Casa dos Contos Eróticos

O Coroa da Picona.

Um conto erótico de Juliana_Porto
Categoria: Heterossexual
Data: 19/08/2017 00:34:15
Última revisão: 20/08/2017 07:34:06
Nota 9.95

Tempos atrás aproveitei meu domingo para explorar algumas estradas de terra em minha bike, com luva, capacete,bermuda de ciclismo, camiseta branca e outros equipamentos, já rodava por cerca de uma hora, passando por sítios e pontes de madeira quando percebi que um de meus pneus havia furado...

No meio do nada, comecei a empurrar minha bicicleta até que avistei uma pequena casa, não muito longe da estrada, parecia ser a sede de um pequeno sítio, bem cuidado por sinal. Me aproximei e logo ví um senhor de cabelos grisalhos consertando o telhado, ele logo me viu e foi descendo da escada.

Se chamava Carlos, morava sozinho e era viúvo há cerca de dois anos, vestia camiseta regata, calção de futebol e chinelos.

Meu nome é Juliana, tenho 25 anos, sou morena, cerca de 1,60 e 56kg, tenho bumbum médio e como tinha pouco seio, coloquei silicone proporcional ao meu tamanho, deixando eles bem arrebitados, gosto de sol e acabo sempre tendo marquinhas de bikini.

Como sempre tive tesão em homens mais velhos e grosseiros,na hora minha cabeça começou a ter mil idéias depravadas com aquele coroa cheirando a suor.

-Moça, aqui não tem telefone, e celular pega muito mal e meu carro está na oficina essa semana, mas tem um ônibus que passa depois do meio dia e vai para a cidade.

- Acho que esse serve, se eu puder deixar minha bicicleta aqui, volto para pegar ela de carro outro dia - disse eu.

-Eu tenho que ir ligar a bomba de água para irrigar a plantação e já volto, se quiser pode almoçar comigo, bom ter companhia aqui no sítio.

O calor era sufocante já por volta das 10h da manhã, logo ví uma espécie de ducha que era apenas um cano com registro, fui em baixo, abri o registro e me refresquei...com isso minha camiseta ficou totalmente transparente, destacando meus seios com os bicos duros de tesão.

Logo o seu Carlos voltou, eu estava na cozinha com a camiseta ainda um pouco molhada e transparente, e a buceta melada...ele bateu os olhos em meus peitos, e um volume começou a aparecer no calção que ele usava enquanto pegava uma cerveja na geladeira, o safado nem disfarçava.

Logo perguntei:

-Seu Carlos, aqui tem muita cobra?

Ele respondeu:

-As vezes aparece alguma, por que?

-É que tem uma dento do seu short....

Ele riu e disse:

-Mas essa sai pouco da toca.

-Coitada, deixa ela tomar um pouco de ar.

Então ele abaixou o short, o cachorro não usava cueca, e botou o caçete pra fora, era uma pica grossa igual um salame e com uma cabeça em forma de cogumelo, ainda não estava totalmente dura.

Me abaixei e logo caí de boca, comecei a mamar igual uma bezerra, aquela pica foi crescendo, até o ponto em que tive dificuldade de manter ela toda na boca, era bem grossa, me concentrei na cabeça da pica. Chupava a cabeça, com uma das mãos batia uma punheta e com a outra massageava as bolas, o velho urrava de tesão.

-Caralho, se continuar assim vou encher sua boca de porra...

Como eu queria aquela pica fodendo minha buceta, parei e disse para irmos para o quarto, que lá ele iria me foder de verdade.

Ali mesmo na cozinha ele tirou minha camiseta que estava colada em meu corpo e chupou minas tetas com vontade, alternava entre lamber os bicos e sugar o máximo que podia cada uma delas, me deixando louca de tesão.

Fomos deixando as roupas pelo caminho, quando cheguei no quarto, a cama tinha somente um lençol velho e um travesseiro sobre o colchão de espuma, a janela estava fechada.

Deitei com as pernas abertas, minha buceta estava tão molhada que já estava escorrendo, o cachorro começou com duas belas lambidas nela e depois enfiou a língua o mais fundo que pôde por várias vezes, depois sugou todo o mel que escorria, alternava lambidas e chupadas no meu clítoris, não aguentei e gozei alucinadamente, fiquei com o corpo mole e muito relaxada.

-Gozou safada? Agora quem vai gozar sou eu...-disse ele.

Me botou de quatro e esfregou a cabeça na entrada da minha gruta e logo foi empurrando a tora, caralho...parecia que agora ela estava mais dura do que quando eu chupava, senti ele me rasgando e a cabeça encostar no meu útero, o vai e vem foi alargando a buceta, eu gemia como uma cadela no cio e o velho apertava minha bunda, dava vários tapas e me chamava de puta....

-Era isso que vc queria sua puta? Vou te deixar arrombada agora!!!

-Fode essa buceta caralho!!! Me faz gozar nessa pica!!!

Não demorou e gozei de novo.

Quando percebi, ele estava esfregando o cacete na entrada do meu cú, ele agora queria foder meu rabo, mas estava difícil entrar.

-Espera que eu já volto- disse ele.

Em menos de um minuto ele voltou, o pau brilhando e melecado de margarina, era o que tinha. Apontou o cacete no meu rabo e empurrou a tora, meu cú foi abrindo devagar e logo engoliu a rola toda, com vai e vem sentia até as bolas encostarem na minha bucetinha, e eu me masturbava ao mesmo tempo, estava louca de tesão.

