Casa dos Contos Eróticos

Derrepente o amor 23

Categoria: Homossexual
Data: 13/10/2017 02:01:47
Última revisão: 13/10/2017 02:24:01
Nota 9.43
Ler comentários (16) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Passaram se dias e a convivência com eles ia fluindo aos poucos, Rodrigo, não fez mais nenhuma gracinha pra Nando não importunou ele. Também pudera; eles nunca se encontrava a sós com Nando. Breno marcava juntinho. Se Nando colocasse os pés para fora da sala ou ele ia junto ou no mínimo se levantava e fica de prontidão na porta olhando o corredor e esperando Nando sair das salas. A marcação era cerrada. Ele não iria dar bobeira pro azar e poder perder o amor dele. Ele já não era mais um menino, agora era um homem esperto. já tinha conseguido tirar até sua carteira de motorista, e dirigia seu carro orgulhoso até a fábrica levando Nando e Lucas com ele. Mas engana-se que Nando se incomodava com essa atitude de Breno; ao contrário. Aquilo fazia se sentir seguro e protegido por ele, e só aumentava o amor e o carinho por Breno, porque ele sabia que tinha ao seu lado um homem de verdade. Um homem protetor que cuidava e zelava por ele.

Mas Rodrigo ficava a espreita, na espera de uma oportunidade. E numa manhã pareceu que ele teria ela, quando viu Nando vindo pelo corredor, assim que saiu de sua sala, ele disse:

-Espere, só um minuto...

Nando parou no meio do corredor e esperou Rodrigo caminhando de vagar com aquela perna arrastada. Ele chegou bem próximo de Nando e disse:

-Tá indo a onde?

-Vou descer pro refeitório; estou indo almoçar...

-Posso lhe acompanhar?

Nando riu e respondeu: -Você me acompanhar? -Pra almoçar no refeitório com os outros empregado?

Por mim tudo bem mas lhe advirto que meu esposo já esta vindo.

-Há sim! -Seu cão de guarda que não late.

Nando realmente não estava com saco pra discutir, então preferiu fazer a maluca e com cara de paisagem deu um leve sorriso e disse:

-Tem razão meu cão de guarda não late, mas morde, cuidado com a mordida dele...

Nisso Nando sentiu alguém pegar em seu braço, ele olhou pra trás e Rodrigo o acompanhou no olhar e ambos virão Breno de pé atrás deles e segurando já o braço de Nando. De certo ele escutou a conversa ou pelo menos o fim dela falando sobre o cão de guarda, pois ele olhou bem nos olhos de Rodrigo e rosnou, ou ao menos tentou rosnar pra ele e seguiu a frente pelo corredor colocando a mão por sobre os ombros de Nando, olhou para trás discretamente sem que Nando percebesse e viu Rodrigo parado no meio do corredor olhando os dois, então disfarçadamente, ele virou sua mão pra trás e deu o dedo do meio pra Rodrigo e virou novamente seu rosto pra frente com cara de menino debochado. Rodrigo deu um murro na parede de divisória das salas e voltou pra sua sala. Entrou e deu outro soco na mesa dizendo sozinho:

-Maldito mudo dos infernos, eu acabo com ele. Eu juro que acabo com ele. Desgraçado. Gritou esbravejando.

Enquanto isso, Nando e Breno estavam almoçando e conversando. Quando Lucas chegou e foi pegar sua bandeja, ao longe uma jovenzinha recém contratada, observava ele. Seu nome era Carolina, mas todos lhe chamavam de Carol. Era seu segundo dia na fábrica, não conhecia ainda praticamente ninguém, ela veio pelo programa de primeiro emprego, de jovem aprendiz. Tinha 17 anos e estava começando na produção aprendendo na parte de confeitaria com outras moças da fábrica. Ela nem tinha noção de quem era Lucas, apenas se encantou com a figura do pelo rapaz mulato de cabelos encaracolados e terno. Pensou com ela mesmo: "Nossa que gato, adorei".

Lucas por incrível que pareça sentou-se ao lado do irmão e ficou de frente para Carol. Era tudo que ela queria. Começou a olhar pra ele todo tempo que podia sorrindo, e entre uma garfada e outra na comida Lucas finalmente notou a bela loirinha de cabelos compridos dentro do uniforme: um vestido rosa com bordados brancos que todas as meninas da confeitaria usavam. Ele notou ela sorrindo pra ele, e então sorriu pra ela de volta, ela mas que depressa tornou a dar um sorriso convidativo para ele. Ai meus queridos, não teve jeito o mulatinho safadinho se assanhou todo pela loirinha, mas ali naquele momento com o irmão do lado; o máximo que ele poderia fazer é sorrir pra ela. Ele começou a pensar em que podia fazer e teve a ideia de mas tarde da uma fugida até a confeitaria. Ele sabia que ela trabalhava lá. Pelo seu uniforme ele já sabia que ela era da confeitaria. Nando e Rodrigo comiam e conversavam alheio ao que estava acontecendo.

