Casa dos Contos Eróticos

Pagando o erro com o rabo

Autor: Audrey
Categoria: Heterossexual
Data: 11/05/2015 16:35:32
Nota 9.90
Ler comentários (10) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Você já parou para pensar que um erro pode mudar completamente sua vida? Pois é, isso aconteceu comigo.

Meu nome é Audrey, tenho 25 anos e sem modéstia sou muito bonita rsrsrs, sou loira natural, tenho olhos verdes, 1,65 de altura e peso quase 60 kg, meus seios são medianos (bem firmes), mas o que realmente chama atenção em meu corpo é a minha bunda, sério, tenho até orgulho da minha bundona, ela é grande e dentro do possível bem lisa, os homens ficam loucos quando olham para o meu traseiro.

Sou noiva do André, estamos juntos a 3 anos, ele é um homem maravilhoso, tem 33 anos, um ótimo emprego e faz de tudo para me agradar, sou apaixonada por ele ;)

Atualmente trabalho no gerenciamento de caixas de um grande supermercado da minha cidade eu sou a responsável por fechar todos os caixas ao final do expediente. O que vou relatar aconteceu a pouco mais de dois meses, no meu setor ficam poucas pessoas e entre elas está um dos sócios do supermercado, o Sr. Paulo, ele tem 55 anos e sempre foi uma pessoal cordial e agradável, mesmo notando sua fixação em minha bunda, sempre que eu estou em pé ele fica de olho e arruma um jeito de me abraçar ou dar uma encouchada de leve, não sou muito fã disso mas ele nunca passou muito dos limites e nem tentou nada mais a fundo, por isso sempre relevei.

Sou muito séria com o meu trabalho, mas recentemente tive grandes problemas financeiros e acabei fazendo uma grande cagada, eu arrumei uma forma de burlar alguns fechamentos e desviei uma quantia razoável de dinheiro dos caixas, eu sei, eu sei, nunca deveria ter feito isso, mas não via outra forma de resolver meus problemas financeiros de uma forma rápida.

Acontece que certo dia eu já estava me preparando para ir embora quando o Sr. Paulo me chamou, não tinha mais ninguém no trabalho, ele pediu para eu ir até a sala dele, entrei na sala e ele pediu para eu fechar a porta, seu semblante não era muito bom, e logo eu percebi que eu ia me ferrar me sentei a sua frente e ele começou a falar:

- Bom Audrey, vou direto ao assunto, eu esperei o pessoal ir embora para ter essa conversa com você, não queria te expor e nem gerar comentários aqui na loja, o caso é o seguinte, fizemos uma auditoria profunda nos seus fechamentos e no da gerente da manhã e pegamos uma diferença grande nos seus fechamentos, você tem algo a me falar sobre isso?

Eu fiquei gelada!! Na hora fiquei vermelha e já comecei a gaguejar, e fui contando uma mentira:

- Olha Sr. Paulo, eu não sei o que aconteceu, mas nas minhas contas e fechamentos estava tudo certo.

Ai ele pegou os relatório e começou a me mostrar:

- Então, não está certo não, dá uma olhada nas entradas e nas saídas, todo dia tem alguma coisa faltando?

Eu comecei a chorar na hora, que merda eu fui fazer? Pensei em contar a verdade, pedir perdão, mas eu estava morrendo de vergonha, da minha boca não saia uma única palavra, mas o Sr. Paulo continuou falando:

- Audrey, fala a verdade, você fez alguma coisa? Você sabe que temos câmeras em todos os lugares aqui, tenho várias imagens suas colocando coisas na sua bolsa, não quero te acusar de nada, mas preciso que fale a verdade.

Fique desesperada! Estava encurralada, tava na cara que ele sabia o que tinha acontecido, não teve jeito e chorando muito acabei falando:

- Me desculpa Sr. Paulo, eu peguei esse dinheiro, não sei o que deu na minha cabeça, eu estou cheia de dívidas... juro que eu ia devolver...

Meu chefe me olhou com uma frieza que eu nunca tinha visto, ele abaixou a cabeça e começou a me passar um sermão:

- Sabe Audrey, já faz um bom tempo que você trabalha conosco, eu sempre confiei muito em você, nada justifica isso que foi feito, não tenho muita escolha, vou ter que te demitir por justa causa... outra coisa, você vai ter que devolver todo dinheiro desviado.

