Surpresas da Vida Cap. 36 - FINAL

Um conto erótico de Trinyt
Categoria: Homossexual
Data: 27/12/2016 23:13:20
Última revisão: 27/12/2016 23:19:39
Nota 10.00

Depois das emoções dos últimos dias voltamos para nossa casa, eu e minha esposa estávamos nas nuvens de tanta alegria, duas semanas após o nosso casamento recebemos uma ligação q nos deixaria extremamente felizes o nosso primeiro sobrinho estava nascendo, o Miguel resolveu sair antes da hora, infelizmente não veríamos ele logo pq a minha cunhadinha não morava na mesma cidade q a gente, então ficamos todos esperando a notícia q ele tinhas nascido, demorou e a mãe dele sofreu um pouco mais na manhã do dia seguinte ele nasceu, era um lindo menino, grandão com 3kg e 50cm, um homenzinho q deixou a todos babando por ele, a minha cunhada estava muito bem, a Bia estava super feliz e toda babona pelo sobrinho, ele era bem esperto e todo risonho, estávamos loucas para vê-lo, então combinamos q iriamos com minha sogra até a cidade q Yasmin morava na semana seguinte.

Na semana q se seguiu fiz duas coisas muito importantes para a nossa princesinha q estava a caminho, procuramos um advogado especialista em Direito de Família e encontramos o senhor Rubens, explicamos pra ele que éramos casadas, q nossa filha estava a caminhos e q queríamos q nossos nomes constassem na certidão de nascimento da nossa filha, ele informou q teríamos q entrar com uma ação de reconhecimento de dupla maternidade com urgência, pois a Bia já estava no início do oitavo mês de gestação, ele nos pediu q juntássemos um montante de documentos com nossos documentos e laudo do nosso médico q fez o procedimento de fertilização, pedi dois dias para ele para q pudéssemos juntar toda documentação necessária, pois no dia seguinte tinha uma consulta marcada com o Dr. André.

No dia e hora marcada estava no consultório do Dr. André para dar continuidade ao tratamento para o aleitamento da nossa princesa, ele passou toda a medicação com todas as instruções, logo depois q terminamos esse assunto pedi para ele q nos desse um laudo explicando todo o procedimento q foi realizado para a fertilização da Bia, ele se prontificou e disse q daria o laudo sem problemas, pediu alguns instantes e falou com a atendente dele, ela reuniu toda a papelada e ele fez o laudo e me entregou. Voltei até o escritório do senhor Rubens com toda a papelada q ele pediu e imediatamente ele deu entrada na ação de reconhecimento, ele tmb nos informou q poderia demorar um pouco mais q ele faria de tudo para q estivesse tudo pronto antes da Eloah nascer.

No dia em q estávamos saindo para pegar a estrada para ver o Miguel, minha mãe me ligou aflita pedindo q eu a levasse para o hospital da cidade vizinha pq minha cunhada teve um aumento na pressão e o hospital onde ela foi a transferiu para esse outro, meu irmão não sabia o q fazer e nem podia passar a noite com ela, desliguei a ligação, contei tudo pra Bia e no caminho ela ligou para minha sogra e disse oq estava acontecendo, passei na casa da minha mãe pegamos as bolsas do bb e depois fomos em direção ao hospital, chegado lá meu irmão disse q ela estava lá dentro e q a bolsa tinha estourado no meio do caminho, a médica q a atendeu disse q ela estava tomando medicação para aumentar a passagem pois ela estava com apenas 02cm e se caso não resolvesse ai sim eles fariam a cesariana, a noite passou se arrastando e todos nós na agonia, apesar das dores minha cunhada ela estava bem a pressão tinha voltado ao normal, depois da minha cunhada passar a noite toda tomando medicação ela aumentou menos de 01cm e os médicos resolveram operar pois eles não poderia adiar mais, ela não tinha quase nada do líquido amniótico e o bebê não poderia ficar muito tempo sem ele, então na tarde do dia seguinte ela entrou na sala de cirurgia e duas horas depois o pequeno Gabriel havia nascido, ele pesava menos de 03kg, era pequeno e cheio de pele sobrando, todos nós recebemos essa notícia em festa.

