Casa dos Contos Eróticos

Será que você ainda não entendeu? Eu te amo... FINAL

Um conto erótico de Nando Mota
Categoria: Homossexual
Data: 24/08/2015 23:01:21
Última revisão: 26/08/2015 01:51:32
Nota 10.00

Os dois meses que se seguiram foram bastante intensos nas vidas de Karl von Dorff e Danilo Medina. Os dois na verdade passaram a não mais se ver, pois o trabalho no Escritório e eventuais viagens de negócios de Karl e a correria na Faculdade após a promoção para Professor Titular deram a Danilo a desculpa necessária para mergulhar de vez no trabalho e esquecer que tivera uma vida fora dele e um homem que o amava de todo o coração. A única coisa que ele não esquecia era dos momentos de terror que vivera nas mãos de seus algozes.

As sequelas deixadas pela tremenda brutalidade que sofrera enraizou nele de uma maneira que seu corpo e mente não mais reagiam a nenhuma especie de estimulo no quesito ter alguém e amar esse alguém. Danilo se fechara totalmente para qualquer tipo de sentimento que o tirasse da realidade nua e crua da vida...Karl estava completamente arrasado pelo fato de Danilo não mais querer saber dele ou da vida que tiveram juntos e Danilo por sua vez não se sentia mais confortável quando alguém se aproximava dele até para um simples abraço de cumprimento.

Na quinta-Feira que antecedeu o feriado do 7 de Setembro, o telefone chamou na mesma hora em que Danilo chegava em casa...

_ Alô... Falou Danilo cheio de desconfianças...

_ É você, Danilo... Falou Lucia von Dorff.

_ Sim... Quem fala por favor? Ele retrucou enquanto sentava no sofá do pequeno apartamento.

_ Lucia von Dorff.

_ Boa noite D. Lucia, houve alguma coisa...?

_ Ah meu caro Professor... Era assim que ele passara a chama-lo... Houveram na verdade muitas coisas. Será possível um encontro entre nós? Que tal um jantar hoje?

Ele pensou imediatamente em inventar qualquer desculpa, só que antes de responder fez uma consulta rápida no relógio da cozinha...

_ Se for sobre alguma coisa da Faculdade, D. Lucia, devo dizer que esta tudo sob controle no Departamento sob sua coordenação e...

_ Não Danilo. Eu preciso falar com você sobre nós... Nós e você... Nós e nossas vidas... Ou o que sobrou delas.

_ Não há mais nada...

_ Há sim, rapaz. Há muitas coisas que precisam ser faladas para que possamos seguir em frente dependendo do que acertarmos... Você nos deve pelo menos isso. Posso ir na sua casa? levo alguma coisa pra gente comer e uma boa garrafa de vinho... Que tal?

Dessa vez Danilo pensou rapidamente e disse...

_ Tudo bem então, D. Lucia. Estou a sua espera.

Quando a ligação foi encerrada, ele deu uma arrumada rápida no lugar por conta de uma bagunça acumulada e sentou no sofá da sala até que o interfone tocou uma hora e quarenta minutos depois.

_ Sr. Danilo, uma senhora chamada Lucia Almada von Dorff deseja falar com o senhor... Disse Antero Antunes, o velho porteiro.

_ Pode deixar que ela entre, Sr. Antero. Obrigado.

Lucia seguiu pela pequena alameda que antecedia o hall do prédio e rapidamente alcançou as escadas. Os dois lances foram rapidamente percorridos e ela tocou a campainha... Danilo abriu a porta no sor final da mesma...

_ Boa noite D. Lucia, por favor queira entrar...

_ Boa noite meu rapaz.

Ela entrou e após uma rápida olhada no lugar, comentou...

_ Esse lugar me lembra do meu primeiro apartamento assim que aqui cheguei pra tentar vencer na vida.

_ Isso é uma grande novidade... A Senhora morando numa quarto e sala? Serio?

_ Mais sério do que você pensa meu querido.

Ela entregou as sacolas com o jantar dos dois e seguiu Danilo até a pequena cozinha e fez questão de abrir a primeira das duas garrafas de vinho que trouxera.

