Casa dos Contos Eróticos

Thithi et moi, amis à jamais! Capitulo 171

Eu acordei sorrindo da mesma maneira que eu sorri no sonho. Eu estava em paz comigo mesmo. Eu lembrei do sonho e o entendi. Como todo mundo falava, o Bruno não queria que eu ficasse sozinho. Se o sonho foi real? Depende... para mim que acredito, sim, ele foi real. Pode ser maluquice da minha cabeça? Também pode ser, mas eu acredito naquilo que não é tangível. Eu mudei tanto com a ausência do Bruno, eu cresci tanto... Eu não dependia de ninguém, eu sabia me virar, eu aprendi a cuidar da minha filha sozinho, aprendi a cuidar de mim mesmo sozinho. Mas, seria muito bom ter com quem contar novamente.

Eu acordei com um cheirinho de café delicioso pelo quarto. Eu fui seguindo aquele cheirinho até onde o Thi estava.

- Bom dia! – Eu disse para o Thi

- Bom dia! – Ele veio até mim e me deu um beijinho tímido – Tá com fome?

- Muita!

- Que bom! Olha, eu não sei cozinhar como tu, então, eu fui a padaria e comprei algumas coisinhas pra gente.

- Obaaa!!

- Vem, vamos tomar café! – Ele pegou na minha mão e foi me levando para a mesa que já estava arrumada – Mas antes, ele me olhou nos olhos e me beijou, mas esse foi um beijo de verdade – Bom dia!

- Mas tu já tinhas me dado bom dia! – Eu disse rindo

- Mas não assim... – Ele me deu outro beijo – Bom dia!

- Bom dia, bobo!

Nós nos sentamos a mesa e tomamos nosso café.

- Fica aqui! – Ele me disse

- Tá...

Ele pegou a mochila que havíamos trazido, pegou o computador e veio até a mesa.

- O que é que tu vais fazer?

- A gente precisa falar com algumas pessoas.

- Thi.... – Eu sabia que ele estava louco para falar com nossos amigos, principalmente com a Jujuba, ele dois eram unha e carne.

Ele ligou o computador, acessou o Skype e chamou a Jujuba. Ele deve ter chamado umas três vezes, ela parecia on-line, mas não respondia. Depois de muita insistência, ela atendeu.

- Oiiiiiiiiii, Juuuuuuuuuuuuuuuu!! – Ele disse sorrindo de orelha a orelha

- Oi! Que felicidade toda é essa menino? Oi, Antoine!

- Oiiii, Ju!

- A felicidade é essa – Ele me beijou na frente dela

- Ai mentira!!

- Verdadeeeeeee!!

- MENTIRA VIADO!!! AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH EU VOU MORRRER!! JESUS MISERICORDIOSO, VOU TER QUE PAGAR A PORRA DA PROMESSA!!

- Promessa? – Eu perguntei rindo

- VIADO, EU PROMETI IR DESCALÇA E NA CORDA DO CIRIO SE VOCÊS VOLTASSEM... PUTA QUE PARIU!!

Nós nos acabamos de tanto rir.

- Ah, e agora? Nós voltamos! – Eu disse

- Tu podias ter me avisado que tu voltarias, né Antoine? Assim eu não teria que arrancar a sola do meu pé.

- Eu não sabia que eu voltaria...

- Não? – Thi me perguntou

- Não! Foi só quando tu chegaste aqui que eu vi que eu ainda gostava de ti...

- SEU VIADO FILHO DE UMA ÉGUA! COMO TU VIAJAS ASSIM DO NADA? QUER ME MATAR DO CORAÇÃO, THIAGO?!

- Eu tinha que vir, Ju. O Dudu me ajudou.

- Quero saber por que tu foste pedir ajuda pro marombeiro...

- Eu não pedi ajuda, a ideia toda foi dele praticamente.

Dudu já tinha conversado comigo e me explicado tudo. Ele queria me ver feliz e ele faria qualquer coisa para isso.

- Espera, deixa eu avisa-lo que estamos on-line. – Eu mandei mensagem para o celular dele

Ele rapidinho respondeu que já já estaria no Skype.

- Oi! – Ele disse quando atendemos a chamada dele

- Oiii!! – Eu disse

- Oi! – O Thi falou também – Espera um minuto Dudu

Thi mexeu em alguma coisa e nós conseguimos falar com os dois ao mesmo tempo.

- Prontinho, agora podemos falar melhor.

- Ué, o que essa macumbeira faz aqui?

