Casa dos Contos Eróticos

IMPROVAVEL capitulo 23

Um conto erótico de D
Categoria: Homossexual
Data: 18/12/2016 23:38:36
Última revisão: 19/12/2016 02:13:00
Nota 10.00

Paiper trovão, hahaha vou te contar um segredos, emoções esperam o Matheus no próximo Capitulo, tanto pra ele quanto pro Caio

Magus, gostei muito de saber que voçe gostou do conto, no serio eu ri muito quando vi a frase “que conto mais louco é esse hein?” do seu comentário, realmente esse conto é louquinho, que nem eu, sim eu sou não tenho juízo, apronto todasss. Abraço schöne Umarmung, espero que voçe continue acompanhando o conto, e me desculpe pela demora

Martines, fico feliz que voçe esta gostando, Matheus, Matheus, Matheus, ave ate eu to querendo saber o que ele ta

aprontando hahaha Bem quanto o Marcos so posso dizer que ele ta cego de amor( ou de tesao de comer o Caio) que sabe. Amori deixa eu te explicar uma coisa, o Andre gosta do Matheus, não é como um amor mais gosta de ta comendo ele de vez enquando, sabe? E quanto a ele fazer isso pro Matheus ficar sozinho, não ele não quer isso, ate porque o Andre sabe que é soh chama e o Matt vem de 4. Cheiro no pescoço pro cê bb.

Loiirinha, gente que isso garota, deu revolts com o Matheus porque? Kkkkkkkkk Nossa me sinto horrando de saber que tem alguém que apesar da minha demora (oque é uma eternidade) tem alguém que não desiste de acompanhar esse contor. Voçe já mora no meu coração . Espero que voçe alem de não largar continue comentando sempre

Cintia C... Desculpe me amori, demorei, tentei escrever mas não teve jeito. Facul é foda. Tambem amo o Gustavo.

Atheno, lindo o Caio ta pra fazer isso com o Bruno, que ta idiota ate de mais neh, ah soh pra constar... bem leh ai que tu vai saber. beijao

Catita,meu amor quando o Bruno não é muito cavalo com o Caio? Concordo que eles deveriam se pegar logo de deixar de onda hahaha,

Comentários respondidos , vamos ao conto

IMPROVAVEL capitulo 23 uma semana com Lyan parte 1

Subirmos pro meu quarto ele já chega se jogando de costas na minha cama com os braços abertos, e eu me jogo em cima dele so pra sacanear

- Ai, no faz isso ta, to todo quebrado de cansaço, e com muita fome - ele me diz me olhando

- E o que te deixou cansado assim, posso saber mocinho ?

- So ficar 4 dias sem dormir

- Sei... e ta vindo de onde ates de aparecer aqui

- Fui em New York ver umas coisas, to chegando agora, parei em guarulhos e peguei um voo direto pra ca, ei falei serio quando disse que estava com fome, to com muita, tem nada pra comer aqui não

- Não, não tem

- Então faz assim enquanto tomo uma ducha tu pede uma comida pra gente- diz ele me dando um cheiro

- Ta bom e tu queres o que – falei enquanto pegava meu celular

- Pra começar uma pizza grande de carne, depois shusi, muito shusi, e se pedisse lasanha ao molho branco seria ótimo

- Tu não acha que é muita coisa pra uma janta

- Não acho

- A é, esqueci tu é magro assim de ruim - ele me joga um travesseiro pelo comentário – vai banhar que eu peço – enquanto ele estava no chuveiro eu fiz os pedidos, detalhe ele ficou uma hora no banheiro, então quando ele saiu a comida já tinha chegado faz tempo, levei tudo pro meu quarto, ele se trocou e vestiu um short meu, agente ficou comendo no chão deitados em cima do tapete escutando musica

- AHH tava com saudade de sentir o gosto de gordura – disse dando uma mordida em uma fatia de pizza

- Affs não come tudo deixa um pouco pra mim

- Ta bom, pega – ele fala me dando um pedaço de pizza - me passa um pouco de vinho, pizza com vinho é ótimo

- Tudo com vinho é ótimo querido

- Ei Caio, a casa ta quieta, teus pais não tão aqui ne

- Com certeza que não, so ta nos dois, bom, a casa é todinha nossa – eu me se levanto e aumento o volume do som, tipo ficou bem alto, ai eu pego ele pelo braço

- Anda Lyan levanta, bora dançar

- Qual parte do “eu estou todo quebrado de cansaço “ tu ainda no entendeu ?

