Casa dos Contos Eróticos

Apaixonado pelo nerd que eu fazia bullying 10

Um conto erótico de Otavio
Categoria: Homossexual
Data: 13/09/2015 00:03:04
Nota 10.00

A esquizofrenia é um transtorno mental complexo que dificulta na distinção entre as experiências reais e imaginárias, interfere no pensamento lógico, nas respostas emocionais normais e comportamento esperado em situações sociais.

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, a esquizofrenia não é um distúrbio de múltiplas personalidades. É uma doença crônica, complexa e que exige tratamento por toda a vida.

Se vocês jogarem esquizofrenia no Google esse será o primeiro resultado que ira aparecer, sei disso porque foi à primeira coisa que fiz quando fiquei sozinho depois que Arthur me contara que tinha tal transtorno. Não conseguia ainda acreditar que meu lindo moreno tinha aquilo, ele parecia ser a pessoa mais lúcida que eu já havia conhecido, mas como minha pesquisa sobre esquizofrenia mostrou as pessoas que sofriam desse transtorno podiam ser as mais lúcidas possíveis, vi casos em que as pessoas conseguiam levar uma vida tranqüila somente fazendo o acompanhamento medico, e vi casos em que era necessário internar o paciente, pois ele começava a ser um perigo para outras pessoas e o mais importante, um perigo para si próprio.

— O que esta lendo tão concentrado? – Perguntou Arthur saindo do banho, ele tinha uma toalha branca enrolada na cintura e fiapos de água saiam de seus cabelos molhados.

—Vendo meus emails – menti, fechando o notebook rapidamente.

Arthur só meneou a cabeça e foi para o armário escolher alguma peça de roupa, escolheu uma cueca verde clara e tirou a toalha e não pude deixar de perceber sua bela bunda, morena, redondinha, toda desenhada, meu pau começou a subir na hora, ainda bem que ele vestiu a cueca rapidamente e abriu a segunda gaveta: a gaveta dos gorros.

— Pega aquele branco de tricô – sugeri

Ele virou a cabeça pra trás e sorriu e pegou o gorro que eu tinha sugerido, colocou na cabeça e veio em direção à cama, pegou os óculos na cômoda e fez aquilo que eu amo, empurrou os óculos e franziu a testa, meu Deus, como ele ficava lindo fazendo aquilo, e o melhor era que ele nem tinha consciência como esse simples ato o deixava encantador.

— Com fome? – ele perguntou

— Um pouco – respondi, nos não comemos nada desde a conversa de manha, e agora já passava das seis da tarde.

— Vou la ver o que tem de comer – ele disse, me deu um beijo na testa e saiu em direção a cozinha.

Abri o notebook e comecei a pesquisar sobre esquizofrenia, estava muito concentrado em um vídeo sobre o tratamento desse transtorno quando ouvi um grito vindo do andar de baixo, corri pelas escadas e ao chegar à cozinha me deparo com Arthur jogando as coisas no chão, gavetas se encontravam espalhadas pelo cômodo, os talheres então nem se fala, acho que depois disso achamos colheres no chão da cozinha por uma semana.

— Arthur, o que foi?

Ate então ele estava ocupado jogando as coisas no chão e não havia me visto, mas quando ele me olhou foi como se aqueles olhos azuis arregalados que me encaravam fossem de outra pessoa, eles pareciam vazios e não calorosos e receptivos como costumavam a ser.

— Havia alguém aqui, havia alguém aqui, havia alguém aqui – ele começou a falar sem parar.

— Não tinha ninguém aqui – falei indo em direção dele e o abraçando.

No começo ele não retribuiu o abraço, só ficou repetindo que havia alguém ali, comecei a conversar com ele coisas que sabia que Arthur adoraria responder, quando estava pesquisando sobre esquizofrenia tinha visto que esse era um bom modo de trazer as pessoas à realidade.

— Já olhou o céu hoje? As estrelas estão muito brilhantes.

Arthur adora astronomia, às vezes ele fala com tanta paixão sobre o universo que ele não fez astronomia em vez de fisioterapia. Ele ama falar sobre as estrelas, constelações, os planetas, nebulosas, buracos negros, enfim, tudo que tem no universo. Um episodio que sempre vou me lembrar foi logo após Carlos e Gabriel se mudarem pra ca, estávamos eu e Arthur sentados nos balanços que tem no quintal, olhando para as estrelas, meu moreno tagarelava sobre o universo, mas converso que era difícil acompanhar o raciocínio dele.

— Enfim, pensar no universo me deixa triste, tanta coisa que há por ai, tanto a ser descoberto, porque existimos, somos apenas um monte de coincidências que permitiram haver vida na terra? Porque o universo existe? Havia algo antes dele? Somos meros grãos de areia na praia do tempo, todo o passado do universo não passa de um mistério para nos, e nosso futuro não se encontra em situações melhores – ele pausou para olhar mais claramente para cima, e fazendo aquele negocio com os óculos que eu amo.

