Casa dos Contos Eróticos

Segredos de uma vila pt3

Autor: DHL
Categoria: Homossexual
Data: 12/10/2017 20:19:34
Nota 10.00
Ler comentários (4) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Rafael entrou no quarto e deu de cara com Natan em seu quarto. Ele estava nu esperando pela toalha. Rafael parecia hipnotizado parado olhando Natan. Reparou em todo seu corpo. Mas ao admirar o pau e saco do Natan ficou admirando parecendo em transe. Parecia que os olhos de Rafael eram feitos de metal e o pau de Natan feito de imã. Por mais que tentasse não olhar, os olhos fixaram ali.

Natan: Ah, obrigado Rafa, pode me alcançar a toalha!

(silêncio)

Natan: Rafa? A toalha!

(silêncio)

Natan: Rafa?

Rafael: Ah sim! Desculpe está aqui!

Alcançou a toalha para o Natan e pensou em sair do quarto para deixá-lo mais à vontade. Mas seu corpo não obedecia, ficou ali parado de pé admirando. Natan começou a se secar e então Rafael se deu conta que estava ali parado na porta como um besta. Entrou, sentou-se na cama olhando para o corredor, mas com o canto do olho ainda via o Natan ao seu lado nu.

Rafael: O que será que vão querer fazer agora à noite? Temos de encontrar algum lugar para jantar.

Natan: Eles estavam falando de ir comer um hambúrguer algo assim em alguma lanchonete e depois ficar pela cidade um pouco ver se tem alguma festa rolando.

Rafael: Pois é! Mas se quiserem ir em alguma festa, vai ser complicado pois todos terão de ir, e já sabe que nesse ponto é difícil ter unanimidade e a regra é "Todos ou ninguém", "8 ou 80".

Natan: Duvido que tenha alguma festa aqui por perto e se tiver, a entrada é cara, eles vão choramingar um pouco, mas vão desistir.

Rafael: Bom termina de se arrumar aí e depois desce, vou reunir todos e discutir o que vamos fazer hoje.

Rafael foi nas duas cabanas e convocou todos para discutirem como seria a noite. Natan chegou junto com os outros e como ele havia dito, a intenção era comer algum lanche e procurar alguma festa. Rafael explicou que se fosse isso, todos teriam que ir na festa, se alguém não quisesse, todos teriam de voltar. Todos saíram juntos para o centro encontrar uma casa de lanches. Encontraram uma e jantaram. O serviço foi um pouco demorado, quando saíram já eram 21:30 e foram em busca de alguma festa. Todos os lugares que encontravam a entrada de menores era vetada. Após circularem bastante tempo todos decidiram voltar ao hotel e fazer festa no hotel. Rafael tratou de conseguir algumas cervejas para aproveitarem no hotel.

Chegaram no hotel e já eram 23:30. Entraram em seus quartos, mudaram de roupas e foram para a piscina. Chamaram as meninas de outros grupos do passeio e ficaram pela piscina. Ali rolou a festa, com músicas, cerveja, brincadeiras e claro, gente tentando pegar gente. Renan era o mais assanhado tentando pegar qualquer menina. Elas davam alguma conversa mas na hora do "pega pra capá" pulavam fora e ele ficava a ver navios. Passava então a investir em outra e assim ia correndo a noite para ele. Alguns já tinham bebido um pouco além da conta, mas nada para preocupar alguém. Natan estava na piscina conversando com uma das meninas e estava animado. Quando eram quase 2h da madrugada, Rafael estava com muito sono. Deixou todos eles na piscina aproveitando a noite e se recolheu em seu quarto. O barulho que vinha da festa na piscina certamente o incomodaria a dormir.

Deitado em sua cama, começou a relembrar o dia. A visão dos corpos dos garotos não saía de sua cabeça por mais que tentasse afastar essas visões. Ao relembrar do corpo do Natan ainda o via pelado em seu quarto. Via claramente o pau dele. Relembrava o saco que era grande sem muitos pelos divido à idade do Natan. Essa visão ficara gravada. Rafael sentia seu pau ficando duro enquanto lembrava do corpo do Natan. Estava muito excitado e para aliviar começou a se tocar tentando aliviar o tesão. Ficou se masturbando até que não muito tempo depois explodiu em gozo.

O barulho da piscina começou a diminuir. Rafael estava deitado em sua cama quando a porta de seu quarto é aberta e alguém entra no escuro. Rafael tenta descobrir quem é, mas estava tão escuro que não reconhecia quem estava ali.

Rafael: Quem é?

(silêncio)

Rafael: Quem está aqui no quarto?

