Casa dos Contos Eróticos

Peripécias de um adolescente nômade

Um conto erótico de Ursolino
Categoria: Homossexual
Data: 10/11/2015 16:38:43
Última revisão: 11/11/2015 16:21:53
Nota 10.00

Este é um conto, que decidi escrever! Tenho 32 anos, adoro ler contos e também escrever! Inspirado pelas séries que estive lendo no site, resolvi fazer minha contribuição! Espero que gostem!

Peripécias de um adolescente nômade (Parte1)

Olá caro leitor, meu nome é Matheus! Sou um garoto de quatorze anos nômade! Falo nômade, porque meu pai é engenheiro civil, o que o obriga a fazer mudanças sempre que termina uma obra e, por não querer ficar distante de minha mãe, de mim e do meu irmão mais novo por longos períodos, ele nos leva sempre juntos. São sempre obras que duram de 1 a 5 anos a mais longa.

Assim, na semana anterior ao meu décimo quarto aniversário, fiquei sabendo que mudaríamos! Fiquei extremamente transtornado, pois este era o mais longo período em um local, Porto Velho – Rondônia. Havia feito muitos amigos, especialmente o Thiago, um garoto do qual tinha me aproximado muito, fazíamos tudo juntos: estudávamos, zuávamos, jogávamos os mesmos jogos, tudo em comum! Quando eu contei ao Thiago, que era sempre brincalhão demais comigo, mudou seu rosto e ambos choramos! Depois da tristeza, como em todos os adolescentes, vem a revolta e a raiva: fui ao embate com meu pai. Gritei, falei que já tinha idade pra saber o que quero, que teria que me deixar em Porto Velho, que eu e minha mãe e meu irmão não éramos uma mala pra ele levar aonde quer que ele fosse! Ao ouvir minhas vociferações, minha mãe me deu uma grande bronca juntamente com um tapa e assim percebi que não havia jeito. Haveria uma nova mudança!

A despedida dos amigos, da escola, foi muito pior que das outras vezes! Não sei se pelos hormônios, se pelo período mais longo em um mesmo local, mas doía demais! Tudo que eu queria era que fôssemos logo e acabasse aquela tortura de ver os amigos na escola, sabendo que irá pra muito longe e não os verá mais tão cedo!

Chegado o fatídico sábado, acordamos logo cedo: 4 da madruga! Meus pais já haviam carregado a Range Rover no dia anterior e estávamos com o rumo certo: Campinas, São Paulo. Sinceramente, meu pai estava empolgado, pois seria um longo final de semana em família, ouvindo músicas juntos e conversando! Eu estava puto e não queria saber de nada! Coloquei meus fones de ouvido e fechei os olhos, fingindo estar dormindo.

Durante a viagem, paramos em um hotel simples, em algum lugar no Mato Grosso. Foi uma porcaria de noite em um hotel que só tinha um quarto, onde eu e o meu irmão tivemos que dormir no chão.

Meu irmão tinha 10 anos e chamava-se Caio. Era uma peste! Vivia correndo, tagarelando e fazia de tudo pra me tirar do sério! Por ora, na viagem, ele estava sendo legal até essa noite! Ele ficou tagarelando a noite toda ao meu lado, pois havia dormido a viagem toda. Foi uma tortura!

Acordamos no domingo e mais um dia de viagem longa e interminável! Meu pai tentando puxar assunto! Perguntava porque estava tão bravo, já que eu sou novo e que faria novos amigos! Perguntou se seria por que eu tinha alguma namoradinha em Rondônia que não tinha contado, o que foi negado já que eu sequer havia beijado a boca de alguma menina na minha vida. Durante o interrogatório paterno e com o vai e vem do carro, feito um berço, dormi.

Ao acordar com uma firme freada do carro, percebi que meu pai entrava em uma cidade e perguntei sonolento:

_Chegamos, pai?

_Sim, estamos em Campinas! – respondeu ele alegremente.

_Ótimo e nossa casa, é longe? – indaguei angustiado.

