Casa dos Contos Eróticos

Cunhada recatada, nem ela sabiam o quanto gostava de uma pica.

Autor: Tarado Jr
Categoria: Heterossexual
Data: 18/09/2017 18:33:23
Nota 9.62
Ler comentários (8) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Cunhada recatada, nem ela sabiam o quanto gostava de uma pica.

É normal sentir excitação pela cunhada, é normal ainda mais quando ela é mais nova, mais desinibida e mais gostosa que nossa esposa, mas comigo foi o contrario, não que minha cunhada não fosse mais gostosa que minha esposa, mas ela é do tipo recatado que se envergonha por tudo, tipo de pessoa que nunca ficou sozinha com o namorado, ela tem minha idade minha esposa é mais nova que eu, no inicio do namora minha esposa é do tipo que não dizia não para o sexo, oque eu quisesse, oral, anal, vaginal, dentro do carro, escorado no muro, enfim, estava muito satisfeito com ela, estava, quando comecei a namorar minha esposa as duas moravam com os pais, inevitavelmente eu convivia com elas, ainda mais quando morei na casa de minha sogra viúva, minha cunhada, sempre estava limpando a casa e muitas e muitas vezes eu a via limpando o chão de quatro, com sua legue de cor discreta, mas às vezes ela não via que eu estava perto e ficava arrebitada limpando embaixo do rack, eu podia apreciar aquela maçã no meio das penas e percebi que ela usava fio dental e tanguinhas, ai percebi que ela não era um fracasso total, ela sempre recatada e envergonhada e eu bem desvergonhado e o namorado dela ia na minha onda, sempre deixava os dois sem resposta, tipo do nada eu perguntava quando que eles conseguiam tempo para namorar, o namorado dela ficava rindo, e ela ficava um tomate de tão vermelha, percebi com o tempo que ela tinha o biótipo de minha esposa, mas com diferenças fatais, os peitos era os mesmos, muito pequenos. A cintura bem mais fina, um pouco mais alta, e por fim a bunda bem maior, com umas coxas consideráveis, ao ponto que se ela comprasse uma calça pra cintura dela não estava na bunda, ela tinha que compra uns números maiores e abrir a cintura, uma vez ela ia a um aniversario e comprou uma calça as presas e era de confecção menor, ela teve que vestir ela, chegou a ficar com a bunda dormente por ser Jens, e fiquei sabendo por minha esposa que ela estava com umas manchas rochas na bunda de tão apertada, minha cunhada era mais gostosa que minha esposa, mais recatada, mas que por causa do sei jeito me deixava com excitação, com cada vez mais excitação.

Uma vez perguntei para o namorado dela e ela oque eles faziam quando cochilavam juntos depois do almoço, e ele disse que o quarto era um confessionário onde ajoelhou tem que rezar, na hora eu disse que ela era safada depois do almoço se atraca na gulosa, é sobremesa?

Essa mulher ficou uma fúria, só se acalmou quando eu disse, que se ela tinha ficado brava era porque tinha verdade nisso, ai ela se acalmou, passou alguns anos e se casou.

Seu marido então era uma agua morna, tipo de pessoa que não cortava nem a grama de casa, deixava a pobre da mulher se molhar indo na padaria dia de chuva sendo que ela tinha um carro parado na garagem, minha esposa sabia andar de moto e caro que eu ensinei, porque eu acho que a mulher tem que saber pra poder resolver as coisas quando preciso, eu sou bem ativo no meu casamento e na casa, arrumo oque tiver que arrumar ainda arruma na sogra e às vezes da casa dela da cunhada, e ela ainda fala que eu que era homem de verdade, que arrumava as coisas, mas tudo no tom de família, pois afinal moramos juntos e sempre tive liberdade, esqueci-me de mencionar uma vez eu estava olhando filme na sala quando morávamos juntos e ela se levantou do quarto e foi no banheiro eu estava dormindo e me acordei com o barulho e vi-a indo pro banheiro com uma calça de pijama bem velinha dessas transparentes e ela estavam com um fiozinho ai tive a certeza que ela era muito gostosa.