(silêncio)

Rafael levanta a mão em busca do interruptor de luz mas em meio a busca pelo interruptor o vulto se aproxima e agarra sua mão não permitindo que o encontre. O vulto direciona sua mão para baixo e Rafael tenta então com a outra mão encontrar o interruptor mas também tem a sua mão presa.

Rafael: Quem é? Me larga!

(respiração)

Rafael sente sua mão sendo puxada e sente algo quente em sua mão. Ainda tentando descobrir do que se tratava fecha a sua mão e sente que é algo roliço e duro. Identificando do que se tratava tentou tirar sua mão mas sua mão foi mantida ali e o vulto fez com ele ele mantivesse sua mão fechada segurando na mão aquela massa quente fazendo movimentos. Rafael tenta se desvencilhar disso mas não consegue.

Rafael: Quem quer que seja, pare com essa palhaçada! Me larga!

O protesto foi em vão. O vulto continuava o prendendo ali com a mão. Na verdade, Rafael só protestava verbalmente, pois fisicamente não mexia um músculo para tentar se liberar pois estava gostando, o vulto sequer fazia força para manter sua mão ali. Em certo momento o vulto largou suas mãos e ele não largou o que estava em sua mão e ainda mantinha o ritmo dos movimentos. Sentiu que o vulto se aproximava para mais perto e então sentiu uma mão pegando em sua cabeça e direcionando para o objeto que estava em sua mão. Abriu a boca e recebeu aquilo na boca. Agora tinha mais que certeza, era um pau, e era um pau de porte grande e calibre grosso. Passou a chupar aquele pau com muita vontade. Beijava o corpo do falo, voltava para a cabeça, colocava o máximo que podia na boca, voltava a colocar os lábios pelos lados daquele pau. Desceu para o saco que quase não possuía pelos, lambeu, chupava as bolas, colocava uma por vez na boca, brincava com a língua no saco. Voltou a chupar a pica. O vulto passou a foder a boca do Rafael. Rafael estava curtindo cada estocada na boca. O vulto socava na boca dele sem piedade até a respiração do vulto ficou mais ofegante e a boca foi preenchida de porra. Rafael engoliu o que pôde, mas uma parte escorreu pelo canto de sua boca.

O vulto se afastou e Rafael achou que ele tivesse ido embora. Até que ele começou a tatear a parede novamente para procurar o interruptor de luz.

Vulto: Se tu quer continuar a brincadeira, mantenha a luz apagada! E eu sei que tu quer!

Rafael: Natan?

Natan: Aham! Acha que eu não vi tu admirando meu corpo, e principalmente o meu pau hoje o dia todo? Se tu queria, era só ter pedido. Tu teria ganho há muito tempo. Agora se quer continuar, tire a tua roupa!

Rafael desistiu de procurar o interruptor e passou a tirar seu pijama. Ao fazer isso sentiu sua cama afundar um pouco e Natan se aproximando de seu corpo. Natan chegou perto de seu rosto e começou a beijá-lo. Rafael loucamente passou a corresponder. Estava excitado demais sentindo Natan o querendo. Sentindo que Natan queria comê-lo. Natan se afasta e pega Rafael pelos pés e o faz virar de bruços. Rafael abre as permas e sente Natan se encaixando no meio delas.

Natan começa a roçar sua pica no rego de Rafael que começa a respirar profundamente curtindo isso. Natan vai beijando as costas de Rafael e vai descendo pelas costas. Chega em sua bunda e dá um tapa.

Natan: Essa bunda será minha hoje. E que bunda!!

Continua beijando. Beija um nádega, beija outra e vai indo para o centro. Afunda seu rosto na bunda de Rafael e dá uma linguada em seu cu. Rafael é tomado por um tesão. Levanta um pouco mais seu quadril para que o Natan consiga ter mais acesso ao seu cu. Natan começa a linguar aquele cuzinho. Rafael chegava a agarrar os lençóis com força de tanto tesão. Natan chupava aquele cu, lambia, cuspia e então passou a colocar um dedo. Rafael gemia a cada dedada. Natan passou a colocar dois dedos e Rafael gemia mais.

Natan: Preparado para sentir meu pau te comer? Quer ele?

Rafael: É o que eu mais quero. Mete nesse cu. Mete! Mete até o fundo. Quero essa pica gostos toda dentro de mim.

Natan: Então fica de quatro que agora esse cu vai conhecer o macho dele.

