Casa dos Contos Eróticos

Uma noite de muito sexo com o porteiro do condomínio.

Autor: BaianaDanada
Categoria: Heterossexual
Data: 11/10/2017 16:44:33
Nota 10.00
Ler comentários (2) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Uma noite de muito sexo com o porteiro do condomínio.

Olá, me chamo Gabriela. Sou morena, 1 metro e 70, tenho olhos e cabelos castanhos, 55 kg. Meu bumbum chama muito a atenção dos homens. A história que passo a contar de fato aconteceu. No condomínio em que moro, trabalha em porteiro de 23 anos, moreno, corpo normal, olhos amendoados, seu nome é Ramón. Desde a primeira vez que o vi, senti uma atração inexplicável. E percebi que fui retribuída. Várias noites sonhei com aquele gato me comendo, me fodendo com loucura.

Certo dia, estava no shopping, quando o avistei sentado sozinho na praça de alimentação. Não pensei duas vezes, aproximei-me e sentei na mesma mesa em que ele estava.

-Olá, Ramón, boa noite! – falei enquanto me acomodava em uma das cadeiras.

- Boa noite, Dona Gabriela - ele respondeu com aquele sorriso já velho conhecido e que desmanchava toda.

- Que grata surpresa te encontrar aqui, de folga hoje? – não conseguia esconder minha excitação.

- Pois é, sem nada pra fazer, vim dar umas azaradas no shopping – ao falar isso seu sorriso agora apresentava uma certa malícia. Entendi a deixa e não deixei por menos, rapidamente o papo estava onde eu queria.

- E tendo muita sorte?

- Até agora não, mas me parece que a sorte está começando a mudar – seu olhar e o movimento dos seus lábios não deixavam dúvidas sobre o que passa na cabeça do gato.

-Ah, é? E o que foi que fez as coisas mudarem de repente. – me fiz de desentendida para deixar aquele momento ainda mais excitante.

-Essa gata linda que está em minha frente, falando comigo – e ele falou isso mordendo os lábios, o que fez minha buceta começar a umedecer.

- Então vamos fazer essa sorte virar de vez...essa gata aqui faz tempo que deseja esse gato – não conseguir me controlar.

Em pouco estávamos no carro, e nossas bocas se encontravam com voracidade, chupava a língua dele como se fosse a última coisa que iria chupar na vida. Minha mão alisava a rola por cima da calça e a dele apertava meus seios.

- Ai, Ramón, que gostoso gato, quero ser toda tua...

-Gata, vou te foder gostoso, você vai se sentir uma puta bem safada, vou te deixar arrombadinha – sua safadeza me deixou ainda mais alucinada de tesão. Nesse tempo, o pau dele estava em minhas mãos, eu o punhetava enquanto o beijava, e as mão dele dentro de minha calcinha, bulinava minha buceta.

Não resisti e comecei a mamar seu pau ali mesmo. Primeiro apertei a cabeça do pau com meus lábios. Ele gemeu e jogou o corpo para trás. Suas mãos empurraram minha cabeça fazendo a rola deslizar para dentro de minha boca. Senti o pau roçando o céu da minha boca, chegando a minha garganta, quase entalo com aquela vara. Estava delicioso, aquele pau era muito saboroso.

- Isso, Gabi, devora minha pica – ele estava em êxtase, totalmente entregue a mim.

De repente vimos um segurança vir em direção ao carro, tivemos que interromper a putaria, mas fomos direto para um motel. Agora aquele gato estava deitado todo pelado de papo para o ar na cama e eu, totalmente nua, de quatro, chupava o pau enquanto alisa seu corpo.

- Ai Ramón....que delicia de rola...hummmmmmmm....fode a boca de tua puta. – Ao ouvir isso ele começou a mexer o quadril fazendo o cacete entrar e sair da minha boca

- Tesuda, toma pica, não é isso que você quer? Toma rola nessa boquinha quente... – e gemia com minha boca alucinada chupando aquele mastro delicioso.

Chupei aquela pica por muito tempo, quando coloquei as bolas na boca enquanto punhetava a rola , Ramón foi ao delírio. Era a melhor pica que eu já tinha experimentado, 20 cm de pau todo pra mim.