_Não! O GPS acusa 10 minutos para chegada, você.... E coloquei meu fone de ouvido e não escutei mais o que o meu pai falava, já que eu estava puto com ele! Ainda fechei os olhos, fingindo voltar a dormir. Levei um beliscão na perna, era meu pai novamente fala:

_Olha filhão, essa é a Unicamp! Passei aqui pra te mostrar! Uma ótima faculdade pública, você pode estudar aqui um dia! E iremos morar razoavelmente próximo, você poderia vir de ônibus para cá em minutos!

_Ahhh tá, uhum, leeegal! – fiz um joinha e emendei – falta muito?

_Não seja um desleixado Matheus! Sente-se direito e chega de fingir que dorme!

Depois da bronca, tive que ficar sentado de maneira correta e fiquei olhando a chegada a nossa nova casa, que não seria casa, mas um apartamento. Estava de saco cheio e nada parecia me animar.

Chegando ao apartamento, que já estava com nossos móveis todos amontoados pois foram mandados antes, dei uma bufada e disse:

_Meu Deus, que bagunça! Aonde eu posso deitar?

_Pode começar a arrumar o seu quarto! – disse a minha mãe em um tom firme – Não sou sua empregada e já tenho muitas coisas para arrumar junto a seu pai! Você também Caio – disse ao meu irmão – você é grandinho e seu irmão vai te ajudar! Caio, seu quarto é o primeiro do corredor e e Matheus o seu será o outro! – disse minha mãe.

Ótimo, pensei! Finalmente teria um quarto só meu! Fui correndo para o meu quarto e meu irmão fez o mesmo para o dele. Então comecei a montar minha cama e quando menos percebi, estava pronta e montada! Outra coisa boa era que os armários eram embutidos, o que só demandou colocar as roupas nos mesmos, o que fiz de qualquer jeito, pois queria logo ligar o computador e falar pro Thiago que cheguei.

Liguei o computador, já eram 18 horas e estava realmente cansado! Havia ligado o 3G e estava falando com o Thiago e eu chorei de novo ao vê-lo! Ele riu e falou:

_Nunca tinha reparado que você é tão baitola!

Mandei ele se foder e falei que ia desligar, quando ele me pediu desculpa, mas mesmo assim, desliguei e fui dormir.

Passada a primeira semana, estava de férias pois nos mudamos no final de ano. A primeira semana foi extremamente chata! Não conhecia ninguém! Nem para jogar game com o Thiago dava, pois a operadora maldita demorou uma semana inteira para instalar o telefone e a internet! Eu definitivamente estava entediado! Já meu irmão, estava adorando! Não passaria um segundo sequer no apartamento se não fosse pela minha mãe ir atrás dele! Havia muitos garotos da idade dele e ele havia feito muita amizade! Um dia, ele me chamou pra jogar bola com uns meninos. Eu falei que não ia jogar com um bando de pivete, mas ele me falou que tinha caras da minha idade também jogando, que iriam escolher os times. Minha mãe logo gritou:

_Vai com seu irmão e larga de ficar enfurnado neste quarto menino! Vai se mexer e tomar um pouco de sol! Fica só nesse ar condicionado no escuro! Sai daí senão você vai ficar doente!

Resolvi ir só para não escutar mais sermão. Chegando lá, para minha surpresa, havia uns dois ou três moleques da minha idade. Foi então que um deles me chamou a atenção! Ele já estava sem camisa, tinha um peito e barriga parcialmente definidos que parecia ser liso, mas olhando de perto via-se que eram poucos pelos mas muito claros. Percebi que ele devia ser mais velho que eu, embora de tamanho e rosto não aparentasse. Então, ele e outro garoto de mais ou menos minha idade, começaram a escolher os times, com nós, o restante, enfileirados. Meu irmão foi para o time do garoto sem camisa e disse pra ele não me escolher, porque eu era um rato nerd de computador e não jogava nada! Aquilo me enfureceu, mas aquele cara me conteve e falou:

_Porque você não prova que ele tá errado no jogo, ao invés de brigar com um pivete? Tá nervosinha é? - falou aquele cara me desconcertando.

Mostrei-lhe o dedo do meio e falei beleza!