Rafael ficou de quatro. Natan deu uma cuspida no cu do Rafael e outra em seu pau. Posicionando na entrada passou a empurrar a pica. Sentiu a cabeça invadindo aquele cu. Rafael gemeu, colocou uma mão para trás para segurar o quadril do Natan para que ele não forçasse demais. Sentiu a cabeça invadindo o cu. A dor nesse momento estava forte, mas não fez Natan sair, apenas o impediu de seguir metendo. Após sentir que a dor inicial havia diminuído, deixou Natan invadir mais um pouco. Novamente sentiu dor e segurou o quadril do Natan ali parado até que permitiu voltar a entrar. Quando sentiu que Natan estava todo dentro segurou o corpo do Natan parado mais um pouco. Quando sentiu que não estava mais doendo tanto permitiu que continuasse.

Rafael: Ah delícia!! Continua! Mete essa pica, mete! Puta garoto gostoso!! Fode esse cu, fode!!

Natan começou o vai e vem. Rafael gemia gostoso naquela pica, agora estava sentindo só o prazer de ser comido por um garoto que era o seu melhor amigo, quase seu irmão. Rafael já jogava seu corpo contra o corpo do seu macho. Estava curtindo muito ser comido.

Rafael: Deita Natan que eu quero sentar nessa vara. Quero sentir ela toda me mim.

Natan deitou segurando seu pau retor para cima. Rafael começou a sentar naquela pica que admirou todo o dia e estava sonhando acordado com ela. Sentiu ela entrando em seu cu. Estava tomado pelo tesão sentando e levantando da pica. Natan agora gemia pelo prazer também e dava tapas nas nádegas de Rafael que gemia a cada tapa que levava. Ficou cavalgando aquela pica até que Natan anunciou que iria gozar novamente. Mas antes que isso acontecesse Rafael sentiu que seu gozo estava chegando também, Estava sentindo muito prazer, estava sentindo um prazer que nunca havia sentindo antes, quando o gozo chegou, Rafael deu um grito de puro prazer e explodiu em gozo.

Nesse momento Rafael acordou todo suado e ofegante. Olhou para os lados tateando a cama e ela estava vazia. Não havia ninguém ali. Estava apenas sonhando. Sentiu que seu pau estava duro e ao colocar a mão, sentiu as suas cuecas meladas. Havia gozado sonhando, teve polução noturna. Ainda estava ofegante e surpreso pelo sonho que tivera. Estava ainda tentando se recompor do sonho. De repente, a porta de seu quarto se abre. Alguém entra no quarto. Rafael se assusta e fica confuso. Será que estava sonhando de novo? Mas como? Está sendo tudo muito real!!

Rafael: Quem é? Quem está aqui? O que quer?

Vulto: Calma Rafael, sou eu!

Rafael: Eu quem?

Vulto: Não reconhece minha voz? Sou eu, Renan! Pensou que fosse quem?

(acendendo a luz)

Rafael: Ah oi Renan! Que aconteceu? Por que está aqui?

Renan: Ah eu fiquei mais tempo fora da cabana e o pessoal me trancou fora.

Rafael: Tá e tu não tentou bater na porta?

Renan: Sim, bati, gritei e ninguém abre. Ou eles estão ferrados no sono ou eles estão me zoando.

Rafael: Ah sei! Ninguém mandou trovando as menininhas. E por falar nisso, teve algum sucesso? Pois quando vim dormir tu só tinha levado toco!

Renan: Ah essas garotas são foda. Só me deram toco a festa inteira, a única que me deu chance só quis ficar nos beijinhos e nada além disso.

Rafael: Kkkkkk Tu é novo ainda. Vai levar muito toco na vida. Não é assim de primeira que tu vai sair comendo todas que encontrar pela frente.

Renan: Ah cara! Mas se ela não vai dar então que não atice!

Rafael: Como assim? kkkk...

Renan: Ah meu! Tipo essa aí que me deu chance. Não queria ficar comigo na frente dos outros garotos. Daí fomos para um lugar que tinha menos gente. Ali ela começou a me beijar e tal. Enquanto me beijava ficava passando as mãos na minha coxa. Meu pau levantou duraço nessa hora. Desci minhas mãos até os peitos dela. Ela deixou. Ela ficava me atiçando passando a mão bem perto do meu pau. Cara! Meu pau ficava pulsando ali sentindo a mão dela do lado dele. Aí quando eu desci a mão para a bucetinha dela, ela tirou minha mão e mandou eu ir dormir, que ela estava cansada. Puta cara!! Fiquei na maior tesão, olha só!! Meu pau já tá de pé de novo só pensando nisso. Que merda!!

Rafael: Kkkkkkk Calma cara! Pelo menos já teve uma melhora na tua noite. Quem sabe amanhã...