Dois dias depois saímos para visitar o pequeno Miguel, e foi amor à primeira vista, muito sapeca e bem safadinho, ele era lindo, passamos alguns dias na casa da minha cunhada curtindo o nosso sobrinho e já nos preparando para a chegada da nossa pequena.

Com a chegada dos nossos sobrinhos ficamos mais ansiosas pela chegada da nossa menina, eu não me cansava de admirar a barriga da Bia, eu gostava de chegar em casa e levar a Bia para o sofá e ficar deitadinha no colo dela conversando com a Eloah.

-Eu: Oi minha princesa, mãinha chegou, e ai deu muito trabalho pra mamãe hj?

-Bia: Amor, deixa de ser boba, ela não vai falar com vc.

-Eu: Vc q pensa, ela me conta tudo Rsrsrsrs.

Encostei a cabeça na barriga dela fingindo escutar a nossa pequena falar.

-Eu: Eu sei meu amor, sua mamãe é chata mesmo rs (nessa hora Bia me deu um tapinha no braço). Sério meu amor? Eu sei meu amor q vc quer sair logo daí, eu não vejo a hora de te pegar no colo, te colocar para dormir, tocar e cantar pra vc.

-Bia: Ai amor, bem q vc poderia tocar e cantar para suas fãs número 1.

-Eu: Realmente são as minhas únicas fãs.

-Bia: Boba, vai lá buscar o violão.

Corri e peguei o violão no quarto, sentei no chão e fiquei com meu rosto próximo a barriga da Bia e comecei a tocar.

9 Meses (Oração do Bebê)

Bárbara Dias

Um mês e o tempo voa, eu já sou

E você nem descobriu

São dois e chega perto, mas eu ainda sou

Pequeno demais, viu

Três meses e o tormento

Esse teu sofrimento eu também já posso sentir

Vê se aquieta o coração, pra quando eu sair daqui

Talvez eu dê trabalho, uma vida de despesas

Mas por favor me deixa ficar

E se por um acaso eu não tiver seus olhos

Você ainda vai me amar

Eu sei que a ansiedade é quase uma inimiga

Mas eu não quero ser confusão

Então por favor me deixa na sua vida

Mas vê se aquieta o seu coração

Refrão: Se é tempestade, todo medo

Se for arrependimento por favor

Tira daí, você ainda não me tem inteira

Nem me conhece direito mas já posso te ouvir

E quando a barriga for crescendo

Você ainda vai ser linda eu nem preciso te ver

Seca o choro e fica aqui comigo

Que até assim tristinha, eu já sei

Que eu amo você!

Quatro meses tempo, eu te imploro paciência

Eu vim do céu por causa do amor

Com cinco faltam quatro e eu aposto que os presentes

Já tão vindo em rosa ou azul

E quando chega o sexto, todo mundo já vê

Que você não anda sozinha

No sétimo eu já tenho lencinhos com meu nome

Desculpa pai mas ela é só minha (TROQUEI O PAI PELO MÃE QUANDO CANTEI)

(Refrão)

Oitavo mês aguenta, que eu já to chegando

Só quero um jeito de te encontrar

No nono vem a pressa, a dor, o choro, a gente

Desculpa você ter que sangrar

E por mais uns anos, você vai fazer planos

Pensando se eles servem pra mim

E eu vou te acordar bem de madrugada

Você vai me amar mesmo assim

O meu primeiro passo vai ser no seu abraço

Me segura quando eu cair

E no final do dia é só a tua voz

Que vai poder me fazer dormir

(Refrão)

Terminei de cantar a música e a Bia estava muito emocionada, eu já vinha a tempos estudando aquela música para contar para as duas.

-Bia: Amor, q lindo!!!! Q musica perfeita, eu já ando uma manteiga derretida e vc vai e faz isso comigo.

Quando a Bia terminou de falar a Eloah começou a se mexer dentro dela.

-Bia: Olha amor a Eloah tmb gostou da música q vc cantou.

