Casa dos Contos Eróticos

Surpresas da Vida (O Dia seguinte - Cont.) – 14 de abril 2016.

Autor: Skinhead
Categoria: Homossexual
Data: 12/10/2017 21:51:27
Última revisão: 12/10/2017 21:56:19
Nota 10.00
Assuntos: Gay, Homossexual
Ler comentários (4) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

[Após ser suspenso devido a uma briga, Max se retirou e ficou a espera do término da aula para reencontrar José Pedro,assim como esperava também Luciana, que não tardou a chegar].

Enquanto Max batia um rango sossegado, D.Luciana acabara de chegar em seu carro,faltava ainda 15 minuto para abrirem os portões e a manada sair...

Luciana se aproximou e foi recebida com um beijo do atacante que a convidou para sentar e comer uma fatia de bolo.

A mãe de José Pedro era uma bela mulher, sua beleza não passava despercebida, oque facilmente chamava a atenção de algumas pessoas e alguns estudantes no recinto, até o próprio Max não conseguiu tirar os olhos das pernas de sua “sogra”.

Estranhando o fato de Max estar lá fora, Luciana o questionou e não gostou do que ouviu do Atacante.

-Não acredito Max, você é quase um homem e não deveria se meter em confusões... Fico triste, pois gostei muito de você, mas gostaria que JP tivesse um bom exemplo de modelo masculino ao lado dele, como um irmão mais velho e vejo que ele lhe tem como amigo.

Sei que ninguém gosta que falem mal de mãe ou pai, mas tem que se controlar, prometa que não irá mais fazer isso,quando quiser extravasar,gaste a energia no tatame.

-Tudo bem D. Luciana, eu prometo, gosto muito de ser amigo de JP e não gostaria de perder a amizade dele.

- Quer pegar sua mochila no carro? Para depois não esquecer? Claro D. Luciana, bem lembrado...

-Será que José Pedro não poderia ir lá para casa almoçar?

-Acho que não Max, mas se quiser ir almoçar conosco e passar mais uma tarde lá em casa, a porta está aberta, gostaria muito.

Bem Max, falta cinco minutos para JP sair, vamos para o carro?

-Vamos, antes me deixe pagar a conta.

Antes que Max ao menos puxasse a carteira, Luciana olhou para a comerciante e perguntou o preço.

- Foram R$5,00 dos refrigerantes e R$ 12,40 as duas fatias de bolo, total de R$ 17,40 reais.

- Não precisa D. Luciana, deixe por minha conta...

O pedido de Max foi em vão, não era ter que gastar dinheiro que o preocupava e sim o fato de Luciana pagar, ainda mais em um ambiente onde se encontrava alguns alunos e alunas que o conheciam, comentários maldosos não iria faltar.

- Então vamos Max? Obrigado, o bolo estava divino...

A senhora agradeceu ao elogio de Luciana, com um sorrisinho malicioso nos lábios, afinal era evidente oque aquilo aparentava: Uma Coroa bancando seu garotão...

Ambos se dirigiram ao SUV e esperaram José Pedro que logo apareceu então puderam ir embora.

No colégio, Nara se despediu de Odalthir, que ficou com alguns amigos na lanchonete.

Enquanto conversava, não pode deixar de ouvir comentários sobre Max.

-É pura verdade Bruno, Max estava acompanhado de uma coroa de fechar o trânsito, pudera eu ser como ele, uma sorte dessa eu não tenho, aquele galado deve ter uma pica de mel...

Parece que a coroa é mãe de aluno do colégio, até o nome dela é belo ! Luciana...

-Como é que é?! Oque foi que você disse? Perguntou Odalthir.

- Luciana... Qual o problema, você conhece?

Odalthir levantou-se e pegou o garoto pelo pescoço em meio ao espanto de todos.

-É melhor ter cuidado quando falar de alguém prego! Se for a mesma pessoa que acho que é, ela é casada e muito bem casada, disse Odalthir apertando o goela do garoto que já estava ficando sem ar.

-Não é mulher de ficar se esfregando em garoto... Quem inventou isso?! Foi Max que disse?

-Não... Não... Todo mundo aqui viu... Ele estava esperando ela,a coroa sentou,lancharam e eles trocaram uma ideia e na hora de Max pagar a conta ela não deixou e puxou a carteira.

Depois foram embora juntos.

