eu não conseguia, toda vez q eu havia com aquelas roupinhas eu lembrava do bendito dia.

E assim separam semanas... posso dizer q alguns meses e a tortura continuava, ela começou a deixar calcinhas penduradas no box para secar, coisa q nunca fez, e detalhe ela tinha o banheiro social da casa só pra ela, mas começou a usar o da nossa suíte dizendo q o chuveiro era mais forte, quando eu estava sentado no sofá ela deitava no sofá ao lado de bruço com a bunda virada pra mim com seus micros shorts ( e só fazia isso quando estavamos só nós dois em casa) mas eu já tinha chegado ao ponto... a conclusão de q não passava de um fetiche bizarro meu.

Até o dia q minha mulher teve q viajar por 4 dias a trabalho em Fortaleza pois ela foi dar um curso de RH na empresa q trabalha q estava abrindo uma filial no Ceará.

Bom... ficariamos eu e Renatinha sozinhos em casa por 4 dias!!!! Minha esposa embarcou rumo a Fortaleza numa sexta-feira, na volta do aeroporto pra casa perguntei a Renata se ela iria no Domingo ao aniversário do meu irmão na casa do meu pai, pois haveria um churrasco para comemorar e q minhas sobrinhas tb iriam, ela respondeu com empolgação q sim, fato q achei até estranho pois ela não é muito dessas sociais de família.

Chegamos em casa, ela correu para o banheiro para tomar banho na minha frente, depois de alguns longos minutos ela saiu do banheiro e foi tomar meu banho logo avisto aquela calcinha pendurada já me veio toda aquela merda na cabeca novamente. Resolvi então fazer uma coisa q eu nunca havia feito por mais vontade q tinha tido mas sempre me controlei, toquei uma punheta pra ela, queria ver se aquele desejo... aquele tesão passava, pois estava até com medo de durante esses 4 dias fazer uma bobagem. Mas o pior é q na hora q fui gozar pensei em outra mulher, pois até na punheta a consciência pesava. Rsrsrsrsrs Acabei do banho e fui para varanda tocar violão, Renata me perguntou se eu queria q ela fizesse um lanche para mim, pois ela iria fazer um para ela. Respondi q sim, depois de algum tempo ela me chama dizendo estar pronto fomos lanchar e depois ficamos vendo a série The Walking Dead q sempre acompanhamos eu no sofá maior e ela desta vez sentada na poltrona.

Ela usava um shortinho branco com estampas azuis desse de malha bem vagabundinha quase q transparente e nitidamente dava pra ver q estava sem calcinha usava tb um top q parecia uma lycra mas só q mais fino e sem sutiã o mesmo conjuntinho q sempre usa para dormir.

Renata sentou na poltrona com as pernas encolhidas as abraçando e as mesmas entre abertas rssaltando aquele volume de xoxota no short, eu não sabia se olhava para a tv ou para ela e sendo bem sincero meu pau endureceu na hora. Aquela situação já estava me pertubando não achava correto eu ficar secando aquela menina ainda mais sendo quem era. Senti q ela percebia meus olhares mas tb nada fez para mudar, nem mesmo mudar de posição... cruzar as pernas sei lá!!!

Assim q a série acabou disse q iria me deitar pois estava cansado, ela ainda insistiu para q ficasse um pouco mais, respondi q não e fui para o meu quarto tocar uma outra punheta, mas desta vez toquei pra ela até gozar na esperança de jorrar todo meu tesão naquele gozo.