Então, durante o jogo, que foi muito disputado, principalmente entre eu e ele! Eu jogava de atacante e ele ficava na defesa, deixando os moleques que corriam mais atacar. Ele era forte, mas eu trombava com ele e uma certa hora, marquei um gol com ele tentando me segurar! Nem acreditei! Aí que ele pegou, saiu driblando metade do meu time e fez um gol e falou:

_Chupaaa!

E por aí foi, acabou que meu time perdeu! Ele ficou me olhando e sentamos cansados e todos suados. Ele me olhou e falou

_Seu irmão é um mentiroso em! – falou ele.

_Porque? Tá me tirando? – retruquei.

_Não, até que você joga razoavelmente! – falou dando um sorriso.

Então, todos subiram mas fiquei lá conversando com ele! Ele me falou que estuda na Unicamp, que morava só porque preferia e que seu pai deu de presente o apartamento por ter passado no vestibular, já que ele tinha entrado com 17 anos, pois ele era um ano adiantado! Tinha acabado de completar 18. Eu fiquei espantado, pois ele aparentava ter um ano ou dois a mais que eu, mas não 18! Foi então que ele me chamou pra ver o novo “brinquedinho” dele!

Fomos à garagem e ele me mostrou um golf novinho, preto, modelo turbo incrível! Me chamou pra entrar e eu fiquei tonto! Era muito louco! Ele liga o som e logo toca AC/DC, uma das minhas favoritas e totalmente combinante com o carro! Falei:

_Você tem bom gosto!

_Mais ou menos, que time você torce? – perguntou ele.

_Palmeiras! – respondi.

_Eu também! Toca aí – falou me estendendo a mão!

E assim, ficamos falando de amenidades, ele falando como seria fácil catar mina com aquele carro entre outras coisas! A conversa acabou quando meu celular toca e vejo que é minha mãe! Ele abaixou o som e falei pra ele que tinha que ir! Ele me falou pra dar um toque pra ele no apartamento 222 pelo interfone! Ele falou pra chamar pelo Felipe. Ele então perguntou:

_Qual o seu nome?

_Matheus! – Respondi

_Aparece lá então mano! Você é gente boa! – falou me apertando a mão.

Assim fui dormir. Passou-se um longo período, mas nunca tive muita coragem de ir a casa dele, pois ele não saia da minha cabeça! Passaram-se as férias, fui viajar e certo dia vi ele falando que iria para a casa dos pais dele no fim do ano, em São Paulo, e não o vi mais.

Começaram as aulas, e logo fui colocado em uma escola de inglês no período da tarde. Meu pai havia me ensinado como ir de ônibus para lá. Então, em um dos dias de aula durante a tarde, saio do inglês com uma chuva muito forte, daquelas de verão com muita trovoada. Ao sair do ônibus, um carinha me aponta uma faca e manda eu passar tudo! Resumo do dia, fiquei ensopado e sem celular e sem a chave de casa, que estava na mochila que o ladrão levou. Andei até o prédio e pra minha surpresa, para um golf preto na minha frente, na esquina do prédio, abre o vidro e fala:

_Entra aí! – falou Felipe de dentro do carro.

_Vou molhar tudo! Tô todo molhado mesmo! – falei.

_Entra aí, banco é de couro, é fácil de secar! Para de frescura vai! – falou ele.

_Então tá! – disse entrando.

Ao entrar, contei pra ele o que tinha me ocorrido e que não havia ninguém em casa! Reparei que ele também estava molhado, e ele disse que também se molhou no caminho até o carro e emendou para que eu não me preocupasse, que eu poderia tomar banho na casa dele e que ele tinha secadora!

Chegando em sua casa, entramos pela porta da lavanderia. Ele tirou a camiseta e a bermuda, colocando na máquina e eu pude reparar no seu pinto através da cueca molhada! Tentei desviar o olhar mas era inútil. Fiquei vermelho mas ele disfarçou e foi pegar uma toalha para nós. Ele trouxe então tirou a cueca, colocando-a na máquina, se secou levemente e amarrou-a na cintura e falou:

_Vai ficar de vergonha, nós dois somos homens poxa, e eu sou seu amigo! Põe aí que sua roupa seca em 30 minutos!