Irritado com os comentários, Odalthir alertou:

-Acho melhor terem cuidado com oque andam falando por aí! Se for quem eu penso que é, a mulher e seu esposo tem muita “bala na agulha”, bater de frente com eles não seria bom, calúnia e difamação pode ser perigoso, e brincar com quem deve ter um monte de advogados também...

Então quem avisa amigo é depois não digam que não ouviram...

Depois do que ouviu, o jogador achou que uma boa visita à casa de José Pedro não seria ruim, queria averiguar com seus próprios olhos se era boato ou verdade.

Apesar do trânsito ruim, Luciana e os garotos chegaram em casa,ao entrarem foram recebidos por D.Célia que deu boas vindas e anunciou que em dez minutos o almoço estaria pronto.

-Vocês ouviram meninos, então não percam tempo e vão tomar banho! Estarei esperando os dois aqui.

Enquanto os garotos subiam as escadas, D.Célia falou:

-Seu Max parece ser um bom rapaz não é D. Luciana?

- Sim, parece... Espero que dessa amizade saia algo bom, apesar de ter um pai, JP precisa de um exemplo masculino, mais amigos, é muito solitário ser filho único, não ter primos ou tios, sei bem oque é isso.

Apesar de ser do interior, onde geralmente se tem muitos filhos, meus pais preferiram ter somente eu como filha.

Ambas foram interrompidas com a chegada de Max e JP já devidamente arrumados, sentando-se todos em seguida.

- Sirvam-se garotos!

O almoço transcorreu normalmente e após o mesmo, todos se recolheram.

José Pedro e Max foram para a sala de filmes, onde ficaram a jogar games enquanto sua mãe fora ao escritório entreter-se com um livro.

Não muito longe dali, Odalthir se encontrava em casa, decidindo se iria ou não a casa de José Pedro averiguar se era verdade ou não passava de historinha oque ouvira na lanchonete, após alguns minutos pensativo, finalmente se decidiu e iria lá,mas não desacompanhado,para isso chamou Ronary,que apesar de relutante concordou em acompanhar o amigo.

Após uma hora esperando Ronary, finalmente juntos foram ao ponto de ônibus esperar a condução que os levaria a casa de JP.

Já eram três horas da tarde, JP se juntara a Maxswell a piscina onde juntos se divertiam como crianças.

Em certo momento, próximo um do outro José Pedro falou a Max:

-Sabe, é algo bom, mas estranho ao mesmo tempo, ter você ao meu lado... Preciso me acostumar com isso.

-É eu sei, há pouco tempo atrás eu lhe batia e você me odiava... É meio louco, mas como diz uma frase: “O amor está mais perto do ódio do que a gente geralmente supõe”.

-O ódio e o amor andam juntos e muitas vezes se confundem Max...

-E até onde nós iremos “Sushi”?

-Não interessa Max, oque importa é o agora...

Encoberto pela cerca viva da piscina, Maxswell imprudentemente agarrou JP pela cintura e tascou-lhe um beijo quente no nadador o surpreendendo.

Encostando-se à borda da piscina, Max pos seu cacete para fora da sunga fazendo com quê JP o acariciasse.

-Acho melhor não arriscar atacante, minha mãe está em casa, deus me livre ela presenciar algo... Ela seria capaz de me botar em um internato e você ela não iria descansar enquanto não lhe pussesse em uma instituição penal para adolescentes...

Pensativo Max perguntou a José Pedro:

- Como você acha que sua mãe reagiria ao saber que você estaria tendo uma relação homossexual Sushi?

- Uôu, iria ser lindo Max, ela poderia até se descabelar e fazer oque eu disse, mas meu pai?! Meu pai vamos ver, de quatro uma:

A. Lhe mandaria para a prisão.

B. Mandaria dar uma surra em você.

C. Contrataria uns machos para comerem seu rabo.

Ou com certeza a D: Você iria virar comida de urubu...

-Porra “Sushi”, você quer me fazer sentir mal ou oquê?!

José Pedro começou a rir com a resposta de Max, mal podendo se conter...

Em meio aos risos uma terceira voz é ouvida:

- Se alguém tivesse me dito, eu nunca acreditaria... Nunca pensei que iria ver isso JP, você amiguinho desse cara...

Ambos se assustaram com a aparição de Odalthir de surpresa na residência, mas Max respondeu firme:

-Antes de qualquer coisa: Boa tarde “Nerdalthir”! Qual o seu problema?! Você acharia melhor se eu continuasse a pegar no pé do “sushi” é isso? Nós nos entendemos e estamos se dando bem, sei que já fiz muita coisa errada, mas é passado.