-Eu: Q bom q minha filhota gostou da música, prometo pra vc q vou cantar e tocar todos os dias para vc dormir minha princesa. Q bom q vc tmb gostou amor, desculpa amor mais minha intenção não era fazer vc chorar.

-Bia: Qual o nome dessa música amor?

-Eu: Ela se chama 9 Meses oração do bebê, eu já vinha treinando ela, achei ela quando estava pesquisando umas músicas para cantar pra nossa pequena e quando ouvi me apaixonei e nunca mais deixei de escutar até aprender, na voz da cantora é bem mais bonita q a minha.

-Bia: Boba, mais ficou lindo amor, muito obrigado.

-Eu: De nada minha vida.

Dei um beijo na Bia e outro em sua barriga.

Eu não via a hora de ter minha pequena nos braços, ela era tão esperada, tão sonhada, estava tudo preparado para sua chegada, todas as roupinhas, sapatinhos, lencinhos, o quartinho e todo o resto, alguns compramos, outros ela ganhou das avós, padrinhos, madrinhas, titias, titios e amigos da família, eu não me cansava de agradecer tudo q estava acontecendo na minha vida, era magico e mais q especial.

Os dias foram passando e eu sempre em contato com o nosso advogado, até q chegou o grande dia da audiência, a Bia já estava nos dez dias antes, nos arrumamos e saímos em direção a audiência, em todo o percurso até o Ministério Público de nossa cidade a Bia estava preocupada e pensativa, esperávamos muito por aquele dia, mais confesso q tinha medo, medo de não poder registrar nossa filha, d ter q ficar brigando para q esse direito nos fosse dado, chegando lá encontramos nosso advogado.

-Rubens: Q bom q chegaram meninas, vamos? Já estão a nossa espera.

-Bia: Amor, estou com medo.

-Eu: Eu tmb tenho medo amor, medo da sociedade em q vivemos, medo de q não vejam a vida como vemos, medo desse direito nos ser negado, mais minha esperança q tudo isso pode ser superado, esperança de q tudo dará certo é maior q todo o medo q eu tenho dentro de mim. Confia amor, confia q tudo dará certo, vamos sair daqui hj com a decisão q esperamos, vamos sair daqui hj com a certeza q poderemos reconhecer nossa filha de fato e de direito, só peço q vc acredite.

-Bia: Tá bom amor, eu acredito, vamos sair daqui hj vitoriosas.

Confesso q quando entrei fiquei mais apreensiva, mais eu não queria demonstrar para a Bia oq se passava em meu coração, q aquele medo era constante dentro de mim, olhei a minha volta e vi minha mãe, pai, meu irmão e minha sogra, o fato deles estarem ali era mais q importante para nós, eles nos davam força e coragem para vencer mais uma vez em nossas vidas. Entramos e deixamos eles lá fora torcendo por nós duas. Então foi dado início à audiência, tudo q tinha q ser dito foi dito, tudo q tinha q ser mostrado foi mostrado, todas as perguntas foram feitas e foram respondidas, em todo o momento da audiência eu não largava a mão da Bia, depois de muito tempo e de muito olharmos uma para a outra chegou o grande momento de escutarmos a decisão da Juíza.

Ela leu tudo até chegar a parte mais importante q precisávamos ouvir.

-Juíza: Diante do exposto, julgo procedente o pedido inicial, determinando que o hospital q realizará o parto da senhora Bianca O. S, emita a Declaração de Nascido Vivo – DNV, em nome das Mães Bianca O. S. e Alexandra H. S, bem como o Cartório de Registro de Pessoas Naturais proceda a emissão da certidão de nascimento, com os nomes das duas mães e dos respectivos avós maternos. Expeça-se o competente mandado, devendo instruir o mandado de cópia da sentença.

Ouvir ela dizer todas aquelas palavras me fizeram chorar copiosamente, agradecer e pular no pescoço da minha mulher, agora éramos de fato e de direito mães da Eloah reconhecidas perante a sociedade. Saímos dali mais q realizadas, nem precisamos falar nada para os meus pais e minha sogra, só o sorriso e as lagrimas q corriam pelos nossos rostos diziam bem qual tinha sido a decisão da Juíza.

