Casa dos Contos Eróticos

Eu quero você! - Vol.5-"Novos Caminhos"

A verdade é que eu realmente entendia o que Nicolas sentia quando me disse que não queria mais ser meu só no banheiro, e ele fazia de tudo pra esfregar na minha cara isso, Pedro e Nicolas eram o casal perfeito da sala, os dois são lindos, eles falavam, eu morria de ódio por dentro e isso me motivava a entrar na cabine do banheiro com Pedro. Ele me empurrou pra dentro da cabine naquela noite de sexta feira. Eu estava de blusa de frio, pois estava um frio congelante aquele dia. Beijei sua boca com desespero, com sede. Puxando ele pra mim, suas mãos puxando meu corpo pela bunda, seu pau duro já, soquei a mão por dentro da calça apertando seu pau enquanto ele mordia meu pescoço.

—Tá com vontade? - ele perguntou safado já sabendo a minha resposta.

Virei de costas pra ele, desci a calça mostrando a minha bunda, ele colocou uma camisinha, cuspiu na sua mão e passou na minha bunda. Entrou com tudo, faminto. Gemi baixinho pra que ninguém ouvisse.

Entrando e saindo de mim com força, rápido, era um lance rápido, eu aprendi a extrair dali tudo que eu precisava. Sentia seu corpo grudado ao meu, seu pau dentro de mim, me invadindo, me possuindo, até que ele gozava, beijava meu pescoço e saia me deixando ali pra me recompor.

Nicolas tinha voltado a falar comigo, mas bem pouco, mas pelo menos era simpático, o mesmo não aconteceu com Olivia, Ela nunca mais havia sequer me olhado.

Foi nessa época conturbada que eu conheci o Rafael, ele fazia outro curso no mesmo horário que eu, tivemos uma aula juntos e nos demos bem logo de cara. Rafa é um cara de sorriso fácil, barbudo, um ursinho lindo. Me descobri interessado por ele logo de cara e percebi que ele também nutria um interesse por mim. Dessa vez eu não ia esconder nada, tinha dado tudo errado com Nicolas por conta dos segredos, dessa vez eu jurei pra mim mesmo que seria tudo limpo.

—Quer ver um filme lá em casa? - perguntei pra Rafa.

Ele sorriu pra mim.

—Quais são as sua intenções, hein? - ele perguntou brincando.

—As piores - eu falei sussurrando no ouvido dele.

Nicolas tinha notado o meu interesse pelo ursinho, mas evitava olhar, eu nem ligava mais, quer dizer, eu fingia que não ligava. Quando eu conheci o Rafa eu ainda trepava com o Pedro, mas quando eu percebi que eu estava interessado no Ursinho eu resolvi parar com aquela loucura.

Pedro foi assustadoramente tranquilo, disse que entendia, mas que sempre estaria ali pra mim.

Rafa era gordinho, barba grande, os braços eram fortes e tatuados, tinha um piercing no septo. O cabelo preto era bem curto, branquinho, tinha uma bunda linda que eu ficava olhando sem parar, era todo peludinho. A primeira vez que ficamos pra valer foi no meu quarto, assistiamos a um filme na Netflix, estava frio, por isso estávamos os dois debaixo do edredon.

Foi quando senti a mão dele entrar na minha calça de moletom cinza, ele pegou no meu pau com firmeza, me olhou nos olhos, batendo punheta pra mim.

Sua mão era firme, ele batia uma punheta gostosa, me deixando pegando fogo, com tesão gritando. Beijei sua boca, puxando sua barba pra mim.

—Chupa- sussurrei no ouvido dele.

Rafa deitou na cama, tirando o edredom, socou meu pau na boca de uma vez, gemi baixinho pra ele, sua boca era ágil, chupava como um mestre, enfiando meu pau na sua boca, ele babava bastante e deixava meu pau muito molhado, comi eu gostava.

Eu Acariciava a sua barba, enquanto ele chupava meu pau com desejo. Seus olhos castanhos me encaravam de maneira sensual.

Eu tirei sua camiseta, seu corpo era lindo, grande, peludo, a barriga saliente, beijei seu peito, depois chupei seus mamilos, ele gemia tão gostoso, tirei a calça dele, Rafa usava uma boxer cinza, apertei no meio de suas pernas grossas, ele gemeu me olhando, lambeu meus lábios enquanto eu explorava seu corpo, subiu no meu colo, meu Deus, que moleque grande. Enfiei a mão na sua cueca, pegando no seu pau, batendo punheta para ele, o ursinho gemia sentado no meu colo, beijando a minha Boca. Ele me abraçou, me beijando suavemente. Deitamos de lado, ele tirou a sua cueca, a bunda linda, peludinha, ele sorriu pra mim ao abrir a bunda, me mostrando o cu dele, era bem rosa, peludinho. Senti a minha língua coçar de vontade.

—Você quer? - ele perguntou isso todo sensual, a bunda aberta pra mim, o cu piscando, seu corpo lindo, grande, gordinho, a barriga peludinha, os peitos, eu cuspi na minha mão e passei bem no meio daquela bunda. Ele gemeu maravilhado, enfiei um dedo ali lentamente, ele me olhava com uma carinha tão fofa, meu dedo era pouco pra aquela bunda enorme.