No dia seguinte acordamos tomamos café e fui levar os cães na rua como de hábito e ela disse q iria junto, coisa q nunca fez! Fomos conversando sob escola...seu curso de inglês essas coisas bobas, até q perguntei a respeito de namorados, e se aquele garoto q estava lá em casa era namoradinho dela. Ela sorriu um sorriso debochado, e perguntou pq eu queria saber!? Respondi q só por curiosidade, pq ela nunca tinha comentado a respeito e afinal ela já estava com 16 anos. ela me disse q aquele garoto até q era afim dela, q as vezes dava uns beijinhos nele, mas havia parado pq q ela só queria "curtir" e ele querendo namorar. Mas q no momento estava ficando com o irmão da amiga q sempre ia para casa e q ele era mais velho. Perguntei mais velho como assim!? Ela respondeu : ué ele tem 21 anos! Ela me pediu q por favor não comentasse nada com a mãe a respeito do carinha mais velho, sob o outro da idade dela até q não tinha problema, pois não havia falado nadapor ficar sem jeito... com vergonha coisa desse tipo, respondi q ficasse tranquila q não iria comentar nada. Fiquei chocado com aquela resposta, pois não com dizia com aquela garota q conheciamos, e agora sim comecei a entender toda e aquela explosão atômica estrogênio e libido q estavam acontecendo com ela.

Então tentei ir mais a fundo no assunto e perguntei se ela tinha preferência por homens mais velhos? E se não era melhor ela sair com garotos da idade dela? Ela respondeu q os meninos da sua idade eram muito bobinhos e q os mais velhos sabiam melhor lidar com as meninas! Bom... achei melhor para por ali mesmo o assunto! Renata me falou q a noite teria uma festa para ir e q a mãe já tinha sido avisada e me perguntou se eu poderia levá-la, respondi q sem problemas.

Passei a tarde resolvendo problemas de trabalho da semana q ficaram atrasados e ela ficou pegando sol no terraço. De vez em quando ela descia para pegar alguma coisa na cozinha, passava pela sala de biquíni e as vezes parava ao meu lado para fuxicar o q eu estava fazendo. Por volta das 19:30 dise estar pronta para festa usava um vestido soltinho branco, estava linda, eu até perguntei brincando o pq de estar tão linda, se tinha algum motivo em especial ela sorriu e disse NÃO....

Quando chegamos no local ela me perguntou q horas deveria voltar eu disse q era para me ligar q eu iria busca-lá, ela disse q não precisava pois voltaria com o pai de uma amiga q morava perto. Então respondi q nao passasse das 3 horas da manhã, q estava de bom tamanho ela tão abriu um sorriso largo me agradeceu, me deu um beijo e desceu.

Quando foi por volta das 1:30 da manhã, escutei um carro parar na porta de casa, fui na varanda para ver o q era, ou se era Renata chegando. O carro ficou por cerca de 40 minutos parado, dava para perceber q estava ligado. Até q entãoa porta do carona se abre e desce Renata meio q apressada, corri para o sofa e me deitei figindo esta dormindo, ela entrou em silêncio foi direto para coisinha pegou alguns papeis toalha e saiu novamente. Corri novamente para a varanda para observar. Ela entrou no carro novamente!!!

Bom....para q seria aqueles papéis!? Para um bom entendedor, um pingo e letra, entendi muito bem do que se tratava!

Mas um fato para mexer com a minha imaginação obscena... perversa q eu tanto temia. Quando ela saiu do carro, corri novamente para o sofá para fingir está dormindo. Ela entrou e com os olhos entre abertos só na penumbra da tv, vi ela vindo em minha direção, parou de frente pra mim e pelo o q eu conseguia vê, estava me observando eu estav com o pau meio duro, após ter presenciado tal situação e parecia q ela estava manjando meu pau. Senti ela me chamar fazendo um cafuné, fingi acordar e ela disse: cheguei tá! Respondi: ok, tudo bem!

Me levantei e disse q iria dormir e caminhei para o quarto ela foi direto para o banheiro tomar um banho no qual deve ter demorado uns 50 minutos. No dia seguinte quando acordamos por volta de 11:00 tomamos café e nos arrumamos para ir para o churrasco do meu irmão.

Chegando lá ela foi ficar com as minha sobrinhas q são da mesma faixa de idade dela.