Eu estava sem chão, comecei a chorar o dobro, e só pensava no que eu ia fazer? Mesmo sem muito argumento eu tentei comover o Paulo:

- Por favor Sr. Paulo, me dá mais uma chance, juro que vou arrumar um jeito de reverter essa situação, eu não posso ser mandada embora, eu preciso desse emprego..

-

Quando eu disse isso seu semblante mudou, ele começou praticamente a sorrir e me disse:

- Eu não tenho muito que fazer Audrey, mas... você quer realmente continuar trabalhando aqui?

- Quero, muito!

- Muito a que ponto? Posso te propor algo para zerarmos esse problema, manter seu emprego e zerar sua dívida.

Na hora eu gelei e até parei de chorar, sabia que coisa boa não era, mesmo assim perguntei:

- Propor algo? Como assim?

De pronto ele disse:

- Seguinte, não vou ficar de rodeios, quer zerar tudo isso? É simples, você sabe que eu tenho muito tesão em você, sou tarado na sua bundona, minha proposta é simples, fica de joelhos nessa cadeira com a cabeça virada para o encosto, empina a bunda e deixa eu brincar um pouco ai, se você fizer isso começamos a nossa negociação, feito?

Parecia que eu estava em um pesadelo, não acreditava que o meu chefe estava me propondo isso! Fiquei completamente paralisada, não conseguia responder nada, fiquei assim alguns minutos até que ele

disse:

- Bom, já vi que não tem negócio né? Pode se levantar Audrey, chegue amanhã as 10h00 e pode ir direto para o RH...

Quando ele falou isso eu acordei, fiquei em pé, me virei e fiquei de joelhos na cadeira, exatamente como ele pediu, confesso que fiz totalmente sem pensar, eu estava usando um vestido leve, não usava sutiã e estava com uma calcinha minúscula, na hora pude ouvir ele levantando e vindo em minha direção, logo senti suas mãos alisando minhas coxas e subindo meu vestido, ele retirou completamente e eu fiquei só de calcinha, na mesma posição esperando pelo que iria acontecer.

Não demorou muito e suas mãos grossas começaram a alisar minha bucetinha, ele apertava, esfregava e eu comecei a ficar molhada, aquele homem sabia o que estava fazendo, em pouco tempo ele segurou meus braços para trás e começou a sugar meus seios, ele chupava e dava leves mordidas nos bicos, meu tesão estava aumentando e eu comecei a soltar alguns gemidos, aquilo estava ficando gostoso. Logo ele deixou de dar atenção aos meu seios e desceu para o seu objeto de desejo, o homem enfiou a cara no meu rabo, parecia que ele queria entrar em mim, em pouco segundos sua língua começou a me explorar, ela era áspera e tinha muita habilidade, ele chupava meu grelo, lambia fundo e sugava com força, ele estava faminto e com muita vontade... aquilo era uma delicia, enquanto ele me chupava resolveu dar uma investida maior e enfiou um dedo no meu cu, eu até falei:

- Aiiii.. ai não.

Ele fingiu que não ouviu e continuou o que estava fazendo, eu estava me deliciando, foi ai que ele parou tudo, me puxou pelos braços e empurrou minha cabeça para baixo, foi ai que eu vi o que meu chefe escondia, quem diria, o homem tinha uma rola enorme e grossa (bem maior que a do meu noivo), nem pude admirar muito, logo ele estava forçando aquele monstro na minha garganta.

Eu engasguei e minha boca encheu de água, eu babava litros na pica dele e com isso ele forçava cada vez mais, eu já praticamente não conseguia respirar, eu sentia a cabeçona daquele pau batendo na minha garganta, mesmo assim não reclamava e deixei ele colocar do jeito que queria, não demorou muito e eu senti um forte esguicho direto na minha garganta, tinha um gosto levemente adocicado e mesmo sem querer acabei engolindo tudo.

Eu estava morrendo de vergonha e não queria olhar para o meu chefe, estava desviando o olhar, mas ele me pegou pelo queixo e disse:

- E ai? Gostou da minha porra? Sempre imaginei como seria encher essa boquinha com meu leite!

Aquelas palavras me deixavam mais encabulada ainda, mas eu nem imaginava que a coisa ainda ficaria pior para o meu lado, eu já estava levantando e me arrumando quando meu chefe falou:

- Ouuu, tá pensando que acabou? Eu ainda tenho muito tesão reprimido, vem aqui sua safada.

