Casa dos Contos Eróticos

A voz do Coração - Parte 09

Autor: Alê12
Categoria: Homossexual
Data: 25/05/2015 22:02:36
Nota 9.93
Ler comentários (14) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

- O que está dizendo? – Gustavo ficou perdido, sem entender.

- Que eu acho, aliás, eu tenho certeza de que... O que sinto por você, é muito mais do que uma forte atração. Eu estou apaixonado por você!

Paulo, sem esconder seus sentimentos, abriu seu coração. Ele já não suportava mais aquela situação. Viver pensando nele, sonhando com ele, sentindo falta da sua boca, da sua pele, do seu beijo... Ele só não sabia como seria dali pra frente, afinal, tinha um casamento no dia seguinte. Gustavo ficou parado, atônito à revelação dele, mas no fundo, seu coração batia acelerado, suas mãos tremiam...

- Sabe, Paulo... – ele respirou fundo. O tempo que estive fora, me fez refletir muita coisa em minha vida, e uma delas, foi os breves momentos que estivemos juntos, mas que foi o suficiente para desarmar o meu coração. Para o amor, não importa se você conhece a pessoa a vinte anos, ou se conhece a pessoa apenas por uma semana; Você foi algo muito bom na minha vida, mas eu estive analisando, e não vale a pena tentar. Temos outras vidas que dependem de nós; você se casa amanhã com uma mulher linda, e que te ama muito. Daqui um tempo terá lindos filhos, e verás que tudo isso, não passou de um simples momento.

Eles foram interrompidos pela secretária, que entrou na sala para entregar o novo documento. Logo em seguida, ela se retirou.

- Aqui está. – Gustavo entregou-lhe o papel. – Eu quero que você seja muito feliz. Você é um homem incrível! Lindo por dentro e por fora, e com certeza, fará sua esposa feliz. Bom, eu já te entreguei o documento que sujei, agora se me der licença, eu preciso trabalhar.

Paulo ficou com os olhos marejados, Seu mundo havia caído naquele instante.

- Eu abri o meu coração pra você. E me trata desta forma? Ainda está chateado comigo, não é?

- Não é questão de estar ou não chateado. São as circunstâncias da vida que não nos permite algo a mais. Eu gosto de você, mas existem outros fatores que nos impedem. Eu não quero falar sobre isso. Vamos esquecer tudo que aconteceu entre nós, e vá ser feliz. Por favor, vai embora daqui.

Sem dizer mais uma palavra, ele saiu, apenas balançando a cabeça. Quando bateu a porta, Gustavo se debruçou sobre a sua mesa e pela primeira vez, deixou a sua mascara de durão cair e desabou num choro incontrolável. Ele estava sofrendo muito por dentro. Ainda mais depois, que descobriu que o Paulo também o amava. Mas ele não queria ser pivô da infelicidade alheia, e nem do sofrimento da sua família... Na verdade, o que ele estava fazendo, era pondo em sacrifício, a sua própria felicidade.

Desejou ter um buraco ali, no meio da sala, para se esconder de todos. Sentia uma dor sem tamanho, que não podia ser medida. Lembrou-se dos lábios carnudos e macios do Paulo, invadindo a sua boca... Dos sussurros ao ouvido, do sorriso dele, dos abraços de carinho... Foram poucos, mais foram intensos os momentos que estiveram juntos, e fora o suficiente para despertar em ambos uma louca e intensa paixão.

******

O DIA DO CASAMENTO...

Mesmo abatido, depois de tanto chorar no dia anterior, após sua difícil conversa com o Gustavo, Paulo buscou forças na alma, e prometeu para si mesmo, que o esqueceria de uma vez, e faria da Julia a mulher mais feliz do mundo. Dane-se o resto! – disse ele bem alto sozinho no quarto.

- Pronto meu filho? Podemos ir para igreja? – invadiu a mãe dele, emocionada ao ver o seu segundo filho indo para o altar. Paulo estava lindo. Ele era lindo... Seus belos cachos castanhos reluziam com a sua ele morena e aquele rosto perfeito.

- Sim, mãe! Vamos para a igreja. – eles saíram.

Chegando lá, todos os convidados já estavam no local. Ele se dirigiu para o altar, a espera da noiva. Por um breve momento, a imagem do Gustavo lhe veio à cabeça, mas ele focou na cerimônia e procurou esquecer. Meia hora depois, eis que entra a Julia, linda e soberana em um vestido arrasador. Seu pai a levava para os braços do homem da sua vida. Ela era louca pelo Paulo, e finalmente iria realizar o seu grande sonho.

******

- Amor, eu vou ter que atender uma paciente e já volto. A Luíza está na casa da amiga e não deve demorar. Ver se come alguma coisa. Te achei muito pra baixo ontem. Beijos querido. – Amanda deu um selinho nele e saiu de casa, o deixando sozinho. Na verdade era o que ele queria... Sofrer sozinho, chorar sozinho. Olhou para o relógio e imaginou que àquela hora, o Paulo deveria está se casando, e ele havia acertado. Tomou uma xícara de café bem forte, e para onde olhava na casa, ele via a imagem do seu amor.

****

- Você Paulo, aceita a Julia de Santana Farias, como sua legitima esposa, na saúde e na doença, na alegria e na tristeza, até que a morte os separe?