Cerveja vai... caipirinha vem... eu ja estava no brilho quando entrei na piscina, as meninas já estavam e cheguei para perto delas ficamos jogando conversa, de repente Renata se pendurou nas minhas costas cruzando as pernas ma minha cintura e volte e meia esbarrava com a panturrilhas no meu pau. Eu cheio de cachaça na cabeça, passando todo aquele confronto de "fetiche incestuoso" começou a ser mais forte q eu e comecei a ficar com pau duro e para falar a verdade não tinha como ela não sentir, mas mesmo assim não saiu, pelo contrário saiu das minhas costas e veio para frente do meu corpo, foi quando senti um cheiro de álcool na boca de Renata e perguntei se ela tinha bebido, ela falou q sim bebido alguns "Ices" (o q para mim era outra surpresa, pois nunca foi de curti bebidas alcoólicas ) mas agora não era mais as panturrilhas que estavam encostando no meu pau mas sim aquela xoxotinha. Quando falava se mexia e esfregava a buceta no minha piroca latejante, "inconscientemente " apoie sua bundinha com as mãos, eu quase pirei ao sentir aquela pele macia na palma de minhas mãos, quando ela sentia o volume apertava minha cintura com as pernas e eu apertava levemente sua bunda. Ela agia como se nada estivesse acontecendo, como se estivesse tudo na maior normalidade. Eu realmente não estava acreditando q tudo aquilo estava acontecendo, mas uma vez preferia achar q era coisa da minha cabeça ainda mais por conta do álcool, pensei e relaxar e deixar rolar mas entrei na neurose de que alguém pudesse perceber algo dei uma disfaçada e saí da piscina.

Fomos para casa eu com aquilo na cabeça, e tudo continuava como se nada tivesse acontecido. Fui tomar um banho e tocar uma punheta pois chegava estar com dor no saco de tanto tesão encubado! Ela tb tomou banho e veio se sentar comigo na sala, usava aquele famoso conjuntinho de dormir shortinho de malha branco e uma blusinha de alsa bem folgada q modelava aqueles peitinhos lindos, ficamos ali vendo tv e conversando até por volta de 0:00, foi quando disse q iria dormir pois tinha q trabalhar no dia seguinte e disse para ela fazer o mesmo pois ela tb tinha colégio. Foi quando ela me perguntou se poderia dormir no meu quarto por causa do calor alegando q o ar condicionado do quarto dela não estava gelando, realmente estava uma noite bem quente de verão. falei sem problemas!!!

Achei q ela fosse por um colchonete no chão do quarto para dormir, como de costume, mas não! Ela perguntou se podia dormir na cama já q a mãe não estava. Entrei em desespero, na hora meu deu um frio na barriga, ao mesmo tempo q eu queria muito, eu tb não queria pois sabia no q poderia dar... tremi na base!!! Mas acabei dizendo q sim.

Deitamos e a tv do quarto ligada, passando-se uns 20 minutos ela perguntou se podia desligar a tv pois não estava conseguindo dormir, concordei e assim foi feito. Tv desligada, e kd q eu conseguia pegar no sono, sentindo aquele cheirinho gostoso q vinha do meu lado, estava realmente louco, mas consciente de minhas atitudes. Eu estava deitado de lado virado para ela, foi quando ela se virou de lado ficando de costa para mim e jogando a cintura para trás encostando a bunda no meu pau, ficamos praticamente na posição de "conchinha", só não estavamos tão colados a única parte de nossos corpos q se encostavam era a bunda dela no meu pau.

Pensei: Pronto!!! Agora fudeu!!!! Eu não vou sair, vou ver até aonde essa porra vai chegar! Que se foda!