Renan: Amanhã ela que se foda. Nem que eu vá no putero para tirar o tesão, mas ela que vá à merda. E ainda quando vou para ir dormir os fdp dos meus colegas me trancam fora. Que noite mais cagada. Tu não tem cópia da chave?

Rafael: Não, não tenho. Mas a portaria deve ter.

Renan: Ah não vou lá na portaria, é longe!

Rafael: Tá eu ligo lá!

Rafael ligou na portaria. Tocou, tocou e ninguém atendeu.

Rafael: Porra tu está sem sorte mesmo kkkk. Ninguém atende. Bom se quiser, pode dormir aqui. Mas essa cabana é só para casal e só tem essa cama. Se tu não se importar, pode dormir aqui comigo.

Renan: É o que temos para hoje. Chega pra lá que eu vou dormir aqui.

Rafael: Tudo bem. Só me faz um favor. Tranca a porta de entrada. Eu esqueci de trancar e é por isso que tu está aqui kkk.

Renan foi até a porta de entrada e a trancou. Retornou até o quarto e começou a tirar sua roupa.

Rafael: Ei! Ei! Calma aí! Vai ficar pelado é?

Renan: Não, mas eu só consigo dormir de cueca.

Rafael: Beleza. Mas sem gracinha!! kkkk

Renan ficou só de cueca e deitou-se na cama com Rafael. Rafael olhou para o relógio antes de apagar a luz. Já eram 04:30. Se acomodou na cama e virou de costas para Renan que também virou de costas para Rafael. Rafael estava com receio de pegar no sono e ter o mesmo sonho de antes. Estava relutando em dormir para não sonhar com Natan de novo e ao mesmo tempo pensava no Renan dormindo ao seu lado. Lutou contra o sono mas acabou perdendo a luta e dormiu sentindo as costas de Renan tocando suas costas.

Rafael acordou de manhã sentindo um braço por cima de seu corpo que o estava agarrando com força. Lembrou que Renan estava deitado com ele na cama. Abriu os olhos e percebeu que Renan havia se virado durante a noite e o tinha abraçado. O peito de Renan estava colado em suas costas, sentia quando ele respirava, sentia também o sopro quente em sua nuca. Para seu espanto sentia o pau duro do Renan cutucando sua bunda. Tentou se soltar do abraço mas ao tentar fazer isso Renan o puxou ainda para mais perto e o pau ficou fazendo ainda mais força na sua bunda pois Renan jogou uma perna para cima das suas pernas. Ficou imóvel na cama sentindo aquela pressão na bunda. Começou a gostar de sentir isso. Lentamente mexia o pouco que conseguia seu quadril para sentir a pica esfregar no meio de sua bunda.

Fazia uns 15 minutos que Rafael estava assim na cama quando percebeu que agora Renan era quem estava mexendo seu quadril fazendo a pica roçar. Rafael ficara quieto como se estivesse dormindo sentindo o ritmo do Renan se esfregando. Renan lentamente retira seu braço de cima de Rafael que começa a escutar barulho de atrito no tecido da cama. Sente que Renan dá uma mexida mais brusca no quadril mas não desencosta de suas costas. Rafael permanece de olhos fechados mas dá uma mexida em seu corpo minimamente para frente. Renan para de se movimentar por breves segundos. Depois de alguns segundos sem sequer qualquer movimento, que como para ter certeza que o outro estivesse dormindo, Renan lentamente coloca sua mão sobre a cintura de Rafael.

Como Rafael não esboçou nenhuma reação, Renan colocou o dedão por dentro do elástico da cueca de Rafael e ficou alguns segundos assim se certificando de que estivesse dormindo ou que não fosse reagir. Rafael estava sentindo tudo isso, mas permanecia imóvel e tentando disfarçar sua respiração que estava ficando nervosa. Renan começa a empurrar a cueca de Rafael para baixo muito lentamente. Consegue descer toda a cueca daquele lado para baixo, mas na parte que estava encostada na cama seria mais difícil. Foi descendo sua mão por trás e conseguiu empurrar grande parte da cueca para baixo da linha das nádegas. Voltou a colar seu corpo no de Rafael. Nesse momento Rafael sentiu que Renan estava com sua cueca baixada também e sentiu o membro dele ficando no meio do seu rego. Renan voltou a fazer movimentos lentos com o quadril roçando o pau na bunda de Rafael.