-Caralho, esse seu rabo é muito gostoso!!!!

-Isso safado, fode o rabo da sua putinha!!!

-Não vou aguentar, vou encher seu cú de porra!!!

Logo senti a porra invadindo meu rabo e o Seu Carlos gemer mais forte, o safado estava gozando. Ele tirou o mastro devagar e esfregou a cabeça na minha bucetinha e no cuzinho, melando tudo com a porra dele.

Deitei naquele colchão velho e mofado ao lado do Seu Carlos que estava ofegante, ambos bastante suados mas satisfeitos pela boa trepada.

Tomei um banho, almoçamos e ainda peguei o ônibus em direção á cidade, voltaria outro dia para buscar a bicicleta, e com certeza para mais uma boa foda.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
19/07/2018 21:20:51
Que delícia e pelo jeito vc é toda boa e gosta muito de pau
12/02/2018 09:43:29
Conto maravilhoso. Super excitante, bati uma punheta me imaginando no seu lugar, chupando o cacetão do coroa
02/01/2018 14:37:21
oi adorei o conto. vc vende calcinha usadas suas? se tiver afim eu compro. entre em contato no meu email: bidjur@bol.com.br
02/01/2018 14:36:37
OI ADOREI SEU CONTO VC VENDE UMA CALCINHA USADA SUA?ENTRE EM CONTATO NO EMAIL: BIDJUR@BOL.COM.BR
07/10/2017 11:35:38
Menina, vc não perde tempo. Quando quer sexo e ve uma pica grossa, já vai logo mamando e deixando o macho em ponto de bala para a sua buceta sedenta. Parabéns pelo conto. leo.de1@terra.com.br
20/09/2017 17:24:55
Excelente conto e a nota não podia ser outra a não ser o 10. parabéns. admiradordamel@yahoo.com.br
13/09/2017 17:43:04
Parabens cada conto melhor que o outro
03/09/2017 10:47:51
Que conto delicioso, querida, você é bem sacaninha, né? Depois daquela pergunta "aqui tem muita cobra?" só podia rolar o que rolou. Quando você postar o conto sobre a trepada na volta para buscar a bicicleta, me avise, tá? Quero muito ler essa continuação. Ah, visite meu conto também é deixe um comentário, te espero lá, viu, linda. Beijão da Carla
02/09/2017 13:46:17
Nossa Ju que delicia de conto, e como tu e sarcastica perguntando por cobra quando na verdade estava afim do ataque delas # P I C A # nota maxima querida continua.
01/09/2017 11:39:31
Dizem que a ocasião faz o ladrão. Pneu furado, libido despertada e um macho disponível. Teria mesmo que acabar numa transa maravilhosa e excitante. Parabéns, Ju. Já está fazendo sucesso aqui na casa. Deixo minha nota 10 e convite para ler os meus. Bjs.
31/08/2017 08:18:41
Que delicia de estreia, menina! Parecia que eu estava lá, nesse sitio assistindo tudo de camarote. Vendo a sedução sensual nesse homem maduro e com a ferramenta enorme. De ficar molhadinha com a narrativa. Parabéns. Beijos da Vanessa.
26/08/2017 10:34:37
Que conto irado, baby! Deixou o New aqui de barraca armada. Fiquei morrendo de inveja desse coroa pauzudo. Quero ler logo outras histórias tuas boas como esta. Beijo, beijo e beijo.
26/08/2017 10:23:11
Ju, Juzinha, meu médico me mandou fazer exercícios. Já decidi: vou comprar uma bike. Só preciso é de uma companhia assim, com 25 aninhos e seios siliconados para me estimular (principalmente a cobra, que morde mas não é venenosa). Rs. No sério, teu conto está tesudérrimo (se não existe, passa a existir). Acaba de ganhar um fã. Beijão!
23/08/2017 18:12:40
Conto muito tesudo, Juliana. Gostaria de publicá-lo por email para os leitores da Secret Island, se você nos autorizasse. Envie um email para nós autorizando que vamos também enviar nossos vídeo contos pra você. Beijo do MOD (Secret Island) Email: modfant@gmail.com
23/08/2017 09:54:08
Vim retribuir a visita e encontrei uma excelente autora. Por este conto de estreia, tenho certeza de que você fará muito sucesso aqui na casa. Além de tudo, dominando assim a arte de seduzir, vai deixar muita gente babando por você. A camiseta molhada foi um detalhe sutil, insinuante e sensual. Parabéns e nota máxima com louvor. Escreva mais. Beijos.
22/08/2017 23:10:54
Excelente Conto Vagabundinhah !1 nota 10 !@!!
22/08/2017 10:55:54
Olá, adorei teu conto, excitante ao extremo. Isso porque, também acho os homens grisalhos irresistíveis. O pneu da tua bicicleta furou em local muito propício. Rsss. Nota 10 para o relato. Te convido a ler o meu. Clique no meu nome que você acha. Desde já agradeço. Bezitos.
22/08/2017 01:51:14
Delicioso! Achei excitante e me deixou toda molhada. Me diverti com a tua sutileza direta se referindo às cobras no sítio. Pelo jeito só tinha uma, bem grande e te pegou de jeito. Rs. Obrigada pela visita. Um beijo!
20/08/2017 23:39:42
Uau! Muito bom!
19/08/2017 14:34:05
Otimo conto. você é bem safadinha hem. nota 10. sou novo aqui, dê uma olhada nos meus contos depois.