Casa dos Contos Eróticos

Amigo para todas as horas

Autor: Guilherme
Categoria: Heterossexual
Data: 01/04/2016 13:48:09
Nota -

Aconteceu há um tempinho eu ainda,trabalhava em Volta Redonda,trabalhava na prefeitura e era coordenador/gerente de um ambulatório médico. Entre os funcionários que,trabalhavam ali estava,Fabinho que era o meu motorista, além de ser funcionário, somos muito amigos,até hoje temos uma grande amizade. Fazíamos trilhas juntos,saíamos juntos amigos mesmo. Fabinho na época namorava Bárbara típica gata de praia,era loira baixinha,olhos azuis mais ou menos 165m, seios grandes,bunda grande,extremamente gostosa e gata. Mas nunca pensei em nada com ela até por que ela era namorada de meu amigo. Fabinho me falou que iria se casar com Bárbara pois ela estava grávida e me convidou para ser seu padrinho de casamento. Bom Fabinho usava cocaína , mas depois do nascimento dos gêmeos as coisas começaram a piorar e a frequência de uso só aumentava. Fabinho passava dias na rua cheirando e com putas e deixando em casa Bárbara e as crianças sozinha em casa, muitas vezes Bárbara me ligou pois nao tinham dinheiro para comida em casa e eu os ajudava pela amizade que,tinha com Fabinho. Fabinho me contava suas experiências sexuais na rua e que,a muito tempo não transava com Bárbara pois,ela estava gorda e feia(depois da gravidez de gêmeos o corpo de Bárbara ja não era a mesma coisa, eu não achava,isto dela na realidade ela estava acima do peso,mas eu a achava gordelicia). Sempre tentava fazer ele enxergar os pontos positivos do seu casamento. As coisas só pioravam,até que,um dia Fabinho tinha de ir ao RJ,levar um documento na secretaria de saúde, na volta ele resolveu passar em uma favela para comprar pó, na volta descobriram sua aventura pois os carros da frota são monitorados, e decidiram manda-ló embora por justa causa, como seu vício ja estava muito grande a ponto de domina-ló. Mexi meus pauzinhos, pedi alguns favores e consegui que, ao invés de demiti-ló, manda-ló para uma clínica para desintoxicação. No dia da internação na clínica eu e Bárbara o levamos. Um médico amigo meu tinha me dado uma seringa com um famoso "derruba cavalo caso ele ficasse violento". Chegamos internamos Fabinho e voltamos para cada sem precisar usar o derruba cavalo,ma volta eu e Bárbara viemos conversando sobre seu sofrimento e que,ela só aturava porque o amava e coisa e tal e que,estava muito animada com a possível recuperação, chegando em VR deixe Bárbara em casa