Sua respiração estava ficando ofegante. Rafael deixa escapar um suspiro. Renan imediatamente fica imóvel por alguns segundos e percebendo que Rafael continuava imóvel prosseguiu a movimentar-se. Ficou assim um tempo. Rafael estava de olhos abertos pensando no que estava acontecendo. Estava com muito tesão sentindo aquela pica roçando sua bunda. Ao mesmo tempo estava com medo de se mexer para querer receber a pica e o Renan se assustar e fugir. Para testar Renan, se mexeu na cama de forma a empurrar sua bunda contra o corpo de Renan e nesse movimento fez com que a cueca descesse totalmente liberando sua bunda da cueca e ficando mais arrebitado contra o pau de Renan.

Ao fazer esse movimento pareceu que Renan se assustou e se afastou. Rafael pensou que tinha perdido oportunidade e que nada mais iria acontecer. Mesmo assim ficou imóvel na posição que havia ficado. Percebeu então que depois de um tempinho Renan voltou a encoxá-lo e que deve ter percebido que a cueca não estava mais atrapalhando. Começou a empurrar o pau contra a bunda de Rafael e fez com que ficasse entre suas pernas e assim movimentando o quadril com movimento de vai e vem. Renan coloca seu braço sobre Rafael e então sente que ele está de pau duro.

Renan: Ah! Safado! Tu está querendo né? Está fingindo que está dormindo e está aí querendo levar pica no rabo.

Rafael: Hehehe... Estava querendo saber o que tu estava querendo.

Renan: Ah depois do toco daquela garota eu quero é meter em alguém. Se tiver buraco disponível eu quero é meter. E tu? Está querendo dar? Se quer achou o macho certo!

Rafael: O que tu acha? Se te deixei até agora me bolinar, não vou querer sair dessa cama sem apagar o fogo que fiquei até agora. Então mete essa vara em mim!!

Renan: Não precisa pedir duas vezes. Vai engolir essa pica nesse cu e é agora.

Rafael sentiu Renan lubrificar seu cu com cuspe e depois ouviu ele lubrificando o pau com cuspe e a cabeça encostando na entrada de seu cu. Renan começou a forçar e entrou a cabeça. Rafael gemeu.

Rafael: Mete, Renan, mete que esse cu é teu. Enterra essa pica nesse cu que está te esperando.

Renan foi penetrando mais até que seu quadril colou no quadril de Rafael. Começou a sair e a entrar novamente de forma lenta. Gradativamente foi aumentando o ritmo. Subiu nas costas de Rafael e passou a meter com velocidade estocando fundo em Rafael que só gemia na pica de Renan. Os estalos ecoava pelo quarto. Renan metia rápido e forte em Rafael que começou a aumentar o volume de seus gemidos. Renan ficou com medo que os outros ouvissem e com uma mão tapou a boca de Rafael. Meteu mais até que não aguentando mais gozou freneticamente dentro de Rafael que respirava ofegante. Renan ficou ainda dentro de Rafael ainda um bom tempo com seu corpo sobre o corpo de Rafael. Após se jogar deitado do lado Renan suspira.

Renan: Caralho que rabo gostoso. Gozei pra caramba!! Não ganhei a bucetinha de noite mas esse cu compensou tudo. Agora sei pra onde correr quando estiver com esse tesão.

Rafael: Não é bem assim! Não sou consolo de ninguém. O que rolou foi porque meu tesão também estava alto. Mas isso terá de ficar de segredo entre nós.

Renan: Claro! Acha que eu vou sair por aí falando que comi cu de outro macho? Não sou doido não.

Rafael: Ok vamos nos levantar que se não vamos perder o horário do café da manhã. Vai para tua cabana. QUalquer coisa tu dormiu no chão aqui. Vai lá.

Renan colocou suas roupas e saiu. Rafael levantou e foi tomar um banho. Depois de uns 20 minutos chegou no café da manhã. Durante a manhã ficou perto da piscina admirando de novo os corpos dos garotos de seu grupo. Agora além de admirar Natan, também passou a admirar Renan que agora já o via com outros olhos e passou a prestar atenção em seu corpo que era bem atraente. Renan, já estava dando em cima das meninas de novo, mas volta e meia olhava para Rafael e dava uma apertadinha em seu pau quando Rafael o olhava.

Continua...

Comentários

15/10/2017 10:24:01
Nossa esse sonho foi um tesão.....
13/10/2017 08:54:20
continue...
13/10/2017 06:06:46
muito bom.
12/10/2017 23:38:57
POXA, ESSE SONHO FOI TÃO BEM ESCRITO E NARRADO QUE IMAGINEI QUE FOSSE REAL DE FATO. (UMA PENA QUE NÃO FOI). QUERIA VER NATAN E RAFAEL JUNTOS. MAS VALEU POR RENAN. SÓ ESPERO QUE TUDO CONTINUA NORMALMENTE ENTRE ELES. MARAVILHA DE CONTO.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.