Casa dos Contos Eróticos

Quando ajudei minha mãe a manter a forma

Autor: Filho
Categoria: Heterossexual
Data: 11/07/2015 15:47:24
Última revisão: 11/07/2015 19:43:36
Nota 9.80
Ler comentários (21) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Deixe-me contar-lhe sobre algo que aconteceu há alguns anos. É uma história incestuosa, então se você não curte o tema, por favor, para por aqui.

Eu era um estudante universitário de 20 anos na época, mas ainda morava na casa de meus pais. Meu velho trabalhava longas horas e passava quase o dia todo fora, ele é advogado; enquanto minha mãe é professora de matemática na mesma universidade na qual estudei. Ela é basicamente o tipo de mãe que você costuma ver em seriados de televisão com seus trajes descolados e elegantes. Sua personalidade pode até parecer forte, mas suas atitudes são encantadoras. Claro, ela às vezes é um pouco mal-humorada, mas isso faz parte de seu maravilhoso carisma, e estranhamente isso a deixa ainda mais amável.

Esta história começa em meados de abril, apenas dois meses antes do Dia dos Namorados. Minha mãe tinha acabado de dar à luz a seu terceiro filho e estava se preparando para voltar às suas funções de ensino, depois de ter passado praticamente o semestre todo de licença. E, bem, o que escrevo agora foi o que aconteceu...

-Posso falar contigo rapidinho? - Minha mãe perguntou, no momento em que eu assistia a um jogo de futebol pela Tv. - Eu meio que preciso de um favor seu.

-Claro, mas pode ser depois? O jogo está quase acabando. - Eu respondi, quase a ponto de ignorá-la com meus olhos grudados na televisão.

Ela então pegou o controle remoto e desligou a tv sem piedade.

-Poxa mãe, eu estava assistindo, sabia?!

-Você pode ver os resultados pela internet ou ver o replay no noticiário, eu realmente não me importo. - Respondeu ela com firmeza, com as sobrancelhas levantadas.

-Tudo bem, o que posso fazer pela senhora?

Suas mãos escorregaram para baixo de sua camiseta e ela à levantou um pouco para revelar sua barriga macia e sua cintura cheia de curvas para mim.

-Isso é o que você pode fazer por mim. – Ela respondeu. – Depois do parto eu tenho tentado de tudo para voltar a minha antiga forma, mas está tão difícil. Acho que a idade já está começando a pesar, não é mais tão fácil como era antes. Então, o que você me diz? Você acha que pode ajudar a sua mãe a voltar à velha rotina de exercícios? Ainda temos uma grande quantidade de equipamentos de ginástica na garagem que poderíamos usar.

-Mãe, a senhora está sendo muito dura consigo mesma. A senhora está ótima do jeito que está; ainda continua cheia de curvas como antes. Inclusive todos os meus amigos acham à senhora a mãe mais bonita que eles já viram. - Eu disse como incentivo.

-Obrigada, mas depois que tive outro filho, eu sinto desesperadamente a necessidade de entrar em forma de novo, enquanto eu ainda posso. Então o que tu me diz?

Eu dei-lhe um olhar cético. - Eu não sei o que dizer. Tipo, seria meio estranho para mim, não acha? Você sabe... Eu ter que ver a senhora fazendo repetições com pesos e tudo mais. Por que não vai a uma academia, não é melhor? Lá eles têm os melhores equipamentos, isso sem mencionar que os treinadores são capacitados.

-As academias de hoje são tão lotadas. – Ela respondeu. - Além disso, você sabe que lá tem muitos homens tarados, isso sem falarmos das maquinas que são usadas por tanta gente que devem ser cheios de germes e bactérias.

-Sério? Olha, eu frequentei aquela academia perto do shopping e, ao menos para mim, ela parecia impecável. Há uma série de regulamentos hoje em dia sobre limpeza e há bactericidas por todos os lugares.

Ela suspirou. - Tudo bem, se você quiser ouvir a verdadeira razão pela qual eu não quero ir para a academia, é porque ela está cheia de alunos meus, e a última coisa que eu preciso é que eles me vejam com roupas coladinhas enquanto trabalho o corpo. E particularmente eu não quero que minhas futuras ou ex- alunas me vejam nua enquanto estou no vestiário.

-Bem, parece que eu não estou em posição de discutir com a senhora. -Respondi.

-Não, tu realmente não estás. - Disse ela, com os braços cruzados e um olhar severo.

-Ok, vamos começar quando eu estiver pronto. Enquanto isso, vou tentar pensar em uma bateria de exercícios para a senhora.

Um grande sorriso surgiu em seu rosto e ela se inclinou para me dar um abraço. - Obrigada! Eu sabia que tu ias me ajudar. Começaremos amanhã depois que eu comprar uma roupa adequada para vestir.