e fui para minha casa peguei a seringa no meu carro e coloquei na geladeira para o outro dia leva paro o serviço e despreza-lá. Uma semana depois recebo um telefonema da clínica me avisando que, Fabinho havia fugido, logo depois o telefone toca é Bárbara avisando que, Fabinho estava em sua casa revirando tudo, então falei que,estava indo para lá,então me lembrei que, ainda tinha a seringa na geladeira pois esquecerá de leva-la para o serviço então resolvi pegar caso ele ficasse violento. Chegando na casa de Fabinho, Bárbara estava chorando e a casa toda revirada ela me diz:"ele me bateu,pegou todo o dinheiro e saiu" perguntei das meninas ela falou que, estavam passando a semana com sua mãe. Decidimos ir atrás de Fabinho e leva-ló de volta para clínica, achamos ele em uma boca da cidade e o convecemos a ir para casa, em casa ele deu outra crise e começou a quebrar a casa e deu um tapa em Bárbara, então eu peguei a seringa e desta vez a utilizei nele o colocando para dormir,pois iríamos voltar com ele para clínica pela manhã ela achou por bem eu dormir em sua casa, caso ele acordasse. Bárbara deu um banho nele e o colocamos na cama e voltamos para a sala. Chorando muito Bárbara se abriu para me contando que,ja não aguentava mais e que,essa não era a primeira vez que, apanhava de Fabinho,que estava querendo se separar dele apesar de gostar muito dele. Ela sabia que ele ficava na rua con várias piranhas e me contou e não aguentava mais o fato dele só humilha-lá falando que, ela estava gorda,peito caído e cheia de celulite,etc.( ja sabia de isso tudo pois Fabinho confideciava tudo isso comigo). Mas ela precisava desabafar, então ela continuou "você sabe quanto tempo o Fabinho não transa comigo?" (Sabia o tempo, mas deixei-a desabafar) ela chorando muito diz:"tem mais de 1 ano que,ele não transa comigo, pois fica na rua cheirando e comendo essas putas,como senão bastasse sempre me joga na cara que, estou gorda!" Você me acha gorda? Eu super sem graça apenas à ouvia. Então ela deita em meu ombro chorando e me pede desculpas "Me desculpa mas precisava desabafar" ela com a cabeça no meu ombro me diz" que cheiro gostoso você tem!" Ela levanta do meu ombro e diz:"é melhor me afastar um pouco" toco de leve sua coxa, e começo a subir devagar. Com a voz rouca pelo choro diz:"Para com isso,você não sabe o quanto estou carente,se soubesse não brincaria assim assim!". Com a outra mão a puxo pela nuca em minha direção "Quem disse que,é brincadeira! " . E lhe dou um beijo na boca, sou correspondido, então começamos nos beijar freneticamente, com minha mão abro sua perna e começo a passar a mão em sua xaninha por cima da calcinha. Tiro minha blusa, abaixo a alça do seu vestido e começo a chupar aqueles melões, com a outra mão afastato sua calcinha e vou enfiando meu dedo em sua buceta. Chupo seus seios mordisco os biquinhos e vou lhe fodendo com o dedo, seus gemidos soam como música para mim,passo a língua,mordo seu grelinho,me lambuzando como criança com aquela buceta sugo todo o líquido que vai escorrendo de sua buceta. Ela geme aperta minha cabeça contra sua buceta "ai que delícia você chupa tão bem,quanto tempo não sinto isso,ai que delícia chupa mais ai,ai...". Puxo-a pelas pernas trazendo-a em minha direção,coloco minha piroca na portinha de sua buceta e começo a penetra-lá,minha pica vai lentamente sendo enterrada em sua xoxota até sentir a cabeça da minha piroca encostar em seu útero,me delicio com sua xoxota super apertada apesar de ja ter tido filho. Começo a bombar sua buceta,ela vai se mexendo,rebolando em minha pica,gemedo"ai quanto tempo,não sinto uma pica grossa-soca mais rápido,mais forte,me arromba ai.ai..." . Soco minha pica cada vez mais rápido e forte em sua xoxota,chupo seus seios,beijo sua boca,chupo seu pescoço. Ela geme cada vez mais alto enquanto ela vai arranhando minhas costas. "Vou gozar" ela goza ma minha buceta,me enche de leite. Acabo inundando sua xanina com minha porra que,vai escorrendo por suas pernas. Saio de dentro dela e me deito no chão da sala com a pica toda suja de porra e nem tão dura mais, ela me diz :"você pensa que é assim- to há mais de um ano na seca, você me provocou agora vai ter que me fazer gozar ". Ela pegou meu pau e enfiou tudo em sua boca, e começou a chupar até ficar duro novamente, se levanta ajeitando e senta devagarinho o que faz minha pica agora dura sumir dentro de sua buceta e começa a cavalgar. "Queria tanto que,aquele filha da puta tivesse aqui vendo sua esposa dando a buceta para o seu melhor amigo. E sentir como eu me sinto quando ele esta comendo essas piranhas na rua" e continua a cavalgar em minha pica só que aumentando o ritmo, anuncia que vai gozar,começa a tremer e apertar meu pau cim a buceta e acaba gozando e cai desfalecida ao meu lado. Durante a internação de Fabinho cuide de sua esposa,e foi assim que salvei seu casamento e o ajudei a largar o vício. Amigo é amigo para todas as horas!

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.