_ Os tempos eram outros e minha vida não era nada fácil naqueles tempos. O final dos anos 70 serviu pra mim como um verdadeiro divisor de águas.

Danilo encheu dois copos com o delicioso vinho que aprendera a saborear na companhia de sua família gaucha e os dois seguiram pra sala levando uma embalagem de petiscos que ela havia trazido...

_ Quando você olha pra mim, Danilo, o que você vê?

_ Uma mulher integra, firme, mãe e esposa maravilhosa, uma chefe generosa...

_ Agradeço por tudo isso, meu caro Professor. Mais na verdade eu sou uma apenas uma sobrevivente... É meu caro e querido Danilo Medina... Eu sou uma sobrevivente igualzinha a você. A última vez que fui abusada sexualmente por meu pai e tios foi meses antes de saber que minha vida mudaria muito... E quando já no orfanato eu soubera que passara no vestibular, o que naquele tempo equivale hoje ao ENEM eu senti que o pior já havia passado e que seguiria minha vida sem jamais olhar pra trás novamente.

Danilo a olhava com olhos arregalados...

_ Desde que virei uma linda mocinha por volta dos 12 anos de idade que era estuprada dentro da minha casa e nada podia fazer. Era a mais velha dos seis filhos que minha mãe havia tido com o homem que tive por pai ... Mamãe morreu uns dois meses depois que menstruei pela primeira vez e papai tratou de me colocar em seu lugar na sua cama. Depois eu passei a ser usada por seus primos, meus tios, depois um amigo dele eventualmente dormia lá em casa e foi com uma grande magoa que soube que era vendida pra esse cara por meu próprio pai, porque o dinheiro nunca dava e eu tinha que cooperar.

Era visível a dor na voz de Lucia von Dorff...

_ Foram os seis piores anos de minha vida e ninguém nunca fez nada porque eu nunca falei nada. A vergonha Danilo é o maior aliado de monstros como meu pai e demais homens que passaram por minha vida. O pior de tudo foi quando minha irmã Lais Almada passou a ser usada da mesma forma que eu por nosso pai e seus amigos. Eu nada pude fazer para salvá-la desse maldito destino. Só que Lais era mais forte que eu e um belo dia fomos dormir e no dia seguinte sua cama estava vazia... Nunca mais soube dela.

_ Meu Deus D. Lucia, que a Senhora esta me contando... Isso é abominável, isso...

_ Já passou meu querido. Eu nunca fugi porque me sentia responsável pelos meus irmãos e irmas. Na verdade eu tinha medo que algo de ruim acontecesse a eles caso eu tomasse alguma providencia contra nosso pai e demais familiares.

Lucia bebeu o conteúdo do copo num só gole, encheu o mesmo até a metade e voltou a falar...

_ Passei a não me importar... As surras, os maus tratos, a fome, a miséria em que vivi foram me forjando pra poder um dia seguir em frente. Eu nunca perdi a minha fé e determinação. Papai morreu semanas antes da minha formatura no científico e fomos para um abrigo porque nenhum dos familiares quis ficar com a gente. Nós éramos numerosos demais e a família pobre demais. Por ser mais velha fui para um orfanato longe dos meus irmão. Os três menores foram adotados e nunca mais soube deles. E meu irmão mais velho foi morto por traficantes no mesmo ano em que me formei.

O copo voltou a ficar vazio e ela não mais o encheu...

_ Conheci o Franz quando estava numa parada de ônibus e ele me pediu uma informação. Por sorte eu lhe disse que estava indo para o mesmo lugar que ele queria ir e ele prontamente me levou... Nunca mais nos largamos e isso já tem seguramente pouco mais de trinta anos. Sabe Danilo, eu decidi abrir essa parte da minha vida pra você por uma simples e grandiosa razão... Desde o dia que te vi chegar todo tímido mais com aquele brilho no olhar e ficar quieto só observando todos os meus movimentos durante o Mestrado, eu tive certeza que olhava pra mim mesma. A sua determinação, a sua vontade de aprender e saber cada vez mais, a paixão em suas convicções... Tudo isso me fez vibrar de uma maneira tão intensa que desejei do fundo do meu coração que você um dia me deixasse aproximar pra poder aprender mais e mais... Aí meu filho Karl, chega em casa e me diz que conheceu um garoto cheio de qualidades e de uma beleza singular... Eu lembro que lhe disse que só três de vocês, meus alunos, poderiam ter alguma chance com ele... E você foi uma de minhas escolhas. Aí você vem tal qual uma chama alimentada por um furacão e transforma a vida do meu filho de uma maneira que o faz finalmente compreender o que é amar, ser amado e o melhor, você fez tudo isso sem forçar barra nenhuma e com uma simplicidade e naturalidade que fez meu coração acalmar de vez. Graças a você Danilo, eu pude ficar em paz e passei a não mais temer pelo que pudesse acontecer ao Karl.