****

E assim começamos; Todos os dias da semana nós encontrávamos em nossa garagem para malhar. Iniciamos com os exercícios mais simples, enquanto ela vestia calças e camisetas finas. Eu a acompanhava nos treinos básicos para começar, como nos aquecimentos na bicicleta ergométrica, seguido pelo levantamento de peso e alongamento.

Como o passar do tempo, graças a sua aptidão, ela progrediu rapidamente e assim começou a readquirir a confiança que tinha em seu belo corpo. Logo ela começou a usar calças de lycra justas, juntamente com blusinhas curtas. Enquanto eu disfarçava que aquilo tudo não me incomodava.

Ela sempre fazia questão de me agradecer de todo o coração depois de cada treino, ela assumia que eu era seu 'personal trainer', imagino que porque pensasse que aquilo tudo fosse uma grande chatice para mim. Mas o que ela não sabia, era que eu, obviamente, não queria dizer a ela, que estava começando a desfrutar de nossas sessões de treinamento muito mais do que parecia. Era uma daquelas coisas que você não sabe explicar como acontece, simplesmente acontece... Talvez tivesse a ver com o fato de que estávamos passando muito tempo juntos, ou talvez tivesse a ver com o seu magnífico corpo que ficava mais gostoso a cada dia.

Seja qual for o motivo, eu estava me sentindo atraído pela minha própria mãe. Acho que devo admitir, mas assim que entrei na puberdade e comecei a fantasiar sobre as mulheres, minha primeira paixão real havia sido ela. Claro que com o tempo essa maldita paixão havia desaparecido, mas ao ver mamãe se inclinando e fazendo certos movimentos todos os dias, fez com que aqueles velhos sentimentos voltassem, ainda mais forte do que antes.

Dois meses então se passaram

-É isso aí, mais uma vitória. - Eu gritei em incentivo, assim que minha mãe terminou uma seção de halteres.

Ela depositou os pesos sobre o chão e logo balançou os braços para aliviar a tensão, como eu havia ensinado a ela.

-Ufa! Nós temos pegado pesado ultimamente nesses treinos. - Ela suspirou com sua respiração pesada. - É cansativo, mas me sinto muito bem. Eu acho que nunca pratiquei tanto exercício assim em toda a minha vida, nem mesmo na minha época de faculdade.

-Bem, a senhora melhorou muito desde que começamos. A senhora realmente tem aptidão para essas coisas.

Ela sorriu e ergueu o braço para flexionar seu bíceps através de suas roupas. - Obrigada. Meu pai e meus irmãos também praticavam esportes e fitness, e eles eram muito bons nisso. Então, eu acho que deve ser a genética de nossa família.

-Se for esse o caso, é melhor se apressar e terminar esta última serie, enquanto ainda está no ritmo. - Eu disse, apontando para o banco de treino para que continuasse a levantar os halteres. – Antes que seu corpo esfrie.

-Espere um segundo, esta camiseta está me matando.

Minha mãe casualmente virou-se para retirar a camiseta e colocou-a cuidadosamente em uma mesa que estava próxima. Ela usava um sutiã esportivo; virou de volta enquanto tomava um gole de água em sua garrafa. Completamente alheia ao fato de que eu estava tremendo diante de seu corpo esculpido. Meus olhos rapidamente rolaram em cima de sua conjuntura e de seus filetes de suor que brilhavam na parte inferior e superior de suas costas, ombros e braços. E assim que ela terminou com sua bebida, voltou-se para se concentrar em seu levantamento de peso novamente, e eu tentei disfarçar o máximo que pude.

-Oh, desculpe por ficar assim. - Disse mamãe, assim que pegou meus olhos sedentos em cima de seu corpo. – É que está calor. Além disso, eu me sinto mais a vontade assim.

-Bem, eu acho que sei porque, a senhora está ótima! Quero dizer, a senhora sempre foi bonita, mas agora... Seu corpo parece tão diferente.

-Obrigada! - Ela sorriu, olhando para a barriga durinha e dando-lhe uma leve tapinha. – Quem diria que uma dieta saudável e muito exercício fariam isso tudo. E eu devo tudo a você.

-A senhora pode me agradecer terminando essa serie.

Eu não precisei me prolongar mais, não tardou e ela se abaixou para pegar um conjunto de halteres mais pesado e deitou-se no banco para continuar. Como sempre, eu indiquei quantas repetições ela deveria fazer e ela o fez de forma perfeita. Mas pela primeira vez, eu estava vendo-a fazer um exercício tão extenuante vestida com uma parte superior tão provocante. Meus olhos estavam encantados com a visão de seus tríceps e ombros flexionados. Mas, mais do que qualquer coisa, ver os músculos em seu peito me deixaram excitado. Afinal, aqueles grandes seios estavam sendo espremidos bem diante de mim.

Quando ela terminou se sentou para colocar os pesos em suas coxas, deu uma rápida respirar, e em seguida, recolocou os pesos no chão para que pudesse tomar mais água. Meus olhos aparentemente tinha vontade própria, pois eles percorriam o seu corpo mesmo eu sabendo que não deveria fazer aquilo. E mais uma vez, acabei sendo pego por minha mãe.

