Casa dos Contos Eróticos

Alana II (Dor, Anal e Prazer)

Autor: Macross
Categoria: Heterossexual
Data: 12/08/2017 10:29:13
Nota 10.00
Ler comentários (1) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Alana II (Dor, Anal e Prazer)

Essa é a segunda parte da minha história, a primeira está no link http://www.casadoscontos.com.br/texto/Marcamos de nos encontrar novamente na segunda pela manhã, ele me pegaria na casa da minha mãe e depois me deixaria na psicóloga à tarde, teriamos umas boas horas de prazer juntos!

Por volta de 11 horas da manhã ele me pegou e levou para a casa dele, entramos porta adentro nos beijando, pulei no colo dele e fui levada até o quarto no andar de cima. Me deitou na cama e continuamos nos beijando enquanto ele ia tirando minhas roupas. Tirou a blusa, os sapatos e se esforçou para tirar a calça jeans mas só conseguiu com minha ajuda. Aproveitou para tirar os sapatos e a própria calça também, voltando a deitar por cima de mim e me beijar com volúpia. Pôs as mãos dentro da minha camisa regata e tirou meu sutien, passando assim a brincar com meus peitinhos de menininha, logo levantou a minha camiseta e começou a suga-los deliciosamente... Uuuuuiiiiiii..... Muito tesão nessa hora, sentia minha calcinha molhar de desejo!

Continuamos nos acariciando e ele colocou a minha mão dentro da sua cueca! Nooossaaa! Que delícia sentir aquele pau duro como pedra, grosso, pulsando dentro dos meus delicados dedinhos!! Ele foi descendo sua boca úmida e quente pela minha barriguinha lisinha e magrinha, parou um pouco para explorar meu umbigo com a lingua e prosseguiu até chegar na xaninha ainda por cima da calcinha, deu umas mordidinhas e já foi tirando ela com pressa, tirou o resto da minha roupa, jogou para o lado de qualquer jeito junto com o resto das suas e voltou a se jogar sobre mim e me beijar a boca, descendo novamente até minha bocetinha molhada e já sem nada para impedir a sua invasão de língua! Chupava, mordiscava os grandes lábios, enfiava a lingua o mais fundo que podia! Ahhhh, hummmm, oohhhhh.....

Eu estava entregue de corpo, alma e pecado! Não queria saber de mais nada além de ser fodida por aquele homem, o que aconteceu logo em seguida! Ele ajeitou seu membro grosso, duro, pulsante na entrada da minha grutinha e foi tentando a penetração! Deu bastante trabalho, apesar de eu estar bem molhadinha ainda precisou de muita saliva! Doeu bastante, ainda estava inchada da foda anterior no apartamento da minha mãe, mas ele sabia ser sádico e carinhoso ao mesmo tempo, portanto, com jeitinho e determinação, alcançamos o fundo da minha grutinha inchadinha!

Ele ficou parado lá no fundo por uns instantes e perguntou : " Tá gostando Putinha?" - Uiiiii, quase morri! Mas a tortura só estava começando, rssss.... Acho que sou mesmo uma putinha, e, masoquista! Ele com o pau todo enterrado em minha xaninha começou um vai e vem a princípio devagar para eu me acostumar, mas sempre ia até o fundo e perguntava: " Aguenta ou é muito fundo para você?" Eu Respondia "aguento", mas não ousava provocar, e ele dizia : " Ahhhh, safadinha, então vou te dar muito mais!" - Nisso pegou meus cabelos com a mão direita e puxou forte minha cabeça para traz.... Que coisa gratificante! Acho que já disse o quanto gosto disso, e ele aprendeu rápido! Que tesão arrebatador! Não resisti, gemi alto (Aaaaaiiiiihhhh) e disse: "Mais forte!"

Ele não exitou nem por um segundo, começou a bombar com força enquanto puxava meu cabelo e batia na minha cara com vontade, apertava meus peitinho com força, causando muita dor, descia as mãos, apertava minha bunda, voltava a bater na cara, socava fundo e me xingava muito, dizia que eu era seu objeto sexual, sua putinha safada e devassa, que eu levaria muita rola e só sairia dali muito arrombada! Nooosssaaaa.... Eu delirava de prazer, gozava muito no seu pau, cheguei a molhar a cama! E ele habilidoso, começou a mudar nossa posição de "papai e mamãe" para uma de frango assado, levantando minhas pernas e colocando em seu ombro, me forçando a sentir o mais fundo possível sua pica que parecia não ter fim dentro da minha grutinha já tão castigada! Doia, machucava, mas eu não conseguia pedir para ele parar! Estava adorando aquela felação, aquela dor, aquele prazer incomensurável!!! Me agarrava a ele e aproveitava aquele momento único como se fosse o último da minha vida!! Por sorte não foi.

