Casa dos Contos Eróticos

Família Moderna: Férias na praia 5

Autor: Th!@go
Categoria: Grupal
Data: 26/03/2016 07:49:10
Nota 9.75

A noite tinha sido longa, e eu fui acordado por meu primo que quis saber como tinha sido. Me arrumei e no caminho para o restaurante em que íamos almoçar, contei que a mãe dele tinha acabado comigo juntamente com nossa prima Gabi. Ele me olhava um pouco incrédulo e assustado, acho que ele não imaginava que tia Sandrinha fosse liberal a tal ponto, e diante da minha afirmativa chamou sua mãe que ia um pouco na frente, junto com as outras, para perguntar. Mais uma vez se assustou quando recebeu a resposta, chegou a ficar sem palavras. Aproveitei que estávamos destacados, pra perguntar a minha tia como meu tio e ela tinham começado nesse negócio de troca de casais. Ela foi nos contando sobre a rotina do casamento dela, as escapadas de meu tio, e o desejo de experimentar alguma coisa que animasse. Tio Gilson então deu a ideia, e ela concordou. Foram em uma festa com alguns casais só pra observar, gostaram, e passaram então a curtir o estilo de vida. Contaram pra tia Eliane que como já estava solteira, também foi experimentar, chegando até a participar de algumas festinhas, separadamente deles. Também convenceram minha mãe, que segundo minha tia, foi com eles pra olhar, mas desistiu da ideia por não ter convencido meu pai. Paramos o assunto, já que havíamos chegado e Aline ainda não poderia saber o que se passava.

Após o almoço fomos todos na praia, aproveitar mais um dia sem preocupações. Eu já estava bem mais à vontade com minhas tias, e passamos a tarde toda conversando sobre várias coisas menos sobre o acontecido na noite passada. No retorno pra casa com as meninas e meu primo Caio andando um pouco na frente, tia Eliane confessou estar bem incomodada com a participação de minha prima Gabi em nossa sacanagem. Ela disse achar Gabi muito nova e estava com medo de perder o respeito de suas filhas. Minha mãe então pediu que ela ficasse tranquila, pois falaria com Gabi e além do mais, ela e tia Sandrinha estavam dando pra nós e em nenhum momento nós as desrespeitamos. Tia Sandrinha também tranquilizou sua irmã, dizendo que Aline até poderia ser inocente, mas Gabi não era nem um pouco. Dito isso, começou a contar sobre a transa na sala. Gelei mas me defendi, contando como foi a situação e mostrando para minha tia que estávamos aproveitando o sexo, só que em família e de uma forma muito boa, sem desrespeito ou preconceito. Minha mãe minimizou o acontecido, dizendo ser comum casos entre primos, e continuou falando até que conseguir convencer tia Eliane que Gabi estava gostando, e que Aline também gostaria, se todas elas falassem com ela da maneira certa, pra que todos nós pudéssemos juntos curtir as férias ao máximo.

Naquela noite, todos fomos passear e tia Eliane ainda encucada, conversava com minha mãe e tia Sandrinha sobre como contar para Aline, o que estávamos fazendo sem que ela achasse um absurdo. Minha mãe pediu que eu, minha prima Gabi e meu primo nos afastássemos, pra que elas pudessem falar com Aline. Demos uma volta e depois de um tempinho, nos encontramos. Eu estava curioso pra saber como tinha sido a conversa, achava uma situação bem delicada, mas se soubessem falar direitinho, aceitaria a situação na boa. Compramos uma pizza e seguimos para casa sem nenhuma anormalidade aparente, perguntei a minha mãe o que tinha acontecido, e ela só fez sinal que depois me falava.