Agora estava tudo certo, só faltava a nossa pequena dar o ar da graça, a Eloah já estava na posição certa tinha três dias, eu já tinha adiantado tudo no trabalho, avisado q iria pedir licença maternidade para os dois empregos. Já estávamos esperando só a bolsa romper, nesse dia fui trabalhar normalmente pois só iria me afastar quando a Eloah nascesse, antes de ir trabalhar deixei a Bia na casa da minha sogrinha, todo dia era uma mudança no carro, eu levava as bolsas da Bia e da Eloah para lá, sabíamos q ela nasceria a qualquer momento, então era melhor estar prevenidas, de lá fui para o trabalho, o dia estava bem corrido e eu estava eu fazendo uma pilha de processos de compra quando meu telefone toca.

-Eu: Oi sogrinha, oq houve?

-Cida: Alex corre pro hospital, a Bia entrou em trabalho de parto.

-Eu: Sé.... Sério? Meu De.. Deus do céu, vc pegou tudo?

-Cida: Deixa de gaguejar, eu peguei tudo sim, vai pra lá agora.

-Eu: Tá estou indo, me mantenha informada.

-Cida: Avisa seus pais e corre pro hospital.

-Eu: Certo, estou indo, fala pra ela q a amo muito.

-Cida: Aviso sim.

Avisei e ao meu superior e saí correndo, eu estava tão nervosa q quase não achava a chave do carro, mais consegui chegar até o hospital, no meio do caminho avisei aos meus pais e ao Dr. André q a Bia tinha entrado em trabalho de parto e ele ficou de me encontrar no hospital, chagando lá corri para a recepção e procurei pela Bia, me informaram q e ela estava a no ap tomando medicação, cheguei no quarto e ela estava ali deitadinha na cama, tomando medicação para aumentar a dilatação, minha sogra tmb estava no quarto com ela e ali eu fiquei, acompanhando ela, o Dr. Carlos veio nos informar q a Eloah havia mudado de posição, ela agora estava sentada e isso nos preocupava, ele nos informou q se ela não mudasse a posição a Bia teria q fazer o parto natural hospitalar pélvico, não saí nenhum momento de perto dela, eu rezava, orava pedia pra q tudo corresse bem, eu olhava pra ela a todo o momento, alisando sua barriga mais sem conseguir esconder meu medo e minha preocupação.

-Bia: Oq vc está sentindo amor?

-Eu: Estou com medo amor.

-Bia: Calma amor, vai dar tudo certo, nós duas vamos ficar bem, vc vai ver.

-Eu: Eu te amo, eu amo vcs.

Por incrível q parecesse a Bia não estava sentindo tantas dores, ela estava tranquila e tão serena, as horas foram se passando, fizemos todos os exercícios para ajudar a Eloah à virar, usamos exercícios de postura, usamos música, exercícios de inclinação pélvica, mais nossa pequena já era teimosa e não mudou a posição, então chegou a hora de fazer o parto, a equipe chegou junto com os nossos dois médicos e eu tive q me afastar enquanto eles a preparavam para o parto, enquanto preparavam a Bia eu saí para falar com meus pais e com minha sogra, eles já sabiam da situação e de como seria o parto.

-Cida: Vai dar tudo certo minha filha.

-Eu: Vai sim Cida, muito obrigado, daqui a pouco estarei com sua netinha nos braços.

-Mãe: Isso filha, tudo dará certo.

-Eu: Obg mãe, obrigado por estarem aqui.

Abracei meus pais e minha sogra e voltei para o quatro, quando cheguei lá o Dr. tinha colocado a Bia na posição de 4 com os joelhos na cama, eu fiquei afastada dela no início mais não saí do quarto, com um tempinho q o procedimento começou eu me sentei ao lado da cama e fiquei segurando a mão da Bia enquanto ela fazia força e sentia muitas dores, em um dos gritos da Bia surgiu o choro da Eloah, nessa hora eu desabei e enfiei meu rosto na cama, chorei e agradeci pela vida da minha princesa, a Bia continuava de quatro só q agora com a Eloah na cama, ela chorava e a beijava muito, ela era linda, tão pequena e tão frágil, chorando sem entender nada.