Ela colocou as mãos na cintura e sorriu. - Tu estavas me olhando?

-O quê? Claro que não! Eu não sei por que a senhora acha isso.

-Tu nunca soubeste mentir, sabia?! - Disse ela com um sorriso. - Vamos lá, desde que eu tirei minha camiseta percebo que tu olhas para meu corpo com o canto dos olhos. Acabei de te pegar olhando para meus peitos agora mesmo.

-Credo mãe, estou me sentindo até ofendido. Falei ousadamente, quase que sorrindo como se tudo fosse brincadeira. – A senhora me pediu para ajudá-lo a se exercitar, e quando tento monitorar o seu progresso, sou acusado de tarado. Isso não é maneira de falar com o próprio filho.

-Não minta. Eu sei que tu estavas me olhando, eu vi, não precisa negar...

-Tudo bem... Eu estava olhando sim, desculpe. É que a senhora fica muito bem usando esse top. Respondi muito envergonhado. –Pronto confessei, a senhora está feliz agora?

Suas sobrancelhas levantaram rapidamente e percebi que ela segurava uma gargalhada. – Era isso que eu temia. Não queria ser uma distração pra ti, por isso que sempre usei a camiseta, não importava o quão quente estava. Além disso, eu só comprei esse sutiã esportivo recentemente, e antes disso eu usava um sutiã bem normal por baixo. Acho que se fizesse isso, meus mamilos ficariam muito salientes, já que eu ainda estou amamentando.

-Ah... Mas isso não tem nada haver, a senhora poderia ter ficado a vontade, mesmo com um sutiã normal.

-Homens... Vocês realmente são todos iguais. - Disse ela com uma risadinha. -Eu só espero que o seu pequeno fascínio por meus seios não o atrapalhe em nossos próximos treinos.

-Espero que não. Mas se a senhora continuar vestida assim eu não sei não. – Respondi com bom humor, como se tudo aquilo fosse só uma grande brincadeira de minha parte.

Ela colocou os dedos ao redor da parte inferior do sutiã esportivo e rapidamente abaixou o decote, com tudo, expondo seus maravilhosos seios nus pra mim.

-Pronto! Agora tu podes parar de se perguntar como eles devem ser... - Falou ela, como se minha atitude fosse de alguém imaturo, e que aquilo fosse completamente normal. - E eu espero que tu olhes bem, porque não vai vê-los de novo.

Eu estava perplexo enquanto olhava e examinava aqueles divinos seios de fora. Eles eram grandes e redondos, e incrivelmente arrebitados como os de uma jovem. Ela não estava brincando quando mencionou que seus mamilos estavam salientes por causa da amamentação, suas aréolas estavam inchadas e tinham uma cor um pouco amorenada. E quando ela achou que eu já tinha visto o suficiente, levantou o top de volta e cobriu-se mais uma vez.

- Nossa, ganhei minha semana. – Falei sorrindo, mas bem baixo, quase perdendo as palavras. - Eu nunca tinha visto mamilos tão bonitos antes.

-É o mínimo que eu posso fazer depois de tu ter me ajudado. Só não me peça para eu fazer isso de novo, nem conte isso a ninguém, caso contrário eu vou ficar muito chateada contigo. Agora, amanhã nós continuamos com os nossos treinos. - Disse ela com um sorriso meio cínico.

***

Por mais difícil que fosse para mim, eu não comentei nada sobre o dia em que ela me mostrou rapidamente seus seios, por conta de seu aviso; que deveríamos manter aquilo em segredo e que nunca se repetiria de novo. Eu não queria correr o risco de fazer besteira e acabar perdendo sua companhia naquelas tardes.

Mas, ao mesmo tempo, sabia que ela já tinha conhecimento da admiração que eu sentia pelo seu corpo. Ao jantarmos em uma noite qualquer, percebi que ela usava uma camisola muito decotada e curta, algo bem atípico, como se fizesse aquilo para me provocar. Como se tivesse gostando de saber que seu próprio filho sentia desejos por ela. Então, em um dado momento, quando deitei em minha cama para dormir, eu fiz a única coisa que eu poderia fazer para saciar minhas fantasias.

Dois dias se passaram desde então. Era terça-feira, o que significava que mamãe só trabalhava pela manhã na faculdade e a tarde usaria seu tempo livre para executar tarefas domésticas ou assistir novelas.

Mas naquele dia, assim que cheguei da escola, notei uma sacola de compras em cima de sua cama no momento em que entrei em seu quarto.

-Ah... Eu não esperava que tu chegasses tão cedo. Disse mamãe no momento em que saiu do banheiro, parecendo surpresa ao me ver.

-Sim, bem, eu tive prova hoje e acabei saindo mais cedo. Respondi. -Então, a senhora fez compras? Comprou alguma coisa interessante?

