Casa dos Contos Eróticos

Comendo á Crente do Coral

Autor: Admirador
Categoria: Heterossexual
Data: 22/07/2015 18:28:02
Nota 9.57
Ler comentários (5) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Conforme minha adolescência tive uma descoberta muito intensa na minha vida, desde que descobri meu intenso tesão em mulher mais velhas, nunca fui o mesmo.

Desde meus 14 anos, frequento uma igreja evangélica tradicional, sempre muito religioso, liderando jovens, cantava em quartetos, bandas. Surpreendi muito familiares ao concluir e me torna engenheiro civil, meus pais tinham muita convicção que me graduaria em teologia, por ser tão ligado á essa denominação.

Porém sempre tive outro eu que sempre bateu de frente com meus dogmas evangélicos, sempre tive um forte tesão em coroas, "Comia varias com o olhar", Me amarro em jogo de conquista, levar pra cama, ver uma mulher gozar de prazer, de satisfazer,conquistar e sempre lutei muito contra isso.

Como, quase nunca tive sucesso em conquistar esse publico de mulher, á unica forma que conseguir de me aproximar foi através do bate papo, ali fica horas e horas tentando com minha inexperiência, uma unica oportunidade de sair de fato com alguma mulher interessante.

Um dia teclei com uma Mulher, da grande Vitoria, 33 anos na epoca, morena, linda, linda e pra me impressionar da mesma Congregação que á minha, teclávamos diariamente até que um dia conseguir sair com ela. Saimos e num breve resumo, conversamos bastante, ela me achou com super cara de jovem, nos beijamos e nada mais que isso. Fiquei numa neura danada por não ter conseguido nada além disso, pois ela era uma baita de gostosa, sempre tive tara em mulheres com altura maior que 1,82 e Gal com seus 1,85 me fascinou, porém para meu insucesso nada rolou á mais que apenas uns beijos bem quentes.

Tempo passou, aquele menino fascinado e viciado em coroas, ficou bem mais velho, antes um um playboi, que vivia para faculdade, para igreja e suas aventuras com diversas mulheres, hoje se tornará um homem, de 29 anos, noivo, Totalmente atarefado com sua profissão. Antes sustentado e totalmente apoiado pelos pais, hoje ja sem eles, pois nesses percurso os mesmo ja haviam falecidos, aumentando ainda mais á responsabilidade desse jovem Homem.

Nesse tempo, me desvinculei de lideranças e cargos na igreja, confesso que desanimei bastante depois de perder meus pais, pois não entrará na minha cabeça, como poderia eu, sempre assíduo e fiel, ter perdido meus pais tão cedo. Demorou muito para me recuperar, mas melhorei bastante, porém nunca voltei á ser membro da igreja mas nunca deixei de visitar e frequentar aos cultos.

Belo domingo, como de costume, me arrumei e fui á igreja, para minha surpresa nesse domingo teria um coral com conjunto de louvor de uma cidade próxima, quando começou á programação, adivinha quem estava no conjunto cantando, A Própria Gal, Com uma saia longa totalmente apertada, realçando seu rabão avolumado, Cinturinha bem fina e aquele decote escarnecedor, pronto rs, só aquilo ja foi motivo pra ficar com minha caceta bem dura em pleno o culto.

Enquanto á programação acontecia, vez ou outra trocavámos olhares, sempre discreto, pois com minha noiva do lado, jamais poderia dar bandeira. Culto acabou, nem nos cumprimentamos, porém Gal não saiu da minha cabeça, eu tinha que comer aquela mulher, tinha que ter um jeito e tomei uma atitude. No dia seguinte, com um perfil oculto no skype, adicionei Gal nos meus contatos e fiquei só á ansiedade dela me aceitar, o que veio á acontecer 4 dias depois.

Logo quando chego de manha no serviço, quando abro o skype está lá Gal Disponivel e já puxando um assunto....

