Casa dos Contos Eróticos

Meu instrutor de direção - Parte 2 (final)

Um conto erótico de Renatinha
Categoria: Heterossexual
Data: 21/06/2015 04:41:23
Nota 10.00

...Continuação

Quando chegamos lá, ele pediu meu telefone, disse que não iria para a faculdade naquela noite e que não queria saber de desculpas da minhas parte, disse que me ligaria passaria pra me buscar e me levaria para um motel, onde pudéssemos terminar o que começamos. Fui pra casa super animada ao pensar no que viria a noite, passei o dia ansiosa, mas para a minha decepção ele não ligou, não mandou mensagem, absolutamente nada. Fiquei extremamente nervosa, detesto esperar e detesto silêncio.

Nossa próxima aula seria dois dias depois, uma sexta feira, passei aqueles dias tentando imaginar o que teria acontecido, porque ele teria desistido depois dos amassos gostosos que tivemos. No dia da aula, cheguei mais cedo na auto escola, estava ansiosa pra saber o que tinha acontecido, e pra minha surpresa ele também já estava lá, eu era sempre a primeira aluna, nossa aula começava as 08:30 da manhã, ele me cumprimentou de um jeito cuidadoso, perguntou se eu estava bem e eu respondi com tranquilidade que estava ótima. Quando entramos no carro ele pediu desculpas por não ter me ligado, disse que não conseguiria pois era casado e tinha medo que alguém da auto escola descobrisse, eu não respondi nada, só liguei o carro e sai, fiquei em silêncio boa parte do caminho, estava pensado no que faria para realizar meus desejos, e ele pedindo que eu dissesse alguma coisa, imaginando que eu não respondia por estar brava, mas não, eu queria dar pra ele, só pensava em possíveis soluções.

Parei o carro em frente à minha casa, mas ele não sabia onde eu morava, então não desconfiou de nada, perguntei pra ele se ele tinha medo que eu contasse a alguém, e ele disse que sim, garanti que isso não aconteceria tentei tranquiliza-lo e, ao mesmo tempo que falava, comecei a alisar seu corpo, comecei pelos lábios e fui descendo bem devagar. Ele pediu que eu parasse, disse que era homem, que acabaria cedendo, não dei atenção, segurei suas mãos contra meus seios, e não demorou muito pra ele começar a apalpa-los sem que eu precisasse pedir, me beijou, e eu sabia o que ele queria. Disse que queria que ele me comesse gostoso, que queria sentir o pau dele dentro de mim, ele disse que também queria, que transou com a mulher pensando em mim, que precisava me comer com força. Então ele ligou na auto escola e disse que teve um imprevisto, que me deixaria em casa e iria resolver, pediu que cancelassem a próxima aula e que retornaria mais tarde. Depois, me mandou ligar o carro e dirigir até o motel mais próximo, e eu disse que estávamos em frente à minha casa, e que ele poderia entrar pois não tinha ninguém, ele ficou totalmente chocado, disse que eu era uma safada e já tinha planejado tudo.

Minha casa tem aqueles portões de madeira, não dava pra ver muita coisa por dentro, abri a garagem e ele guardou o carro. Ele me agarrou, ali mesmo na garagem, me encostou na parede e enfiou a mão na minha calcinha, enfiava os dedos na minha boceta, já molhada, enquanto sussurrava que eu era uma safada, provocadora e que me castigaria por tê-lo enlouquecido de desejo. Eu o levei para dentro, e rapidamente ele tirou minha roupa, amarrou meus braços nas costas com seu cinto, a ideia de ser dominada me deixou ainda mais excitada.

Minha mãe tem uma daquelas estantes antigas, com tampa de mármore, o Yuri me debruçou na estante, começou a beijar minhas costas, e foi descendo até minha bunda, me chupou, tinha uma língua faminta, passeou por toda a minha bunda, lambeu minha boceta de um jeito bem gostoso, eu praticamente implorei que ele me penetrasse, estava explodindo de tanto tesão.

E então ele meteu aquele pau enorme na minha bocetinha, com firmeza, me batia, puxava meu cabelo, bombava com força, ao mesmo tempo em que brincava com meu clitóris, gozei muito rápido, queria mais. Pedi que ele soltasse meus braços, e chupei seu pau melado com meu gozo, lambi suas bolas, e ele gemia pra mim, aquilo me deixava com mais tesão. Pediu pra comer minha bundinha, e eu deixei, mas pedi que ele colocasse bem devagar, com medo que aquele pau enorme me machucasse, e ele foi cauteloso, colocou aos poucos, bem devagar, fui pedindo que ele aumentasse o ritmo, com mais força, mais força. Eu me masturbava enquanto ele comia meu cuzinho com maestria e gozei novamente. Ele gozou nos meus peitos, com uma gemido delicioso.

Depois tomamos um banho e ele voltou ao trabalho, mais tarde naquele dia ele me ligou, perguntando se eu toparia mais uma saída, eu disse que sim, curtimos uma noite maravilhosa no motel, não sei o que ele disse para a esposa, não me interessava, eu só queria trepar com aquele mestiço gostoso. Nossa próxima aula seria a última, tivemos uma despedida honrosa, depois disso, nunca mais tive contato com o Yuri.

Renata.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
18/01/2018 10:13:07
Adorei esta segunda parte, Renatinha 1,79m. Ah, se esse instrutor não te comesse... Eu ia xingá-lo de *&¨%$#@! Sei como é difícil a luta da cabeça racional de cima com a cabeça irracional debaixo. Já vivi situação parecida com a esposa de um grande amigo. Foi uma das coisas que mais arrependo na vida. Cada vez mais tarado por você, gostosa! Beijão do fã!
24/06/2015 13:23:46
Que aula foi essa, hein... Hehe Conto delicioso, tesal foi la em cima. Beijos
21/06/2015 18:46:35
Renatinha emm dlcc de contoo mande me um email williandonizetti93@gmail.com
21/06/2015 18:45:32
Me manda um emailwilliandonizetti93@gmail.com
21/06/2015 15:42:19
Valeu Ruiivo, vou escrever pra vc sim! Beijos
21/06/2015 15:41:48
Obrigada Anjo! 😉