-Olha... Vou te contar apenas porque estou de bom humor. Mas eu comprei umas lingeries para comemorar o dia dos namorados com o seu pai. Ele vai ter uma surpresa essa noite.

-Nossa! Isso é demais. Tenho certeza que ele vai adorar.

-Tenho certeza que sim. - Disse minha mãe, sorrindo logo em seguida. – Não queria te revelar isso, mas o principal motivo para eu querer entrar em forma tão rápido foi por causa dessa noite. Por conta de minha gravidez e a excessiva falta de tempo de seu pai, nossa vida amorosa tem sofrido muito nos últimos anos, então achei que hoje seria o dia perfeito para apimentarmos as coisas entre nós.

Ouvir minha mãe dizer que planejava fazer algo sexy para aquela noite foi demais para a minha compostura.

-A senhora ficou muito mais gostosa nesses últimos meses, tenho certeza que papai vai pirar hoje. - Respondi.

-Obrigada. Mas nada disso seria possível sem a tua ajuda. Sabe, eu experimentei umas roupas novas ontem e mal pude me reconhecer. Acho que teu pai ainda nem notou a mudança, mas hoje vou fazê-lo perceber.

-Tenho certeza de que ele vai. Falando nisso... Que tal uma segunda opinião? Sabe, talvez a senhora possa me mostrar e eu posso dar minha opinião, que tal ? Já vi a senhora seminua, acho que vê-la com lingerie não vai ser nada demais.

Ela colocou as mãos nos quadris e me lançou um olhar severo, mas maternal que só ela sabia me dar.

-Eu não disse que nunca mais falaríamos sobre aquilo de novo?

-Sim eu lembro, mas eu estava apenas me referindo ao que vi em nossas seções de exercícios esses últimos meses, ou a senhora não lembra que sempre usa roupas muito coladas no corpo?! Isso é normal, são roupas de malhar. Não estava me referindo aquele dia to topless. – Expliquei da forma mais cínica que consegui.

-Sei... Mas tudo bem; vou fingir que acredito. Então vire-se de costas enquanto eu me troco, quando estiver pronta eu te aviso.

Fiz o que ela mandou e me virei para o corredor, ouvindo atentamente os sons de seu despir. Meu coração começou a acelerar e minha imaginação trabalhava nos sons selvagens de cada peça que era removida. Ouvi inclusive o barulho da sacola nova de compras sendo mexida.

-Ok, já estou pronta. - Disse ela hesitante.

Quando me virei para olhar fiquei espantado com o que vi. Minha elegante e respeitável mãe parecia mais sexy do que nunca. Usava apenas uma lingerie acanhada que só servia para cobrir uma pequena parte de seus seios e virilha. Aquela era a primeira vez que eu via seu corpo de forma tão despudorada, e aproveitei para tirar proveito disso; com os meus olhos rapidamente percorri seus bonitos pés descalços e suas torneadas coxas atléticas; sua saliência era coberta apenas por um tecido muito transparente, assim como os seus maravilhosos seios.

Ela então levou suas mãos até seus quadris, mas desta vez seu rosto expressava um largo sorriso orgulhoso. -Então o que tu achaste?

-Eu acho que a senhora está absolutamente deslumbrante. Papai é um cara de muita sorte. Sério mãe, a senhora está fantástica. Está tão linda que poderia competir com qualquer modelo de lingerie famosa.

-Obrigada. - Ela respondeu com muita confiança. -Como eu disse antes, eu devo tudo isso a você.

Mamãe brincando levantou os braços para flexionar seu bíceps, da mesma forma que um fisiculturista faria. Logo depois ela colocou uma das pernas sobre sua cama e exibiu uma de suas coxas; inclinando-se para frente e passando seus dedos por sua pele, como se estivesse me mostrando sua mudança corpórea.

-Seu corpo ficou deslumbrante mãe. Nossos treinos valeram a pela mesmo.

-Com certeza. - Respondeu ela orgulhosa. -Falando nisso... O show acabou. Deixa eu me trocar agora, me espere lá em baixo que já está na hora de treinarmos.

-Tudo bem... Mas antes me responda uma coisa, a senhora não disse que eram dois pares de lingerie, cadê o outro? - Eu perguntei.

-Sim, mas o outro tu não pode ver.

A imagem de minha mãe usando peças ainda mais sexys do que aquelas me deram um arrepio na espinha.

-Oh...

-Desculpe se cortei seu barato. Mas espero que essa coisa estufada em no seu short não seja o que estou pensando. – Seus olhos estavam fixos na protuberância crescida de meu membro.

-É claro que não é...

-Então, se não é, me mostra. - Disse ela com uma das sobrancelhas levantadas.

Fiz uma pausa por um brevê momento, e com o meu silêncio respondi a sua pergunta.

Ela me desferiu um sorriso simpático, como se aquilo não fosse nada de mais. -Olha, tu tens sido um rapaz muito legal comigo, Um filho admirável, que sacrificou boa parte do seu tempo para que eu pudesse ter esse resultado. Então... Se tu realmente está interessado, eu estou disposta a te ajudar.