A tarde por voltas das 15hs Lucas levantou-se de sua mesa e foi até Nando dizendo:

-Irmão preciso dar uma saída, já acabei todo meu serviço, vou descer um pouco e dar uma volta pela fábrica.

Nando estranhou e perguntou:

-Dar uma volta pela fábrica? Pra que?

Com tudo bem planejado na mente o rapaz respondeu:

-Só quero esparecer a mente, esticar as pernas, e olhar a fábrica, os funcionários, a produção, que mal tem nisso? Além de ser bom eu esta olhando e observando tudo que acontece na nossa empresa. Você não acha isso bom?

Nando parou pensou e caiu feito um patinho nessa história. Até sorriu pro irmão e disse:

-Ta certo, vai sim, acho sua ideia louvável. Fico feliz em seu interesse pela fábrica.

Lucas saiu com um sorriso de orelha a orelha.

Breno olhou pra Nando e disse: -Você não achou isso estranho?

-Um pouco amor, mas vai que seja só isso mesmo. Você conhece meu irmão tão bem como eu, Lucas fica o dia todo trancado nessa sala, ele deve é estar intediado, só isso.

-Não sei não, será que é só isso mesmo?

-Nossa amor, você ta tão paranoico hoje! Disse Nando rindo.

Breno respondeu: É que eu sou um cão de guarda farejador.

Nando rindo junto com Breno respondeu: -Meu cãozinho lindo.

Breno: -Porque você não pega seu cãozinho no colo e faz carinho nele.

Nando sorriu maliciosamente e disse: -Vem cá meu cãozinho lindo, vem pro colinho do papai.

Breno deu um pulo da cadeira e veio correndo sentando-se no colo de Fernando, os dois começaram a se beijar e se acariciarem, até que ouviram o barulho inesperado da porta abrindo e assustado descolaram suas bocas e olharam vendo Rodrigo com uma pasta na mão estático olhando aquela cena. Nando tentando se recompor do susto disse:

-Teria como o senhor bater da próxima vez antes de entrar? Ao mesmo tempo Breno não saiu do colo de Nando e passou a mão sobre o rosto de Nando dando uns dois beijinho, depois encarou Rodrigo fazendo cara de safadinho e tornou a beijar o rosto e o pescoço de Nando. Fez isso como se quisesse dizer a Rodrigo: "Olha o que você perdeu, agora é meu e sou eu que estou desfrutando". Rodrigo não era burro e intendeu aquilo, seu semblante da pasmo mudou para a expressão de puto, de raiva. enquanto Breno se divertia com a situação; e Nando falava:

-O senhor vai ficar parado ai na porta feito um Exu da porteira, não me lembro de ter "plantado" um guardião na porta da minha sala.

Aquilo enfurecia ainda mais Rodrigo; ele puto da vida disse: -Não vou ficar plantado, vim aqui para tratar sobre o cliente de São Paulo, mas parece que no momento você está tratando de outros tipos de negócios.

-Que bom que o senhor é inteligente; volte então mais tarde; melhor... Quando acabar de tratar desse negocio aqui eu lhe chamo pelo seu ramal para que compareça até minha sala.

Rodrigo virou as costa e saiu chispando de raiva. Breno ria de tudo se divertindo ao estremo. E depois tornou a beijar Fernando e foi para sua mesa. Ele não esperava que Rodrigo entrasse ali, ele não tinha tramado nada daquilo, mas já que aconteceu... Foi maravilhoso tripudiar de seu rival. Isso fez ele se sentir poderoso e tão bem.

Na sua sala e revoltado Rodrigo dizia sozinho: -Mudo dos infernos! Se você pensa que ganhou essa parada tá muito enganado, você hoje rir; mas amanhã você chora. Vamos ver se você não chora. Seu deficiente infeliz...

Enquanto isso atravessando a fábrica e indo em direção a sala da confeitaria Lucas abriu a porta e entrou, as meninas se assustaram. Dona Iolanda a chefe da confeitaria também olhou surpresa, afinal ela reconheceu Lucas do dia da inauguração da fábrica, alem de tê-lo visto outras vezes almoçando no refeitório com o irmão, ela sabia que Lucas também era um dos donos da fábrica. Ele olhou para a senhora e depois apontou para Carol fazendo um gesto de quem queria falar com ela. A menina disse a dona Iolanda: -Posso?

