Casa dos Contos Eróticos

Minha namorada bunduda e o pau grande do meu amigo - 4

Autor: César
Categoria: Heterossexual
Data: 23/07/2017 10:21:36
Nota 9.57
Ler comentários (27) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Continuando com meu desabafo. Agradeço a quem dá nota e comenta, pois me estimula contar a história toda, algo que não é fácil de fazer. Relatar tudo isso que aconteceu, me dá um misto de ciúme, tesão e arrependimento. Apesar de estar sendo feito de besta, a situação toda me excitou muito, mesmo sendo umas das maiores decepções e humilhações da minha vida.

Para quem não leu o outro conto, namoro uma estudante de enfermagem linda, chamada Ana. Ela é meio baixinha e magrinha, com uma cintura bem fina e uma bunda enorme, que chama a atenção de todo homem que passa por ela. É realmente absurdo, o pessoal olha pra bunda dela na cara de pau. Ela é bem meiga e carinhosa, tem um cabelo, longo e liso, que vai até a cintura.

Liguei o notebook e estava decidido a ir até o fim da conversa. Abri o whatsapp web que havia pego com o celular do Paulo e rolei até o ponto onde eu havia parado. O próximo arquivo era um vídeo. Relutei, mas abri. A câmera filmava a Ana, no dia do almoço, ela estava em pé dentro de um dos quartos da casa do André. Rindo sem jeito para a câmera. Ela estava absurdamente linda, aquele sorrisinho meigo, o vestidinho branco e curto de alcinha, junto com o salto alto, deixavam ela parecendo uma princesa. Em que momento havia sido isso? Eu não havia visto ela sair de perto de mim em momento algum, a não ser na hora em q fui comprar cerveja e ela ficou na casa.

“Para, Paulo. Desliga isso! To morrendo de vergonha”. Como eu imaginava, era o filho da puta que estava filmando.

“Não tem porque ter vergonha, você já fez isso comigo uma vez, só quero que faça de novo enquanto eu filmo”

“Tá bom, mas não vou ficar pegando tá? Vai ser rápido. É só o que tu pediu” Ela pegou algo em cima da cama e veio na direção dele. “Mas tu promete mesmo né? Que ninguém vai ver isso”.

“Prometo, vem logo”. Ela colocou as mãos na calça dele e começou a soltar o botão. “Não, faz de joelhos, quero filmar esse teu rostinho também”.

“Caralho, menino, tu me mata de vergonha! Pra que tu quer meu rosto nesse vídeo?”.

“Porque tu tem uma carinha de santa que me deixa louco, anda logo”

“Tá” Ela se ajoelhou e continuou desabotoando a calça dele. Abriu o zíper e baixou a calça e a cueca juntas, soltando aquela jeba que quase bate no rosto dela. “Promete né? Só pra você?”.

“Já disse que prometo porra, deixa de frescura e faz isso logo”. Ela segurou o pau dele com uma das mãos e com a outra colocou uma fita métrica e puxou da base até a cabeça.

Paulo passou a mão por trás da nuca dela, segurando a pelo cabelo, e fez ela olhar pra câmera. “E aí?”.

“22 centímetros”. Ela continuava olhando a medida da fita com a boca meio aberta, admirando o valor.

“E o que você acha disso?”

“É enorme. É o maior pau que eu vi na minha vida”

“Isso, to gostando, continua. Punheta minha rola do lado do teu rosto”

“Mas a gente combinou que eu só ia medir e te elogiar um pouco”

“Para de frescura, quer me deixar puto? Já começou, agora continua”

“Tá, mas só vou pegar tá?” Ana largou a fita e segurou o pau dele com as duas mãos, punhetando devagar. Ela aproximou o cacete do rostinho dela e continuou falando, olhando pra câmera, “Teu pauzão é uma delícia, me molhei toda quando você mandou aquela foto e desde aquele dia eu não consigo parar de pensar nesse teu pau grande. Quanto mais eu olho as tuas fotos, mais tarada por ele eu fico”

“Me compara com o pimbinha”

“Poxa, Paulo. Eu não queria falar do César, porque tu gosta tanto disso?”

“Para de frescura, vagabunda! A próxima coisa que tu me negar eu paro de falar contigo de vez, puta chata do caralho, nunca vi isso. Deixa de pagar de santa. Bora, eu quero ouvir só a verdade, fala logo”

“Não tem nem como comparar, você é muito maior. Teu pauzão é três vezes mais grosso que o do meu namorado, além de ser bem mais longo”

Ana acelerou a punheta e Paulo gemeu “Anda, não para, continua, vagabunda”.

“Eu deixo tu me tratar assim, como vagabunda, tudo porque eu sou tarada pelo teu pauzão. Eu seco tuas fotos todo dia e fico molhada te imaginando. Tá gostando da punheta da tua puta?”

Paulo gemeu alto “Tô, que delicia. Dá um beijo na minha rola, vai”.

“Você nunca nem me beijou e já me pede isso?”

“Tem certeza que vai negar?”

Ana olhou pro pau dele e ficou meio relutante, ela esboçou uma negação com a cabeça, mas ficou calada. Paulo segurou ela forte pelo cabelo, fazendo um rabo de cavalo e trouxe a boca ela em direção ao pau dele “Quem cala consente”. Ele começou esfregando a cabeça do pau na boca dela, enquanto ela se recusava a abrir, mas aos poucas ela cedeu e ele foi metendo. Ele meteu até um terço da rola na boca dela, enquanto ela continuava punhetando o resto com as duas mãos.