Os dias se passaram e assim como eu brincava com minha cunhada o marido dela brincava com minha esposa, mas a diferença que minha esposa era cheia, bem mal educada com ele, e de tanto falar que ela não sabia a dirigir, um dia ela pediu pra ele e ela só dizia que não ai ei disse que ensinava e ensinei ela dirigir a moto, ela ficou tão feliz que quando consegui fazer a volta e parar ela saída da moto e me abraçava e pulava eu de óculos só espiava a firmeza da bunda dela e me dava uma excitação.

Mesmo assim o marido dela não deu a carteira pra ela, e meu casamento estava esfriando minha esposa passou a ter MIMIMI, não fazia anal e nem chupava mais, as nossas transar se resumia em sentir preguiça e vaginal, era isso da parte dela.

Percebi que minha cunhada era pro marido dela uma empregada doméstica que ele comia, não passava disso, pois ele não a apoiava em nada, não investia nada nela.

Comecei a brigar muito com minha esposa por causa do sexo ai tive uma ideia, depois de muito tentar conseguir fazer um Fake e puxar assunto com ela a minha cunhada, levou quase um ano até que ela tivesse confiança em min.

Ela relatou que queria tira a carteira e tal, não eram assuntos íntimos, pois quando levava pra esse lado ela dizia que não queria falar nisso e me dava um gelo de duas semanas e sempre pedia pra não retornar.

Eu então consegui um serviço onde trabalho e ela acabou aceitando uma vez que eu tinha oferecido pra minha esposa e ela não quis.

Ela falava com o fake que estava trabalhando com o cunhado dela, e que era bom, ia tira a carteira, que eu era legal, e o cunhado dela ensinava as coisas direitinhas, tinha paciência em encilhar e gostava de conversar com ele, pois tínhamos mesmos gostos, eu como fake comecei a perguntar sabendo das coisas sobe o casamento que ela tinha falado, se ela não tinha a impressão de ter trocado o marido com a irmã dela, ela dava risada e dizia que namorava o marido dela quando tinha 13 anos, conversa vai conversa vem, eu percebi que ela não traia o marido dela por princípios mesmo, eu por outro lado não tinha traído minha esposa, mas estava muito afim, pois ela era egoísta comigo e comecei a demostrar isso pra mina cunhada.

Eu ia ao PC dela quando ela não estava e colocava uns gatilhos pra abrir uns sites pornôs, de vídeos e eu acabava espionando ela, bem na hora que abria os gatilhos eu chamava ela como fake e ela conversava comigo cada vez mais solta, fiz um fake feminino e comecei a conversar com o marido dela para fazê-la ter desconfiança sobre ele e funcionou, ela começou a relatar que achava que ele estava traindo ela.

Ai começou a preparar meu bote falei tanto da minha esposa pra ela disse que ela não me merecia mesmo e tal que (pedindo desculpa pra sinceridade) na cama ela era egoísta, e que estava desabafando, pois disse que sabia que o casamento dela era tranquilo, e que sabia que isso não acontecia, ela disse que tinha problemas também, dei conversa pra ela, eu a deixei falar, mas falou pouco eu disse que se continuasse assim eu iria trair ela, ela disse que deveria conversar com ela, eu disse que se ela tinha conversado com o marido dela e não tinha adiantado então ela sabia que não adiantava conversar com quem só pensa em si mesmo, passaram uns dias eu dei intender que ia fazer horas, que ia trair na saída ela veio atrás de min dizendo que eu ia me arrepender, eu fingi que ela me convenceu a desisti, mas na verdade eu estava tramando para o outro dia, no outro dia eu entrei como fake e conversei com ela e como eu mesmo deixei um monte de vídeos engatilhados pra abrir vídeos de masturbação de Sarinho gostoso, assim.