-O que a senhora quer dizer com isso...

Ela acenou com a cabeça para o meu pau. - Se tu quiseres, eu posso cuidar dessa tua ereção. Mas só se tu prometeres que vai ser maduro o suficiente para continuar me respeitando e nunca contar isso a ninguém.

-Eu prometo.

Ela deu alguns passos para frente e se ajoelhou diante de mim. Eu congelei, e tudo que pude fazer foi ver minha gostosa mãe abaixar minhas calças, enquanto vestia depravadas peças de lingerie.

Uma vez que meu pau foi libertado, ela não perdeu tempo e o colocou dentro de sua boca e danou-se a chupá-lo. Seus lábios formavam um anel vedado que me apertava em volta de seu eixo enquanto ela balançava a cabeça rapidamente, para trás e para frente, e dessa forma mamãe me dava o melhor boquete de minha vida.

O som vulgar de sua chupada enchia o aposento de luxúria. Ela chupava e chupava como se não houvesse amanhã, como se aquele momento fosse o único, podia inclusive ver sua saliva brilhando e escorrendo em volta de meu pau. Sua perícia era usada com cada vez mais primor e seus lábios me guardavam cada vez mais dentro de sua boca.

Antes que eu percebesse, minha mãe me tinha totalmente dentro de sua garganta; era a famigerada garganta profunda que todos falavam, conseguia até sentir seus lábios quase tocarem em minha virilha. Ela olhou para mim e gemeu. - 'ta Da'. - Como se quisesse me mostrar que aquele era seu talento na hora de um boquete.

Sua boca passou a retroceder em seu caminho de volta e assim que seus lábios se afastaram de minha pica, ela encostou sua língua em minha Glande e começou a me masturbar; dando-me o prazer de ambas as formas.

-Mamãe... Eu vou gozar... - Eu avisei.

Para o bem ou para o mal, minha mãe ignorou meu aviso e continuou seu trabalho. Logo ela voltou a encher sua boca com meu pau e a me dar aquele boquete maravilhoso. Não aguentei e gozei como um jato dentro de sua garganta. Ejaculava cada vez mais enquanto mamãe fazia sua sucção e tomava todo o meu esperma.

Aquilo me deixou fraco. Ela só me largou depois de ter tomado até a última gota de meu sêmen e deixar meu pau mole. Depois ainda arrastou a língua em volta de seus lábios e passou as costas de uma de suas mãos para completar a limpeza de sua boca.

-Tu tens um esperma mais gostoso do que teu pai. Explicou ela casualmente, olhando para mim, ainda de joelhos.

-Nossa mãe... A senhora foi incrível...

Ela levantou-se e piscou para mim. Estávamos face- a -face.

-Fico feliz por tu ter gostado. Agora me deixa que vou tomar um banho. Não esqueça que teremos treino amanhã.

***

Na manhã seguinte, meus olhos ficaram vidrados nas pernas da mamãe durante todo o nosso treino. Afinal de contas, ela usava um novo shortinho que abraçava suas coxas perfeitamente. E os exercícios daquele dia consistiam de um longo aquecimento e uma exaustiva pedalada na bicicleta ergométrica, seguida de algumas séries de agachamentos ponderados.

-Parece distraído hoje, tem alguma coisa te incomodando? – Brincou mamãe, talvez já sabendo a resposta.

-Acho que a senhora já sabe... - Respondi sorrindo. - Sei que a senhora não gosta que eu comente, mas já que perguntou... Sabe, eu não parei de pensar sobre o que aconteceu ontem. Foi muito bom, eu gostei muito.

Ela deixou escapar um grande sorriso.

-Obrigada. Na verdade, aquilo fez com que meu dia dos namorados fosse ainda mais especial, sabia?

-Sério? Como assim?

-Bem, sabe... Seu pai ficou muito impressionado com a lingerie, e com as diferentes posses que fiz pra ele. Expliquei também, que o resultado de toda essa performance só foi possível graça a tua ajuda, e então ele começou a se interessar sobre como passamos nossas tardes juntos. Não consegui mentir, e acabei falando do dia em que te peguei olhando para o meu corpo, e como eu te mostrei meus peitos sem problema... Tu deverias ter visto a cara que ele fez...

-Ele ficou com raiva? - Perguntei, no maior medo que senti em minha vida.

-Não. - Respondeu ela. -Pelo contrário, os olhos dele brilharam de uma forma que há tempos eu não via. Então continuei a contar como eu uso roupas sexy em nossas malhações, e como é engraçado quando tu ficas excitado... E... Acabei deixando escapar que fiz um boquete em ti, e isso o deixou muito tarado.

-O QUÊ? ISSO É VERDADE? – Perguntei muito nervoso. Estava tentando entender o que mamãe tinha acabado de dizer, mas minha cabeça parecia funcionar lentamente.