- To nem ai, levando vem dançar comigo – ele olha pro lada e suspira

- Ta bom – dai agente começa a dançar tipo, quer dize tipo ficar enlouquecer, gritando, se descabelando e tals, o Lyan comendo enquanto dançava é claro... nisso ele come tudooo que eu nem vejo, filho da mae morto de fome, toda vez que ele chega de viagem é assim

- Ei eu ta faltando sobremesa, tem o que na geladeira

- Acho que tem um pote de sorvete vai la ver – ele foi e voltou com um pote de 1 kilo e duas colheres, deitou no chão perto da minha janela, eu deito também e coloco a minha cabeça em cima da barriga dele, e ficamos comendo sobre a luz da lua que passava pelo vidro, de relance esse sorvete me lembrou um coisa, que a ultima vez que eu tinha comido sorvete tinha sido com o Bruno, ma o que isso tem haver, e porque eu to pensando nele, deixa eu pensar em outra coisa, agente ficou rindo enquanto comia falando besteiras tipo, “tu ficou sabendo que a fulana de tal foi pega fazendo um boquete na irma do namorado dela” falamos sobre essas coisas,

- Na real eu não sei como tu consegue comer tanto, meu era muita comida

- Simples querido, fome faz isso

- Não são essas tuas viagens que fazem isso, toda vez que chega parece um leao que não ve comida a anos, e falando em viagem o que tu foi fazer nos Estados Unidos, fazer compra é que não foi, tu so veio com um mala, e pequena

- Bem eu estava querendo te contar, mas tarde, mas já que voçe perguntou, então agora me parece um bom momento – dai ele se levanta e se senta no chão na minha frente, e eu sento junto

- Contar o que –, ele pega nas minhas mãos olhando nos meus olhos

- Caio, eu fui fazer a minha matricula em Columbia

- Tu conseguiu entrar, como isso aconteceu, eu sabia que tu era uma nerd mais não imaginei que fosse tanto – falei sorrindo e super alegre dando um abraço nele

- Entao, surgi-o a oportunidade e agora eu vou

- E quando é que vai começar as tuas aul... – caiu a ficha, essa frase inacabada me fez cair a ficha – perai Lyan, tu não vai morar mais no Brasil não é – ficou aquele silencio

- é isso mesmo, Mas não precisa ficar assim triste, eu não morri ta, so vou morar em outro pais, todo final de semana agente pode se ver, tipo sao umas 12 horas de viagem

- Eu sei, mas é estranho sabe, mesmo que agente se veja com frequência, eu preferiria te ter morando aqui em são Paulo mesmo, por perto

- Eu sei mas mesmo assim, já tem quanto tempo que agente não se veh mesmo eu morando aqui, alem do mais eu já estava passando a maior parte do tempo la, então resolvi me mudar de vez, e nos poderíamos morar juntos la depois de um tempo neh

- É já que tu ta indo, eu é que vou ter que ficar cuidado do Luka

- E é pra cuidar muito bem cuidado dele ta

- Pode deixar – nos ficamos conversando ainda por algum tempo de depois fomos dormi, ele dormi-o comigo na minha cama (como sempre), agente sempre dormiu na mesma cama, eu tenho esse habito com quase todo o meu amigo meu, como o Matheus mesmo é assim que sempre dormi comigo. Acordei e olhei pro lado e o Lyan ainda estava dormindo de bruços no outro lado da cama, olhei no relógio do celular e eram 7 e meia da manha, levantei da cama e fui sair do quarto, no que eu abro a porta dou de cara com os meus pais, provavelmente tinham acabado de voltar de Floripa

- Caio, me explica que conversa foi essa que o segurança me contou que tu convidou um drogado pra dentro da minha casa, e que ainda trouxe mais dois homens pra ca – gritou a minha mae comigo

- Mae fala baixo, se na a senhora vai acordar o ...- o meu pai não me deixou terminar

- E ainda tem mais um dormindo aqui, virou puta de vez ou ta so se fazendo – meu pai grita comigo

