Casa dos Contos Eróticos

O dia da piscina.

Autor: Marta
Categoria: Heterossexual
Data: 09/10/2017 15:00:20
Nota 10.00
Ler comentários (6) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Há muitos anos vivemos na mesma casa, desde quando eu e meu marido casamos. Tivemos o Artur e como sabíamos que a casa tinha uma boa estrutura, resolvemos não mudar, por mais que a segurança do bairro tendesse a a piorar. Nossa casa tem uma piscina e ao longo dos anos fizemos uma excelente área de lazer. Podemos ficar à vontade sem os vizinhos bisbilhotando ou ouvindo.

Depois que minha saga com meu menino começou, resolvi aproveitar todas as oportunidades que tinha. A minha desculpa era sempre fingir que nada estava acontecendo, nunca tocar no assunto e nem insinuar nada para ele. As provocações eram sempre exibicionistas e ponto. Eu não dava a entender que ele poderia fazer algo.

Num domingo de sol, resolvemos que iríamos fazer um churrasco só para nós e almoçar em casa mesmo. Meu marido foi comprar as coisas e eu e o Artur ficamos arrumando as coisas. Tudo estava bem até que o Artur me interpelou:

- Mãe, aquele dia eu vi o que aconteceu.

Na hora eu gelei, mas mantive a expressão:

- Que dia?

- A mãe, o dia que a senhora e o papai.. - Ele travou na hora e eu interrompi:

- Transamos?

- Isso. - Ele falou meio desconfiado.

- Ah meu filho, não se preocupe com isso. Eu sei que você não fez de propósito, mas eu achei que tinha visto só quando eu fui fechar a porta. - Menti.

Na hora ele fez uma cara de quem não entendeu nada, ficou calado de saiu para buscar as coisas na geladeira. Eu achei ótimo que ele não quis falar nada mais. Fui me trocar e falei para ele ir também. Como estava disposta no dia, coloquei meu menor biquíni, era um bem pequeno mesmo, mas para não dar muito na cara, vesti minha saída de banho e fui terminar de arrumar as coisas.

Meu marido chegou com a carne e o carvão e já foi para a churrasqueira, eu tinha terminado as comidas e Artur já tinha arrumado a mesa. Eu e Artur fomos para a piscina enquanto o Pedro terminava.

Na hora de entrar na água eu retirei minha saída de banho, o Artur quando viu meu biquininho ficou pasmo. Não conseguia disfarçar o que sentia no momento. Eu estava de óculos escuros, olhei diretamente para ele, mas com a feição de quem não estava ali. Todas as vezes que íamos para a piscina, ele sempre passava protetor em mim e eu nele, mas notei que dessa vez foi diferente.

Ele começou a passar pelas minhas costas e meus braços. Deitei de bruços na espreguiçadeira e desamarrei a parte de cima. Ele continuou, passou direto para minhas coxas, pulando meu bumbum.

- Meu filho, passa em tudo, não quero me queimar.

Senti que ele exitou um pouco, mas na hora entendeu o que eu queria dizer, pois senti o geladinho do protetor tocando no meu bumbum, depois a mão dele. Percebi que ele não estava fazendo como sempre fazia, passando de qualquer jeito e doido para pular na piscina. Estava mais dedicado, carinhoso. Senti diversas vezes seus dedos por entre minha coxa, próximo da minha xoxota. Ele sentia o calorzinho e voltava. Uma hora sua audácia foi tanta que senti seu mindinho passando por baixo do fio dental, pelo meu reguinho. Não falei nada, mantive a posição e deixei fazer o serviço.

Depois de um tempo ele pediu para eu virar, na hora do movimento vi que ele estava com um belo volume. Estava tão duro que foi capaz de afastar o elástico do corpo, na parte de cima da sunga. Quando terminei de me virar, meu biquíni, que estava preso só no pescoço, saiu um pouco do lugar e meu mamilo ficou à mostra. Eu deitei com o rosto para cima, pelo óculos via que seu pau pulsava enquanto ele me lambuzava de protetor e olhava meu peito do lado de fora.

Na mesma hora, deslizei a mão e coloquei em sua coxa, para que ele pudesse passar dos lados de minha barriga. Vi que ele ficou um pouco mais ouriçado com aquilo e se dedicou às áreas onde ele queria aproveitar: Perto da minha xoxota, ao redor dos meus seios. Seus movimentos eram eróticos, sensuais. Sentia a pontinha do seu bendito mindinho passando por dentro do meu biquíni. Hora ou outra ele sentia meus pelinhos e recuava.

Falei que era minha vez e sentei na espreguiçadeira, meu peito que estava um pouco a mostra apareceu de vez. Ele encarou e desviou o olhar, eu fingi que não estava percebendo e mandei ele ajoelhar na minha frente. Abri um pouco as pernas, minha tanguinha era tão pequena que minha xoxota estava escapando para os lados. Meus pelinhos aparecendo no pano já meio transparente.

Eu já tinha perdido meu próprio controle da situação e minha bocetinha estava melada, aparecia na calcinha do biquíni. Ele ajoelhou de frente para mim. Me comeu com os olhos, disfarçadamente. Assim que comecei a esfregar o protetor em seu rosto, meu marido gritou que a carne estava pronta.

Disse a ele que era hora de comer e levantamos. Eu ajeitando meu biquini e ele com um belo volume na sunga. Nem fez questão de esconder mais.

Sentamos à mesa, meu marido perguntou meio perplexo:

- Seu peito estava aparecendo, não percebeu?

- Não. Pior que nem percebi - Menti.

Comentários

16/10/2017 16:01:58
Que delicia de conto, muito bom, eu estou aqui cada vez mais encantado com seus contos.
12/10/2017 19:41:23
Muito excitante!!!
09/10/2017 18:34:57
Nossa, tá muito bom! Isso judia dele, deixa ele louco, vc tá na clima tb, puro tesão!! Continue...
09/10/2017 17:47:06
És maravilhosa demais, o tipo de gata que adoraria ter tido na minha vida. Iria adorar ser teu corninho. Leia minhas aventuras e me escreva ou adicione no skype: envolvente47@hotmail.com . Beijos imensos.
09/10/2017 15:38:27
Que delicia de conto, adoraria saber que você deu essa bucetinha deliciosa pra ele chupar e gozar dentro dela bem gostoso! Fico só imaginando ele enfiando o dedo nessa xana deliciosa a molhada. Sua safadinha gostosa!
09/10/2017 15:37:51
Delícia de conto

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.