Casa dos Contos Eróticos

Virei corno em minha segunda lua de mel - Parte 1

Autor: navonte
Categoria: Heterossexual
Data: 15/04/2015 22:17:56
Última revisão: 18/04/2015 12:38:53
Nota 9.93
Ler comentários (13) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Olá, meu nome é Lucas, tenho 34 anos e sou casado com uma deliciosa mulher chamada Renata há 15. Minha esposa tem 35 anos é baixinha, tem seios enormes, um belo corpo e é extremamente fogosa.

A história que vou contar se passou em viagem que fizemos a um Resort em porto de Galinhas em nossa segunda viagem de lua de mel.

Minha esposa sempre teve o sonho de se casar de véu e grinalda na Igreja, mas quando nos casamos éramos muito jovens e acabamos realizando apenas a cerimônia civil por falta de dinheiro e outros motivos. A falta da cerimônia religiosa sempre foi motivo de frustração para Renata, assim, querendo fazer minha esposa feliz, há dois anos, concordei em realizar a cerimônia religiosa com direito à Lua de Mel em um lugar paradisíaco.

A viagem estava indo muito bem. Sol, boa comida e muito sexo, tudo muito normal para um casal curtindo sua lua de mel. Porém, no terceiro dia de viagem, a coisa começou a tomar outros rumos.

Enquanto estavamos lá fizemos amizade com algumas pessoas, entre elas um cara chamado Leonardo que estava hospedado no resort com a mulher e duas filhas.

Na noite do terceiro dia, resolvemos ficar até mais tarde no bar que ficava perto da recepção conversando com alguns hóspedes, entre eles o Leonardo, que tinha deixado a esposa cuidando das filhas no quarto.

O Leonardo era um cara moreno, alto (conheci o cara na academia do hotel), que morava em Curitiba. Naquela noite ele se sentou perto da gente e ficamos bebendo e batendo papo até tarde. Ele estava dando bastante atenção à Renata, que estava totalmente a vontade perto dele. Aquilo foi me dando um pouco de ciúmes, mas deixei rolar.

Conforme a conversa se desenvolvia, foi ficando mais descontraída e Leonardo mais confiante, tanto que passou a dar leves toques nas coxas da minha esposa durante a conversa.

Eu estava tomando tequila, enquanto os dois preferiram tomar vinho. As horas foram passando e eu fui bebendo sem perceber o efeito que a bebida ia me fazendo, até que tive que me levantar para ir ao banheiro. Assim que me levantei o mundo girou e por pouco não caí. Imediatamente Leonardo se levantou e me segurou pelo braço.

Vendo meu estado, Renata também se levantou e decidiu que era melhor irmos para o quarto devido ao meu estado.

Apesar de não ter pleno controle sobre meus movimentos, eu tinha consciência de tudo que estava se passando a minha volta.

Leonardo falou para minha esposa que estava tarde e que era melhor que ele também fosse dormir, mas se ofereceu para ajudar a me levar até o nosso apartamento.

Então lá fui eu para o quarto, conduzido pela minha esposa e nosso novo amigo, cada um me dando apoio de um lado. Eles continuaram conversando e rindo, como se eu nem estivesse ali presente.

Chegando no quarto, Renata abriu a porta e Leonardo entrou comigo e me deixou sentado na poltrona, bêbado, mas consciente.

Renata entrou logo atrás e ele se virou pra ela. Falaram alguma coisa baixinho e riram.

Acho que apaguei por alguns minutos, quando abri os olhos os dois estavam se agarrando. Ela no colo dele com as pernas envolvendo o corpo de Leonardo. Tentei reagir, dizer alguma coisa, mas não tive forças. Dormi novamente.

Acordei, agora a luz estava apagada e o quarto era iluminado pela luz externa do hotel que passava pela janela aberta. A poltrona em que eu estava ficava no canto do quarto, de maneira que eu tinha uma visão diagonal da cama. Abri os olhos e me deparei com a boca da minha mulher tentando engolir a cabeça de uma picona grossa. Ela estava por cima dele, estavam fazendo um 69, vi sua carinha de satisfação,mamando com vontade enquanto rebolava na língua do macho.

A essa altura eu já me sentia recuperado, mas fiquei quieto, tentando entender o que estava sentindo. Era ciúme, mas também tesão. Fiquei parado, mas senti meu pau endurecer.