- Essa macumbeira aqui sabe de fofoca que tu ainda não sabes, meu bem.

- Que fofoca, Antoine?

- Essa! – Foi minha vez de dar um beijo no Thi

- Ai, mentira... Meu plano deu certo?

- Super certo, Dudu! – Thi disse sorrindo

- Vocês estão onde? Esse não é o teu apartamento, Antoine.

- Estamos em um hotel.

- Huuuuuuuuum... já rolou noite romântica e tudo...

- Não, pervertido! Nós viemos só passear em uma cidadezinha próxima de Paris.

- Cadê minha afilhada? – Jujuba perguntou

- Tá dormindo ainda.

- Meninos, que bom que vocês voltaram. Eu fico muito feliz pelos dois, de verdade! Voltem o mais rápido possível daí. – Dudu falou

Thi me olhou e sorriu, quando o Dudu descobrisse que nós não voltaríamos para o Brasil, ele iria querer bater em nós dois.

- É o seguinte, Thi abre bem esse teu olho, se tu vacilares com meu irmão, eu te quebro em dois.

- Sim, senhor!

- Mas o amor é uma coisa, viu? Tá até baixando guarda pra esse marombeiro sinistro...

- Não te mete, macumbeira! E eu não tô brincando viu, Thi? Tô falando bem sério! Te cuida dessa vez!

- Dudu, podes ter certeza que eu não vou fazer nada para perder o Antoine, eu já aprendi a lição. – Ele me abraçou

- Acho bom! Bom, eu tenho que desligar agora, preciso trabalhar. É foda ser pobre!

- Tá bom! – Eu disse rindo – Te amo, mano!

- Também te amo! Tô morrendo de saudade de ti. Beijo! Até mais! – Ele desligou

- Meninos, eu também tenho que ir. Tenho que dar banho na Bruninha. Beijo nos dois! E o marombeiro tá certo, não vacila, Thi.

- Pode deixar!

- Nossa, Jujuba, tu esperaste o Dudu desligar pra tu poderes concordar com ele? – Eu ri

- Claro, meu bem! Tu achas que eu concordo tão facilmente com as asneiras que ele fala? De jeito nenhum! – Thi e ei rimos

- Dá um beijo na minha filha! – Eu disse

- E tu dá um na minha também!

- Pode deixar! A Sophie sempre pergunta pela Buninha.

- Judiação tua separar elas duas.

- Não vamos nem começar com esse assunto...

- Beijo! Saudade dos dois!

- Beijo, Ju! – Thi disse e ela encerrou a chamada

- Bom deixa eu acordar a Sophie... – Eu disse – Por que pelo visto, ela não irá acordar

- Espera um minutinho... – Ele pegou no meu braço e me puxou para cima dele, eu sentei na perna dele e nos beijamos

- Eu tenho que cuidar da Sophie. – Eu dizia entre um beijo e outro

- Só mais um! – Ele me beijou

- Tenho que ir...

- Só maisThi...

- Mais um!

- Th...

Nós ficamos um tempinho namorando.

- Espera, eu realmente tenho que acordar a Sophie. – Eu levantei do colo dele rapidinho, antes que ele me beijasse novamente

- Tá... tá bom!

Nós sorriamos que nem dois bobos. Eu fui até a cama e comecei a acordar minha princesa. Eu ia fazendo uma massagem de leve no corpinho dela, ia falando várias coisas positivas. Eu sempre fazia isso. Era fundamental eu acordar minha filha só dizendo coisas positivas, coisas que só atraíssem felicidade. Ela acordava toda manhosa e já vinha direto para o meu colo.

- Oi, meu amor! Bom dia! – Eu dei um beijinho nela

Ela ficou no meu colo até despertar de verdade. Nós nos levantamos e fomos até a mesa, que era onde o Thi estava.

- Oi, princesa Sophie! – Ele a pegou no colo e por incrível que pareça, ela quis ir.

Ela ficou sentadinha na perna dele. Nós só fomos dar o café dela depois que ela já estava espertinha. Ela tomou café com o Thi, o que me surpreendeu também. Já que ela estava lá com ele, eu aproveitei para tomar banho. No hotel tinha banheira, então eu a enchi e tomei um banho quente super relaxante e demorado.

Quando eu saí do banho, eles estavam na cama assistindo alguma coisa na televisão.

- Bola, Papa! Bola paxá!

- Mas já, filha?

- Já!