Quando ela terminou de falar isso, segurou minhas mãos e pediu que a olhasse...

_ Houve um mal terrível com você meu querido, só que você nunca foi e jamais será um egoísta... Você não precisa continuar sofrendo e não tem razão nenhuma em fazer o homem que te ama, sofrer.

_ D. Lucia, a coisa não é tão simples como a sen...

_ Viver não é simples e muito menos lógico. Agimos de acordo com o nosso momento, com o nosso querer, vontades e desejos... Mas agimos também em relação ao outro pois tem que haver flexibilidade, cumplicidade, união... Você não precisa ficar longe dele e puni-lo por um crime que ele não cometeu...

_ Eu nunca pretendi puni-lo... Eu amo o Karl com todas as minhas forças... Só que eu não sou mais digno dele... Quem vai me querer depois de tudo pelo qual passei? O Karl merece alguém muito mais digno e...

_ Eu tive esse mesmo tipo de pensamento... Só que o Franz me quis. E eu o amei e amo com uma paixão e entrega enormes, que finalmente me trouxeram paz. Eu só quero te pedir uma coisa... Não mate esse sentimento que você tem sem ao menos ouvir o que ele tem a lhe dizer... Não seja um homem amargo... Não deixe que os maus vençam. Karl não merece isso e muito menos você, Danilo.

_ Eu perdi, D. Lucia... Eles me fizeram acreditar que eu perdi... Eu tenho medo de tudo a minha volta...

_ Nada foi perdido meu querido... E quanto ao medo, bom, ele faz parte da jornada... Acredite que muita força há em você... Essa força só é colocada em pessoas especiais... Eles é que não sabem e jamais saberão de que fibra nós fomos feitos... Eles é que são os perdedores.

Chorei muito abraçado a mãe de Karl e pela primeira vez após todo o drama que vivi, percebi que tinha uma chance para voltar a ser feliz... Jantamos enquanto conversávamos sobre assuntos variados e algo com certeza mudou em mim...

Nos despedimos em seguida e quase duas horas após a saída de Lucia von Dorff peguei meu celular e disquei o numero que jamais esqueci... No segundo toque ele atendeu e eu disse...

_ Preciso de você, amor... Por favor não demora...

_ Tô indo... E a ligação foi encerrada.

Coloquei a louça suja na pia e arrumei um pouco mais o pequeno apartamento. Os minutos não passavam e mais ou menos meia hora depois de falar com Karl, a campainha tocou... Abri a porta e Ele estava parado lá fora naquele corredor quase escuro, sorrindo pra mim com os olhos cheios de lágrimas que se misturaram as minhas quando eu o abracei e beijei com todo o ardor e paixão que sempre sentiria por ele.

_ Me desculpa, Karl. Desculpa ter feito você sofrer desse jeito. Você não mereceu o que fiz ao te afastar de mim, da nossa vida...

_ Será que você ainda não entendeu, Danilo Medina? Eu te amo... E vou te amar pro resto da minha vida. Não me manda embora nunca mais... Eu não iria suportar, cara...

Fechamos a porta finalmente e Karl não mais me largou. Sua paciência e amor foram fundamentais para que eu voltasse aos poucos a ser como era e a deixar que ele voltasse a me tocar... E quando eu me libertei de uma vez por todas de todas aquelas atrocidades a que tinha sido submetido, voltamos a fazer amor... E fui amado com carinho, cuidado, paixão e amor...