-Claro que é verdade. – Falou ela de um jeito bem sério.

-Nossa isso é uma surpresa pra mim. Nunca imaginei que papai gostasse desse tipo de coisa.

-Ele gosta sim, uma vez, há muitos anos atrás pensamos em fazer uma troca de casais... Mas na hora H ele ficou com medo é acabou desistindo. Acho que ele sempre quis me ver com outro homem. Isso o excita a tal ponto, que ele me fez contar todos os detalhes sobre o boquete. E depois, ele ainda me fez interpretar um papel de que eu era a mãe dele e ele me comia desesperadamente. Nossa!! Fizemos amor como nunca havíamos feito. Acho que além do fetiche de outro homem, seu pai deve gostar muito de incesto.

-Nossa... Não sei nem o que dizer... Mas incesto é mesmo muito excitante, ainda mais com uma mãe como a senhora.

Minha mãe sorriu.

-Vocês dois são muito parecidos.

-Confie em mim, qualquer homem teria a mesma fantasia incestuosa se tivesse uma mãe como a senhora. A senhora é a mulher mais bonita de todas.

Ela piscou para mim e me beliscou na bochecha.

-Vamos, eu preciso tomar banho agora. Talvez tu possa vir comigo, assim nós podemos dar um outra história erótica pro teu pai.

Segui minha mãe pelas escadas e nós dois caminhamos até o banheiro principal de mãos dadas.

Uma vez lá, ela levantou os braços e perguntou:

-Quer fazer as honras?

-Eu adoraria. - Respondi, removendo seu top por cima de sua cabeça, deixando-a de topless.

Ela se abaixou e fez o resto, tirou o apertado short e calcinha de lycra e ficou completamente nua diante de mim. Eu estava hipnotizado pela visão de seu corpo. Sua conjuntura parecia perfeitamente proporcional, com a quantidade certa de tônus muscular, mas mantendo muito de suas curvas femininas, que a faziam parecer extremamente sexy. Vê-la inteira nua pela primeira vez foi à coisa mais maravilhosa que já havia me acontecido. Seus quadris e coxas eram bastante espessos, e sua virilha estava toda raspada, com uma bela marca de biquíni a contornando.

-A senhora é linda mãe. – Falei honestamente.

-Obrigada. Agora é sua vez de tirar a roupa. Recuso-me em ser a única nua aqui.

Dito isso, ela não perdeu tempo em tirar minha camiseta, short e cueca, jogando-os para longe de nossos corpos. Agora claro que me senti estranho em estar nu diante de minha própria mãe, mas aquele constrangimento valia a pena.

Ela me analisou minuciosamente, da mesma forma que eu tinha feito ao estudar seu corpo. E assim que ela viu o que queria ver, me puxou para debaixo do chuveiro com ela, para que pudéssemos continuar nossos atos de incesto.

-Tu podes começar lavando minha bunda. – Disse mamãe ao me entregar o sabonete líquido.

Peguei o frasco de sua mão, espirrei em suas costas e comecei a esfregá-la na parte superior, enquanto ela lavava o cabelo com shampoo. Meus dedos roçavam contra sua pele enquanto eu ensaboava seu corpo esculpido. Centímetro a centímetro, fiz o meu caminho para baixo, para sua extremidade traseira voluptuosa. Estava ansioso para lavar suas saliências.

Assim que mamãe terminou de lavar os cabelos, ela se virou e disse que eu poderia lavar a parte da frente se quisesse.

-Tu não queres lavar a frente também? - minha mãe perguntou com um olhar malicioso no rosto.

-Claro que quero. – Respondi. - Eu amo seus seios mãe, especialmente os mamilos, eles são perfeitos.

-Obrigada. - Ela sorriu. – Eles ficam bem grandes quando estou amamentando. Agora pode começar a me lavar.

Iniciei por cima, pelos suculentos peitos, pressionava minha mão contra eles e conforme eu ia os esfregando, fui sentindo seu leite escorrer por entre meus dedos. Eles eram macios e gostosos. Aquilo era muito bom; ver minha mão os pressionando enquanto eu os ensaboava e os via sacudirem a todo o tempo. Então, em um dado momento, apertei contra a lateral de um de seus seios e o leite começou a vazar através do mamilo inchado, me fazendo pirar.

-Parece que tu gostaste mesmo. – Mamãe falou de forma provocante.

-Sim... Sempre tive fantasia com seios cheios de leite, agora nunca imaginei que os primeiros que teria acesso seriam os de minha própria mãe.

Ela sorriu.

-Bem, na verdade não é a primeira vez que tu tens acesso aos meus seios, afinal de contas eu te amamentei, não lembra? E, tipo, se tu tiveres com vontade de voltar a mamar agora eu não me importaria.

-Sério?! Nesse caso, eu espero que a senhora tenha leite o suficiente. – Falei com um sorriso maroto.

-Espere um segundo...