“Que delícia, tu chupa gostoso, minha putinha”. Ana pareceu se incentivar com o elogio e passou a chupar com mais vontade, tentando colocar mais rola na boca. Quando chegou na metade ela tirou tudo e tossiu, cuspindo um pouco de porra. Paulo riu “Nunca tinha engasgado com rola não? Pelo menos agora tu vai aprender como se chupa um pau de verdade”. Ele puxou ela pelo cabelo em direção ao pau dele novamente.

“Levanta o vestido até a cintura, quero filmar o teu cuzão”. Ana levantou o vestido e Paulo moveu a câmera pra filmar a bunda dela, aquela calcinha minúscula tava muito gostosa no rabão dela! Ele voltou a câmera pro rosto dela de novo, “Olha pra mim, puta”. Ana olhou pra câmera e tenho que admitir pra vocês, que cena linda foi aquela, minha namorada levando uma jeba grossa na boca.

Paulo começou a empurrar a rola na boquinha dela, forçando pra entrar cada vez mais, enquanto ela olhava nos olhos dele e tentava não engasgar. Ele gemia cada vez mais alto e forçava o pau com mais e mais violência na boca dela. Ela deu uns tapinhas nas coxas dele e começou a empurrar, como quem pede pra parar. “Não, agora você vai até o fim, aguenta que eu vou te dar o teu prêmio”.

Gozei assistindo esse boquete brutal e o filho da puta ainda continuou fodendo a boca dela com vigor. “Tô sentindo meu pau batendo na tua garganta”. Estava entrando mais da metade da rola dele, Ana parecia desesperada, já tinha lágrimas nos olhos, até que finalmente ele anunciou que ia gozar “Bebe meu leite, vagabunda do caralho”. Ele forçou o pau o máximo que deu e urrou enquanto o pau dele dava vários espasmos e jogava jatos de porra farta na boca da minha namorada.

Paulo soltou o cabelo dela e Ana começou a tossir e cuspir porra. “Taí o teu presente, puta. Já tinha engolido antes?”. Ela olhou pra ele com a boca toda lambuzada e fez que ‘não’ com a cabeça. Ele riu e encerrou o vídeo.

Quanto a mim, a única coisa que consegui fazer foi fechar o notebook e deitar na minha cama, sem a mínima ideia do que faria em seguida.

Comentários

14/08/2017 11:55:55
Posta logo a continuação, seu chifrudo
10/08/2017 21:36:40
Parabéns! Continue a saga, seus fãs te amam. Digno dos melhores contos do gênero.
08/08/2017 19:17:34
Continua! Não para agora :(
07/08/2017 09:01:30
Porra que delicia.Como podemos ver esse vídeo? ?
06/08/2017 16:18:39
Chama sua Aninha mostra tudo pra ela, e abre o jogo, mas continua nos deixando informado.
03/08/2017 18:57:19
Não culpa ela, entendo ela, um pau bem grande e grossa não da para resistir bate uma punheta e ver gozar, e maravilhoso ver pauzão todo cheio de porra
03/08/2017 18:54:28
Entendo ela não tem nada mais lindo que pau bem grande e grosso, bate uma para pauzão ver ele gozar e maravilhoso...
03/08/2017 13:37:29
cade a continuação ?
02/08/2017 15:32:15
Não para, amei o conto!
30/07/2017 11:48:27
Cade a continuação ? Ta mto bom, não para!
28/07/2017 08:43:55
César, Kd a parte 5, cara? Seu conto é sucesso. Não esmoreça. Vá até o fim!
27/07/2017 02:05:21
Mana larga logo dessa mina ,o conto e excitante mais da raiva por que vc ta sendo um baita de um corno manso..ussa a Karem em uma possível vingança com esta tu "namorada" ela merece uns chifres também
26/07/2017 04:15:20
Muito bom!!!10/10. Continue! Ansioso para o próximo episódio
26/07/2017 03:19:36
Concordo Martines chega desses cornos conformados seja homem rapaz e de um fim nisso se n vai acabar sendo um corno manso e criando filho do roludo se de pelo menos. O respeito
25/07/2017 01:01:54
Excelente!!! Deve ter ficado com os pensamentos a mil.
24/07/2017 23:10:30
muito bom!
24/07/2017 21:30:24
excelente.
24/07/2017 11:12:30
excelente!!!
24/07/2017 11:11:54
excelente!!
24/07/2017 08:50:58
realmente esta sabendo manter a atenção kkkk isso mexe mesmo com a imaginação , esta sendo real ?
24/07/2017 00:49:25
Ótimo conto,más se você continua com essa mina e sendo amigo desse cara,vai ser corno eternamente
23/07/2017 19:06:45
Muito bom, parabéns
23/07/2017 14:38:36
O conto ganha uma tensão gostosa a cada acontecimento. Já estão julgando você, mas não esquenta, pois vc está no decorrer do relato. Só não demore muito para contar, quanto mais vc conta, menos vc reflete sobre o sofrimento com o fato
23/07/2017 14:20:19
Muito bom continua Votado quero ver aonde vai dar isso.
23/07/2017 13:33:10
Continua, super excitante, continua ...
23/07/2017 11:37:47
Caraca cara que amigo esse hein! Vai me dizer que depois de tudo tu continua com ela e sendo amigo dele? Se isso ainda acontece, tu é um belo de um frouxo! Esse conto dá um tesão, mas é frustante ver que você não se impôs em momento algum e deixou o chifre crescer, EU arrebentava a cara desse Paulo! Filho da puta!
23/07/2017 10:31:52
Muito bom o conto super excitante,amamos conto de cornos continue amigo

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.