Casa dos Contos Eróticos

Era Gordinha sim...e daí? Agora fazendo anal

Um conto erótico de Lezin
Categoria: Heterossexual
Data: 17/10/2016 02:27:38
Última revisão: 02/11/2016 09:49:51
Nota 9.50
Assuntos: BBW, Gozada, Oral, Motel, gordinha, Anal

Olá meus queridos e queridas da casa dos contos. Estou voltando hoje para terminar de contar para vocês a minha deliciosa experiência com a minha gordinha tesuda. Mas antes de narrar o que aconteceu quero fazer uma dedicação especial para as minhas autoras favoritas do site: Coroa Libertina, Mallu, Lady Diva, Professora Ivana, Adelia, Cibele e Baiúchinha. Essa continuação é feita especialmente pra vocês meninas. Espero que leiam o meu conto, que vocês gostem muito e gozem bastante...se não gozarem que pelo menos fiquem bastante molhadinhas pra mim...rsrs

Agora como diria Jack o estripador "vamos por partes"!

Antes de sair a primeira vez com Tânia, nossas conversas no whatsapp giravam em torno de fantasias, taras e curiosidades na cama ainda não realizadas. Uma delas é o grande desejo e obsessão masculina pelo sexo anal. Depois do meu divórcio tive minhas aventuras...mas não sei se por azar, nenhuma das minhas parceiras tinha interesse no anal. Para minha felicidade Tânia ainda não havia tido essa experiência também. Ela me confidebcializou que até tentou com um ex-namorado negão hiper dotado, que foi muito afoito e acabou não conseguido sodomiza-la.

Para vocês que leram meu último conto, perceberam que a gente não fez anal. E foi justamente o que ela reclamou depois do nosso encontro. Que ficou faltando a gente realizar essa nossa curiosidade. Após várias outras conversas a gente combinou nosso próximo encontro e ela disse q tinha um presente para dar pra mim. Fiquei super excitado e curioso.

Chegado o grande dia estávamos nós curiosamente na mesma suíte que usamos no último encontro. Assim que entramos no quarto já começamos a nos despir. Ela usava uma blusa azul bem clarinha florida semi transparente e uma calça legin preta que só deixava aquele monumento de traseiro ainda maior. Por baixo ela usava uma lingerie muito sexy de cor rosa (que depois ela me disse que fez especialmente para mim porque eu disse que sempre achei a cor rosa muito sexy para lingerie). Enquanto davamos aquele amasso gostoso, terminei de tirar sua calça e vi a menor calcinha do mundo enfiada no rabo dela.

Logo após toda essa pregação, nos deitamos. Ela tirou minha calça com a cara mais safada de todas. Depois tirou minha cueca box preta com elástico branco (adoro essa cueca...ela contrasta bem com a cor da minha pele) e meu pau saltou pra fora quase acertando o seu rosto. Então ela pegou ele com todo carinho e começou a me masturbar bem lentamente. Ela mordia os lábios e parecia sedenta de vontade de pica. O que logo ela se saciou. Beijou a cabecinha, mordiscou e logo em seguida engoliu todo. Foi me chupando deliciosamente enquanto me masturbava. Engolia ele todo...ia da base até a cabecinha. Depois passava a língua nas bolas e depois começava tudo outra vez.

Nem sei quanto tempo ela me chupou...com certeza foi bem mais de meia hora. Mas nada tirava meu pau da boca dela. Eu até tentei faze-la parar porque estava louco de vontade de buceta. Mas ela queria por que queria que eu gozasse na boca dela. Queria tomar meu leite de qualquer forma. Até pegou um gel lubrificante pra fazer sexo oral...pensa num negócio que esquenta. Deixou meu pau em brasa. Era uma sensação maravilhosa. Mas nada me fazia gozar...acho que estava inspirado esse dia. Coloquei ela sentada em uma cadeira e comecei fuder a boquinha dela em pé. Fiz um rabo de cavalo nela e mandei rola boca a dentro...mas nem isso me fez gozar.

Por fim ela estava até com dor no maxilar de tanto me chupar. Então sugeri que a gente fosse logo para a cama fuder gostoso, e que assim que eu fosse gozar eu tirava e mandava ela chupar. Ela aceitou mas disse que primeiro iria dar meu presente. Pediu para que eu esperasse na cama enquanto foi ao banheiro com sua bolsa. E eu imaginando o que estava para rolar.

Quando ela saiu do banheiro quase tive um ataque do coração. Meu pau que já estava duro feito pedra começou até latejar com o que vi. Ela saiu do banheiro com uma fantasia de empregada...avental e tudo. Até outra maquiagem ela fez. Levantei todo tarado da cama e fui ao encontro de Tânia. Estraguei com o maior prazer do mundo o batom vermelho que ela usava. Dei um beijo daqueles nela. Nossas línguas travaram uma batalha em nossas bocas. Minhas mãos não saiam da sua bunda, que eu apertava sem parar.

