Casa dos Contos Eróticos

Dominados pelo filho

Categoria: Sadomasoquismo
Data: 14/01/2016 23:19:00
Nota 10.00
Ler comentários (4) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Conto feito a pedido:

O que vou te contar hoje é algo que nem em minha mente não se passava nem de perto, eu e a Rosana nos conhecemos no colegial, namoramos e por descuido ela engravidou com 18 anos e assim nos casamos, tivemos uma vida bem perturbada, sem preparo emocional e nem financeira para ter uma vida tranquila, mas mesmo abaixo de dificuldade, hoje temos nossa casa, criamos o nosso filho que hoje com 24 anos, ele foi estudar na Itália e ficou por dois anos lá. Esse ano ele voltou, e o notei mais centrado, sério, mais adulto, voltou até posso dizer irreconhecível, a Ro também achou ele bem diferente, mas disse que gostou e até charmoso, iria arrasar corações aqui.

Enfim, foi passando os dias, ele já veio com um emprego e estava ganhando até mais que eu já, estava se afirmando profissionalmente e estava adquirindo suas coisas, mobiliou todo o seu quarto, comprou notebook, carro e até nos ajudava.

Um dia fui entrar no comutador dele para olhar uns e-mails, pois o meu estava em manutenção, e ao ficar navegando na internet, olhei os seus favoritos, tinha vários sites sobre BDSM, homens dominando mulheres comecei a olhar aquilo, e ao mesmo tempo me excitando, até ele chegar e me ver olhando aquilo, e ele me perguntou se também gostava disso, respondi que era a primeira vez que estava vendo e que realmente parecia interessante, mas achava que não existia isso, que seria só fotos profissionais, e ele me disse que não só existia como ele fazia, e me contou que era dominador e começou a me relatar tudo que já fez e me surpeendi, pois me disse na maior naturalidade que até homens já dominou e me mostrou que vê isso com maior naturalidade. Ai ele me fez uma pergunta que não esperava, como se fossemos dois amigos e não pai e filho, perguntou se só tinha transado com a mãe dele ou já saiu antes ou depois do casamento com outra.

Fiquei se jeito, mas como ele falou de tudo comigo eu me senti tranquilo com aquilo, disse que só tive uns rolos antes do casamento, mas não cheguei a transar com elas, tudo que sabíamos era o que eu e ela fizemos, mas que hoje já estava meio chato.

Ai ele me disse que tínhamos que inovar e ele via que íamos nos dar muito bem no BDSM, pois nos via como dois submissos, que quando iniciou sempre estavamos na mente dele como submissos, pois nunca fui autoritário e até mesmo sempre obedecia a Rosana e ela por sua vez também não tinha muita voz ativa, só discutíamos por coisas banais e sempre ficava quieto no final. Realmente, ele falando assim, até me fez pensar que era verdade, ele me diz que viu a minha reação agora e que estava até excitado ao pensar nisso, e era verdade, estava tendo uma ereção. Sem esperar ele ficou em pé na minha frente e em voz autoritária me disse, se quiser que posso te mostrar esse mundo, mas para isso, quero que se ponha de joelhos em minha frente agora de cabeça baixa. Na hora achei muita ousadia da parte dele, e já ia xinga-lo pela audácia e me respeitar como pai, mas ao olhar aos olhos dele ele estava tão certo de sua posição que temi e aquilo me deu um frio na barriga. Não sei o que me deu, me ajoelhei e sua frente, ele me mandou tirar os seus sapatos e meias, o que fiz após ele sentar na cama novamente e mandou eu beijar e lamber, disse que não curtia homens, ele mandou eu ficar quieto e obedecer, que aqui não tinha homem, mulher ou qualquer coisa, e só o Dono e o submisso. Não sei o porque, mas tudo que ele falava parecia certo e que tinha que obedece-lo. Comecei a lambe-lo os pés ai mandou eu ficar nu e tirar as calças dele, ao tirar vi que ele estava excitado e isso me motivou, ao saber que estava lhe agradando, mandou eu tirar o cinto e entregar para ele de cabeça baixa, que a partir de hoje só poderia olhar nos olhos dele somente com permissão. Eu disse que sim, e ele me corrigiu, sim Sr. Respondi que sim Sr, ai ele me mandou ajoelhar na sua frente e tirasse a sua cueca, ao tira-la, fiquei vidrado vendo, era lindo o que estava vendo, ele me mandou chupar mas sem por as mãos, passou na minha cabeça várias coisas, uma que estava ali com um homem, coisa que eu nunca imaginei e o que era pior, com o meu próprio filho, mas me sentia a vontade e entregue a ele, estava gostando disso, e fui me aproximando e abri a boca e abocanhei o pau dele e o chupei com com gosto, sem jeito, mas com gosto, era maravilhoso sentir aquele pau na boca, aquele mastro duro e macio ao mesmo tempo e o melhor, vendo ele tendo prazer com isso, o chupei até ele gozar na minha boca e mandar eu engolir tudo, tomei e incrivelmente estava gostando, ao terminar ele tirou o pau da minha boca, fez eu mostrar a boca para ver se eu tinha tomado tudo e mandou dizer que ele era meu Dono e Sr. E falei:

- O Sr é meu Dono e Sr de agora em diante.

Ele me disse que via em mim que eu tinha esse jeito de submisso e sabia que ia gostar, agora era a vez de pegar a Rosana, o ele nem mais tratava a gente como mãe e pai, agora só tínhamos que ver como iriamos colocar a mãe nisso. Mas acho que não ia ser difícil, pois ela era mais avançada que eu no sexo.

Essa função ele deixou para mim, para conversar com ela e induzi-la a apimentar a nossa relação, em fazer algo diferente. Assim eu fiz, numa noite a convidei para sair, fomos a um restaurante e depois fomos a um motel, na transa falei para ela imaginar outro homem comendo ela e a vi gozar muito. Ai a peguei pelos cabelos e a puxei e dei uns tapas na cara dela e ela gemeu mais alto.

Após gozarmos sentamos na cama e tomamos um vinho, ai perguntei para ela se tinha gostado da transa e ela disse que adorou, que sempre sonhou em ser possuída assim. Ai foi a minha deixa, e disse que tinha conhecido uma pessoa que era dominador e me explicou como funciona isso e expliquei tudo para ela. Ela disse que devia ser muito excitante viver assim, e perguntei se gostaria de experimentar, que poderíamos conversar com ele.

Ela disse que não sabia se teria coragem com alguém desconhecido, ai falei para ela, se você quiser eu posso falar com ele e se tiver com medo sobre mim, fica tranquila, depois que conversei com ele, gostei disso também, mas não me vejo como dominador e acho que seria bem excitante viver isso, ela então disse que aceitaria conversar e nem me questionou sobre o que eu seria nisso.

Então combinei com o Julio para ele pegar um chip diferente e ligar para ela e conversar mas sem dizer quem é, deixar para isso ser somente no futuro quando nos encontrássemos realmente, e assim aconteceu, ele ligou para ela e conversaram por dias, e ela foi gostando do que ouvia e ela começou a dar tarefas a ela e até mesmo na nossa transa fazíamos o que ele mandava, ai ele começou a tocar no assunto de incesto de leve e ela foi entrando na história pois dava para ver que ela tinha uma admiração pelo Julio, não assumida lógico.

Ai ele sugeriu da gente se encontrar e colocar em prática, conversamos entre eu e ela e lógico que eu incentivando, e nesse meio tempo já o servia completamente, até sendo enrabado por ele eu já estava e até usando as calcinhas dela com ele.

No dia marcado resolvemos nos encontrar um um restaurante, afim dela não fazer nenhuma gritaria caso ela não aceitasse. Eu e ela chegamos, pedi um drink para nós dois e eu estava num nervosismo só, ela estava de mini saia, blusa decotada como ele a ordenou, terminamos e pedi mais um, ai ele apareceu na porta e veio a nossa direção, a Ro me pegou pela mão e apertando disse:

- E agora? E me olhou com um olhar de desespero.

Eu peguei na mão dela e disse para se acalmar que ia dar tudo certo.

Ele chegou, com um olhar confiante e olhando sério para a gente, sentou, e perguntou se estava tudo bem. Disse que sim e que estávamos esperando por ele ansioso, a Ro me olhou sem entender nada e ele olhou para ela e disse. Rosana, era eu que estava conversando contigo o tempo todo, e tudo que disse era verdade, sou dominador desde que fui para o exterior, e mesmo eu sendo seu filho, isso acaba qd estivermos só entre a gente, serei seu filho na frente dos outros, fora da vista da sociedade serei seu Dono, melhor dizendo, o Dono de vocês.

Ficou aquele minuto de silencio e foi quebrado ele a pegando pelo braço e a puxando para perto dele e sem ela pensar ele deu um beijo em sua boca ali na frente de todos e dava para ver ela tensa, mas me deu um baita tesão em ve-la ali beijando ele e até uma certa inveja dela, pois ainda não o tinha beijado, mas ele já me tratava como uma puta dele, e já estava sendo comido por ele e eu adorava, adorava em ser possuído por ele e obedece-lo.