"Oi, bom dia "Gal

"Bom dia Tudo Bem?" - Bruno

"Tudo sim Obrigado. Quem é você? Tem foto? Nos conhecemos?" - Gal

"Sim, nos conhecemos, sou Bruno, da igreja que você veio cantar aquele dia, lembra? Até ja ficamos juntos rs Ah muito tempo é claro kkkk"- Bruno

"kkkkkkkkkkkkkk, ei Bruno, Lembro sim, kkkk alias estava muito bem acompanhado por sinal né?" -Gal

"Pois é Gal, te adicionei, porque bateu muita saudades quando te revi na igreja e queria pelo menos trocar um oi contigo aqui no skype e te falar sobre essa saudades por aqui...." Bruno

" Bruno, eu estou na igreja, firme e forte, estou em busca de um casamento, estou quase com 40 anos e hoje os homens só querem transar sabe? Nao quero isso para minha vida mais" - Gal

" Eu entendo Gal, sempre sonhei em ficar melhor com você" - Bruno

" Como assim? Sempre te encontrei no ônibus e em vários lugares e nunca você nem me cumprimentou"

" Nossa, Serio? Milhões de desculpas, sempre entro no onibus com fone de ouvidos, na maior altura e nunca percebo quem está do meu lado, tenho certeza que nem á vi" Bruno.

"Posso pedir uma coisa Gal" - Bruno

" Sim"- Gal

" Me da uma chance de sair de novo com você, Acho você uma mulher super bela e queria muito poder te ver" - Bruno.

" Bruno, eu estou na igreja, chance zero de sair e transar com você, ja passei da minha fase girafa" - Gal

" Fase Girafa? Como assim??" Bruno

" Girafa tem uma fase que come seus filhotes, e eu usei esse argumento para dizer que nao saio mais com meninos tão jovens tanto quanto você, transar por transar,melhor me masturbar, pois não fico com á consciência pesada e chego ao orgasmo do mesmo jeito" - Gal

" Poxa, eu te entendo e vou respeitar sua decisão, só pedi pois você mexeu demais comigo mesmo"- Bruno

" Jesus está voltando, quer perder sua salvação por poucas horas de prazer? Tem certeza disso? Pois eu nao quero perder á minha, você é jovem, lindo, tem um futuro pela frente e desculpas mas não rola, sem chance."- Gal

" Poxa Gal, perdão, você está certíssima, admiro sua fé e não irei insistir, como já havia dito, só falei isso pois você é um sonho de mulher pra mim" - Bruno

" Depois disso tudo que lhe expliquei, ainda tem coragem de me levar ao motel?" - Gal

" Olha gal, até me impactou muito seu ponto de vista, mas de coração, iria com toda certeza do mundo, sonho com isso" - Bruno

" Decidi" - Gal

" Vou ao Motel com você" - Gal

" Serio? Seu mal é esse gal rs, eu falando serio, me abrindo pra ti e você brincando com minha cara" - Bruno

" Eu to falando Serio, Hoje estarei em Laranjeiras para comprar umas lembrancinhas para uma festa do meu sobrinho, podemos conversar e amadurecer essa ideia?" - Gal

" Podemos sim gal, qual horario?" -Bruno

" As 20 horas você me liga nesse Cel XXXX-XXXX e te falo quando estiver saindo" - Gal

"Ok, Vou para o supemercado e depois das 20 te ligo, beijos" - Bruno

Depois desse breve papo com a Gal, Fiquei pensando e ja na espera de quando á encontrar, ouvir outro sermão das montanhas e nao ter chance nenhuma com ela, mas mesmo assim iria á encontrar.

Fui pra faculdade e as 20 ja liguei.

" Gal, é o Bruno, você ja está saindo do shopping?"- Bruno

" Estou terminando umas compras e vou indo pro terminal, ás 20:30 te espero em frente ao ponto de taxis ok?"

"Ok"- Bruno.

Esperei dar 20 30, Tomei o carro e fui em direção ao terminal, chegando em frente ao ponto, estava la ela, com calca colada, aquela coxas volumosas com um senhor rabo, nossa, nem parecia aquela mulher toda Comportada que havia cantado na igreja.

Chegando lá, ela entrou no carro, ajeitou suas compras no banco e trás e fomos em sentido ao bairro dela.