No final do serviço eu disse que tia sair mais cedo, dando a entender que iria trair, ela disse que eu ia fazer uma coisa muito errada, eu disse que não que seria como ir a uma massagista ia ser uma mulher que usaria as mãos para tira minha tensão, ela deu risada e disse que se fosse por isso ela ia ir a uma massoterapeuta pra tirara tensão dela, eu dei risada e disse que se ela fosse uma enfermeira e eu fosse um paciente ela teria que pegar em minha para colocar a sonda, ela deu risada e disse que não era enfermeira, e eu disse que não, pois os dois estavam doentes de estressados, ela ficou vermelha, foi a primeira vez que eu dei a entender que sentia excitação por ela e estava disposto, me afastei e entrei como fake, ela veio e falou que estava apavorada que o cunhado dela tinha dado em cima dela e contou como foi eu disse que não tinha nada demais e perguntei se ela se sentia na mesma condição do cunhado ela disse que de certo modo sim, eu dei o conselho dela dar entender que consentia, sem que ele, ( no caso eu, mas ela não sabia que era eu mesmo) percebesse, eu voltei e ela estava quieta, eu perguntei pra ela se ela fosse enfermeira e eu estivesse com minhas mãos enfaixadas e precisasse ir ao banheiro, oque ela iria fazer?

Ela disse que se fosse enfermeira ela iria me atender, pois seria um procedimento normal que não teria importância, pois seria profissional e não sentimental, eu perguntei então (dando bem no que eu queria) se for uma coisa de necessidade fisiológica, necessidade física, não teria problema você me atender, me ajudar, disque não haja sentimento? Seria isso?

Ela disse sim isso, mas logo se deu de conta e falou que era no causo dela ser enfermeira, eu então disse que tem coisas que enfermeiras não podem fazer, ela deu risada, eu então falei assim.

Pensando por esse modo só você pode salvar meu casamento, pois eu vou trair minha a tua irmã, estou muito necessitado e ela não me atende mais, vou trair e tá decidido.

Ela disse que eu era louco que não ia fazer isso nada, ei disse que quem decidia isso era eu e se ela contasse ela iria destruir meu casamento, que eu nem queria mais estar no meu casamento, pois eu tinha necessidades físicas e a irmã dela não me atendia, disse que ela era a única pessoa que podia destruir meu casamento, mas era a única que poderia salvar, disse que ela poderia ser a enfermeira de hoje, pois não teria sentimento em atender um paciente doente precisando de ajuda, falei isso e ela ficou vermelha na hora, e como quem cala consenti, eu tirei meu pau pra fora, eu estava sentado na cadeira de frente pro p.c. do lado dela, ela arregalou os olhos e mandou-me guardar, eu disse que ela que sabia, mas que hoje eu ia gosar de um jeito ou de outro, com ajuda dela ou com a de uma garota de programa.

Ela então levou a mão e falou que ia massagear só um pouquinho, nossa aquela mão me punhetando era demais, nossa que delicia, ela então me punhetou até eu gosar, eu gosei na mão dela e no chão, eu fiquei ali ela teve a simplicidade de pagar um pano e passar no chão.

Ela limpou e ficou em silencio, eu conversei normalmente resolvi a deixar amaciar a ideia de ter batido uma punheta pra min.

Entrei como fake ela não contou nada, passou mais uma semana e eu toquei no assunto perguntando se ela estava tensa, ela deu risadinha sem graça e disse que não, eu então fui atrás dela na cadeira e fui massageando ela e ela me mandava parar, eu disse que eu precisava sentir uma pele feminina em minhas mãos, pois a irmã dela não deixava fazer massagem nela, ela deu a bobeira de dizer que a irmã dela perdia uma coisa ótima, fui massageando os ombros dela e roçava minha pika dentro da calça na nuca dela, e quando eu acabei ela virou e disse, esconde isso alguém vai ver, eu disse que estavam recebendo mercadoria que estava tudo bem, ela com as mãos fechadas olhou e fechou os olhos quando abri eu estava com a pika pra fora e dura, ela então olhou e disse só mais essa vez e foi batendo uma punheta, mas dessa vez eu estava em pé, foi maravilha, a minha porra jorrou na mesa dela, pobrezinha lá foi ela limpar, eu agradeci e disse que ela estava salvando o meu casamento. Perguntei pra ela se ela estava bem, ela disse que não concordava com que estava acontecendo, sentia mal com tudo isso, eu disse que me sentia do mesmo jeito, mas ela não sabia o bem que ela me fazia ao fazer aquilo, pois eu me sentia um lixo em casa, falei que um dia queria poder agradecer ela a altura.