Iolanda: -Pode menina, mas seja breve, você esta em horário de trabalho. Ela saiu da sala com Lucas e disse:

-Não posso me demorar muito, precisamos ser rápidos.

Lucas sabia fazer leitura lábial mas ela falou tão rápido que ele intendeu algumas palavras, dai puxou do bolso do paletó um caderninho pequeno e uma caneta. e escreveu:

"Sou surdo-mudo, se você puder falar mas devagar eu consigo intender o que você esta dizendo, meu nome é Lucas e o seu?"

A menina pegou o caderninho e leu, ficou visívelmente espantada e depois do pequeno susto que levou olhou pra ele e respondeu calmamente: -É Carol...

Lucas intendeu e sorriu, ela retribuiu o sorriso. Ele então escreveu de novo:

"Hoje quando te vi, me encantei com você, por isso quis arrumar um tempo para vir te ver, mas agora que você sabe que sou deficiente, sei que não tenho muitas esperanças"

Ela leu e respondeu calmamente outra vez: -Poque você não tem mais esperanças? Para mim pouco importa se você fala ou não. Gostei de você também.

Lucas sorriu feliz e escreveu: "-Que bom. Podemos nos conhecer melhor fora do trabalho?"

Ela pegou pegou o caderninho dele e escreveu: "-Claro! Meu número éé do meu telefone e do meu whatsapp." E depois entregou o caderno a ele. Dai deu um beijo no rosto dele e entrou apressada pra sala da confeitaria.

Lucas saiu olhando o papel e todo sorridente, estava muito feliz. Nessa ocasião começava a bombar esse aplicativo chamado Whatsapp, estava virando uma febre. E de certa forma isso ajudava muito as pessoas como Lucas e Breno a se comunicarem, os celulares estavam ficando mais modernos, ele já conseguia entrar no seu facebook pelo celular, enfim... Bendito foi o cara que inventou esse tal whatsapp, pensou Lucas. Enquanto isso Carol voltou ao seu posto, mas dona Iolanda chamou a menina em sua sala e lhe disse:

-Você sabe quem é esse rapaz que você estava conversando lá fora?

-Sei que se chama Lucas só isso. A senhora sabe que não conheço praticamente ninguém aqui ainda.

-Pois então deixe lhe falar uma coisa, o que aconteceu hoje aqui da senhorita sair do seu posto para ficar flertando é um caso para lhe dar uma advertência.

-A senhora vai me dá?

-Não! Não dessa vez, não quero lhe prejudicar mocinha, ainda mais porque você não teve culpa ele que veio até aqui atrás de você. Mas lhe previno para que tenha muito cuidado aonde você esta pisando.

-Porque a senhora diz isso?

-Porque esse rapaz é um dos donos dessa fábrica. Ele e o irmão dele são sócios do seu Rodrigo.

A menina ficou atônita, foi um susto saber que o rapaz que ela estava começando a gostar, na verdade era um de seus patrões. Ela voltou para seu posto e começou a decorar uma torta calada com a ajuda de Beatriz uma menina que estava ensinando ela a confeitar e tinha se tornado sua amiga. Beatriz notou a menina meia pálida e perguntou:

-O que a megera velha te disse? E o que aquele rapaz queria com você? Ele não é um dos novos donos daqui?

A menina contou tudo para amiga enquanto elas iam decorando a torta juntas e quando finalmente acabou de contar tudo Beatriz disse:

-Nossa amiga você tirou a sorte grande, queria eu ter uma sorte dessa, nem bem fez dois dias e já ta ficando com um dos donos e olha que ele é um gatinho.

-Eu não to ficando com ele, e depois sei lá... Nem sei se isso é uma boa.

-Há para né! -Só porque o menino é deficiente. Nada ver isso...

-Deixa de falar besteira Bia... E to pouco me importando com isso. O problema não é esse. É ele ser dono disso tudo aqui que está a nossa volta. Você acha que ele vai querer casar comigo, uma garota pobretona. No máximo ele vai querer se divertir comigo por um tempo.

-Isso você só vai saber com o tempo, você só tem que deixar rolar, curte o momento amiga e a oportunidade que a vida ta te dando. Com o tempo se você ver que ele ta só de enrolação você mesma pula fora. e que se dane, pelo menos você deu uns beijinhos na boca. E beijar não faz mal a ninguém.