" Nossa, quanto tempo que nos saimos em Gal, Realmente, você é como o vinho hein, Quanto mais passa o tempo, mais top fica" -Bruno

"kkkkkkkkkkkkkkkkkkk, pois é, te vi algumas vezes e fui completamente ignorada" - Gal

" Poxa Gal, toda vez que te encontro, estou com minha noiva, dai é muito complicado" - Bruno

" Então como ta sua vida? O que tem Feito de bom?" - Gal

" Poxa, terminei minha faculdade ja á alguns anos, estou noivo, trabalhando pra caramba e você? O que fez de bom nesse tempo que não á vejo?" - Bruno

" Então, hoje trabalho numa empresa prestadora de projetos de terraplanagem, Trabalho no setor administrativo, pode estacionar aqui, minha casa é logo á frente, mas vamos conversando"- Gal

" Nesse tempo quase casei com um homem que conheci da internet, de Uberlandia."-Gal

" Serio Gal? Porque nao casou?"- Bruno

" Então, conversamos muito tempo através do skype, ele sempre muito gentil, carinhoso, me ligava todos os dias e então ele resolveu vir aqui para me ver, logo no dia 31 de dezembro ele encontrou Escala para cá. Até deixei de trabalhar para ir encontra-lo no aeroporto, ele chegou, encontrei ás pressas um hotel em laranjeiras para ele, pois sabe como é né, hotel, véspera de ano novo é quase impossivel na grande Vitoria. Ele se hospedou, subimos até o quarto e ele ficou de tomar banho, fiquei em frente assistindo TV até ele se arrumar, nem sentei na cama para não dar oportunidade dele querer algo é mais, pois desde quando conversamos, ele sempre demonstrou ter vontade de ter um relacionamento cristão. ELe se arrumou, fomos passear no parque e anoiteceu e fui leva-lo ao Hotel, chegando lá, depois de muita insistência eu o acompanhei até o quarto, sentamos na cama e ele ficou com seu jeito sedutor, nisso acabou rolando uns beijos, de beijo em beijo, subi em cima dele e comecei á beija-lo com muita mais intensidade,Sabe? De repente senti o pau dele duro, nossa, me enlouqueci, eu seguro muito, mas não aguento ver um pau duro na minha frente"- Gal

Nossa, quando ela foi relatando esses momentos, fiquei com meu pau totalmente duro e todo sem jeito, pois estava com bermuda de academia, aquelas da Adidas que qualquer coisa, aparece o volume, disfarcei e continuei prestando atênção na sua historia.

E tome historia.... " Logo ele tirou seu pau pra fora e eu pedi pra chupa-lo, Comecei então chupar aquele piruzão gostoso, dei umas 8 chupadas, me dei por mim, dei um pulo da cama e falei que ia embora. Ele endoidou, pediu pra eu continuar, e eu disse que tinhamos combinado que nada de sexo rolaria, queria algo verdadeiro, cristão e fui embora. No outro dia, ele iria embora ao meio dia, cheguei ás 9 da manha no hotel, nem subi, fiquei no saguão o esperando, até que ele desceu, fomos almocar, rolou até uns beijos, ele insistentemente pedindo para eu ir ao hotel com ele para pegar ás malas. Fomos até la, porem nem entrei sabe? Fomos até o aeroporto e ele foi embora"- Gal

" Caramba Gal, e depois, nao mantiveram mais contato"- Bruno

" Resumindo Bruno, depois o notei ele muito menos espiritual comigo, ficava lembrando daquele inicio do boquete que paguei para ele e nem falava mais da igreja, dos seus planos, dai como não dei corda ele foi se afastando e hoje é muito raro nos comunicarmos, ele só queria mesmo é me comer, confeço que quando chupei ele, me deu uma vontade louca de dar bem gostoso pra ele, mas me segurei ao máximo, é muito pouco tempo para perder minha salvação" - Gal

" Nossa, só de você falar assim né, realmente não podemos deixar poucos momentos, nos influênciarmos e perdermos á cabeça por causa de pouco prazer, mas que é difícil é, pois, só de você falar aqui ja me excitei, imagine esse sujeito, quantas punhetas ele teve que bater para se saciar, depois dessa quase preliminar" - Bruno

Nesse momento, ela parou, ficou olhando para minha bermuda, e não perdi tempo, roubei um beijo da Gal, e nossa, sabe aquele beijo molhado, que chama sexo? Desse modelo, aquilo de santa não tinha é nada e era hoje que pelo menos um boquete dela eu ia ganhar.