Chegamos em casa ainda cedo, e eu ainda estava curioso para saber como tinha sido a conversa. Segui minha mãe até seu quarto perguntando novamente, e ela me disse que Aline ficou chocada no início mas não fez muito drama. Falou que já era de se esperar uma coisa dessas, até perguntou como tinha começado e como fazíamos. Perguntei se ela participaria também, e se minha tia Eliane finalmente ficaria conosco. Minha mãe disse não saber, pois elas conversariam só entre elas e decidiriam, que tia Eliane gostaria de participar conosco mas estava preocupada com o que Aline iria pensar. Saí do quarto, e dei de cara com meu primo implorando a tia Sandrinha pra Gabi ficar com eles mais tarde. Ela se preparava pra ir tomar banho, só o ignorava. Ele ao me ver começou a reclamar, dizendo que não era justo pois eu tinha ficado com duas e ele não, que só eu estava me dando bem e coisas do tipo. Minha mãe querendo saber o motivo da encrenca, entrou na conversa e mais uma vez ele começou a falar, deixando sua mãe irritada.

Meu primo contava a minha mãe que queria fuder com duas mulheres, como eu tinha feito. Ela então, disse a minha tia que uma rapidinha não faria mal, e que aquela seria uma ótima oportunidade para os dois se experimentarem. Não estávamos mais preocupados em disfarçar nossa relação, afinal, minha tia e primas já sabiam o que acontecia. Mesmo assim, minha mãe mandou que eu olhasse onde as meninas estavam. Desci, vi que as duas viam TV na sala com sua mãe, fui até a cozinha e subi de novo. Estavam os três no banheiro, que era bem espaçoso, e me juntei à eles. Tia Sandrinha que estava enrolada em uma toalha, dava um sermão em meu primo sobre a importância de se conversar antes de ficar reclamando, e que contava com nosso bom senso pra entender que não seria sempre que poderíamos fazer nossas “brincadeiras”. Caio sabendo que fez besteira, se desculpou e se preparava para sair, achando que por ter pisado na bola não rolaria mais nada. Tia Sandrinha abrindo a toalha, disse que ele não estava merecendo, mas daria um voto de confiança pra ele que sem perder tempo, tirou a bermuda. Minha mãe puxou um banquinho bem baixo, que tinha ao lado da pia, onde Caio sentou. Nossas mães ficaram de quatro, e começaram a chupá-lo. Era incrível a visão que eu tinha, as duas com a bunda pra cima chupando meu primo e eu podendo fazer o que eu quisesse. Comecei a bolinar as duas com meus dedos carinhosamente, enquanto elas chupavam meu primo, que de olhos fechados, só gemia. Elas já estavam molhadinhas, eu então segurei na cintura da minha mãe e fui metendo devagar, sendo ajudado por ela que rebolava em meu pau. Me aproveitei um pouco daquela xota gostosa e molhadinha, e fiz a mesma coisa com minha tia, que gemeu alto quando eu a penetrei, sem se importar com nada. Tia Sandrinha rebolava pra mim, dizendo estar muito excitada com tudo aquilo e me pediu pra não parar, enquanto chupava seu filho com mais vontade. Fiquei tão concentrado, metendo em minha tia enquanto apertava, bolinava e alisava minha mãe, que nem vi meu primo gozando, apenas ouvi, os gemidos de tia Sandrinha recebendo toda a porra de seu filho em sua boca. Meu primo estava realizado, parecia até que tinha acertado na loteria. Minha mãe e tia Sandrinha se levantaram sorrindo, dizendo que era muito melhor fazer com a gente do que com homens mais velhos, porque elas se sentiam as mulheres mais gostosas e desejadas do mundo. Fomos para o chuveiro, e sob os olhares atentos de meu primo, minha mãe me encostou na parede e de costas pra mim, colocou meu pau em sua buceta, e passou a empurrar seu corpo contra o meu. Tia Sandrinha se masturbava e também pediu pau. Ficou na mesma posição que minha mãe estava e com as mãos no joelho, engolia todo meu membro com sua buceta, enquanto minha mãe me beijava até eu anunciar que iria gozar. Minha mãe então se ajoelhou, e abocanhou meu membro assim que tia Sandrinha se afastou, me fazendo gozar gostoso em sua boquinha.