Karl voltou a me completar como amante, amigo, cúmplice. Ele voltou a me dar prazer e a me fazer sentir o corpo vibrar ao seu toque. Sua língua voltou a desenhar sobre a minha pele caminhos de desejo e volúpia e quando ele me possuía, eu pude voltar a sentir o quanto de amor e desejo eu lhe despertava. Voltamos a ser um só em nossa cama e nossa vida.

E foi no início de outubro, precisamente numa bela tarde de sol em Porto Alegre que junto com a família von Dorff eu compareci ao julgamento de todos os indiciados que tentaram não apenas contra minha vida, mas de dez outros jovens que como eu sofreram todo tipo de abusos e humilhações que os acusados nos impuseram.

Dos quatro acusados apenas dois puderam sentar no banco dos Réus... Roger de Arantes Berta e Leonardo Nunes Schiffer. Um dos indiciados havia morrido, Marcos Vinícius de Gonçalves Pinheiro e dois outros, Roberto Braga Nunes e Carlos Augusto Perez Vaz estavam hospitalizados por conta de complicações causadas pelo vírus HIV.

No quarto dia de julgamento já era visível o abatimento das famílias de Roger e Leo. Quando o advogado dos acusados concluiu sua defesa num discurso cheio de emoção e apelação por conta do estado de saúde dos dos mesmos, Karl levantou e se dirigiu a tribuna e começou a falar...

_ COMOVENTE AS PALAVRAS DO NOBRE COLEGA DA DEFESA. CADA UM DE NÓS QUE OUVIU TAL DISCURSO REALMENTE FICOU COMOVIDO COM TAIS PALAVRAS... EU TERIA ENTRADO NESSE ROL SE O NOBRE COLEGA ESTIVESSE FALANDO DE SERES HUMANOS, COISA QUE NENHUM DOS CINCO JAMAIS FOI. TODOS NÓS SOMOS UM MISTO DO QUE É BOM E MAU. CABE A CADA UM DE NÓS FAZER ESCOLHAS NA VIDA E DEPENDENDO DAS MESMAS DEVEMOS ARCAR COM SUAS CONSEQUÊNCIAS... EU POR UM CERTO TEMPO ANDEI AO LADO DE TAIS CRIATURAS. SÓ QUE TIVE A SORTE DE VER QUEM REALMENTE ERAM E FIZ MINHA ESCOLHA... E COMO CONSEQUÊNCIA ME TORNEI VÍTIMA DE SUAS ATROCIDADES QUANDO ELES RESOLVERAM ATACAR O HOMEM QUE AMO, QUE POR SINAL FOI A ÚLTIMA VÍTIMA DESSA CORJA NOJENTA QUE INFELIZMENTE AINDA ESTA INCLUSA NO ROL DE SERES HUMANOS. SÃO MONSTROS. SÃO ABOMINÁVEIS, SÃO CRUÉIS... DOIS JOVEM MORRERAM POR CONTA DO VÍRUS DISSEMINADO POR ELES E OUTROS TRÊS JÁ ESTÃO APRESENTANDO SINTOMAS DE DOENÇAS OPORTUNISTAS QUE NEM SUAS AÇÕES. PEÇO QUE OS SENHORES DO JURI JAMAIS OS VEJAM COMO VÍTIMAS... NÃO PEÇO SUAS CONDENAÇÕES COMO UMA VINGANÇA PESSOAL, POIS QUEM ME CONHECE SABE DA PAIXÃO PELA JUSTIÇA E PELO CUMPRIMENTO DA LEI QUE SEMPRE FORAM A BASE DA MINHA CAMINHADA NESTA GLORIOSA PROFISSÃO, MAS NÃO POSSO ME TORNAR OMISSO DIANTE DOS OUTROS QUE HOJE SOFREM POR CONTA DOS ATOS DESSES MALDITOS... QUE A PENA MÁXIMA SEJA IMPOSTA A CADA UM DELES, INDEPENDENTE DO TEMPO DE VIDA QUE LHES RESTA...

No terceiro dia após o término do julgamento o Juiz Gerson Amadeo de Cerqueira Teles acatou a decisão dos Jurados e condenou os cinco indiciados a vinte e dois anos de prisão com direito a condicional após o cumprimento de dois terços da pena...