" Nossa, nunca esqueci de como você beija gostoso Gal"- Bruno

Continuei á beijando e de repente veio ela, com sua mão no meu pau. Nisso, minha Caceta ja estava pulsando e até doendo de tanto tesão.

" Posso dar uma chupada no seu pau"- Gal

Ja fui tirando á bermuda e olhando para o retrovisor, ainda bem que é rua é tranquila e quase nao passava ninguém, tirei minha bermuda e ela caiu de boca, foi chupando,chupando, chupando e eu me segurando por demais.

" Nossa Gal, como eu queria estár num quarto com você e te dar uma chupada daquelas, fazer você dar uma gozada daquelas"- Bruno

" Nossa, que cacete gostoso, que delicia, bem grosso ele né, cabeçudo!" - Gal

" Isso Gal, Chupa, Chupa que eu sei que você gosta, chupa sua crente safada, que vontade de te rasgar no meio sua puta, vai chupa, que eu to mandando caralho!" - Bruno

" Quer dar uma metidinha aqui no meu quintal?" Gal

" Nossa, serio? Vamos!"

Nisso coloquei á bermuda e saímos do carro, quando estamos saindo aparece um vizinho, no segundo andar, olhando pra nos, e á cumprimentou, comecei até andando de lado e bem devagar, contando até mil, e pensando em tudo que era diferente de sexo para disfarçar o volume da bermuda.

Logo quando ela abriu o portão, veio seus filhos, correndo para buscar o então chocolate que ela havia comprando e perguntar o que ela comprara de presente pro aniversário do sobrinho.

Entramos e ela toda normal, disfarçando e eu todo sem graça pela situação, naquele momento duvidando muito que rolaria alguma coisa, pensa, 21 30 da noite, crianças acordada, mãe que mora nos fundos da casa, jamais iria acontecer algo né, mas fiquei ali quietinho esperando uma oportunidade apenas.

E ja apareceu á mãe, ela me apresentou.... " Esse é Bruno, amigo do curso que fiz la em Vila velha, me deu carona".

Cumprimentei á mãe dela e fiquei ouvindo prontamente sua conversa, logo á mãe, saiu sem graça, por estar mal vestida e os meninos bem inter tidos, dai fomos conversando e ela me chamou para o quintal, fomos andando e logo Gal foi avisando para seus filhos... " Fiquem quietinhos ai que mamae vai levar Bruno aqui fora e não demoro"- Gal

Fechou á porta e fomos para o quintal, alias um terrero, bem simples, com um local de garagem, coberto com umas telhas eternit, com umas roupas no varal, ao lado da sua casa, tinha um corredor, que no final se interrompia com um portão, portão da casa de sua mãe.

Fui logo á beijando, e aumentando intensidade, pensa, eu e meus 1,76 com uma mulher de seus 1,85 e ja fui pedindo.

" Gal, vamos dar uma rapidinha aqui mesmo, nao aguento de tesão aqui" - Bruno

Fiz o pedido desconfiado e crente em ela dizer não, pois ainda era cedo, nem 22 horas tinha dado ainda, tirando que qualquer hora, poderia aparecer alguém no quintal, no portão, mas á altura do momento, não tava nem ai.

" Vamos, mas tem que ser rápido, pois os meninos estão acordados"- Gal

Nisso, ela abaixou á calça leg preta, até seus joelhos, e deu uma, agachadinha, abaixei minha bermuda e não perdi tempo, comecei á socar de leve.

Fui metendo, instantaneamente, olhando para seu rosto, metendo,metendo, e ele com a mão na boca segurando para não gritar.

" Ai que delicia, mete, mete garoto gostoso, nossa, como você é quente, que piru gostoso, mete delicia, vai"- Gal.