Meu pau comecou a endurecer...ficou muito duro mesmo e ali encostado naquela bundinha, achei q ao senti ela se afastaria, eu usava um short desses de pijama sem cueca com toda certeza ela estva sentido o volume da minha pica dura e latejando encostada nela, bom... se caso falasse algo eu pediria desculpas e diria q dormindo pensei q fosse a mãe. Mas nada ela ali ficou com aquela bundinha encostada na minha pica. Comecei então flexionar levemente meu pau nela e sentia ela tb empurrar a bundinha pra trás. Foi quando coloquei meu pau pra fora pela lateral do short e segurei ela forte pela cintura e comecei a esfregar meu pau. Deslizei as mãos por sua barriga e enfiei por baixo do top até chegar em seus peitinhos e comecei a levemente apertar seus biquinhos, foi quando escutei um pequeno e baixo gemido.

Ela vagarosamente colocou a mão para trás e segurou meu pau, pegou com tamanha força q parecia q queria esmagar e começou uma lenta punheta, eu estava louco sentido aqueles peitinhos e vendo aquela linda mãozinha punhetando minha piroca, enquanto eu beijava sua nuca e bolinava seus peitinhos.

Depois ela abaixou seu short até altura do joelho, e encaixou meu pau na bundinha como se estivesse fazendo uma "espanhola" com a bunda, rebolando devagarzinho. Fui descendo minha mão e enfiei por dentro do short até chegar naquela xoxotinha encharcada, eu esfregava minha mão sentido todo melado o q me deixava cada vez mais tarado.

Ela pegou meu pau e agora colocou entre as coxas na altura da buceta, ainda na mesma posição "fetal" com uma das palmas da mão apertando meu pau contra buceta esfregava em um movimento de vai e vem. Eu estava a ponto de bala... louco de tesão... tesão q nunca havia sentido antes!!!! Ergui um pouco meu corpo e comecei a chupar seus peitinhos deliciosos ela revirava os olhinhos de prazer, fui descendo por suas costas até chegar na bundinha e enfiei a cara entre sua bucetinha e seu cú, fiquei ali brincando com a lingua entre os dois, toda vez q eu passava a lingua no cuzinho ele se estremecia toda foi quando ela disse a única frase dita até o momento: "quero chupar seu piru!"se abaixou e encheu a boca com a minha rola envernizada, chupando como se fosse a última piroca do mundo! Chupava com vontade!!

Ela estava de joelhos na cama como q de quatro ao meu lado mamando com gosto , enquanto isso eu bricancava com sua xoxotinha molhada, deslizava o dedo melado até seu cuzinho e forçava como se fosse enfiar, cada vez q eu fazia isso ela sugava com mais força e mais vontade minha rola. Puxei ela e a coloquei novamente na posição inicial de ladinho, voltei a esfregar a pica em sua xoxota, lambuzei bastante meu pau e com uma das mãos abri sua bundinha e encaxei a cabeça da piroca bem na portinha do cuzinho dela a segurei pela cintura e delicadamente comecei a forçar, ela por sua vez forçava o cuzinho de encontro ao meu pau lambuzado de líquido de xoxota, ate q.... "plufff"... a cabeça entrou ela até deu um pulinho de susto pra frente, mas relaxou.

Fui empurrando bem devagar até sentir meu saco encostar nela, simultaneamente eu tocava um siririca nela e ela sussurava "não para! "... "não para!". Estava fudendo gostoso aquele cuzinho apertado, não sei se virgem! mas apertado! Foi quando eu falei: "rebola no meu pau, vai... rebola bem gostoso! " protamente e magestosamente começou a rebolar, de olhinhos fechados e mordendo os lábios de tesão, dizendo: "assim!? "... "ta gostoso meu rabinho!? " enfiei meu dedo médio em sua boca e ela chupava e rebolva na piroca. Era nítido seu sorrizinho safado de canto de boca, sorriso de quem estava gostando de ser fudida no cú.

Pedi q ela ficasse de quatro, coloquei ela na beira da cama, na quina, e perguntei se ela era virgem, balancou a cabeça dizendo q sim. Não quis forçar a barra, pois já estava indo muito além do q devia. Enfiei então novamente meu pau no seu cú e comecei a socar com o pouco mais de força a segurando pelo cabelo. Renata começou a se masturbar com minha piroca cravada no rabo e gemia... mordia o travesseiro... pedia pra não parar!