* Nenhum dos quatro que ainda viveram chegaram a pleitear a condicional pois morreram em anos consecutivos a morte de Marcos Vinícius.

* Os demais infectados pelo mortal Vírus seguem fazendo tratamento e nenhum deles desenvolveu qualquer tipo de doença que comprometa suas vidas.

* Mila e Olaf von Dorff terminaram a residência médica e quando finalmente montaram seus consultórios particulares tiveram uma grande surpresa com a gravides dos trigêmeos.

* Gina e Edsel finalmente casaram com o final da residência médica numa das maiores festas que a alta sociedade gaucha compareceu em peso. Além dos dois filhos biológicos, adotaram uma linda menina.

* Quanto ao Karl e o Danilo Medina...

" Ela e todos os outros teriam uma surpresa quando me vissem chegar em casa depois de tanto tempo errando pelo mundo, segundo as palavras de minha avó. Karl ia a meu lado na primeira classe daquele voo que teria apenas uma escala em São Paulo. O plano era chegar em casa e fazer uma tremenda festa, afinal de contas a gente bem que merecia ser feliz... Né mesmo?

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

MEU QUERIDO POVO DO LADO ESQUERDO... E ESSE FOI O FINAL DESSA TRAMA.

O HOMEM SÓ VAI SABER QUEM É O OUTRO, O SEU ESPELHO, QUANDO PASSAR A SABER O QUE VAI EM SEU CORAÇÃO.

NÃO SE VIVE APENAS DE ILUSÃO OU DE REALIDADES CRUÉIS, MAS SE VIVE SIM DE LUTA, DETERMINAÇÃO E MUITA FÉ.

ACREDITO QUE EM CADA UM DE NÓS HÁ UM DUPLO ESCONDIDO, COMO SE ELE FOSSE QUERER AFLORAR A QUALQUER MOMENTO E POR NÃO SER TÃO FORTE, FICA NA SOMBRA A NOS PLANTAR NO CORAÇÃO DÚVIDAS, MEDOS, E COISA BEM NEGATIVAS, COMPROVANDO QUE A IMAGEM QUE NÓS DEIXAMOS MOSTRAR É O NOSSO VERDADEIRO EU QUE LUTA POR NÓS TODO SANTO DIA E AFASTA DO CONVÍVIO DOS OUTROS O PIOR QUE HÁ EM NÓS.

POR ISSO QUE DIGO A CADA UM DE VOCÊS QUE PROCUREMOS SER SEMPRE MUITO MELHORES AMANHÃ DO QUE FOMOS HOJE. TEMOS CHANCES DE SER E PROPORCIONAR AO OUTRO COISAS MARAVILHOSAS E COM CERTEZA VER RETORNAR CADA VEZ MAIS BENÇÃOS E DÁDIVAS QUE DEUS CONCEDE A TODO AQUELE QUE VEIO, LUTOU E VENCEU.

UM GRANDE BEIJO EM VOSSOS CORAÇÕES.

SIGAMOS EM FRENTE...