" Toma Gal, Toma, que buceta gostosa, sabia que você gostava de sexo, você cheira sexo sua safada, toma, toma" - Bruno.

" Ai vira de frente, quero que meta por cima de mim".- Gal

No canto do muro, tinha aqueles pequenas mesas, de madeira, que á mãe colocara para doar e estava la no cantinho já. Ela sentou á frente da mesa e já fui me ajeitando á sua frente para penetra-la.

Sua calça, até então no joelho, estava atrapalhando, então ela tirou uma perna e ficou com uma vestida e á outra solta.

Arreganhei sua perna ao máximo, e comecei á socar, metendo, metendo e dando aqueles beijos bem calientes, naquele momento, parecia que estávamos num quarto de motel, pois nada prevalecia á nossa atênção, nada, só tínhamos olhos para o sexo, esquecemos totalmente que estávamos em publico, á merçer da noite, que poderíamos estar sendo filmados, vigiados, nem ai estávamos, nos entregamos totalmente.

" Isso, vai, mete assim que to quase gozando Bruno, vai mete, fode essa buceta, não era isso que você queria Garoto, come, come vai."- Gal.

" Toma Gal, toma, ai que xonga gostosa que você tem hein sua piranha, sua crente da buceta quente, toma, toma vai, sei que você gosta, toma" - Bruno.

" Isso, me come vai, nossa, to quase gozando, goza comigo, mete vai, nao para, mete caralho, aiiiiiii, eu vou gozar, nao para,mete porra, mete menino, mete guri, aiiiiiiiiiii vou gozar!!!!!!!!!!!!!!! - Gal

" Ai, vou gozar também Gal, não aguento mais me segurar, ai que tesão" - Bruno.

Tirei meu pau, tirando rapidamente á camisinha e gozei na sua perna, o jato de porra foi tão forte que alcançou seu pescoço, foi quase uma mijada de poha, pois gozei demais, quem me dera se minha noiva realçasse esse tesão que essas coroas e mulheres me proporcionam.

Terminando aquela loucura, ela vestiu-se rapidamente, eu também, olhamos ao redor e estava tudo calmo, tudo pacato, até então ninguem havia notado.

Ficamos estagnados, perplexos, olhando um para o outro, nem acreditando, que um proporciounou ao outro tanto prazer em poucos momentos.

Nos beijamos e nos despedimos, tomei meu carro e fui para casa. Todo desconfiado, abri todas ás janelas, para tirar aquele cheiro de sexo que eu tava.

Indo pra casa fiquei pensando, na loucura que havia feito e só de imaginar ja estava eu de pau duro de novo.

Cheguei em casa e ja fui fingindo uma dor de barriga para ir direto ao banheiro e nao levantar suspeitas na minha noiva, que estava em casa me esperando.

Tomei um banho daqueles e ainda preparei um jantar para finalizar á noite.

Então é isso gente, espero que tenha gostado dos relatos. Meu skype/ e-mail está nos contos anteriores, caso queiram comentar, ficarei agradecido. Caso queiram também me adicionar, adorarei teclar com vocês.

E pra finalizar, estou á todo momento, ligado, no bate papo, na rua, no skype com varias mulheres, em buscar de novas aventuras para vivenciar. Pois á vida, essa vida é muito curta pra se estagnar na monotonia. Beijos.

Comentários

uem
24/10/2016 20:43:09
bom
05/10/2015 09:35:38
Já transei com mulher crente, é muito bom.
25/08/2015 16:00:52
Tem toda razão, cara. A vida é muito curta pra se estagnar na monotonia. Excelente relato este. Mandou bem nos diálogos, convencendo a madura a retornar na fase girafa. Rss. Nota dez com louvor.
31/07/2015 11:46:59
É, dizem que a vida é curta como a chama de um palito de fósforo. E porisso temos que aproveitá-la ao máximo. Adorei o conto, muito excitante com essa grandona do coral. Também foi bom saber que você gosta de mulheres maduras, o que é alentador. Bjs.
23/07/2015 01:13:52
olha so preste um pouco mais d atençao em sua escrita certo,mas mesmo assim um otimo conto,ah eu moro em uberlandia .

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.