Esperei até que ela se virou e sem largar o pauzão do Leonardo, se posicionou e foi passando o cabeção daquela rola na porta da bocetinha. Foi descendo devagar, até entrar a rola inteira, o que aconteceu com muita facilidade. Ela então se debruçou para começar os movimentos, para frente e para trás, esfregando a boceta no macho e beijando na boca ao mesmo tempo, do jeito que eu sei que ela gosta. Ela ia beijando e deixando escapar uns gemidos bem baixinhos, acho que para não me acordar.

Agora que eu sabia que nenhum dos dois me viam, levantei bem devagar e fui me aproximando da cama. Queria surpreendê -los.

Quando cheguei perto, os dois olharam pra mim e ela, na mesma hora, pulou da vara do macho que também a empurrou para o alto na hora do susto e se pôs de pé do outro lado da cama.

Os dois pareciam que queriam falar algo, mas não encontravam palavras. Meu pau estava duro. A Renata estava ali peladinha sentada na ponta da cama. Alcancei a mão dela e a puxei na minha direção de modo que ela ficou de quatro com a boceta virada para Leonardo. Olhei nos olhos dela e comecei a beijar sua boca. Só fiz um sinal para o Leonardo que não se fez de rogado, se posicionou na cama e enfiou a rola na minha esposa que soltou um gritinho de tesão. Fiquei ali beijando a boca de minha mulher enquanto o macho a fodia de quatro em rítimo cadenciado. Ela foi se soltando, começou a rebolar gostoso na rola e a gemer cada vez mais alto. Leonardo sentiu o momento e começou a aumentar a frequência das estocadas. Ela então anunciou : "To gozando....ah.. tô gozando caralho... goza comigo, vai goza!!! goza gostoso !". Leonardo também gemendo começou a gozar, encheu a bocetinha da minha mulher de porra. Ficaram parados um pouco, ele pressinando o pau dentro da boceta para aproveitar ao máximo a gozada. Então caíram exaustos na cama, os dois me olhando com cara de "E agora ?".

Fiquei ali sorrindo por uns minutos e falei que sempre me excitou a idéia de ver outro cara comendo a Renata e que aquilo me deixou com muito tesão, apesar de também ter sentido ciúme. Estava um pouco confuso, mas disse que não ia ter problema.

Leonardo se levantou e foi se vestindo para ir embora, foi dizendo tchau e saindo visivelmente desconfortável.

Tratei de acalmá-lo. Me despedi e disse que no dia seguinte conversaríamos.

Depois que ele saiu, Renata ficou me olhando com uma carinha de safada que foi pega no flagra. Beijei a boca dela e disse que a amava. Deitei do lado dela e a abracei por trás. Dormimos de conchinha, ela com a boceta toda melada da porra de outro.

Contiua...

Comentários

31/07/2017 09:43:11
Gostei do conto, Lucas, tão excitante que me deixou de pau estourando. Minha história é parecida com a tua, quanto à esposa casar virgem e tempo de matrimônio. Quatro homens fora eu, já meteram nela. Sempre eu sinto o mesmo, um misto de tesão e ciúmes. Sei como é. Quanto a aceitar essa chifrada, com certeza, essa vontade de ser corno já era antiga na cabeça do marido. Eu também, fantasiei isso por anos, até que aconteceu e na primeira vez, nem acreditei que deixei outro comer a minha esposa. Quando puder, venha ler os meus. Para achar, clique em ¨Coroa Casado¨. Nota dez com louvor!
04/04/2016 18:05:05
Mto bom
10/03/2016 18:14:37
Adorei apresenta ela pra mim donemagrao@Gmail.com
27/04/2015 11:29:32
Bom começo...
20/04/2015 06:48:40
Queria muito que isso acontecesse comigo. Como sonho com um chifre assim. Ser corno é bom demais!
19/04/2015 23:23:37
achei o conto muito bem narrado, a História também é bom. Minha nota é DEZ.
18/04/2015 19:13:57
Muito bem narrado ... Erótico ....
17/04/2015 16:57:46
Meu sonho!!!
17/04/2015 13:30:12
Isso é cumplicidade.
17/04/2015 13:20:04
Vc é um corninho muito bom, pelo jeito adora isso!! Parabéns, se quiser eu te ajudo a foder a renatinha!!
16/04/2015 21:43:25
Também acho estranho Jordano, muito estranho.
dmm
16/04/2015 13:53:16
Bom.
15/04/2015 23:33:43
O conto é bom porque as cenas de sexo são em escritas, porem me desculpem os cornos, mas aceitar uma chifrada desta de graça de jeito nenhum ia rolar muita adrenalina muita discussão antes de assimilar o chifre.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.