-É, isso é...

-Então; vai por mim... Deixa ele te chamar no wats e vê qual é boba...

As duas começaram rir animadas.

Claro que depois desse dia, Lucas começou a conversar com Carol, a noite mesmo em casa ele já chamou ela no whatsapp e engrenou numa conversa. Todos os dias a tarde Lucas ia da um passeio na fábrica, só pra ver sua namoradinha. Bom... Eles agora já estava praticamente namorando, ainda não tinha rolado o primeiro beijo mas Lucas já tinha marcado com ela pra se encontrarem em um shopping no fim de semana, e claro que a intenção do garoto era de ficar a sós com ela. E dar uns beijinhos nela, coisa que ali na fábrica era impossível. Nando e Breno começaram realmente a desconfiar das saidinhas de Lucas e Nando Pediu pra que Breno descesse e disfarçadamente fosse olhar e ver o que estava acontecendo. Quando Breno saiu e passou pelo corredor, Rodrigo em seguida abriu a porta e viu o "cão de guarda mudo" se ausentando da sala, ele pensou com ele: Será que o irmão está na sala também, bom se estiver não vai poder me ouvir mesmo, essa é minha chance. Mas que depressa foi entrando na sala de Nando e viu que ele estava sozinho então ficou feliz e disse:

-Sozinho, que bom...

Nando levantou os olhos e sentado em sua cadeira fitou a cara de felicidade de Rodrigo...

########################################################

Outro capítulo pra vocês amore. E essa agora... Lucas despertando seus sentimentos masculinos e se apaixonando por uma empregada da fábrica.

-Intrigante, diferente, envolvente... A cada capítulo uma nova emoção:

-Não percam as próximas emoções de: Derrepente o Amor...