-Para Gabi, senão eu gozo, que puta gostosa que você é, ninguém nunca me chupou assim...vem deixa eu mamar teu grelo sua safada, teu macho vai chupar tua buceta, vem – ele me deitou e abriu minhas pernas, passou a língua nas minhas coxas, mordendo bem de leve, minha buceta se contraiu de tesão. Ele então começou a me chupar. O contato de sua língua quente na minha buceta me fez arrepiar. Eu não conseguia falar nada, só gemia enquanto aquele macho não desejado chupava minha xana, o único som que eu ouvia era o da língua dele em contato com minha buceta. De repente , ele meteu um dedo no meu cu, tirando e botando devagar, e sua língua prosseguia explorando toda a minha buceta.

- Quero pica, Ramón, me fode, quero tua pica dentro de mim.

Ele nada falou. Deitou sobre mim e meteu as língua na minha boca, ficamos assim um tempo, seu pau roçando minha boceta, nossos corpos se roçando, estar envolta em seus braços, beijando aquele homem, seu pau roçando minha xana, era mais do que eu sonhei. E estávamos assim, quando a pica encontrou a portinha e começou a invadir a buceta, a sensação foi tão espetacular que eu tremi de tesão. Agora erámos um, sua pica entrava e sai de mim, e eu rebolava para deixar ainda mais gostoso.

-Ai, Gabi, minha gostosa, sente teu macho te fodendo

-Isso, me fode tesão, dá rola nessa buceta

Sentei no pau daquele homem que tanto desejei. E eu cavalguei como uma puta ensandecida. A pica me invadia fazendo todo o meu corpo vibrar. De olhos fechado Ramón delirava de tesão.

- Caralho...que puta gostosa do cacete

-Isso me xinga gostoso, essa puta é tua....me devora

_ Vagabunda, safada....toma rola vadia...põe teu peitos na minha boca.

-Toma assim....issso meu safado....delira com tua puta

Quando eu fiquei de quatro e Ramón montou em mim, aquele cacetão entrou até o talo e ele bombou me arregaçando toda. E eu pedia mais e mais...queria ser arrombada por aquele macho.

- Isso safado....mete...da rola nessa buceta

-Toma vagabunda....toma a rola do teu macho....sente essa pica te comendo

Estávamos metendo de ladinho quando ele sussurrou no meu ouvido:

- Gabi, quero teu cu gata...deixa eu foder teu rabinho...

- Ah, não sei, e se doer? Teu é muito grande.

- Amor, eu faço devagar

- Ah não...- eu estava fazendo aquilo para deixa-lo mais louco, jamais iria deixar da dar o cu para aquele gato.

-Ah não ou anal? – que safado aquele homem – olha eu vou só passar a cabecinha.

Ele então posicionou o pau na porta do meu rabo e começou a forçar. Meu cu começou a engolir aquela vara com por cm. Quando me dei conta ele bombava no meu rabo e eu gemia com aquela piroca arrebentando minhas pregas.

- Toma safada....toma rola no cu

- Fode...assimm...aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

- Que rabo gostoso, Gabi

-Gostoso é teu pau...não para ...me arregaça

-Arregaço sua puta....toma no cu toma, dá esse rabo pra mim

Então ele me colocou de franguinho assado e continuou socando no meu rabo. Gemiamos os dois alto, ele dava urros de prazer. E quando a porra saiu do seu pau, ele gritou alucinadamente, Gozamos ao mesmo tempo. Nunca gritei tanto de prazer. Senti o leite quente invadir meu cu em jatos fortes e intensos.

-Gata, que delícia, adorei, você é gostosa demais.

-Adorei também , Ramón.

Adormecemos agarradinho. Mas a coisa não parou por aí. Passamos aquela noite inteira fodendo. E até hoje somos amantes. Já fizemos muitas loucuras juntos. Até mais!

Comentários

12/10/2017 05:32:26
Amei o seu conto e vou adorar saber do conto e fotos caso tiver. Adoro filmar e fotografar esses melhores momentos, caso interessar é só : fotografoliberal@yahoo.com.br
11/10/2017 17:58:43
És maravilhosa demais, minha querida, o tipo de gata que adoraria ter tido na minha vida. Leia minhas aventuras e me escreva ou adicione no skype: envolvente47@hotmail.com . Beijos imensos.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.