O homem me agarrou novamente e começou a me beijar, eu retribui e ele começou a ousar mais, sua mão voltou a explorar minhas partes e em especial minha bunda, eu sabia que ia entrar na rola logo logo, e nem demorou muito, ele foi me guiando até sua mesa, tirou tudo que estava em cima e me colocou de quatro, minha bunda ficou totalmente vulnerável para ele, foi ai que fui sentindo aquela coisas me rasgando, eu pedi para ele ir devagar mas não deu muito certo, ele continuou colocando tudo, até bater forte, pude sentir suas bolas na minha bunda... eu estava completamente recheada! Que rola grande, Paulo não teve dó da minha buceta, segurou forte meu cabelo e começou a me foder com força, eu estava alucinada e sentia cada centímetro daquele jumbo me rasgando, para piorar ele não gozava por nada e ficou me martelando por uns 20 minutos, parecia que não ia terminar nunca, eu resisti bravamente e no fim ele ainda gozou tudo dentro de mim, mesmo assim preferi não reclamar.

Novamente achei que tinha terminado, mas eu estava enganada, o homem continuava com fome e agora passou a se concentrar no com cuzinho, ele lambeu um pouco e foi laceando ele com seus dedos... mesmo achando que estava gostoso aquilo eu sabia que não ia aguentar tudo aquilo:

- Ai não Paulo, eu nunca dei meu cuzinho para ninguém, nem para o meu noivo... eu não vou aguentar.

Ele riu e com sarcasmo disse:

- Aguenta sim minha filha, pode apostar que aguenta, relaxa que é melhor.

Essa foi a deixa para ele parar com o carinho e começar a empurrar aquela coisa toda no meu rabo, agora sim parecia que ele ia me rasgar no meio, não vou mentir, doeu muito... eu estava quase desmaiando e gritava com frenesi, mesmo assim ele não desistiu e foi empurrando cada vez mais, quando ele colocou tudo eu já estava exausta e ele ficou parado, acho que para acostumar meu cuzinho, se ficasse daquele jeito até que estava bom, mas eu sabia que logo ele começaria a bombar, dito e feito, no começo os movimento eram lentos, o ritmo foi aumentando e por fim ele estava arrebentando meu cuzinho. Que dor! Pior é que ele já tinha gozado duas vezes, eu sabia que ia demorar mais, tenho certeza que ele ficou quase meia hora comendo meu cu, ele colocava de todas as formas, mas aguentei firme, assim que ele gozou eu fiquei aliviada, sai da mesa, me arrumei (toda arrebentada) e fui embora, Paulo olhou pra mim e disse:

- Você foi sensacional, melhor investimento que eu já fiz, se você continuar boazinha assim comigo além de não ser mandada embora posso até pensar em um bom aumento para você.

Eu ouvi aquilo, agradeci a oportunidade e fui embora.

Na semana seguinte continuei meu trabalho normalmente, meu namorado não desconfiou de nada e eu ainda ganhei um aumento rsrsrs ;)

Comentários

21/09/2015 20:22:18
Audrey - excelente conto, parabéns, vc sabe mesmo com usar esse rabbo hein cachorronna !! Olha, eu adoraria manter contato com vc por e-mail : rogers_rgr@hotmail.com Nota 10 eh Claro !!
25/07/2015 20:53:08
Ele e um homem de sorte rsrsrs
13/06/2015 09:02:18
Muito bom. E pelo visto adorou a pica do patrão
04/06/2015 23:04:51
muito bom rsrs
13/05/2015 03:12:10
fico quase todos os dias "dando um bizu" pra ver se vc escreveu algo novo, certamente o melhor escritor do site
13/05/2015 03:11:01
perfeito! um dos melhores contos seus q já li
12/05/2015 09:51:55
Muito bom o conto me add no zap nove oitenta vinte trinta e dois quatorze gostaria de ter sido eu o cara pra deliciar esse cuzinho virgem
12/05/2015 07:30:06
O problema desses "acordos" é que nunca tem fim. Se fosse somente esta vez tudo bem, valeu a pena. Mas ele vai querer continuar te comendo e vai chegar uma hora que você não vai mais querer dar pra ele e aí é rua do mesmo jeito
11/05/2015 22:50:12
a uma funcionária assim...
11/05/2015 20:57:53
Kk mto gostoso em

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.