Bjs com amor de Renatinho

Comentários

13/10/2017 21:24:21
..._... Vc precisa continuar seu conto ele ta muito bem....
13/10/2017 21:14:58
: Eu já estou acompanhando la e to gostando até comentei...
13/10/2017 19:24:49
Gostei bastante. Da uma lida nos meus contos tb, vc vai gostar!! Abracos.
13/10/2017 15:05:35
Nayarah: é só o que Rodrigo sabe fazer... Parece que não aprende nunca.
13/10/2017 15:04:57
Atonx14: Vamos nós de novo pra você intender umas coisas do texto. Nando trata mal Rodrigo primeiro pelo recentimento que ele passou com Rodrigo no passado. Lembre-se que quem sofreu mais foi Nando. è aquela velha história. "quem dá esquece, mas quem apanha se lembra", e Nando até hoje se lembra da porrada de Rodrigo. Alem disso vamos combinar que Rodrigo continua pertubando Nando e se Nando não der um freio nisso, Rodrigo vai acabar com o casamento dele, uma vez que ele já ta até planejando algo contra Breno. Ele não admite que se tudo isso ta acontecendo foi por culpa dele. Ele prefere agora culpar o pobre do Breno que é uma vítima nessa história. Veja que ele chama Breno de mudo dos infernos e outras coisas mais... Ele ta com fúria sobre Breno. E Nando não pode facilitar.
13/10/2017 14:59:09
Atonx14: Verdade tudo vai piorando, até que se encontre uma luz no fim do túnel. Como disse a Valtersó, ele não está de agarra-agarra, até porque Lucas trabalha na sala com eles. Aconteceu um fato isolado de um mimo, um carinho de Breno com ele. Breno sentou-se em seu colo e apenas beijou ele, não passou disso. Mas que está errado, isso está. Acredito que o que faz Fernando ficar ali seria metade vingança e outra meta em querer crescer, ele tem isso dentro dele, em querer aprender sobre tudo, em querer mostrar que ele é capaz e pode tomar conta de tudo. E quanto a ele não ter aptidão, lembre-se que ele já aprendeu muitas coisas, até Rodrigo elogiou os relátorios feitos por ele. Por vezes quando estamos determinados a alguma coisa nós mergulhamos de cabeça e aprendemos nem que seja na marra. Vou te contar um segredo, quando criança, sonhava em ser professor de matemática, era simplesmente o melhor aluno nessa matéria, mas quando cresci e dado a circunstancia fiz um curso de enfermagem e depois de já está trabalhando como tecno de enfermeiro fiz faculdade Enfermagem, hoje sou um enfermeiro e um bom enfermeiro. Não me tornei professor de matemática. Nando sonhava em ser professor de português, mas esta se virando e se tornando um empresário. Essa é a vida. Tudo muda derrepente.
13/10/2017 14:48:37
Geomateus: Acho que Carol ta ingênua ela começou a gostar de Lucas sem saber que ele era patrão dela. E ainda sem saber de nada aceitou a flertar com ele mesmo sabendo que ele é surdo-mudo. Então... Acho que ela gostou realmente dele de verdade.
13/10/2017 14:46:41
Valtersó: Amado amigo, vc esta certo quando diz que empresa não é lugar de certas coisas. Mas Fernando procura se manter firme, ele não faz nenhum tipo de besteira com seu esposo até porque seu irmão trabalha junto com eles. O momento que Breno foi pro colo dele, foi algo exporádico, uma única vez, em que ele sentou e só deu beijinhos no companheiro e não houve nada mais grave mesmo assim, eles tem que manter a ética. E acredito que ele até gostaria de manter um bom relacionamento com o Rodrigo, mas como vc mesmo disse o Rodrigo é um canalha e por isso ele fica na defensiva. Bom... Lucas se envolver com uma funcionária pode não ser legal, mas também pode não ser ruim, ninguém está passível de amar outra pessoa do mesmo trabalho, isso é o que mas acontece. Aconteceu comigo na vida real, não deveria me envolver, mas me envolvi, casei e hoje sou muito feliz com meu companheiro. Breno fazendo o papel de cão de guarda tá impagável. Ele se sobressaiu na história to adorando escrever ele desse jeito. O garoto tá certo em defender o que é dele.
13/10/2017 12:21:24
O Rodrigo cada vez mas afasta o Nando dele fazendo isso ......
13/10/2017 08:00:40
E tem outra coisa. Esse jeito de tratar o Rodrigo ja passou do ridículo. Ser o sócio minoritário não significa que ele é empregadinho do Fernando. Ele também manda na fábrica. Pode demitir funcionários e se ele se recusar assinar um contrato, a negociação não anda. E ele tem a vantagem de estar em seu elemento. Rodrigo conhece todos os pormenores legais da administração pois tem anos de experiência nisso. Fernando não. A meu ver se Rodrigo for esperto Fernando fica na mão dele.
13/10/2017 07:54:57
E tudo só piora... Fernando nunca deve ter ouvido falar de decoro corporativo. Esse agarra-agarra em uma empresa cria um ambiente toxico pra se trabalhar. Pra mim faz muito mais sentido que o Fernando contratasse um administrador pra fabrica e fosse viver feliz em outro lugar. Não entendo a motivação dele em ficar ali. Ainda mais tendo que conviver com o Rodrigo. Como eu ja apontei antes ele não aptidão pra esse tipo de trabalho e seja como for ele nunca quis isso. Ele não estudava literatura? Vai escrever um livro!
13/10/2017 05:36:41
Carol ingenua ou interesseira???
13/10/2017 03:31:40
LEIA-SE "PODERIA" ONDE SE LÊ "PODEIR".
13/10/2017 03:30:53
VAMOS LÁ. PRIMEIRO, EMPRESA OU LUGAR ONDE SE TRABALHA MESMO QUE COM MARIDO OU PARENTES NÃO DEVERIAM OCORRER CERTOS TIPOS DE COISAS QUE NANDO ESTÁ FAZENDO. UM DONO DE EMPRESA DEVE-SE DAR AO RESPEITO. SEGUNDO, FERNANDO PODEIR AGORA PELO MENOS TRATAR O SÓCIO MINORITÁRIO UM POUCO MELHOR. O QUE PASSOU FICOU NO PASSADO. AGORA É UM HOMEM CASADO E FELIZ E NÃO DEVERIA SE ABALAR COM A PRESENÇA DE RODRIGO. TERCEIRO, RODRIG AINDA SE MOSTRA UM VERDADEIRO CANALHA SEJA EM ATITUDES OU EM PALAVRAS. PARECE QUE A VIDA NÃO LHE ENSINOU O SUFICIENTE. QUARTO, TB NÃO ACEI LEGAL LUCAS SE ENVOLVER COM A FUNCIONÁRIA DENTRO DA EMPRESA. NÃO CREIO QUE ISSO SERÁ UMA BOA. MAS... VEREMOS. ADORO BRENO FAZENDO O PAPEL DE CÃO DE GUARDA. ISSO MESMO, TEM QUE CUIDAR DO QUE É SEU. E QUANTO A DOENÇA DE BRENO???
13/10/2017 03:02:42
vou ver agora amore. to indo lá
13/10/2017 02:42:09
Incrível,tô amando o conto e gosto do Lucas,dê uma olhada no novo capítulo que eu postei

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.