Assim que mamãe removeu o sabão de seu corpo, desligou o chuveiro e deu um passo para fora do boxe para se secar com uma toalha. Ela a esfregou rapidamente sobre sua pele molhada e depois a me entregou para que eu fizesse o mesmo.

Logo depois, ela usou as duas mãos para levantar os seios, como se quisesse modelá-los para mim.

-Ok, eles são todos seus agora.

A vontade que tinha era de enterrar meu rosto entre os pesados seios de minha mãe, mas tentei manter a calma. Em vez disso, eu simplesmente os peguei em minhas mãos e comecei a brincar com eles, massageando-os bem lentamente. Eles eram suaves e firmes, e quando eu os apertei um pouco, meus olhos foram enfeitiçados pela visão do seu leite vazando pelos longos bicos salientes.

-Não tenha medo, isso é normal. – Explicou ela. - Vá em frente, eu to mandando.

Sem precisar que mamãe insistisse mais, eu me abaixei e passei a recolher o leite de seu peito. Ele tinha um gosto surpreendentemente doce, não tardou e eu levei um dos grandes mamilos para dentro de minha boca e comecei a chupa-lo. Ela logo deixou escapar um pequeno suspiro e esfregou meus cabelos mostrando que havia aprovado minha amamentação.

-Isso é tão bom... - Ela sussurrou. - Isso me trás boas recordações...

-Posso perguntar uma coisa pra senhora? - Perguntei assim que retirei seu mamilo de minha boca.

-O que tu quiseres.

-A senhora está gostando? Ou a senhora está fazendo isso apenas para deixar o papai excitado?

O rosto de mamãe de repente ficou vermelho.

-Vocês dois são os homens mais importantes da minha vida, e eu te amo tanto quanto a ele. Agora, já que é preciso praticar um pouco de incesto para deixar seu pai feliz, então que assim seja. Além disso, tenho necessidades como qualquer outra pessoa. Que mulher não iria querer dois homens a servindo sob o mesmo teto?

-Nossa, nunca pensei, que...

-Bem, agora que já chegamos até aqui, preciso de perguntar uma coisa: tu gostas de sexo anal? - Perguntou mamãe sem rodeios, com uma das sobrancelhas levantada.

-Sexo anal?! – Perguntei gaguejando muito, quase não acreditando naquelas palavras. - Eu amo. A senhora está falando sério ou está apenas me provocando, só porque eu não consegui tirar os olhos de sua bunda enquanto estávamos no chuveiro.

-Tu sabes que eu nunca iria fazer algo tão cruel assim como a provocá-lo. - Ela respondeu, sorrindo. - Agora vamos para meu quarto e aí tu me mostrar se realmente ama anal.

Ela me pegou pela minha mão e me levou até seu quarto.

Uma vez que estávamos perto de sua cama, ela imediatamente caiu de joelhos e começou a chupar o meu pau com tanto zelo e entusiasmo, que parecia uma atriz pornô, e após engolir e expelir várias vezes minha masculinidade de seus lábios, ela parou.

-Agora que tu já está duro como pedra, tenho certeza que sabe o que deve fazer.

Minha mãe subiu na cama e ficou de quatro; com suas duas mãos arreganhou bem sua bunda e seu pequeno ânus marrom incrivelmente convidativo pareceu. Eu não me atrevi a desperdiçar nenhum segundo, me inclinei para frente e beijei a carne de entrada macia de sua extremidade traseira. Lancei um breve olhar sobre seu buraco apertado e o massageei com meus dedos. Dei-lhe um longo beijo, plantando meus lábios em sua íntima área, antes de arrastar minha língua em sua majestosa estrutura.

Ela tremeu e gemeu enquanto eu balançava minha língua em seu rabo. E isso me encorajou de ir ainda mais longe, e logo empurrei minha língua no interior de seu cu. Ela imediatamente soltou um abafado grito, assim que fui afastando as paredes de sua retal estrutura. Enterrei a língua o máximo que pude afim de melhor saborear o interior de mamãe, e ela agradecia gemendo e tremendo as pernas.

Naquele momento eu sabia que poderia a ter presenteado com um avassalador orgasmo em poucos minutos. Mas por que faria isso? Nós dois ainda estávamos apenas começando.

Então eu me levantei e me posicionei diante do traseiro bem torneado de minha mãe. Ambas as nossas áreas sexuais estavam bem revestidas com uma abundante quantidade de saliva molhada. Gentilmente pressionei a cabeça de minha pica contra a entrada de seu ânus e apesar de sua bunda estar completamente arreganhada, não foi fácil adentrar em seu buraco. E ela sabia disso, por essa razão ainda me ajudou afastando o máximo que pode suas nádegas.

Minha mãe lançou um infante suspiro quando o meu pau entrou por trás dela. Seu corpo tremia e ela imediatamente, com uma das mãos, apertou os lençóis da cama. Seu ânus era incrivelmente apertado, e a cada centímetro que chegava mais fundo notava uma maior rigidez em minha empreitada, e a fim de prosseguir, empurrei bem forte o que faltava com tudo em seu reto. Foi um prazer indescritível.