Thi caiu na gargalhada. Ele, com certeza, tinha mandado a Sophie falar aquilo. Eu saí do banheiro com a toalha enrolada na cintura, então, eu peguei a roupa que eu havia trazido na mochila e me vesti. Enquanto eu me vestia, eu sentia os olhos do Thi grudado em mim. Quando eu terminei, ele pulou da cama e disse que iria tomar banho. Ele tomou o banho dele e fez a mesma coisa que eu, aí foi a minha vez de pular da cama e dar banho na Sophie. Eu não queria passar por aquela situação constrangedora novamente.

Sophie fez a festa na banheira, não queria sair de lá de jeito nenhum. Eu tive que conversar com ela durante um tempão para ela poder aceitar sair do banho. Aquela menina só podia ser filha de peixe, nunca vi. Eu a arrumei e nós saímos para passear. Naquele dia nós conhecemos todo o restante da cidade, fomos a casa do Monet, ao museu do impressionismo e voltamos ao jardim do Monet. Aquela cidade era de um charme, de uma beleza que jamais se perderia no tempo. Naquele dia, nós voltamos só a noitinha para o hotel.

Eu dormia com a Sophie numa cama, e como a Sophie era bem espaçosa, eu dormia beeeeeem no cantinho da cama. Então o Thi teve a ideia de unir as camas, assim, a gente ganhava mais espaço. Nós as unimos e ficamos deitados assistindo televisão. Sophie logo adormeceu, então Thi e eu aproveitamos para namorar. Sophie ficou com um lado da cama só para ela e Thi e eu ficamos com o outro. Nós não transamos, é claro. Afinal, minha filha estava ali do lado. Mas, nós ficamos juntinhos aquela noite.

Na manhã seguinte nós acordamos cedo, os três, e caímos na rua. Visitamos as proximidades de Giverny e descobrimos definitivamente que a França é bela demais. Nosso final de semana, tinha sido excelente, afinal. Nós voltamos a tarde para casa e nós tínhamos que pensar em como iriamos fazer para dormir, pois o Thi não podia dormir eternamente no sofá e a cama de casa, era menor do que a cama unida do hotel. Nós estávamos com um grande problema.

- Eu durmo no sofá, não tem problema. – Thi disse

- Nem pensar! Tu não vais ficar sofrendo dormindo num sofá, né Thi?

- A gente pode comprar um colchãozinho.

- Aqui não é o Brasil, Thi.

- Mas tem colchão, ora.

- Não, não! A gente tem que pensar em outra coisa...

- Compramos uma cama para a Sophie? – Ele falou baixinho

- O apartamento é pequeno demais.

- Ah, então, a única solução é trocar de apartamento. – Ele disse brincando

- Eu já estava pensando nisso, mas não faço a mínima ideia de onde encontrar um.

- Tu sabes que eu falei brincando, né?

- Sei! Mas eu já estava pensando nisso há algum tempo.

- Ta bom! Faz o seguinte, então, hoje eu durmo no sofá e amanhã a gente resolve se troca de apartamento ou se a gente dá um outro jeito.

- É, né? Fazer o que?

Eu fiquei encucado com aquele problema e quando eu ficava assim, eu não me aquietava até eu achar uma solução. Eu procurei por apartamentos na internet, mas não achei nenhum que coubesse no meu orçamento e nenhum próximo de casa. Eu resolvi deixar pra lá e ir comprar sorvete, pois eu estava com vontade de tomar sorvete. Eu ia andando pelos prédios e ia vendo se não tinha nenhum apartamento desocupado, mas para o meu azar, não encontrei nenhum. Fui ao mercado e voltei para casa chateado por não encontrar nada.

Naquela noite, o Thi dormiu no sofá mesmo. Eu me sentia muito incomodado em dormir na cama, confortável e ele dormindo naquele sofá minúsculo. Eu tinha que achar algo melhor pra gente. Na manhã seguinte, eu acordei e fui fazer nosso café. Eu tinha que ir para a universidade, não poderia faltar aula de jeito nenhum.

Eu estava fazendo ovos mexidos no fogão, Thi chegou por trás, me abraçou e me deu um beijo no rosto.

- Bom dia! – Ele disse

- Bom dia!

Ele me soltou e eu virei de frente para ele.

- Por que tão cedo?

- Por que eu tenho que estudar.

- Aaaaah nãooooo!! – Ele me puxou e me abraçou – Eu não vou deixar tu saíres daqui!

- Infelizmente eu tenho que ir... E a Sophie também!

- A Sophie? Pra onde ela vai?

- Para a creche, ora. Com quem tu achas que ela ficava?