-Você acha que só mudando seu comportamento com JP apaga tudo oque você fez com os outros no colégio?!

Seu JP e D. Luciana conhecem o verdadeiro Max ou só conhecem o falso?

José Pedro entrou no meio da conversa e falou:

- O passado de Max não está em discussão Odalthir, só o presente e o futuro importam... Todos sabem oque Max fazia, todos cometem erros, ele se arrepende muito disso.

Em meio à conversa, surge Ronary, que se espanta com a presença de Maxswell na casa de JP.

Ronary ficou sem reação ao ver o atacante à vontade na piscina com “Peixinho” como se fossem velhos amigos.

Ele não era muito de falar, era um garoto tímido bem na dele, mas dessa vez não pode ficar calado.

-Você não tem vergonha de trazer esse cara aqui em sua casa JP?! Esse playboy não presta, não passa de um sacana que gosta de se divertir com a dor dos outros... Como você pôde fazer isso?! Esse babaca não respeita ninguém, você sabe melhor que ninguém.

- “Sacana, babaca, Playboy”... Obrigado Ronary pelo elogio... Sei que eu mereço as ofensas e a sua raiva, mas minha amizade com JP é verdadeira, acredite ou não...

Sei que não sou muito amado ou popular entre vocês no colégio, mas a minha amizade com José Pedro não é fingimento, é real.

Mas se vocês não acreditam não posso fazer nada.

-Bem, eu acho que eu e Ronary não temos mais nada a fazer aqui, aproveitem o sol, a piscina e se divirtam.

-Vocês não precisam ir embora, são sempre bem vindos aqui.

- É bom saber disso, mas não temos mais oque fazer aqui... Bora Ronary!

Antes que pudessem sair ao longe eles ouviram:

- Que desconsideração garotos.... Virem aqui em casa e nem ao menos foram me ver, e já estavam indo embora.

- Tia Lucy!

Disse Odalthir enquanto dava um forte abraço em D.Luciana a qual chamava de “tia”, afinal era amigo de “peixinho” desde os nove anos de idade e era antigo frequentador da casa dos Medeiros,e tinha esse nível de intimidade.

- Eu não irei aceitar desculpas Odalthir e Ronary, já está perto das quatro horas e gostaria muito que vocês ficassem e “batessem um rango”, como vocês costumam falar.

Acredito que vocês conheçam o Maxswell.

- Ah, sim Tia Lucy, Maxswell é bem conhecido no colégio, ele é um daqueles alunos bem populares da escola, astro do futsal e galã pegador...

- Exagero do Odalthir D. Luciana, sou tão popular quanto o capitão do time de basquete, e por coincidência é o garoto ao seu lado aí e que já sabe oque é ser campeão a um bom tempo.

Só falta agora o José Pedro e a equipe de natação para fechar o ano fazendo barba, cabelo e bigode e fazer o colégio se sair bem nas competições regionais e interestaduais, sem esquecer que todos nós teremos os jogos escolares da juventude pela frente.

-Pelo visto então só tem futuros campeões aqui na minha casa.

-Com sorte e se deus quiser sim D. Luciana.

-Ele irá querer sim... Mas vamos deixar de papo e vamos para a cozinha.

Como D. Luciana pediu, todos foram juntos lanchar na cozinha onde após se secarem, José Pedro e Max se juntaram a Ronary e Odalthir.

-Agora está bem melhor Max... A roupa está bem cheirosa não é?

Pedi a Célia que lavasse toda sua roupa que você usou enquanto esteve aqui, assim como sua farda de hoje de manhã,e caso queira passar mais uma noite aqui será bem vindo.

Odalthir e Ronary se entreolharam enquanto JP e Max ficaram visivelmente constrangidos.

Maxswell, apesar de tentado a ficar, pois realmente era seu intuito, agradeceu e preferiu recusar, não por vergonha, mas pela presença de Odalthir e Ronary.

- obrigado D. Luciana, agradeço, mas terei que recusar, possivelmente minha mãe chegará hoje e eu quero estar em casa, faz duas semanas que não vejo ela.

Que bom Max, é melhor mesmo, ao menos você mata a saudade de sua mãe... Quando quiser eu levo você para casa.

Max tentou demovê-la da ideia, mas D. Luciana quando queria,sabia ser irredutível... Quanto ao atacante, só restou acatar.

