Casa dos Contos Eróticos

Papai ofereceu o jantar

Autor: Subblack
Categoria: Heterossexual
Data: 28/04/2015 17:34:46
Nota 8.17
Ler comentários (3) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Bom, conforme eu havia relatado no conto Meu pai adora um cuzinho,moro em uma fazenda com meu pai e minha irma mais nova, e nos duas temos relações com papai, mais ainda somos virgens, ele so come nossos cuzinhos, e nos proibiu de ficarmos vestidas em casa. Mas como sempre papai nos surpreendeu, em um belo dia ele pediu para que fizéssemos o jantar, mais o que ele pediu era exagerado para nos 3, mais não explicou apenas nos ordenou a fazer o que ele queria. Jantar pronto e mesa posta, fomos tomar banho e quando voltamos a sala nuas para a jantarmos, eis que veio a surpresa, estavam sentados no sofá 3 amigos de papai, eram da fazenda vizinha, Carlos um senhor de quase 50 anos, cabelos grisalhos, alto , magro e seus 2 empregados Juliano e Pedro eram jovens deveriam ter 30 anos no máximo, nos assustamos e tentamos nos esconder mas papai nos chamou e disse que era falta de educação fugir das visitas, e com os olhos tentamos nos referir ao fato de estarmos nuas, e papai disse que não teríamos motivos para ficarmos com vergonha pois seus amigos ja sabiam de tudo e que estavam ali para comprovar.

Papai os convidou a sentar-se a mesa e pediu para nós servirmos o jantar, era inevitável que nossos corpos não tocassem os deles , e um momento em que minha irma foi servir encostou em Juliano que não resistiu e passou a mão na barriga dela , elogiando sua pele... - Nossa como sua filha tem uma pele gostosa, e cheira bem!, meu pai respondeu: Você vai ver que elas tem muito mais coisas gostosas que a pele..., então começaram a conversar sobre coisas da fazenda e eu e minha irmã sentadas no canto da mesa apenas nos entreolhávamos nos preparando para o que poderia acontecer, mas eu não acreditava que papai poderia fazer isso com a gente, era uma delicia gozar com ele , mas era meu pai, e não um estranho, comecei a pensar na possibilidade de ser tocada por um estranho, e tudo o que pensava começou a me excitar, me arrepiava , mas tentei me conter, acho que a vergonha de estar nua na frente deles ...

Eles terminaram e papai pediu para que tirássemos a mesa e voltassem com a sobremesa, achamos que ele tinha comprado algo, por que não fizemos nada de sobremesa, quando vi que não tinha nada, voltei a mesa e disse que não tínhamos sobremesa, ele apenas sorriu e gritou minha irmã, e quando ela chegou ele me pegou no colo e colocou sobre a mesa e disse : Eu sempre tenho sobremesa, e que delicia de sobremesa! todos ficaram em silencio e papai abriu minhas pernas e sentou frente ao meu corpo e sem nenhum toque começou a chupar minha bucetinha delicadamente, papai sempre foi muito carinhos com a gente, tentei não esboçar prazer, mais era impossível, que boca como sabia chupar, e de repente ele se levantou e ofereceu ao seu Carlos que se levantou dizendo : É um imenso prazer poder experimentar essa bucetinha gostosa. Meu pai ressaltou, não quero que fodam a bucetinha delas, só o cuzinho das minhas pequenas vadias. todos sorriam.

Carlos sentou e como um cachorro sedento de fome começou a chupar e morder, no começou me machucou e depois foi me dando tesão ao ver aquele homem velho, maltrapilha me devorando desejando que o meu gozo tomasse sua boca, era isso que ele queria,e ao me sentir cada vez mais cadela sendo devorada por aquele homem acabei gozando na boca dele, que nao deixou escapar uma gota, e levantou cuspiu todo o gozo em mim e disse : Eu não disse que faria ela gozar so com a boca .. Pedro olhou para meu pai que consentiu que sentasse e me chupasse , Ah Pedro chupava gostoso mais nao como papai e Carlos, era carinhoso e eu nao queria carinho, queria ser COMIDA, DEVORADA ,FUDIDA , Juliano ja estava punhetando seu pau que era maior que de papai e dizendo que nao queria chupar so queria comer meu cu, e que eu iria ver como é gozar de verdade. Carlos nesse momento se volta a meu pai e questiona se minha irma nao seria servida, ele apenas sorri e diz que nao se entrega todo o ouro que tem e diz que essa sera um próxima visita .