- Eu vou ficar sozinho? – Ele disse fazendo beicinho

- Vai, sim!

- Deixa a Sophie comigo? Por favor....

- Ela tem que ir pra creche, Thi.

- Só dessa vez, vai... Por favorzinho?

- Ai, meu Deus! Tá bom, tá bom! Só hoje, hein?

- Tá! Só hoje! – Ele me beijou

Eu terminei de fazer o café e ele não deixou eu acordar a Sophie. Então, nós dois tomamos café juntos e eu tomei meu banho e me arrumei para sair.

- Não vaiiiiiiiii!!!! – Ele me segurava

- Eu tenho que ir! – Eu dizia rindo

- Então, me dá um beijo! – Eu o beijei – Mais um! – Eu o beijei de novo – Mais um! – Dei mais um – Só maisEsse é o último!

Ele me pressionou contra a parede e me beijou de verdade. Mas tão de verdade que eu fiquei até com as pernas bambas.

- Eu... tenho... que... ir... – Eu estava sem ar

Eu fui escorrendo por debaixo dos braços dele, peguei minha mochila correndo e fui embora. Mais um beijo daqueles e eu não resistiria e faltaria aula. Eu estava me sentindo um adolescente. Lembrei vividamente dos nossos tempos de universidade, da gente indo para o barzinho na Orla de Macapá, da gente indo para o terreno da mãe dele em Ferreira. Tudo aquilo que nós havíamos vivido estava retornando aos poucos à minha memória.

- Oi, pessoal! Bom dia! – Eu cumprimentei meus amigos assim que cheguei na nossa sala daquele horário

- Oi! – Eles falaram em conjunto

Eu fui para o lado do Nelson e me acomodei.

- Que final de semana, hein? – Ele disse rindo

- Oi?

- Que final de semana, hein? – Ele repetiu

- Do que tu estás falando?

- De ti! Do teu final de semana mais especificamente...

- O quê? – Eu disse rindo como um bobão

- E esse sorriso pregado com super-bonder no rosto?

- Eu só estou sorrindo, ora. Acordei de bom humor!

- Isso tem influências de um certo rapaz brasileiro que acabou de chegar?

- Ah, beleza! Tem, sim!

- Vocês estão juntos?

- Agora, estamos!

- Raaaaaa, eu sabia!

- Ei, mas naquele dia nós realmente não estávamos juntos.

- Que seja! Vocês estão juntos!

- Quem tá junto? – Miky estava descaradamente ouvindo nossa conversa

- Ele e o Thiago!

- O bonitão brasileiro?

- Que bonitão brasileiro? – Gilles perguntou, ele ficava na mesma bancada que Micky

- O bonitão ex-amigo do Antoine.

- Aquele que ele mostrou a foto e que é a cópia do MEU bonitão?

- Esse mesmo! – Nelson disse

- Mas como assim estão juntos?

- Ele tá aqui em Paris, bicha! – Micky disse

- Jura? Tu tens escondido o boy, Antoine?

- Não, Gilles! – Eu tinha um certo ranço com ele, por ele não gostas da Sophie – Ele chegou há poucos dias

- Ah, eu quero conhece-lo.

- E vais...

- Vocês estão juntos mesmo? – Micky perguntou

- Sim!

- Aaaaaaiiii que lindo! Eu também tenho uma notícia feliz para dar a vocês... Eu estou solteira! Larguei o traste pra lá! Não sei nem se volto para a Argentina.

- Miky! Caramba!

- Ei, eu disse que era uma ótima notícia!

- Tu vais morar aqui em Paris? – Eu perguntei

- Não sei!

- Eu também estou pensando em ficar aqui na França. Quero que a Sophie conheça meu país.

- Sério isso? – Nelson perguntou

- Sim!

- Mas por quê isso?

- Bom, como eu contei a vocês, eu nasci aqui, morei aqui durante muito tempo, morei em Guyane, morei no Brasil, agora tá na hora de voltar pra cá.

- Tu moravas aqui em Paris? – Gilles perguntou

- Sim!

- E ainda é urbano... – Não entendi o comentário e ignorei

- Mas tu pensas em morar em Paris? – Miky perguntou

- Não, não! Quero morar em alguma cidade pequena, mas aqui por perto.

Nosso professor havia chegado e nós paramos a conversa e começamos a prestar atenção na aula. No final da aula, Nelson e eu fomos para a estação de metro e voltamos para casa juntos como todos os dias. Quando eu cheguei em casa, eu me deparei com a cena mais gostosa do mundo. Thi e Sophie estavam no chão da sala, eles brincavam animadamente, nem perceberam a minha chegada.