Após passar uma tarde na residência dos Medeiros e ter seu plano melado pela presença de Odalthir e Ronary, Max se despediu de todos e foi para casa levado por Luciana.

Odalthir ao se ver a sós com José Pedro falou:

- Dormindo José Pedro?! Ele dormiu aqui?! A “amizade” de vocês já está nesse nível?

-Qual o problema Odalthir? Eu sei que Max infernizou muita gente, mas ele é um cara legal, basta dar uma chance para ele.

- Não JP, você acredita nisso porque ele te salvou, talvez ele possa ter mudado, mas somente com você... Será que ele vai mudar com os outros?! Você tem certeza disso?! Você vai por a mão no fogo por ele?

José Pedro não quis prolongar aquele debate e desconversou dando por encerrado a discussão e convidou seus amigos para irem à sala de vídeo.

Luciana e Max estavam a poucos quilômetros do destino, apesar de que o trânsito àquela hora estava a ficar tumultuado, pois já era final de expediente e fim de horário escolar e todos já estavam a voltar para casa.

Enquanto isso, Luciana papeava um pouco:

-E então Max, faltam poucos dias para as férias, para onde você irá?

- Ainda não sei D. Luciana, alguns amigos me chamaram para irmos para uma casa de praia, outros para o interior,mas não sei,bem capaz de eu ficar mesmo no plano B...

- Plano B? Interior?

- Está mais para plano B de ficar em casa mesmo.

E quanto a vocês? Para onde irão?

-Iremos para o interior para a fazenda de meus pais, há muito que não vamos lá e fará bem ao JP rever seus avós e ter um contato com eles e a natureza.

Luciana convidou Max para se juntarem a eles, mas gentilmente o atacante recusou,mesmo assim a conversa seguiu solta, até chegarem ao condomínio onde ele mora.

Ambos se despediram, mas não sem antes Luciana reiterar o convite que fizera:

- Veja se seus planos para as férias dará certo Max, caso mude de ideia, ligue para nós, você será bem vindo.

E não pense que esqueci o meu convite, adoraria conhecê-la,quando puder leve-a para ir uma tarde a nossa casa,será um prazer.

Max ficou olhando Luciana se afastar em meio aos carros, estava feliz por faltar poucos dias para o fim das aulas e poder curtir e farrear nas férias, mas ao mesmo tempo estava triste por ter que ficar 30 dias longe de José Pedro.

Fim...

Comentários

13/10/2017 19:05:24
Li o capítulo com medo de me deparar com Max e Luciana tendo uma relação. Por enquanto aliviado. Se Max está sentindo o que diz sentir pelo JP, ele vai ter de mudar esse tipo de comportamento sexual de se atracar com todas as oportunidades. Realmente seria bom se o JP conseguisse se abrir com seus amigos, mas entendo que o medo é maior. Está muito bom o conto!
13/10/2017 02:26:35
Muito bom
13/10/2017 02:02:06
olhaaa.acho muito bom mesmo que o Max não tenha nada com a Luciana e outra o Max e muito imprevisível eu ainda nao tenho certeza que ele ama o Sushi entao a gente fica apreensivo . espero q o Max tenha dignidade
12/10/2017 23:59:30
DE FATO, COMO AS PESSOAS TIRAM CONCLUSÕES PRECIPITADAS NÉ? SÓ POR VEREM LUCIANA ESPERAR SUSHI E MAX JÁ IMAGINAM BESTEIRAS. IDÉIAS PRÉ CONCEBIDAS. MAS A HIPOCRISIA A MALEDICÊNCIA FAZEM PARTE DO SER HUMANO. SE BEM QUE MAX DEU E DÁ MOTIVOS DE SOBRA. MAS VEREMOS SE SEU COMPORTAMENTO MUDA, PELO MENOS UM POUCO... JÁ ESTARÁ DE BOM TAMANHO. SE BEM QUE ELE ESTÁ DANDO MOSTRAS DE MUDANÇAS. MAS ATÉ QUANDO ISSO VAI DURAR? NÃO ENTEND PORQUE SUSHI NÃO ABRE O JOGO PROS AMIGOS. QUEM SABE ASSIM ELES PAREM DE SUPOR COISAS. E QUEM É AMIGO VAI ACEITAR. SE NÃO ACEITAR É PORQUE NUNCA FOI AMIGO.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.