Com o tempo eu fazia um sinal e ela ia à cozinha da empresa e batia uma pra min, era um apor semana, depois duas, até que era uma por dia, ela no inicio era descoordenada, mas estava crack, ela até sentia quando eu estava pra gosar e diminuía o ritmo, ela sabia que fazia um dia ela disse que não ia fazer que estivesse cansada disso, eu disse que precisava gosar então eu comecei a sarrar ela de frente e nos abracei eu sentia o calor da vagina dela, que fogo ela tinha guardado, ela gosou só de roçar em min, e perguntou se eu gosei, eu disse que não.

Ela então bateu uma punheta de frente pra min em pé, eu a virei e baixei um Pouco a cintura dela ela se assustou eu disse que não ia enfiar que era apenas sanar a necessidade meu, eu baixei a calça dela e ela estava de fiozinho, cara que bunda mais linda que da minha esposa e mais lisinha, ei coloquei-a pika bem na entrada da bucetinha, que se não estivesse de calcinha ia entra, de tão quente e molhada, e comecei a bater uma punheta, eu sentia a cheiro de buceta na cozinha toda, ela gosou , quando eu disse que ia gosar, ela se virou baixou e fez eu gosar nos peitos dela, que maravilha, cada vez estava melhor, mas oque eu queria mesmo era comer aquela bunda e gosar na boca dela, comecei então a perguntar sobre o casamento dela, começou a descrever como era e percebi que ela estava acostumada com ele apenas, levei o assunto para o sexo, ela disse que fazia anal com ele uma vez por ano, que ele não gostava, pois tinha nojo, e que ele não gostava que ela fizesse oral nele, pois dizia que ela ficava coma boca suja, eu quase não acreditei, ai perguntou se ela gostava do anal, ela disse que não queria falar sobre isso, eu a insisti então disse que gostava e muito, mas que não queria forçar o marido dela a fazer, eu aproveitei e perguntei se ela sentia falta, ela respondeu que sim ai aproveitou e perguntou sobre o oral, ela disse que gostava ai meus caros leitores meu coração foi no céu.

Eu então falei que sabia como ia poder gratificar ela, ela perguntou como? Eu disse que deixaria ela me chupar a vontade, e que depois ela poderia me beijar com a boca suja da minha pika que não tinha nojo e que depois podia enfiar na bundinha dela que não tinha nojo, ela cruzou as pernas e me olhou nos fundos dos olhos e para homens que sabem interpretar a expressão corporal da mulher sabe oque isso significou.

Eu disse que iriamos sair mais cedo hoje, ela disse que estava naqueles dias, eu disse então para ir à cozinha, ela foi, ela se abaixou e me chupou, que chupada incrível, ela fazia com maestria, ela chupou de um jeito com tanta vontade apreciando tudo, ela só tirou pra falar que o marido dela não depilava e ela ia aproveitar que eu era depilado. [Quando fui gosar ela enterrou] e ainda me olhou nos olhos eu gosei e ela continuou chupando, ela se ergueu e me beijo com vontade depois se abaixou e segui me chupando, eu quando fui gosar ela tirou encolheu a pela da piroka de modo que o esperma ficasse depositado ali, me olhou e chupou a penas o leite na ponta, e disse pra guardar, ela disse que no outro dia ela queria experimentar na bunda.

No outro dia não fomos trabalhar de tarde, eu disse pra matriz que tínhamos uma formatura pra ir, fomo em uma Cidade vizinha e fomos a um hotel, chegando tomamos um banho rápido juntos nos secou tudo isso com amasso e beijo, ela me sentou na cama e chupou por dez minutos e disse que queria fazer anal queria aproveitar, pedido concedido, nunca tinha visto ela nua e ela estava mais desinibida que eu, ela então passou KY na minha pika e disse que ela pra eu passar direito nela, ela ficou de quatro, mas com a bundinha bem empinada, eu pude perceber que realmente ela era uma delicia, pois tinha a sua bundinha lisinha e o rego dela era bem clarinho igual a pregas, a buceta bem depilada, apesar de ter mais de 30 anos ela era muito bem conservada, tinha um corpo uma bunda umas preguinhas melhor que muitas de 20, ela me surpreendeu quando falou que o marido dela demorava tanto pra enfiar tudo que ela nem sentia dor nenhuma, então ela pediu pra que eu encostasse e quando ela dissesse ela queria que eu enfiasse tudo em uma estocada só não devagar e nem rápido, quase gosei quando ouvi falar.

