Casa dos Contos Eróticos

Namorada Dominada II

Autor: Jadejishi
Categoria: Heterossexual
Data: 13/11/2016 17:47:35
Nota 10.00
Ler comentários (2) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Primeiramente alerto, mesmo que o título já indique, que esse não é meu primeiro conto, é a continuação do Namorada Dominada I. Recomendo fortemente que o leia antes, para não pegar o bonde andando e ficar perdido. Para isso, basta clicar no meu nome e tal, vocês devem saber.

Após aquele churrasco, o clima entre mim e Eduarda ficou muito estranho e pesado. A gente não sabia muito bem como se comportar diante daquela situação. Nos evitamos por alguns dias, até aquela frieza ficar insuportável. Decidimos ir para o meu apartamento e ter uma conversa bem séria e definitiva sobre o assunto.

Eu mesmo havia refletido bastante. Estávamos em choque e acabamos perdendo as nossas estribeiras com brigas irracionais. Agora, estava disposto a ser sincero comigo mesmo e colocar as cartas na mesa. No fim, não só conseguimos nos perdoar como admitimos o nosso fetishe naquela situação, bastava agora saber como lidar com aquilo.

Duda se mudou para o meu apartamento e uma semana depois começou o estágio. Já tínhamos definido algumas coisas. Ela estava disposta seguir o estágio até o fim e sabíamos que o tio dela iria tirar um bom proveito disso, ele mesmo havia deixado bem claro, com todas as letras, de que faria isso. Aceitei aquilo, desde que ela alimentasse o meu fetishe e contasse tudo o que acontecesse com eles. Ela aceitou.

Nas primeiras semanas de estágio, ela disse não ter acontecido nada demais. Ela estava trabalhando na coordenação de cursos. Fazia relatórios sobre os cursos, reclamações de alunos, queixa de professores e etc. e levava para o tio. Jorge lhe tratou com bastante profissionalismo naqueles dias, nos deixou até um pouco frustrados, na verdade, mas sabíamos bem que isso não iria durar. E não durou.

Estava em casa, mas trabalhando, quando as notificações de mensagem chegaram no meu celular. Eu geralmente ignorava, a menos que fossem do trabalho, mas estranhei por serem de Duda, ela não mandava mensagem na hora do trabalho:

[17:00,] Amor <3: Corno, sua mulher pediu pela minha pica

[17:00,] Amor <3: Cuidei bem dela, olha que cachorra

[17:02,] Amor <3: Imagem 🤔 🤔 🤔

Para a minha surpresa, era uma foto do rosto dela todo cheio de porra. Suas bochechas estavam rosadas de apanhar e seu cabelo todo bagunçado, era um tesão só ver ela toda abusada, mesmo que por foto. Visualizei, mas não respondi nada, apenas bati uma bela punheta só com aquilo.

Quando ela chegou em casa, trocamos um sorriso de cumplicidade. Duda estava toda safada, tascou um longo beijo em mim e foi logo tratando de contar tudo o que tinha acontecido:

- Ai amor... hoje quando eu fui entregar o relatório pro meu tio acabei tocando no assunto do sítio...

- Safada, então você pediu mesmo! Não acredito, Duda – Ela me olhou um pouco assustada, embora eu não estivesse bravo de verdade. Mandei ela continuar, prometendo que não mais a interromperia:

- Não fala assim, depois eu quase me arrependi, pelo tanto que ele me maltratou. Agarrou no meu braço e me xingou de tudo quanto era coisa no meu ouvido, mas eu só fiquei molhada com aquilo tudo. Depois ele trancou a porta e tirou o pinto para fora... mandou eu chupar a pica dele e ligar pra ti enquanto isso. Eu falei que não podia, porque você estava trabalhando e ele me castigou, quase esfolou a minha garganta com o pau e me deu um bocado de tapa na cara, até me lambuzar toda de porra e pegar meu celular pra te mandar uma lembrancinha. – Ela contou tudo olhando bem para mim, sentia que ela estava me estudando, mas só viu um namorado excitado mesmo. – Agora, pensando, não parece uma coisa tão legal assim, mas na hora... Se ele encostasse na minha buceta eu juro que iria gozar na hora. E tem mais amor, ele disse que vai vir aqui conversar contigo...

O que aquele maluco ainda tinha para falar comigo? Provavelmente ele queria me humilhar na frente dela de novo. Eu dei de ombros e disse que ele podia vir, estava excitado demais na hora para pensar com a cabeça de cima. Ela concordou, disse que ia avisa-lo no dia seguinte e que queria meu pau bem fundo nela que ela precisava gozar. Sorri com o chamado, ela realmente estava bem mais atiçada depois daquilo tudo, esperava que continuasse assim.

Comentários

14/11/2016 13:14:47
massa
14/11/2016 01:46:41
Muito bom

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.