—Posso chupar seu cu? - sussurrei baixinho pra ele.

—Chupa - ele disse.

Enfiei a cara no meio daquela bundona linda e peluda, abrindo com as minhas mãos, ele era quente, muito quente, o cheiro dele me invadiu, era deliciosamente doce. Soquei a língua ouvindo seu gemido delicioso ecoar pelo meu quarto. Ele deitou a cabeça perdendo as forças enquanto a minha língua explorava seu cu. Beijava seu cu, invadindo com a minha língua, beijando e linguando, entrei com dois dedos, ele era tão quente que parecia mentira. A Bund carnuda, linda, mordi a polpa da bunda dele, ele riu todo meigo, voltei a trabalhar naquele cu, cuspindo e socando meus dedos, minha língua desesperada passando pelas pregas dele.

—Me beija - ele pediu - quero sentir meu gosto na sua língua.

Beijei ele, Rafa chupou a minha língua demoradamente, enquanto pegava meu pau e guiava para dentro dele. Eu estava na porta do cu dele, sentindo meu corpo queimando, ele me encaixou, soquei a cabeça, ele gemeu, soquei mais, beijando sua Boca, meu pau foi entrando até estar completamente dentro dele.

—Agora come - ele disse.

Olhei nos olhos dele antes de meter a primeira vez, mas quando eu afundei meu pau de novo, meu corpo queimou com a maciez daquele rabo, soquei fundo, apertando seu peito, mordendo seu ombro com força, entrando e saindo dele, com força, cada vez que me pau afundava mais nas suas carnes, eu ficava mais louco, sentia um fogo me possuir, me invadir a mente, o jeito que ele gemia e quando olhava pra mim. A boca dele pedindo mais, o movimento da bunda dele, rebolando pra mim, beijei seu braço, deitando o rosto perto do rosto dele, socando tão fundo quanto eu podia, apertava as pernas, puxava as pernas, entrando e saindo dele.

Sua boca me procurava, nossas línguas unidas, ele chupando a minha língua, respiração dentro da minha boca, mordida no lábio, a mão no meu rosto, mais um beijo, o sorriso dele, o meu, o nosso, o riso, mais um beijo, o gemido dele, o meu urro.

Gozei, gozei muito, deitei com ele em paz e dormi.

3:00 da manhã.

Meu celular tocou, Rafa dormia enrolado no meu lençol, era uma mensagem de Pedro.

Abri o WhatsApp, era um vídeo. Cliquei e levei um susto, abaixei o volume na hora. Era eu dando pra ele.

"Que porra é essa?" mandei.

"Eu e você" ele digitou.

"O que você quer com isso? Quem autorizou a gravação?"

"Relaxa, ninguém vai ver... É só me obedecer"

"O que quer dizer com isso?"

"Eu quero você, entendeu?"

"Tá fazendo isso por sexo?"

"E poder"

Perdi o sono, Rafa acordou com a carinha linda toda amassada. Mas quando me viu daquele jeito, na janela do quarto fumando, ele ficou de pé na hora.

—O que foi? - ele perguntou.

—Eu preciso contar pra alguém.

Contei a história toda, e a Loucura que me fizera ser daquele cara. Rafa não julgou.

—Você precisa fazer algo contra ele- ele disse- e depois, precisa resolver esse lance com o Nicolas. Vocês terminaram mal...

—Rafa? - eu disse baixinho, ele me olhou - Não sai do meu lado, não agora.

—Eu não vou sair - ele disse e era verdade.

—Rápido, eu não tenho tempo - disse Nicolas para mim, eu havia chamado ele pra conversar.

Contei a história toda, todos os detalhes, ele me olhava furioso.

—O Pior de tudo é que acredito em você, em cada detalhe. Porra, Mateus, porque fez isso?

—Raiva, não quis te perder...

—E dormir com o cara que eu tava ia me trazer de volta?

—Desculpa - eu chorei baixinho - Desculpa.

—Desgraçado - Pedro gritava comigo - Como conseguiu isso?

—Ele contou pra mim, idiota- disse Nicolas.

—Você é um bosta! - eu disse.

—Bom, está apagado, caso encerrado.

Nicolas descobriu a senha de Pedro facilmente e excluiu o vídeo.

Alguns meses se passaram, assumi meu namoro com Rafa, estávamos apaixonados, muito apaixonados, mas eu sentia falta de algo, senti falta de Nicolas e fui sincero com Rafa, falei pra ele.

—Vai atrás dele - disse Rafa

—Mas Rafa...

—Vai, nós vamos dar um jeito.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
28/06/2017 00:34:21
MUITO CONFUSO. NICOLAS NÃO PODE PERDOAR ISSO DE FORMA ALGUMA. FOI USADO POR TODOS. QUE DROGA. PERDEU-SE O ENCANTO. LAMENTÁVEL
27/06/2017 21:22:46
esse capitulo foi todo atropelado.