-Bia: Vc é vitoriosa meu amor, eu sabia q a gente ia conseguir. Parabéns filha, meu amor, parabéns!

A Bia sentou e ficou com a Eloah no colo e agradeceu a todos q ajudaram no parto, me aproximei dela e fiquei ali feito boba, observando a Bia com nossa princesa no colo, eu não conseguia dizer nada, então beijei a Bia e depois beijei a Eloah.

-Eu: Como vc tá amor?

-Bia: Estou bem meu amor.

A Eloah já estava quietinha no colo da Bia, mamando pela primeira vez, eu não tenho palavras para descrever a emoção de estar presenciando aquela cena, de estar vendo minha filha pela primeira vez.

-Bia: Obrigado amor.

-Eu: De nada meu amor, eu q tenho q agradecer a vc, agradecer pelo amor e por toda a felicidade q vc me dá.

Ela nasceu com 2.900 kg, cabelinhos bem pretinho enroladinho, de pele negra, a coisinha mais linda desse mundo, com olhos negros, muito pequenina mais dona de um imenso amor q todos tinham por ela.

Quando conheci a Bia eu não imaginava q ela seria a primeira surpresa da minha vida, e com ela veio tantas outras grandes surpresas e a última foi a nossa pequena, passei por muita coisa até chegar ali, teve momentos q eu não acreditava q poderia ser tão feliz e tão realizada, q eu achei q isso era impossível, mais graças ao amor q nos uniu descobri uma vida q eu não sabia q existia. Agora éramos uma família mais q completa, Eu, Bia, Eloah e o Thor. Eu estava disposta para viver pra eles, para cuidar e fazer o possível e o impossível por eles, pq eles eram o meu maior presente, eles eram minha única e maior surpresa q a vida poderia me dar.

FIM...

Bom meus amores, espero q vcs tenham gostado, desculpa a demora para postar, esse capitulo ficou muito maior do q eu esperava, mais infelizmente esse conto chegou ao fim, confesso q no início não imaginei q ele teria essa quantidade de capítulos, mais chegamos até aqui, me despeço de vcs com todo amor do mundo, obrigado mesmo por todos os comentários, cada comentário de vcs me deixava imensamente feliz e realizada em saber q tinha pessoas q gostavam do q eu escrevia. Esse conto é baseado em fatos reais, feito de sonhos de duas pessoas q só queriam ser felizes da maneira q sempre sonharam, ele tem 50% de realidade e 50% de ficção, eu gostaria muito q ele fosse 100% realidade, eu sinceramente gostaria de ter sofrido tudo isso para ter essa imensa felicidade q aqui foi descrita, infelizmente a vida não é como esperamos q seja.

Quando comecei a escrever era para de alguma maneira me aproximar da Bia da minha vida e eu consegui, essa foi a maneira q encontrei de conviver com esse amor, mais fui covarde e não assumi o sentimento q alimentei e q tenho até hj dentro de mim, hj estou sem ela e acho q o amor dela eu não terei mais, te peço desculpa por não ter sido a Alex da sua vida, pois aqui não foi descrito só os meus sonhos como os seus tmb, obg por vc ter lido e por seus comentários no pv, me sinto lisonjeada em saber q te emocionei em muitos capítulos e q escrevi aquilo q vc esperava, infelizmente não fiz oq eu queria realmente.

Não importa o q aconteça, vc sempre será meu anjo.

TM AEO hj e sempre.

Anjo – Banda Eva

“O coração dispara

E a consciência sente dor

E eu descubro que além de anjo

Eu posso ser seu amor.”

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
22/07/2017 10:04:24
Perfeição de conto de final. ...parabéns e ansiosa para o próximo conto em rsrs
28/12/2016 08:49:19
Simplesmente lindo, parabéns!