- Oiiiiieeee!!

- Aaaaaaaaaaaah, PAPA!!! – Sophie deu um pulo e veio correndo e pulou no meu colo

- Oi, meu amor! – Eu a enchi de beijinhos

Eu sou muito bobo, eu ficava tão, mas tão feliz ao ver minha filha feliz. Thi se levantou e me deu um beijo.

- Ah! Num pode! – Ela colocou a mãozinha na minha boca

Thi me deu um beijo no rosto.

- Ah! – Ela colocou a outra mãozinha na minha bochecha

Ele me beijou na outra bochecha.

- Ah! – Ela tirou a mão da minha boca e colocou a mão no meu rosto

Ele me deu um beijo na minha boca.

- Ah! – Ela colocou a mãozinha na minha boca

Ele beijou a bochecha e ela colocou a mãozinha lá. Ele ficou nessa brincadeira e ela se acabava na gargalhada, no final. Nós dois começamos a beija-la e aí é que ela riu mesmo. Minha filha, como já relatei antes, raramente chorava e quando chorava era por algo bem bobinho. Ela vivia rindo, feliz. Então, quando uma pessoa imbecil vem falar que uma criança criada com dois homens, duas mulheres, ou seja lá qual for o formato da família, não é feliz, eu tenho vontade de dar na cara dela. Criança é feliz quando é criada com amor, e minha filha com certeza é criada com muito amor. Pode faltar qualquer coisa, menos amor. Minha casa é, sempre foi e sempre será repleta de amor.

- Eu tenho uma novidade pra ti. – Nós sentamos no sofá e eu apoiei minha cabeça no peito dele. Sophie estava deitadinha com a cabeça na minha perna. Ela mexia no celular do Thi.

- Qual?

- Tem um apartamento aqui nesse prédio.

- Como tu sabes disso?

- Eu sai para comprar frutas e quando eu cheguei na portaria tinha uma família se despedindo do porteiro. Aí, como quem não quer nada, eu fiquei por lá para saber se eles estavam se mudando ou se eles estavam indo viajar. E para minha surpresa eles estavam se mudando.

- E como tu sabes disso?

- Eu perguntei para o porteiro.

- E o seu Gustave falou contigo? Ele é praticamente antissocial.

- Falou e ele me disse que o apartamento está para alugar. Ou melhor, estará para alugar a partir de amanhã.

- Mas o apartamento é grande?

- Tem três quartos.

- Três? Esse já é grande demais...

- É pegar ou largar.

- Pegamos! Pegamos com certeza!

- Temos que conversar com o proprietário.

- Mais tarde providenciamos isso. Por que agora, eu estou morrendo de fome.

- Eu não fiz nada...

- Eu sei! – Eu disse rindo – Eu faço algo bem rapidinho

- Não! Vamos à um restaurante.

- Thi, estamos em Paris, um prato de comida aqui vale a refeição de um mês.

- Deixa de ser besta! A gente sabe onde comer, tu conheces essa cidade melhor que ninguém. Vamos!

- Eu não tô afim de sair... eu faço algo rapidinho.

- Tá, tá, tá...

Eu fiquei mais um pouquinho lá com ele e depois fui cozinhar. Fiz uma comidinha rapidinho, sentamos e almoçamos. Passamos a tarde juntinhos, nós três. Com as brincadeirinhas do Thi, Sophie já estava aceitando nós dois juntos. Criança se adapta a coisas boas rapidamente.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
09/10/2016 17:26:35
Lindo capítulo. Bjs pra vc e um maior pra Sophie.
08/10/2016 14:18:46
Ah, agora estou ansioso para saber se voltaste para o Brasil ou se ficaste na França. Se ficaste, meus planos de conhecer Macapá no meio do ano que vem irão por água abaixo. Recuso-me a ir lá e não te conhecer pessoalmente. Um abraço carinhoso para Thi, Sophie e ti, Plutãu
08/10/2016 06:52:58
😍❤😍❤😍❤
08/10/2016 00:29:10
🌷🌷🌷
07/10/2016 23:15:15
😍😍😍😍😍😍😍😍😍😍😍😍😍
07/10/2016 22:46:58
cara você não sabe como fico feliz de ver vocês juntos novamente kkk dá até uma invejinha por que eu queria alguém, especial pra mim também lol mas seriamente que bom que vocês estão bem desejo muitas felecidades pra vocês um grande abraço e um cheirão na Sophie ^^