Minha virilha já pressionava o seu traseiro, enquanto minha ereção latejante estava enterrada profundamente dentro de mamãe. Conseguia inclusive sentir as paredes de seu ânus sendo esticadas e sendo forçadas a se adaptarem ao ato sexual. E em pouco tempo, minha mãe de temperamento forte e respeitável, cedeu aos prazeres do seu cu sendo fodido, quando eu lentamente comecei a fazer o caminho inverso.

Seus suspiros e gemidos aumentaram a cada estocada. E depois de vários minutos de selvagens penetradas fortes e audíveis, mamãe pegou uma de minhas mãos e levou até seu clitóris e passei a masturbá-la.

Logo, seus gemidos e sons verbais foram se tornando gritos. Uma grande quantidade de fluidos correu por entre meus dedos que se encontravam dentro de sua vagina, no momento de orgasmo. Seu corpo foi ficando tenso e seus músculos me apertaram com força, o que foi mais do que suficiente para eu ter um dos maiores orgasmo de minha vida.

-Goza dentro de mim! Goza dentro... - Minha mãe gritou quando eu atirei uma enorme carga de sêmen dentro de seu reto.

Nossos corpos foram ficando moles e não demorou e para eu cair por cima de seu corpo. Ficamos ali parados por alguns minutos, respirando profundamente, dava até para escutar o resultado de nossa fadiga.

-Oh Nossa... Essa foi a melhor foda que já tive em toda a minha vida. - Disse à minha mãe.

Assim que ela encontrou energias, se virou de lado e me puxou para beijá-la na boca por um breve momento.

-Sabe... Se eu soubesse que fazer sexo com meu próprio filho fosse tão divertido, eu teria feito isso antes. Tu foste fantástico.

-É melhor que levantar pesos, não é? - Eu brinquei. – Eu queria ter tido coragem de tentar alguma coisa com a senhora mais cedo. Faz tempo que eu queria que isso acontecesse... A senhora nem faz ideia como sonhei com esse momento...

Ela sorriu.

-Bem, eu acho que nós devemos prolongar nossos treinos e adicionar mais uma atividade em nossa rotina de fitness. Vamos começar comendo alguma coisa agora e depois podemos voltar para transarmos. O que tu achas?

Comentários

24/06/2017 17:05:47
Esse conto foi maravilhoso!!! Por favor continue a história.
15/01/2017 14:43:21
Muito bom! amantedoamor6@gmail.com
29/09/2016 22:11:25
nosso que conta mais excitante gozei muito gostoso lendo esse conto, se for possível mandar umas fotos dessa mãe deliciosa agradeço pedrobaldy18@gmail.com
02/08/2016 09:57:10
Excelente, muitissimo tesudo, tanto que merece continuação. E estarei esperando.NAO VEJO A HORA DE LER A CONTINUAÇÃO
10/09/2015 03:20:52
Muito bom!!!
27/07/2015 18:55:02
Tesão de conto, mas com uma mãe assim que resistiria né, sua mãe e um tesão, como gostaria de ter momentos assim com ela...
20/07/2015 10:34:05
Delicia de conto, sortudo você, parabéns!
16/07/2015 23:11:46
Opa MT boa a estória! To louco pra ter as minhas pra contar, te perguntar d onde vc eh? Notei o sotaque mas não identifiquei. E de os parabéns a sua mãe, uma mulher incrível.
15/07/2015 13:24:58
muito bom demais
13/07/2015 13:11:03
Delicioso conto. R que mamãe... thepowerguidosempre@ig.com.br
12/07/2015 22:44:40
SUPER, HIPER FANTÁSTICO, MUITO BEM D ESCRITO, CHEGUE A SENTIR O GOSTO, MERECE UMA CONTINUAÇÃO MESMO.
12/07/2015 14:43:50
sem palavras, isso foi fantastico
11/07/2015 22:25:27
Excelente!! Digno de aplausos
11/07/2015 21:46:04
com uma mae dessas ninguem precisa de outra mulher
11/07/2015 18:53:28
Fantástico, muito bom, parabéns.
11/07/2015 18:49:49
Bravo! Bravo! Um dos melhores contos que já li, vc está de parabéns.
11/07/2015 18:28:47
fiquei maluco! muito tesão senti. a minha namorada está fora, por isso vou bater uma bela punheta em homenagem a sua mãe.
11/07/2015 18:19:49
muito bom
11/07/2015 18:16:20
Excelente, muitissimo tesudo, tanto que merece continuação. E estarei esperando.
11/07/2015 17:43:38
Que mãe gostosa VC tem, espero que no próximo conto VC meta muito na buceta e no cu dessa gostosa e quem sabe ate uma DP com VC e seu pai arrombando essa puta gostosa
11/07/2015 16:43:24
Conto fantástico, excitante, e por isso, o parabenizo.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.