- Abaixe o Tom de voz pra falar comigo pai, eu não admito ninguém falar comigo assim, nem mesmo voçes, e pra esclarecer, quem ta dentro desse quarto é o Lyan que chegou de surpresa, e o viciado que veio aqui ontem foi o Italo, sabe que o Italo Brandao, que é filho de um amigo de voçes, pois é ele é que veio aqui, e os outros dois que apareceram aqui eram soh colegas meus – meus pais ficaram me olhando feio

- Bom sendo assim tudo bem , anda se arruma e vai pra faculdade – diz minha mae

- To indo– respondo, meus pais vao andando, dai meu pai se vira e me pergunta

- Caio, se o Italo esteve aqui, ele fez uma limpa na minha adega ?

- Com toda a certeza

- Aquele moleque – disse meu pai sorrindo e balançando a cabeça, meus pais foram pro quarto deles, sim eles passam ou final de semanda sem me ver e me recebem dessa forma que quando me veem em dias, fui beber um pouco de agua, acordei sem fome então não fiz questão de tomar café, subi pro quarto de novo e tomei um banho e já comei me vestir

- Ta fazendo o que tao cedo – fala o Lyan com o olhos quase fechado dando um bocejo, ele tinha acordado

- Me arrumando, tenho faculdade esqueceu

- Ah não, falta hoje, bora ficar aqui so de bobeira

- Não senhor, hoje tem uma apresentação de um seminário

- Entao ta bom, me espera que eu vou contigo

- Tu vai querer mesmo assistir uma aula de direito constitucional

- Bom, parece mais divertido do que ficar aqui sozinho, alem do mais o teu professor nem vai notar a minha presença la

- Ta bom se tu ta dizendo , agora levanta e se apressa se não agente vai chegar atrasado

- Ta bom – ele foi pro banheiro e eu continuei me arrumando, 20 minutos depois estávamos prontos

- Caio cade a chave do carro

- Ta ai encima da mesa

- Achei vamos

- Vamos – fomos pro carro, e o Lyan quem dirigi-o, agente foi rindo o caminho todo foi agente rindo e tals, chegamos e ainda era cedo, seguimos direto pra sala

- Então aqui é a sala que tu estuda

- Desculpa se não é grande coisa é que nem todo mundo é aceito na Universidade de Columbia

- KKk não falei por mal, ei to com fome, bora na lanchonete daqui

- Já amanhece com fome

- A culpa é tua de sair de casa nas pressas e nem me deixou tomar café

- Vamos, ainda falta uns 20 minutos pra começar a aula – tirei minha bolsa das costas e deixei na cadeira, agente desceu pra comer e ficamos uns 15 minutos, o Lyan ate que comeu pouco, quando voltamos eu entrei na sala dei de cara com o Arthur e o Fabricio, os dois estavam sentados em cima da mesa conversando com outro guri que fazia o curso comigo, quando eles me viram me olharam e depois olharam um para o outro com um sorrisinho, se tem uma coisa que todos esses anos de experiência com idiotas me ensinou que quando essas expressões se juntam é porque alguma coisa ta pra acontecer, chego na minha cadeira e tiro abro a minha bolsa e ponho a minha mao pra pegar o livro, mas invés de sentir as paginas de um livro eu sinto algum macio e peludo, nessa hora eu paro e ficou imóvel, escutando sons de ruídos vindos da minha bolsa

- Caio o que foi – me perguntava o Lyan enquanto eu ainda estava imóvel – aconteceu alguma coisa

- Não e nada demais, é so que tem ratos na minha bolsa - dai eu olho pro lado e o Arthur e o Fabricio estavam dando gaitadas da minha cara – então era isso que os dois idiotas estavam aprontando – falo pra eles

- Uehhh agente tava esperando os gritinho de menina assanhada – fala o Arthur

- Tem medo de rato não viado ? – diz o Fabricio

- Serio, colocar dois ratos na minha bolsa, cara mais que burrice, ate parece que eu sou desse que se assusta com qualquer coisa, ate porque se eu fosse me assustar com alguma coisa ia ser com essa cara burro misturado conhote que voçes tem – eles meio que paravam de sorrir

