Casa dos Contos Eróticos

Descobrindo o prazer

Autor: Adonis
Categoria: Heterossexual
Data: 12/10/2017 19:18:46
Nota 10.00
Assuntos: Heterossexual
Ler comentários (1) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Todo mundo tem uma história entre primos para contar, a minha é com a Gabi, minha prima mais próxima uma gatinha linda de olhos bem verdes e cabelos dourados com um corpinho esculpido por Deus.

Desde muito cedo eu e Gabi éramos cumplices, um sempre defendendo ao outro e compartilhando os segredos mais íntimos. Foi assim que contei a ela a primeira vez que toquei uma punheta, ela se divertia com as minhas histórias. Foi assim também que ela me contou sobre o primeiro namorado, o primeiro beijo e a primeira vez que ela colocou a mão no pau dele. Eu ao contrario não me divertia, sentia muito ciúmes em saber que algum camarada poderia fazer uso daquele corpinho.

Numa tarde estávamos em casa, Gabi cismara em aprender a transar queria dar para o namoradinho. Arrumara um filme desses de putaria para na hora H não passar vergonha, fomos assistir no meu quarto eu passei a chave para que a empregada não visse e contasse para meus pais. Deitamos na cama e colocamos o dvd, sempre assistíamos filme desta forma. Gabi estava com um top e um shortinho que realçava ainda mais o bumbum arrebitado. Eu só de shorte e sem camisa.

Nas primeiras cenas rimos muito, mas depois o silencio pairou no ar, eu particularmente tentava disfarçar minha excitação com uma almofada sobre o shorte. Gabi remexia muito talvez incomodada com tantas cenas picantes. Senti meu pau doer de tanto tesão. Gabi estava com a pele quente e inquieta, percebi que ela abrira o shortinho na tentativa de acalmar os ânimos.

Institivamente virei de lado e joguei as pernas sobre ela. que apenas sorriu. Com as mãos suando coloquei a mão por dentro do shorte dela pousando sobre sua xaninha quente. Ela apenas abriu um pouco as pernas dando um sinal verde para que eu prosseguisse nos toques. Sentei na cama e puxei aquela peça para baixo deixando –a apenas de calcinha. Tirei a bermuda e por cima dela comecei a esgregar meu pau sobre a calcinha fina. Ela mesmo tirou o top como se implorasse ser chupada. Os peitos eram durinhos e logo minha boca começou a mama-los . Gabi se retorcia rebolando debaixo de mim...

Retirei a calcinha suada e abri bem suas pernas para que eu pudesse lamber; Gabi soltou um gritinho. Estávamos nus numa cama vendo aquele vídeo cheio de putaria;

Aos poucos nos abraçamos disse ao pé do ouvido que queria muito, ela não respondeu, pegou em meu pau e colocou na entrada de sua gruta quente. Ao colocar a cabeça na entrada nos olhamos com cumplicidade nos abraçamos forte enquanto senti meu corpo fundir com o dela, ela cravou a unha na minha costa, não éramos mais dois adolescentes ingênuos e sim um homem e uma mulher descobrindo os prazeres do sexo. Iniciamos movimentos delicados, a medida que a respiração ficava ofegante ela sussurrava me pedindo mais e eu atendi á aquela voz doce e cheia de prazer. Ela estava no auge da excitação quando de forma imperdoável não segurei meu leite. Senti uma certa pontinha de decepção mas que logo foi acompanhada por um sorriso de quem compreendia eu tentei me desculpar mas ela me deu um longo e delicioso beijo. Fiquei ali abraçado à ela esperando que a respiração acalmasse e que a ultima gota chegasse ao seu destino...sai de cima dela com o pau mole e melado. Gabi percebera minha insatisfação e buscou abocanhar aquela carne relaxada. Aos poucos fui sentindo ele crescer naquela boca quente, Gabi meio desajeitada sentou sobre ele movimentando-se, era possível sentir o prazer estampado em seu rosto conforme meu pau endurecia dentro dela, os cabelos loiros pareciam voar nos movimentos de sobe e desce que ela começava a executar com mais segurança, soltei um gemido ao perceber que ela se retorcia no primeiro gozo de sua vida. O rosto dela se transformara. Tinha cara de desejo, de mulher que se saciava em cima de um homem senti mais uma vez meu pau se esvaziar num jato quente, ela mordia os lábios enquanto se contorcia. Era puro prazer,

Ficamos ali abraçadinhos, nos beijando como nunca acontecera. Tomamos um banho longo, abraçados e com muitas caricias íntimas. Colocamos nossas roupas e voltamos para cama como fazíamos antes de conhecermos o gozo.

Dali em diante minha relação com Gabi se tornou ainda mais forte. Sempre que estávamos à sós experimentávamos novas posições e descobríamos novos prazeres. Como o que descobrimos ao fazermos anal, mas essa é outra história.

Comentários

13/10/2017 09:07:53
Aventuras entre primos e uma delícia, tenho algumas com algumas primas e foram muito boas. Até hoje ainda tenho umas aventuras, ou uma priminha da antiga, ou umas mais novas que caem matando pra cima do priminho aqui. Rsrs. Muito bom o conto.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.