Ela de quatro na cama eu de pé na cama pronto para fazer que sempre quisesse, encostei ela levou a mão na buceta deu uma masturbada, segurou meu saco por baixo dela ficando mais aberta ainda, e disse quase sussurrando, enfiaaaaaa, eu enfie com tudo em 3 segundos, ela mordeu os beijos e sussurrou e gemeu e falava coisas que nunca vou esquecer.

Rasga, enfia judia de min , eu quero, tira e soca tudo, eu gosei no fundo dela quando eu vi que ela sentia um prazer danado quando ela enrabada, mas minha pika continuou dura, ela gosou quando a pika entrou, ela nem percebeu que eu gosei, eu então respirei e continuei , fiquei ali por 20 minutos, sei disto, pois vi que era a musica seis do DVD que estava tocando, ela me mandou deitar na cama e sentei de costas pra min, eu direcionei a pika na buceta dela, ela virou e disse que hoje não, hoje era só na bunda dela, quase gosei de novo, ela ficou acocada e sentava tanto na pika, ela ficava erguida de modo que ficava só a cabeça e ela ficava girando ai do nada ela sentava e ainda pegava minhas bolas e esfregava na bucetinha dela, ela me mandou sentar na quina da cama e ela sentou no meu colo de frente pra min com a pika enterrada na bunda, me beijou tão gostoso, disse que queria que eu glosasse na boca dela e depois a beijasse, e assim a fizemos apenas pulou pro chão, abocanhou minha pika, quando terminei ela sentou de novo com a pika meio mole no cuzinho que endureceu na hora, e nos beijamos com a porra na boca dela, ela me puxou os cabelos, eu dei uma palmada na bunda dela, ela disse DELICIA ME BATE MAIS.

Ela ficava em transe quando estava com a pika na bunda, que delica, ela virava uma vagabunda e o marido dela nunca tinha aproveitado, me deu um nojo por estar casado com a irmã dela e assim apagando qualquer possibilidade de estar com ela só pra min, que mulher, que anal, ela ficou rebolando eu me deitei pra trás apenas agarrando os peitos dela e às vezes eu chupava e colocava a mão por trás e arrodeava a volta do cuzinho dela que estava com minha pika, ela cansou e saí, eu estava com a pika meio dura, eu me deitei na cama do lado dela, ela virou pros pés e começo a me chupar, minha pika estava meio mole endureceu depois de uns 20 minutos dela chupando, eu chupei ela e fiz um 69, ela me olhou e disse que queria mais, ela ficou de quatro na cama, e eu de pé no chão, ai foi sexo com direito a puxão no cabelão, eu masturbei ela na frente, e quando eu fui gosar, eu peguei as mãos dela e coloquei atrás nas costas dela, ela gosou três vezes, quando terminamos estava na hora de voltar, na estrada ela disse que queria fazer uma coisa, tirou minha pika pra fora e me chupou.

Não vou contar pra não ficar muito longo, mas minha vida sexual esta tão boa, imagina poder comer uma cunhada dessa louca por sexo oral e anal que gosta de sexo com vontade, imagina as punhetas por baixo da mesa.

Na próxima eu conto.

Comentários

26/11/2017 13:32:10
Delicia de conto, parabéns !! Minha esposa tb é bem putinha safada, confira nossas aventuras ... Temos um blog para maridos liberais: https://clubedosmaridoscornos.blogspot.com.br/
12/10/2017 17:34:52
Olá! gostaria de encontrar mulheres que gosta de ler contos e que tenha curiosidade, desejo em incesto quero conversa sobre o assunto sem nenhum tipo de preconceito, email e skype leo.gui@outlook.com WhatsApp Rio de Janeiro
30/09/2017 14:02:46
maravilhoso nota 10 amigas carente chamem no whats ;3,6.9,9 bjs na bucetinha
21/09/2017 06:37:35
muito bom
21/09/2017 00:17:48
Perfeito
19/09/2017 11:21:10
Parabéns. Seu conto me prendeu até final. Nota 10
19/09/2017 05:40:34
Muito bom. Conte aí se conseguiu comer a bucetinha dela. loirinhu_pg@hotmail.com
18/09/2017 23:53:38
Bom seu conto

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.