- Ta muito responda não acha não – diz o Fabricio, o Lyan que já tava do meu lado pegou a minha bolsa das minhas mãos

- Deixa eu da uma olhada – ele vasculha por dentro com as duas mãos, e as tira com um rato em cada uma, ele me olha com um olhar meio sombrio, um olhar que eu conhecia muito bem, toda vez que ele tinha esse olhar e por que ele vai vazer alguma coisa de no mínimo mórbido, ele segue em direção aos meninos que ainda estavam sentados em cima da mesa, eu fiquei apensas olhando, ele chega perto dos outros dois e o Fabricio fala

- Que viadinho, que da o cuzinho é, agente não curte não

- Nã verdade eu tava querendo olhar de perto essas caras de idiotas azedos de voçes, burros, infantis e é claro idiotas!!!

- Ta agora se afasta porque vontade de dar o cu pega - disse o Arthur dando um empurrão de leve

- Calma garoto, eu so vim aqui da um aviso e eu vou – o Lyan disse ficando mais perto dos meninos

- Qual – pergunta o Arthur e o Fabricio ao mesmo tempo

- Esse – fala o Lyan dobrando os braços e levantando as mãos na altura do ouvido, com os punhos fechados com os ratos um em cada mao – Ta vendo esses rato, agora presta atenção – com os olhos dos outros dois e de praticamente toda a turma olhando pras mãos do Lyan, ele começa a apertar as mãos, apertar e apertar, e aos poucos os ratos vao ficando sufocando e e com os olhos esbugalhando, ate que a pressão é tanta que começa a sair sangue pela boca do rato, e depois a pele deles começam a raçar saindo as entranhas e mais sangue, o sangue escorria pelos braços do Lyan enquanto ele imóvel encarava os garotos – se eu souber que pelo menos tocaram em um fio de cabelo do Caio, eu vou fazer com voçes a mesma coisa que eu fiz com esses ratos, so que bem pior – a voz do Lyan saiu grave e firme

- Ta pensando que é quem pra chegar assim todo se achando e me ameaçar– pergunta o Fabricio

- É uma ótima pergunta que voçes pesam que são ? ninguém, os dois não são ninguém, bom o aviso já foi dado, quer dizer quase – o Lyan rapidamente da um passo pra frente, e poe as mãos nos rostos do Fabricio e Arthur, esfregando com força, eles tetaram tirar as mãos dele, mas ele agarrou os rotos deles fixando os dedos na região da boca, forçando-os a esfregar os lábios os restos dos ratos, depois de alguns segundos ele se afasta

- Puta desgraçada – fala o Fabricio cuspindo sague, que provavelmente era do rato, fazendo uma cara de nojo e de quem estava prestes a vomitar – eu acabo com a tua raça

- Vadia, hoje eu te arregaço carai – diz o Arthur também cuspindo sangue, respirando fundo fazendo cara feia

- Que foi, os dois machoes tem medo de um pouquinho de sangue, pois pode vim, vem se forem homens de verdade – a coisa ia ficar preta, e bem preta, então resolvi interferir, já sabia qual seria o resultado e não ia ser bonito

- Ta bom, gente já deu, agora vamo parar - falo

- Para porra nenhuma, so paro quando eu fazer esse viado engolir os dentes – diz o Fabricio

- Vem pode vim se tu for capaz – ai eles já iam dar o impulso de um ir pra cima do outro, ai eu fico no meio

- Para porra, se não que vai se estressar aqui sou eu

- não Caio, deixa que eu quero ver eles me fazerem engolir meu dentes

- Fica quieto Lyan, olha aonde tu ta, aqui não é lugar pra isso, - me viro pro Fabricio e Arthur – e voçes dois, serio velho, colocar ratos na minha bolsa, isso é tao fundamental, se toca os dois, deixa de ser criança caralho,

- Quem tu ta chamando de criança – Fala o Arthur

- Voçes, por que voçes são, já que que se tivessem no mínimo a mentalidade de um adolescente iam percebem que eu não me afetaria com as drogas desse ratos, eles não se comparam com as cobras que encaro todo dia