Ao solta-la ele mandou ela ir ao meu lado e me beijar, assim mostrar a todos que ela era uma putinha e que tinha dois homens, ela veio até mim, e mesmo sem me olhar nos olhos, veio de olhos fechados e esticou o rosto e eu a beijei, ao terminar ele mandou eu ir acertar a conta e foram ao carro de mãos dadas, ao chegar no carro os dois estavam no banco de trás se beijando e ele já pegava nos seios dela. Entrei e ele mandou eu ir para casa, no caminho ele tirou os seios dela para fora e os chupou, depois mandou ela tirar o pau dele para fora e mandou ela chupar até chegar em casa e ele dizendo como a cadelinha dele chupava gostoso.

Ao chegar em casa, mandou nós dois ficarmos nus e de joelhos no centro da sala e mandou a gente dizer quem era o Dono da gente.

Eu respondi:

- É o Sr meu Dono, meu corpo e mente te pertence.

Ela repetiu e disse:

- O Sr é o nosso Dono, de corpo e mente.

Ele deu um a coleira para ela e outra para mim, colocou e se sentou no sofá e mandou ela ir e tirar os sapatos dele e lamber e massagear os pés dele.

Enquanto a mim, acho que até para me humilhar e testar ela, mandou eu tirar a calça e a cueca dele, tirei e ao ver aquele pau na minha frente passei a mão nele sem a Ro ver, ele olhou para mim e sorriu e mandou eu masturba-lo, a Ro continuou o que estava fazendo mas olhou para cima para ver o que eu ia fazer e ele disse:

- Cadela, o seu maridinho já é meu submisso a tempo, muito antes de você, ele já esta adestrado e você vai ter que aceitar isso, você e ele não tem diferença nenhuma, os dois irão me servir da mesma maneira, não é putinho?

Respondi

- Sim, Sr, sou seu animal e putinho

Ai ele mandou eu chupa-lo, cheguei com a boca perto do pau dele e comeceu lambendo a cabeça e depois enfiando tudo na boca, me sentia muito humilhado fazendo isso na frente dela, mas muito excitado, ai ele mandou ela vir e dividir o pau dele comigo, nos beijávamos com o pau dele junto, ai ele mandou eu ir chupa-la e deixa-la molhadinha para ele, ao chegar na bucetinha dela, ela já estava encharcada e começou a gemer muito, ai ele mandou ela sentar no pau dele, ela foi sentando e entrando tudo bem fundo, e começou a comer ela, ela gemia quase chorando de tesão, fui por trás dela e comecei a beijar o seu pescoço e pegar nos seios, ele mandou eu ir lamber o cu dela e prepara-la, pois queria comer o cu dela, comecei a lamber e enfiar um, depois 2 dedos ai ele tirava o pau dele e dava para eu chupar e voltava a meter nela.

Mandou eu e ela ficarmos de 4 no centro da sala no chão um do lado do outro abraçados, e começou a comer o cu dela, ela gritava para ele fuder ela muito e ao mesmo tempo que ele a comia ele metia já dois dedos em mim. Ai tirou dela e meteu no meu cu, ai ele mandou ela ir me beijar e dizer que me amava, que amava o putinho dele, ai ela veio, me beijou e me disse:

- Amo você amor, amo você putinho do Sr Julio.

Eu gemia de tesão sentindo ele todo dentro de mim e ainda sendo comido na frente da Ro e vendo que ela não se importava, ai mandou nos repor um do lado do outro e começou a comer um e depois o outro, até que mandou ela chupar ele até ele gozar, mas depois que gozasse era para eu e ela nos beijarmos.

Ao terminar ele me mandou ir tomar um banho e fui, ao voltar ela estava entre as pernas dele chupando ele e ele me disse:

- Meu putinho senta aqui do meu lado, e hoje irá dormir no meu quarto e eu vou dormir no seu quarto com a cadela, hoje ela é minha.

Falando isso aceitei e ele veio e me deu um beijo na boca, primeira vez que ele fez isso, depois houve dominações, como spanking, bondage, velas até chuva dourada, hoje estamos felizes e é muito bom ser o putinho dele.

Comentários

27/01/2016 18:16:53
delicia de conto porra adorei
15/01/2016 07:24:26
Tesão. Continua
15/01/2016 00:51:43
Adorei!! Loucura loucura loucura. Filhão macho e dominador!!
15/01/2016 00:15:18
Gostei!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.