Depois de um tempo no "frango assado" ele me virou de costas com a bundinha para cima e voltou a arrombar minha bucetinha, confesso, já no limite do inchaço de tanto levar pica grossa! Aproveitou para bater com força na minha bundinha! Bateu muitooooo! Cada tapa de mão cheia que ele dava me arrancava um gemido e uma gozada! Nunca senti tanto prazer na minha vida, e nem sei se sentirei novamente!

Metemos ainda por um bom tempo em várias posições diferentes... Finalmente paramos! Ele encheu a hidromassagem e ficamos relaxando um tempo em um banho de espuma revigorante!

Tentamos meter mais um pouco dentro da água, mas eu estava toda ardida e inchada, realmente não conseguia, mesmo querendo muito, mas, ele tinha outros meios! Começou a cutucar meu cuzinho com seu dedo! A sensação era incrível! Me disse que para curtir o sexo anal deveria se entregar ao prazer sem medo! Obedeci! Não conseguia dizer não para nada que ele quisesse ou pedisse! Estava totalmente dominada e entregue, e o melhor, nem me importava! Ele é a mais pura expressão da confiança cega que causa subserviência! Eu me tornara de fato, sempre que ele quisesse, sua escrava sexual!

Foi forçando o dedo no meu cuzinho e eu colaborando e fazendo carinha de putinha no cio, logo havia conseguido por inteiro! Gozei no dedo dele e queria mais.

Fomos para a cama novamente e ele colocou seu pau na minha boca, fiz meu primeiro boquete, lambi devagar de baixo para cima, as bolas, perdi um bom tempo passando a língua na cabeçorra, tentei engolir o que dava, enquanto ele tentava colocar mais fundo na minha garganta! Dolorido, mas, tesudo! Adorei e ele também, pois elogiou muito a minha performance de putinha no cio! Minhas amiguinhas da escola, putinhas de verdade, rsss, me falavam dos boquetes que faziam, espalhando prazer na molecada da escola, me deixando curiosa, mas mesmo assim, nunca havia imaginado que uma rola na boca pudesse causar tal sensação de subimissão e prazer!

Me deixou deitada de bunda para cima, com um um travesseiro na barriga para empinar mais e foi no armarinho do banheiro buscar um certo Gel Lubrificante! Passou aquele produto viscoso e gelado no meu anelzinho, aproveitando para penetrar um dedo e forçando para entrar dois, tudo com muito cuidado, enquanto eu me tremia toda imaginando o que estava por vir! E veio! Aaaaaaiiiiiiiii...(gemi baixinho...)

Lambuzou seu pau com gel também e começou a tentar uma penetração na minha bundinha, que apesar de querer muito, não conseguia acomodar de imediato aquilo tudo, mas, com muito empenho e cuidadao a cabeçorra passou - Plooofteee... Que dor... Que delícia...

Não cabia mais nada naquele momento, segurei sua coxa e disse : "Aiiii!"

Ele gostou do meu sofrimento, puxou meus cabelos com força para tráz e disse: " Começou agora aguenta putinha, porque eu só vou parar quando estiver tudo dentro!"

Tremi de tesão e medo! Não iria aguentar, naquele momento, tudo aquilo na minha bundinha virgem! Não sabia se ele estava falando sério, mas também não pedi para parar! Ele seguiu devagar, tentando e conseguindo introduzir mais alguns centímetros, até que, pedi que parasse! Levei puxada de cabelo, tapa na bunda e ameaça de que só pararia quando chegasse ao final! Gozei feito louca! A rola no meu cú, ainda que só um pedaço, acompanhada de tapas fortes na bunda, causava uma sensação única! Esse prazer sádico que eu nunca tinha experimentado antes com o outro me fez entender um pouco mais da minha própria personalidade, além de ter a certeza de que esse era meu verdadeiro momento sexual! Poderia à partir daqui, desconsiderar completamente o que havia tido anteriomente! Eu queria tudo sim, mas tinha que ter dor! Teria que vir recheado de tapas, puxões de cabelo, mordidas, arranhões e o que mais eu viesse a conhecer (e conheceria) no quesito masoquismo!

Enfim, com o cuzinho e a xaninha ardendo e inchados e com o horário da consulta da psicóloga chegando, encerramos essa segunda sessão de prazer e dor! Ele me deixou no consultório toda dolorida e satisfeita, já pensando na próxima vez!

Foi difícil explicar tudo para a psicóloga! Eu transando com um homem mais velho, noivo, na casa dele... Recebi sermões e conselhos que o tesão me fez ignorá-los completamente!

Demorei uma semana para me recuperar! Tive uma inflamação na xoxotinha de tanta felação, fiquei à base de antibióticos! Foi um mal necessário nesse meu caminho de aprendizagem e exploração do meu corpo! Continuamos nos falando sim, e fodendo muito. Me descobri uma ninfeta masoquista com ele e não paramos por ai, mas... Voltarei aqui para relatar outras histórias em outra hora!

MacRoSS

Comentários

13/08/2017 07:10:58
muito bom, continue

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.