Terminamos nosso banho coletivo e descemos para lanchar, sem que minha tia Eliane e as meninas, percebessem o que tínhamos feito. Comemos e fomos jogar baralho na varanda, deixando minha mãe e tias na sala vendo TV e conversando. Ficamos jogando sem tocar no assunto que mais me interessava, já que Aline, ainda causava um certo receio em todos, mesmo ela sabendo de nossa relação incestuosa. Tia Sandrinha passou a acompanhar nosso jogo de pé ao lado do meu primo, e Gabi sem se importar com a presença de sua irmã, disse querer ficar conosco mais tarde. Nossa tia disse que não teria problema nenhum, mas a mãe delas queria conversar com as duas sobre isso primeiro, o que deixou Gabi indignada, pois não entendia o porquê de tanto drama. Tia Sandrinha defendeu sua imã, dizendo que ela estava apenas zelando pelas meninas e não queria que as duas pensassem mal dela. Minha prima Aline entrou na conversa, dizendo que realmente era preciso muita conversa pra poder digerir tudo aquilo, e perguntou o que faríamos mais tarde. Tia Sandrinha disse que a gente ia fazer o que tivesse vontade, pois estávamos dispostos a realizar nossos desejos entre nós. Ela continuou, disse ainda que incesto era mais normal do que todos imaginavam, que aquilo estava nos unindo mais, e que Aline iria gostar muito de participar conosco. Minha prima pela primeira vez conversava com a gente sobre o assunto, e nossa tia aproveitando o momento, passou a falar abertamente pra saber a posição de Aline.

Deixei todos conversando lá em baixo e fui jogar um pouco de videogame no quarto. Acabei pegando no sono e só acordei no outro dia, sem saber o que tinha se resolvido. Meus primos ainda dormiam, minha mãe e tia Sandrinha arrumavam a mesa para o café, enquanto tia Eliane tinha ido a padaria. Me sentei na cozinha ainda sonolento mas bem mais disposto, e minha mãe perguntou o que eu tinha tomado que me fez apagar. Respondi que tia Sandrinha e ela tinham acabado comigo, e quis saber o que eu havia perdido. Tia Sandrinha disse que depois que eu subi, todos tiveram uma conversa muito legal e produtiva, onde falaram sobre tudo que estava acontecendo, como estavam se sentindo, também falaram sobre confiança, sinceridade e segurança, já que não usávamos preservativos. Também conseguiram convencer Aline e tia Eliane, a pelo menos ficar com eles para ver se gostavam. No início ficaram um pouco acanhadas mas depois se soltaram. Perguntei o motivo de não terem me chamado, e minha mãe disse que elas tentaram, mas eu não dei nem sinal de vida. Ela ainda disse que foi praticamente uma noite de meninas já que, meu primo tentou mas não conseguiu se segurar por muito tempo, deixando ela, tia Sandrinha e Gabi se divertindo sozinhas, enquanto tia Eliane juntamente com Aline ainda observavam. Tia Sandrinha ainda disse que elas brincaram sozinhas, enquanto sua irmã e sobrinha não se decidiam. Somente após alguns pedidos, tia Eliane foi pro quarto com Caio deixando Aline com elas. Minha mãe disse que a iniciação não poderia ter sido melhor, que foi chupada e mimada por todas, que fizeram ela gozar e aproveitar muito.

Continua....

Comentários

06/04/2016 14:24:27
otimo
04/04/2016 12:44:34
Muito bom essa série de contos... Já tinha lido uma série parecida em outro site, que parou em dois contos depois e nunca mais teve continuação.... Vamos esperar o próximo.... Parabéns
29/03/2016 21:14:57
Continua logo
29/03/2016 13:49:09
adorei nota millllllllllllllll
26/03/2016 10:24:47
Muito bom, continua logo
26/03/2016 10:12:19
Esta historia é muito boa!
26/03/2016 10:01:08
Muito boa a saga sexual familiar. Deliciosamente excitante.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.