Fiquei envergonhado, porque nunca tinha ficado pelado na frente de outro cara antes, e então eu respirei fundo e tirei a cueca e fiquei olhando pro chão. Coloquei na máquina, e rapidamente enrolei a toalha em mim também. Ele ligou a secadora falou que eu podia tomar banho no banheiro social, já que ele tomaria no closet dele.

Passei uma água rapidinho, rezando pra que a imagem dele nu me saísse dos pensamentos.

Então, fui pra sala, com a toalha enrolada. Ele saiu do quarto também com a toalha enrolada e falou que era pra eu não ficar com vergonha por ter que esperar! Dei risada já desconfiado, mas com medo falei que tudo bem! Ele pegou e ligou o vídeo game, colocou o Mortal Kombat novinho que ele tinha e ficamos jogando contra! Demos muitas risadas, e de repente, quando olho pra ele, vejo que ele me olha fixamente e percebo que a toalha havia saído da minha cintura e, pior, eu estava com pinto meio durinho! Fiquei sem reação, mas ele não! Ele quase pulou em mim e me deu um beijo delicioso! Nunca havia sentido algo como aquilo antes! A boca dele era molhadinha e quentinha, porém firme e áspera! Não sei explicar! Eu tentei empurrar ele mas me rendi totalmente! Ele para por um momento, olha pra mim e fala:

_Você é lindo Matheus, desculpa mas eu não consegui evitar, eu sou gay! – falou me olhando ternamente.

Eu fiquei olhando de volta, parte de mim querendo sair dali, parte de mim querendo ficar e quando eu percebi, meu braço o puxou de volta para meus lábios e ficamos assim por um longo tempo! Saímos do chão do sofá e ele falou pra irmos pro quarto dele! Assim fomos, já pelados, sem a toalha! Ele deitou na cama e me chamou! Deitei por cima dele e retribui os seus beijos! Aquilo era uma loucura, mas meu corpo já pedia por aquilo havia um tempo! E ele foi muito legal! Me fazia caricias o tempo todo! Podia sentir nossos pintos juntos empurrando nossas barrigas de tanto tesão! Foi quando eu decidi olhar aquele pinto dele! Tinha uns 16cm, retinho, branco e com a cabeça rosadinha, parecido com o meu, só que o meu era tortinho! Ficamos olhando nosso pintos juntinhos e eu então fui chupá-lo! Fiquei enlouquecido com aquele cara! Comecei a chupá-lo! Ele gemia! Eu olhava para a cara dele e ele estava até chorando de tanto prazer que eu lhe dava! Fui aumentando o ritmo até que senti seu gozo em minha boca! Não desperdicei nada, engoli a maior parte e o resto, dividi com ele num beijo delicioso! Aí, pra minha surpresa, ele me deita e fala que agora era a minha vez! Que ele num ia deixar meu pinto virgem mais esta noite! Então ele começa a me chupar deliciosamente! Ele fez tudo, lambeu a cabeça, minhas bolas! Eu fiquei em êxtase, fechei os olhos que lacrimejavam como os dele a pouco, foi então que senti algo rondando meu cu! Gelei e arregalei os olhos e o olhei! Ele estava com meu pinto em sua boca e com a outra mão, dedilhava meu cu! Fiquei com medo e falei pra ele parar, mas ele disse que não ia parar até eu gozar e então enfiou o dedo dele no meu cu com tudo, me fazendo sentir uma ardência horrível! Ele me segurava as pernas, me impossibilitando muita reação, quando eu de repente senti que ia gozar! Enchi sua boca de com meu leitinho virgem, que tivera sua primeira prova! Eu esbravejei! Disse que ele estava louco, que não devia ter feito isso, que doeu! Ele nem ligou, veio em minha direção e me beijou novamente, ao qual eu fiquei entregue!