- Ta rolando o que aqui – pergunta o professor de repente ao entrar na sala

- Não é nada professor – respondo

- E esses três tao melado com sangue porque

- Por nada de muito importante – o Lyan fala, e o professor so em cara

- Professor eu vou levar o meu amigo pra se lavar ta

- Ok mas não demore, as apresentações do seminário já vao começar- eu aceno com a cabeça e eu saio da sala com o Lyan, fomos pra um banheiro e o meu friend foi se lavar os braços, enquanto ele esfrega as mãos me olha e sorri

- Não to te conhecendo Caio, ta calmo demais, fosse em outros tempos tu já tinha partido pra cima daqueles embeiças

- Hoje é seminário neh, então tive que relevar

- E desde quando tu se importa com a hora e o lugar pra se meter em uma briga – ele me pergunta rindo

- Quando voçe começar a tua faculdade, tu vai saber que reprovar em uma matéria por um briga não vale apena, principalmente essa, affs aquele professor é horrível. Alem do mais eu não tinha prometido que não ia brigar com ninguém nos primeiros meses de facul

- Ta certo, ei mas o que foi aquilo de “ eles não se comparam com as cobras que encaro todo dia”

- Sei la, so saiu.

- Bom, já que eu to vendo que a possibilidade de eu te acompanhar nas aulas não vao rolar, entao to indo, que horas eu passo pra te pegar

- Precisa não, eu pego um taxi, agente se veh no almoço

- Com certeza – ele veio e me deu um abraço e foi embora, fui pra sala apresentei o seminário, não foi um dos melhores mas acho que deu pra alcançar a media kkkk, no final da aula o Matheus veio falar comigo

- Caio, que bafo foi esse que aconteceu aqui na sala mais cedo

-Já ficou sabendo, nem me fale

- Quem era o teu amigo que tava contigo

- Era o Lyan

- AHH o Lyan, mas quanto ele chegou, porque tu já saiu la de casa já de tardezinha

-- Ele chegou a noite, ai resolveu vir comigo pra facul e olha so no que deu

- É tenso, ei me passa a matéria que a professora vai passar agora, to indo pra casa

- Mas já, ainda so são 10 horas

- Á minha mae acabou de me ligar, dizendo que precisava de ajuda pra fazer umas coisas

- Ta bom, depois a gente se fala tah

- Ta beijos – ele se foi e eu continuei. Na hora da saída começou a chover, mas tipo chover bem forte, tentei ligar pra um taxi, mas o meu celular estava sem bateria, droga pensei, mas ai para um carro na minha frente

- Oi – era o Bruno

- Oi

- A chuva ta bem forte, quer uma carona

- Depende, se tu não ficar com paranoia que nem da ultima vez que tu me deu uma carona

- Vai sobe ai – vendo que se eu não aceitasse eu poderia ficar um tempo ali parado resolvi aceitar. Entrei e ficamos calados, apenas no silencio, ele sai andando , dai em percebo uma coisa

- Bruno a minha casa fica na outra direção

- Eu sei mas quem disse que agente ta indo pra tua casa, te disse que ia te dar uma carona, so não disse pra onde

- Ta o espertalhão, entao ta me levando pra onde

- No shopping, pra gente almoçar

- Ta e quem disse que eu to afim de almoçar, ainda mais contigo

- Ta sem fome neh, beleza então, que tal agente tomar sorvete de novo

- Ta chovendo neh Bruno, sorvete agora não cola – despois dessa ele não falou mais nada, e agente ficou umas meia hora andando sem direção em silencio, com o passar do tempo a chuva foi diminuindo ate parar, ai o sol aparece, o Bruno para em uma praça pequena, e em frente tinha uma lanchonete,

- Se tu não quer almoçar tudo bem, mas eu vou comprar pelo menos uns sandubas pra nos

- Ta bom – respondo, saímos do carro e caminhamos um pouco, ele vai pra lanchonete e eu fico olhando ele caminhar pelas costas, na pracinha quase não tinha ninguém, na verdade na rua não se via ninguém, estava apenas eu ali, acho que por causa da chuva que tinha acabado de cair, ele entra e sai de la com dois sorvetes nas mãos invés de sanduiches, na hora em que vi os sorvetes me lembrei da ultima vez que tomei sorvete com ele, vim ele vindo em minha direção sorrindo, não sei porque mas essa imagem prendeu minha atenção, ele chegou na minha frente

- Pega Caio – disse me oferecendo um sorvete, mas eu não peguei, fiquei encarando ele olho no olho, eu com a cabeça virada pra cima(ele é bem mais alto do que eu) – Caio pega, anda ta esperando o que – mas eu não movi nem um musculo, apenas olhando nos olhos azuis dele, observando cada traço do seu rosto, e assim nos ficamos por um tempo, um encarando o outro

- Bruno eu não vou me pegar esse sorvete ate que tu me page o que voçe me deve

- E o que eu te devo Caio ?