Ele olhou dentro dos olhos dela. Sua razão e coração confrontaram-se ao mesmo tempo, mas ele disse sim, eu aceito. Ela já havia dito sim, e ambos se beijaram, selando a união dos dois. Os convidados aplaudiram, e se encaminhavam para o fim da igreja, acompanhando o casal. Todos se dirigiram para o salão, onde aconteceria a festa.

- Parabéns!

- Parabéns ao casal!

- Viva ao mais novo casal!

Algumas pessoas os cumprimentavam, brindavam juntos com eles, e a festa era farta. Julia estava numa alegria sem fim. E o Paulo era cercado por todos os seus amigos íntimos e do seu trabalho. No fundo ele também estava feliz, porque gostava dela.

Gustavo levantou-se do sofá, e por um momento viu tudo escuro. Sua cabeça girava, e ele não estava se sentindo bem. De repente, senti uma dor forte no peito, e tenta alcançar o seu telefone, que estava na bancada da cozinha. Ligou para Amanda, mas ninguém atendia, nem mesmo o celular da filha. Ficou desesperado, com medo de um princípio de ataque cardíaco. Nunca havia sentindo aquilo antes... Buscou em sua agenda e o primeiro número que encontrou ele discou.

- Alô, Luiz?

- Oi Gustavo. Fala cara. Não estou te ouvindo direito... Tô numa festa.

- Desculpa te incomodar, mas é que não estou me sentindo muito bem. Já tentei falar com a Amanda, mas não atende. É uma dor muito forte.

- Calma Gustavo. Eu já estou chamando uma ambulância e vou correndo pra aí. – ele desligou apavorado. Explicou a situação a mulher, e vendo o seu estado, despertou a curiosidade do Paulo.

- O que houve? Que cara é essa? – perguntou ele.

- Aquele meu amigo, que eu te apresentei em meu casamento o Gustavo. Ele está passando mal e precisa ir para o hospital urgente.

Paulo entrou em pânico. Mesmo querendo esquecê-lo, jamais aceitaria deixar um de seus amores em situação de risco e ficar de braços cruzados. Só de imaginar o pior, sua alma já sofria.

- Eu vou contigo pra lá! Você está muito nervoso.

- Cara, é o teu casamento. Fica e curti a sua festa.

- Eu já disse que vou e ponto. A festa começou agora. Ainda volto pra cá. Só preciso avisar a Julia que vou sair rápido e já volto.

Ele foi atrás da mulher, que por sinal, não quis aceitar a sua saída, mas depois de tanto ele insistir, acabou aceitando.

- Relaxa meu amor, agora estamos casados. Eu preciso socorrer este amigo meu. Estou de volta em meia hora. Não alarma pra ninguém sobre minha ausência, e se alguém perguntar, diz que fui resolver algo muito importante sobre a lua de mel, e que você não sabe, porque se trata de uma surpresa.

Sem perder tempo, ele entrou no carro do Luiz e ambos se dirigiram para casa do Gustavo. Chegando lá, este estava caído no chão da sala, e desacordado.

- Ai meu Deus! Rápido Paulo! Me ajuda a pô-lo no sofá. A ambulância está vindo. Ele está respirando muito pouco.

Paulo estremeceu ao vê-lo naquela situação. Não suportaria perdê-lo por nada na vida. Que fosse pra ficar longe dele, mas ao menos, com ele vivo.

Dez minutos depois e a ambulância havia chegado. Gustavo foi socorrido e levado para um hospital particular. Como não sabia onde a Amanda trabalhava, Paulo se responsabilizou em ir junto, para o hospital, enquanto o Luiz seguiu para clínica da prima. Dentro da ambulância, Gustavo abriu os olhos com dificuldade, e não acreditava que estava vendo o Paulo ao lado dele. A única coisa que precisava naquele momento foi segurar a mão dele firme.

CONTINUA...

Comentários

27/09/2015 15:27:37
...
27/05/2015 01:04:21
simplesmente magnifico! Bjos.
26/05/2015 06:22:22
Ai que lindoooo....amei ....ansiosa pelo proximo capitulo ...bjs
26/05/2015 04:44:18
....
26/05/2015 04:22:49
#lindo...lindo...lindo...amo...amo...amo...
26/05/2015 00:38:27
Meldelz! Assim não aguento! Volte logo, please!
26/05/2015 00:11:25
Essa última cena me emocionou demais... :'(
26/05/2015 00:05:28
Simplesmente maravilhoso. Ansioso pela próxima parte.
26/05/2015 00:00:11
Ansiosa para o próximo capítulo. Felicidades!!
P.G
25/05/2015 23:23:55
Muito lindo o conto, quero eles juntos. Só tenho pena da Julia acabou de casar.
25/05/2015 22:48:38
Hum, não sei o que dizer, só espero que se acertem.
25/05/2015 22:48:09
Que lindo e triste ao mesmo tempo, amo ler esse conto, parabéns e continua...
25/05/2015 22:40:33
Aiiiii, assim meu coração não aguenta, por favor posta logo outro capitulo desse conto perfeição. Um grande abraço!!!
25/05/2015 22:30:01
nossa estou ansioso para o próximo cap bjos parabéns

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.