Ele me pediu desculpas, falou que não resistiu! E que se eu quisesse, podia enfiar meu dedo no cu virgem dele! O que me excitou novamente e fui em direção ao seu pinto, que prontamente ficou duro! Comecei a chupá-lo novamente e fui explorando como ele fizera com meu cuzinho! Então, enfiei o dedo fulminantemente, de uma só vez, em represália, aumentando o ritmo da chupada, logo senti seu gozo novamente! Aí ele me olha, eu o beijo e ele me diz:

_Me come, por favor?

_Sério? – perguntei pois não conseguia acreditar!

_Por favor, sim! Pegue nessa gaveta, tem um gel chamado KY!

_Pra que serve? Você não falou que é virgem? – indaguei.

_Sou, mas sempre estive preparado pra quando achasse alguém legal como você! – falou sorrindo e abrindo a pernas e me fitando com os seus lindos olhos azuis!

Passei o gel e comecei a apontar meu pinto em seu cuzinho! Fiquei olhando ele, e ele ia me instruindo como fazer a posição! Ele ficou de barriga pra cima, apoiando as pernas em meus ombros! Forcei um pouco e meu pinto, de 14cm mas grossinho entrou de uma vez, como se o seu rabinho me sugasse! Ele deu um forte gemido e me pediu um beijo, prontamente atendido! Fiquei o beijando, sentindo seu cuzinho molhadinho, apertadinho e quentinho! Fiquei parado por um tempo, pra ele se acostumar! Então eu comecei o vai e vem e ele me pedia mais, gemia, me deixou louco! Eu não conseguia acreditar, ficamos um bom tempo naquela posição! Ele falou que eu era muito gostoso e insaciável! Nem eu acreditei! Fiquei comendo-o por meia hora e já estávamos muito suados quando eu finalmente gozei em seu cu quentinho! Ficamos nos beijando por um bom tempo! Olhei nossos corpos nus e falei:

_Muito dahora agente assim pelados e abraçados né Fê? – disse sussurrando em seu ouvido.

_Cara, você é muito lindo, meu gatinho! – falou me tomando em seus braços! – Quero fazer amor com você também! – falou me olhando.

Respondi afirmativamente, mas ao ver a hora, disse que tinha que ir! Pois minha mãe chegaria e ficaria preocupada, pois eu estava sem o celular! Prometi a ele que eu faria, mas que não dava agora! Seria muita irresponsabilidade, e ainda tínhamos que tomar banho e ver se minha roupa secou! Ele compreendeu e tomamos banho juntos! Nos beijamos muito ainda no banho! Ao sair, ele pegou minhas roupas já secas, eu me vesti e me despedi:

_Falou cara! Foi muito louco o que rolou com agente! Me adiciona no face e agente combina de se ver!

_Eu vou adicionar! Vem amanhã? Ou mais tarde? Por favor? – falou me encurralando na parede com um beijo desentupidor.

Eu, já sem fôlego falei:

_Hoje eu não sei, mas amanhã eu apareço, falou!

Então, fui pra casa.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
05/01/2016 03:04:52
Oie, Ursolino! Como prometido, eu vim dar uma olhadinha na tua história e EU ADOREI! Tens uma boa escrita, a leitura flui legal. Parabéns! Agora, esses meninos são rapidinhos, viu? Kkkk Tá de acordo com essa molecada de hoje em dia mesmo... Na idade deles a gente não fazia isso não, não é? Kkkk Abraço, querido! Ah, e vou continuar a leitura, sou super curioso é só para a leitura no final, pode ter certeza!
18/12/2015 01:28:09
Adorei
27/11/2015 00:36:28
Bacana, comecei hoje e já to curioso
15/11/2015 02:06:10
Baum de mais, mano. Vi sua indicação e cara, que conto foda! Já vou pro outro capítulo ♡
11/11/2015 01:34:42
Uau, muito bom esse texto
10/11/2015 23:15:03
Excelente,necessito de continuaçãoooooooo!!!!
10/11/2015 22:36:25
Muito bom, tem continuação?
10/11/2015 18:32:03
Devorei esse conto. E agora fiquei mal pq não sei quando vai sair mais um capitulo. Até deixei a netflix de mão rs. Não demora continuar não. Abraço.
10/11/2015 18:24:24
Massa! Muito bom!