A empurrei de bruço na cama e deitei por cima sem tirar de dentro e soquei com mais força lambendo sua orelha e mordendo sua nuca. Foi quando ela se estremeceu como uma lagartixa e disse esta gozando, não aguentei.... (aliás eu já estava me segurando fazia algum tempo) gozei tb e dentro daquele cuzinho.

Ficamos ali parados na mesma posição estagnados de prazer... até seu cuzinho expulsar meu pau de dentro. Viramos para o lado sem darmos uma só palavra e apagamos! Acordei depois de algum tempo com Renata entrando no chuveiro, mas prefiri ficar ali na minha avaliando o tamanho da merda q havia feito. Mas sei lá... pelo menos até aquele momento não me sentia culpado.

No dia seguinte quando acordei ela já não estava na cama, precisava achar coragem de sair do quarto e ter q encara-lá ali de frente. Enrolei o maximo q pude, mas não poderia ficar para sempre no quarto. Desci e Renata estava sentada na sala, passei direto para cozinha sem falar nada! Quando ela disse "bom dia! Dormiu comigo essa noite!? " na hora me senti um idiota! Um adolecente de 14 aninhos quando esbarra com sua paquerinha! Ela com seus 16 anos mostrou ter mais maturidade para lidar com aquela situação do q eu com meus 38 anos... então respondi "bom dia! "

Foi quando ela chegou na cozinha e falou: não precisa me evitar, nada q aconteceu foi por vontade apénas de um mais sim dos dois, se tem algum culpado na história são os dois. Então vamos encarar os fatos numa boa, como deve ser, como duas pessoas adultas! Rolou... foi bom e pronto, foi apénas sexo... tesão... deu vontade! Vamos desencucar com essas idéias de traição e etc.... pq senão ai é q vai dar merda! Respondi q ela tinha toda razão, e uma vez me senti um idiota adolescente recebendo uma lição de moral. E foi assim minha história com minha enteada, houveram algumas outras vezes, mas sempre assim sem peso na consciência de ninguém! Pensamos da seguinte maneira! A traição existe quando se a sentimento... mas o nosso era só necessidade fisiológica... sexo... tesão!

Um grande abraço a todos.

Comentários

17/11/2017 09:55:25
Muito bom conto, quando existe uma boa maldade no olhar, ou mesmo vontade, conseguimos perceber, tanto a mulher percebe quanto o homem, por isso eu gosto mesmo de provocar, fazer a mulher querer sentir tesão, gozar com vontade e confesso independente se tem compromisso ou não, se é tímida, religiosa, mulher de família ou simplesmente curiosa, se tem desejo e vontade eu provoco mesmo, quem sabe não se solta e aprende a sentir prazer e a viver um desses contos maravilhosos que vemos aqui, se quiser me chama whts ((um, Nove) nove, dois, três, três-vinte e sete, nove oito) vou adorar te ajudar!!!
04/11/2017 02:46:48
Cara não deixe de relatar mais dessa putaria com sua enteada não. É muito fodástica essa história
29/10/2017 06:33:17
Adorei o conto, quero ver todos outros com fotos. Amo fotografar, filmar e fazer book desses melhores momentos. Caso interessar é só retornar: fotografoliberal@yahoo.com.br
29/10/2017 04:08:57
He he só falta o cabaço hoje, rsss
28/10/2017 12:11:05
Muito bom!!!
28/10/2017 10:08:55
Você devia de remover os internetiques como: vc, hj, q, vcs e etc...
28/10/2017 07:03:03
loirinhu_pg@hotmail.com
28/10/2017 07:02:46
Muito muito muito bom.Mas e aí, comeu a bucetinha dela pra frente ?Conte aí.loirinhu_pg@hotmail.com

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.