— Porque você acha que existimos? – Perguntei

— Acho que isso faz a vida ter graça, não saber por que existimos, na verdade talvez seja esse o sentido da vida: fazer a vida ter sentido. Cada um de nos pode escolher os caminhos que quer seguir, sejam eles bons ou maus, mas todos os caminhos que traçamos são para a vida ter sentido, para descobrir o que nos faz sentir vivos.

— Você pensa muito sobre as coisas – eu disse

— Se não pensar você somente existe – ele disse me olhando

— Eu não só existo, já achei minha razão de viver: você – ele sorriu e me beijou sobre as luzes do universo.

— Você também da sentido a minha vida – ele disse quando nos separamos, mas nossos narizes ainda se tocavam – você e o planeta que ainda vou descobrir .

E agora la estava ele quebrando nossa cozinha, aquele mesmo cara que tem pensamentos sobre tudo, que pensa sobre tudo, a ultima pessoa que pensei que poderia perder a cabeça.

— Arthur, como que chama aquele negocio que parece um olho? – Perguntei me referindo a uma coisa que ele havia me falado a algum tempo, sobre uma nebulosa com um formato de olho.

A pergunta pareceu surtir efeito, pois ele parou de entoar aquela ladainha de ter alguém ali e começou a tentar retribuir meu abraço.

— Olho de Deus – ele disse por fim

Meu Arthur voltara, ele meio que dormiu nos meus braços depois disso, devido ao esforço mental que havia feito para recobrar a consciência. Eu simplesmente adoraria dizer que eu havia colocado ele em meus braços e o carregado para a cama, onde ele dormiu ate se recuperar, mas a verdade foi que não consegui carregá-lo, poxa, não era minha culpa ele ser mais pesado que eu, então o arrastei ate o sofá da sala e o deitei e fui arrumar a bagunça da cozinha, com a certeza que eu poderia nãos saber o que estava por vir, mas tinha a absoluta certeza de que nada e nem ninguém poderia me separar de Arthur.

Olaaaa, surpresos de me ver tão cedo? Acabei tendo um tempo e aproveitei pra escrever, espero que gostem. Me falem uma coisa, gostaram do monologo do Arthur? Gostaria de colocar mais coisas assim dele, mas não sei se vocês gostam, eu particulamente adoro, e ele monologa muito sobre tudo , ate a próxima galera, adoro vocês, adoro mesmo.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
05/10/2015 00:09:07
Kd tu querido?
15/09/2015 02:41:33
O conto é perfeito... parabéns
13/09/2015 21:11:08
Tudo perfeito! Conto envolvente
13/09/2015 15:17:08
Muito bom, o monólogo ficou show tbm!
13/09/2015 14:16:00
Obrigado por vc me responder!!!!!! Muito bom !!!! Posta mas coisas sobre o Arthur!!!!!
13/09/2015 14:12:52
Muito bom <3
13/09/2015 13:41:03
Arthur coisa mais linda desse mundo!! Tomara q ele nao tenha tantas crises assim!! E adorei o monologo kkkk filosofo!! Abraçao cara!
13/09/2015 12:16:45
H
13/09/2015 12:16:36
Que lindo kkkk mentindo para o Arthur que feio kkkkkkk
P.G
13/09/2015 11:34:31
Bom, muito triste essa doença ainda bem que ele tem alguém para ajuda-lo
13/09/2015 10:10:54
Muito fofo o que esta fazendo por ele foi lindo vc tentando faze-lo voltar. . . otimo conto volte logo com o proximo!
13/09/2015 08:02:58
Lindo demais o amor deles.Força para lutar contra essa doença! Eu amo o Arthur e principalmente o Otávio. É amando e superando cada dia as consequencias do passado. Bjos e até a próxima. A.
13/09/2015 06:15:04
Sim, adorei o monólogo. Arthur tem reflexões interessantes. A história está maravilhosa.
13/09/2015 06:14:31
Claro. Ficou bacana. Lindo o amor de vcs e que vai superar isso. Tenho certeza!
13/09/2015 05:41:52
Tadinho
13/09/2015 01:28:42
Amei. perfeito. adorei o monologo dele rsrs. Vcs vao ter que ter muita paciencia pra lidar com essa doença. bjos
13/09/2015 00:53:24
Amei demais, tomara que o Arthur e o Otávio superem isso juntos, ansioso pro próximo :).
13/09/2015 00:52:37
Se eu gostei? eu Ameeeeeei. Ai eu também sou louco por astronomia <3
13/09/2015 00:40:54
Claro que adoramos! Pode vir mais vezes. rsrs Adorei o monólogo do Arthur. Arthur é um filósofo! Diz coisas verdadeiramente belas, inteligentes e que nos fazem pensar. Por mim pode inserir mais coisas dele. Vou adorar! Bjaum pra vc e pro Arthur.
13/09/2015 00:40:50
Perfeito, é real esse conto ne?