Joguei ela na cama e pedi que ela ficasse de quatro. Tirei a calcinha dela e meti minha cara no meio da bunda dela. Sua buceta estava tão molhada que escorria por suas pernas. Passei a enfiar dois dedos na sua buceta enquanto matava minha vontade de chupar aquela delícia. Mas minha posição tava desconfortável. Então pedi para ela se deitar. Abri as pernas dela e lá fui mais uma vez chupar aquela buceta melada. Aproveitei essa posição para dedilhar o grelinho dela. Quase que imediatamente ela gozou na minha cara apertando minha cabeça com as coxas. Logo após lamber todo seu gozo escorrendo fui beija-la compartilhando seu próprio melzinho que ainda estava em meus lábios. A essa altura meu pau já sentia o calor de sua buceta. O que óbvio aproveitei imediatamente pra introduzir rola a dentro. Logo estava socando rola feito um cavalo. Algum tempo nessa posição e ela me pediu pra fuder ela de quatro. Ela então ficou em pé e apoiou as mãos na cama me oferecendo seu traseiro. Me encaixei na sua cintura e comecei a bombar. Não fiquei nem dois minutos bombando e anunciei meu gozo. Rapidamente nos desengatamos, ela se ajoelhou, pegou minha rola e começou a chupar. Logo inundei sua boca de leite quente. Tanto foi que ela não conseguiu beber tudo e caiu uma poça enorme no chão. Minhas pernas amoleceram e cai na cama.

Mas até então nenhuma menção foi feita sobre o sexo anal. Por mais que eu seja safado e fogoso eu não sabia como iniciar o assunto e pedir seu rabinho pra mim. Mas esse era o dia d dar tudo certo...ela mesma disse: "É... a gente precisa tentar fazer o anal né?". Aquilo foi como música para meus ouvidos. Ela pegou um gel lubrificante na bolsa dela com efeito anestésico, e pediu pra mim passar nela. Após deixar seu buraquinho bem lubrificado ela ficou na posição que julgou ser mais confortável para receber meu membro no seu cuzinho. Não sei o motivo mas a posição que ela escolheu foi ficar de ladinho. Achei péssimo...não funcionou direito. Não entrava nada e ela estava sentindo muita dor. Por sorte ela não quis desistir...estava decidida a dar o rabo pra mim. Então pedi pra ela ficar deitada de bruços e coloquei um travesseiro por baixo do seu ventre. Ela ficou toda empinadinha pra mim. Passei mais gel no cuzinho dela e voltei a tentar.

Essa sim era uma posição boa. Foi bem mais tranquilo. A cabeça do meu pau passou um pouco mais facil. Aos poucos e com as ordens dela fui colocando centímetro por centímetro.

Logo minhas bolas estavam encostadas na buceta melada da minha gordinha melada. Ficamos um tempo paradinhos até ela se acostumar com meu falo empalando seu traseiro. Após alguns instantes eu comecei a me movimentar ensaiando as primeiras metidas. Quando senti ela rebolando no meu pau percebi que esse era o sinal para começar a dar estocadas mais consistentes. Tirei todo meu pau e enfiei todo novamente...dessa vez entrou com pouco ou nenhuma resistência.

Não se ela gemia de prazer ou dor...sei que a sensação de possuir um cuzinho é maravilhosa. É algo indescritível. Mais quente...mais apertado. Uma delícia. Nem percebi que já estava bombando de forma voraz. E ela rebolava deliciosamente na minha rola. Foi muito gostoso. Logo ela pediu pra gente ir para a hidro. Fui todo feliz acreditando que que ia ser cavalgado encaixado no cuzinho dela...mas para minha decepção ela me deu a buceta mesmo. Não foi ruim é claro. Mas eu fiquei guloso. Queria mais. Para faze-la pagar grudei nela com força e soquei com tudo de baixo pra cima. Ficamos assim até a gente gozar juntos...e vem cá gente, é ou não é uma sensação maravilhosa compartilhar um orgasmo mútuo?

Ainda gozamos mais umas duas vezes na hidro e mais uma em baixo do chuveiro.

Até estava pensando em contar mais detalhes mas tô com medo de ficar muito grande esse conto e acabar ficando cansativo.

Por hoje é só pessoal. Desde já agradeço seus comentários e votos. E mais uma vez dedico este conto as minhas escritoras favoritas.

Email para contato: ale23ak47@hotmail.com me escrevam

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
10/10/2018 08:52:01
Nossa que delicia! Fiquei muito excitada! Isso porque, lendo como foi o anal com essa gordinha, me fez lembrar a minha primeira experiência, que aconteceu há pouco. Obrigada pela visita, amor. Um beijo!
05/06/2018 09:06:34
sensacional
03/05/2017 10:06:37
Ótimo conto, excitante ao extremo. Sei bem o que essa gordinha sentiu. A penetração anal é sempre complicada. Vc soube fazer com bastante jeitinho, o que deve ter sido gostoso para ela. Parabéns. Escrevi há pouco meu segundo relato. Te convido a ler ele. Desde já agradeço. Bezitos.
13/12/2016 07:49:28
Se já estava lisonjeada como gordinha, fiquei mais ainda com a citação no início deste conto. Que delícia, Lezin. Vou ter que providenciar uma fantasia de empregada doméstica. Se for para obedecer meus comandos, vou pedir o anal também. Rs. Beijos .
02/11/2016 08:57:34
Dizem que só experimentando para saber se é bom ou não. Assim foi com a gordinha. O anal feito com cuidado é bem prazeroso para os dois. Gostei da continuação, mais excitante ainda. Muito lisonjeada com a citação neste relato. Bjs.
17/10/2016 12:17:29
Delicia, muito bem narrado. Foi excitante a parte do anal, gostei. Nota dez e beijocas.
17/10/2016 09:49:29
muito bom nota 10