Pedro se levantou e Juliano sem que eu esperasse me pegou pelos cabelos e violentamente me colocou de costa na mesa, cuspiu na ponta de pau e me disse : Agora você vai ver o que é ser fudida, sua vadiazinha.. nao vou ser bonzinho como papai, vou te mostrar o que um homem quer de mulheres iguais a vocês, sem carater. Ele colocou seu pau no meu cuzinho sem dó, senti meu corpo queimar, meu cú rasgar, ele nao teve dó mesmo ele batia tao forte que eu sentia que ele estava me rasgando cada vez mais, cada grito que dava ele batia mais forte, sempre me chamando de vadia, puta, vagabunda... eu nao podia dizer nada apenas gritava e olhava para meu pai, que sorria e olhava para mim como se eu fosse qualquer uma, juliano gozou eu estava toda dolorida por conta da mesma, mas nao tive tempo pra respirar e logo veio Pedro e começou a fuder devagar mas aos pouco foi aumentando o ritmo das suas batidas, eu ja conseguia sentir prazer estava batendo forte nao me machucava, dizendo que o meu cuzinho ia ficar cheio de porra, ele falava seu tesao aumentava, então me segurou pela cintura e empurrou seu pau todinho no meu cú, pude sentir ele latejando dentro de mim, e de repente pude sentir os jatos quentes de sua porra dentro do meu cú, ele saiu dizendo : Oh seu Carlos ta bem molhadinho pro senhor fuder, nao vai ter trabalho nenhum pra fuder essa vagabunda!. Carlos pediu para eu empinar bem a bundinha e socou seu pau, ja nao sentia dor, meu cuzinho estava bem aberto e molhado, ele fudia , como se eu nao existisse suas unhas chegaram a deixar marcas na minha cintura ele gozou rapidamente e quando Pedro se aproximou para me fuder novamente , meu pai se aproximou e disse que era apenas um aperitivo, pq quem comia o prato todo era ele... pediu para que eles se recompusessem e fossem embora , mas disse para que nos permanecêssemos no lugar minha irma em pé e eu deitada na mesa...

Ao voltar papai meu deu um tapa na bunda e bateu com seu pau na porta do meu cuzinho e disse que era assim que ele me queria , cheia de porra, usada, como uma porca , e foi colocando seu pau no meu cú e chamando minha irmã pedindo que ela lambesse cada gota de porra que escorresse do meu rabo, não tínhamos escolha, apenas obedecíamos, e assim ele me fudia e minha irma me lambendo e chupando o pau do meu pai quando ele tirava do meu rabo todo lambuzado...

Meu pai gozou feito um louco nos meus peitos e segurou minha irma pelos cabelos e começou a fazer ela lamber sua porra mais quando chegou no meu seio ele disse pra ela chupar, ela me olhou nos olhos e começou a chupar meu peito, que delicia foi aquela sensação, meu pai viu que eu estava gostando e foi puxando minha irma em direção a minha buceta , ela olhava pra mim como quem se desculpasse, mas mal podia imaginar que eu queria sentir ela me chupando , ele disse que era para ela me deixar bem sequinha, sem porra nenhuma, ela lambia minha buceta, meu cú e engolia toda a porra que eu jogava pra fora propositalmente, nao queria que ela parasse de me chupar, meu pai percebeu isso e começou a dizer pra ela como ela deveria chupar, ensinando morder, enfiar a lingua a chupar o grelinho, a brincar com o dedinho ate o ponto que nao resisti mais e gozei , e ela me lambeu ate não deixar nada... Papai disse que a proxima seria ela a ser servida aos CÃES, referindo-se aos amigos.

Esse será o próximo conto .

By SUBBLACK

Comentários

23/07/2017 22:27:05
Eu adorei!!! Tive um padrasto que me usava assim toda vez que minha mãe saía!
15/02/2016 01:19:41
Eu não acredito em nada disso...
28/04/2015 20:09:33
bom gata eu acho q o q eu tinha q dizer,eu ja lhe dize no seu 1º conto,entao ñ preciso repitir aq a mesma coisa para vc

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.