NANDO MOTA.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
21/03/2016 16:18:25
Simplesmente não acredito que demorei tanto para terminar de ler essa história. Chorei, sofri, ri, me excitei, me emocionei. E acima de tudo, amei! Não tenho mais palavras para dizer a não ser um singelo 'Parabéns'. E claro, obrigado por essa história digna de filme! ❤👏
18/01/2016 18:23:19
Nando, qdo leio cada conto eu começo a imaginar a situação como se eu tivesse ali com uma espectadora, esse seu conto em qstão fez eu sorrir por vários capítulos, mas nos pesados (qdo Danilo foi sequestrado e judiado) eu senti um misto repulsa dos bandidos e pena do Danilo, eu raramente choro qdo estou lendo, eu me segura ao máximo, pois como tenho casal filhos pqnos (3 e 5 anos), qdo choro ele me perguntam o pq... mas com esse conto eu simplesmente não consegui me segurar, me emocionei d+ com ele... não eh atoa que em seu atual conto que esta sendo postado, todos a partir do 1º cap já falaram que com certeza seria excelente, vc tem o dom da escrita, o dom de encantar, emocionar e preder seu leitor à sua estória, parabéns...sem mais palavras à dizer referente à esta obra-prima, e qqr palavra que eu escreva aqui eh pouca pra descrevê-la...
08/12/2015 13:47:57
dfakLFHLFHSKFKAFJAÇLDK
09/09/2015 13:13:33
Nando, teu agradecimento não abre. Gostaria de lê-lo. Manda para mim, por favor ( plutao underline fogo arroba yahoo ponto com ponto br). Um abraço carinhoso para ti e teu companheiro, Plutão
09/09/2015 09:00:14
Nando não estou conseguindo ler o seu agradecimento... Por favor da uma olhada pois quero saber o q aconteceu. Beijos ^^
05/09/2015 12:14:42
👏👏👏👏👏👏👏 Parabéns por essa brilhante e emocionante história.
A&M
28/08/2015 20:18:57
muito emocionante! sem palavras aqui, adoro a maneira que vc escreve! sua fã A&M
27/08/2015 11:14:18
Nao demora a postar um novo conto!!!!! Muito bom os seus contos!!!! Um beijo no lada esquerdo do peito!!!! Te Adogoooooo!!!!!!
25/08/2015 21:44:59
Vc me surpreendeu Nando Mota ❤ adriph7@hotmail.com podemos ser amigos? Pessoal podem conversar comigo tá
25/08/2015 18:50:24
É grandioso, como você consegue nos surpreender e diante tudo isso, Muito obrigado, por não se achar grande demais (ALGO QUE VOCÊ JÁ É), e nos deixar longe de suas histórias aqui na CDC.
25/08/2015 15:54:12
Sempre fico triste com os finais de seus contos. Ansioso pro próximo, abracos man...
25/08/2015 14:38:46
Adorei!! Mto lindo!
25/08/2015 14:36:45
Como é belo quando a pessoa "levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima"! Como foi ponderada a tua punição para os meliantes, sem precisar de recorrer à Lei de Talião (com isso, Karl ficou inocente no processo todo), mas apelando para uma verdade inexorável: "Quem semeia vento, colhe tempestade!" (ditado popular). Um abraço carinhoso, Plutão
25/08/2015 14:36:38
Maravilho, olha vc esta de parabéns pelo excelente conto que vc nos proporcionou, e eu amei essas suas palavras finais. Fiquei super feliz com o final do conto, e mais feliz ainda pq o Danilo e o Karl ficaram juntos. Espero poder ler outro conto seu brevemente, bjss até!
25/08/2015 12:36:18
ESQUECI DE DIZER VOLTA LOGO OK? NÃO ME DEIXA SOFRER MUITO TEMPO COM ESTA SAUDADES NO PEITO ...QUE POSSO DIZER HA NÃO SER : TE AMO DEMAIS ANJO
25/08/2015 12:33:54
Nandinho, maravilhoso e emocionante estou chorando até agora pela linda historia que tivemos o privilegio ler , mas quero te dizer que minhas lagrimas não são só pela emocionante historia é também pela saudade que vou sentir da tuas historias e de ti meu escritor querido e amado! UM ABRAÇO TAMANHO DO MUNDO BEM APERTADO E UM BEIJÃO NO CORAÇÃO ...
25/08/2015 12:19:51
Lindo,forte e tocamte.
25/08/2015 09:47:18
Nando tem certeza q vc é prof de matemática?! Pq to duvidando e pensando q é escritor profissional... Se bem q escritor eu tenho certeza q vc é, mesmo q só nas horas vagas. Meu querido venho aqui só pra dizer q vc, novamente, nos fez muito feliz com essa fantástica história... Esse final foi Perfeito!!! Vc sempre consegue nos contagiar com suas palavras e eu amo ler todas elas!! Um beijão ^^
25/08/2015 08:43:41
Lindo conto!! Lindas palavras. EMOCIOMANTE. Obg meu professor
25/08/2015 07:32:35
meu amado amigo amigo gostei muitissim desse final !! a condenação dessas aberraçoes e a morte deles não poderia ter sido melhor.assim como a reconciliação do danilo com seu amado seria estupidamente injusto eles ficarem separados .espero te acompanhar na outra jornada desde o começo.beijo da sua lindona meu nando.