- Uma resposta, se lembra, voçe me deve uma resposta

- Mas que respos...- ele não terminou a frase, olhou pro sorvete e deve ter caído a ficha, e depois me olhou – porque tu quer saber isso agora

- Bruno eu te disse que eu ia te cobrar essa divida, e eu to fazendo isso hoje

- Caralho guri, não força a barra velho,

- To vendo que tu não tem essa resposta hoje assim que não tinha naquele dia mas tudo bem

- Serio

- Serio, agora me da licença que eu tenho que pegar um taxi

- Ei relaxa broh, taxi agora porque

- Eu prefiro não ter contato contigo enquanto tu não me dar essa resposta

- Porra guri, porque essa viadagem agora – ele gritou comigo

- Porra digo eu, te toca garoto, tu é a pessoa mais ...- não terminei a frase – ah quer saber fodasse, to sem tempo pra discutir tenho um visita em casa e tenho um taxi pra pegar – me viro eu vou sair andando dou uns 10 passos e escuto um grito

- Caio – me viro de volta

- Que foi

- Vai te lasca - ele deixa cair os sorvetes, e corre em minha direção me envolvendo seu braço na minha cintura, e pondo a mao por de trás da minha cabeça puxado minha cabeça pra baixo, fazendo com que os meus olhos se fixasse nos seus – Ta aqui a minha resposta – ele se calou me beijando desesperadamente

Morram de Curiosidade...

_______________________________________________________________________________________________________

FÉRIAS, finalmente férias, nem acredito que sexta foi meu ultimo dia de aula, senhor abrigado pelo descanço, aleluia, gente voçes não sabem a praga que a minha faculdade ta, suga teu tempo inteiro, tipo dormi, jamais. Bom perdoem o atraso demorou mais postei, terminei esse final de semana. Como agora eu to de férias vou escrever o Máximo o conto pra ver se eu adianto ele, não cortando ele, e sim, escrevendo pelo menos um capitulo por semana. Bom gente ate a próxima abraço pra voçes. Ps o próximo capitulo vai ser postado mais rápido do que vocês imaginam...

Contato dyeialmeida@gmail.com

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
19/12/2016 15:31:54
Se fosse comigo teria morrido de tanto gritar!!! Até que enfim o Bruno tomou a iniciativa, vamos ver se é sincero,porque senão o Lyan pode fazer picadinho dele, se ele magoar o Caio!!! Continua!!!!👏👏👏👏😍✊🙌
19/12/2016 14:06:21
olha eu n gostei nada da sua ultima palavra kkk vc quer matar a gente de curiosidade ne? gente assim n vai pro céu n viu cara ? então seja bonzinho e volta logo pq vc ta pior que traficante deixa algo pra gente provar e depois some kkkkk ve se volta e boas férias ae^^ Pss ve se aumenta esse conto pq é muito chato ler algo tão bom mas acabar logo ^^
19/12/2016 08:30:34
E a aposta, o q aconteceu com ela. caio tem q ficar mais barraqueira kkk. Bruno é peludo na naquele lugar? kkk
19/12/2016 08:10:14
Poxa tinha que parar logo agora... Entao to morando bem neh (no seu s2) mas nao deixo de comenta adoro seu conto,sou fa do Lyan e adoro vc . Bjo seu Lindo
19/12/2016 01:54:37
SERIA BOM UM BEIJO COM GOSTO DE SORVETE. RSSSSSSSSSSSSSSSS
19/12/2016 01:17:05
Esse conto tá cada vez melhor! Tomara que esses dois se entendam logo e comecem a namorar, o Bruno romantico e ciumento deve ser lindo!
19/12/2016 00:07:17
Saudades meu xodó!