Casa dos Contos Eróticos

acho que vou roubar o corninho da minha amiga.

Acordei com minha amiga Gerusa me ligando no celular.

EU – Cara, é sábado, são oito horas da manhã, é dia de dormir até tarde.

Gerusa – desculpa amiga, é que estou morrendo de vontade de conversar com minha amiga preferida, tenho novidades pra te contar.

E que novidades são essas? Posso perguntar?

Gerusa - Não da pra falar por telefone, mas, o que posso lhe adiantar é que conheci uma mulher linda e acho que estou gamada por ela.

Eu – Porra Gerusa, você me acorda a essa hora pra falar que está apaixonada por uma mulher, você sabe que estou pouquíssimo interessada em mulher, meu negocio, se você ainda não percebeu é macho, e depois, você sabe que quem é o sapatão da nossa relação é você!

Gerusa – Eu posso até ser o sapatão da nossa relação, mas, você não pode negar que adora chupar uma xoxota.

Eu – Eu faço isso muito pra te agradar, porque você é minha amiga.

Gerusa – Você gosta de buceta sim! Vejo em seus olhos quando você chupa minha xota, você gosta sim de chupa xereca, você faz a maior carinha de satisfação quando está com a boquinha no meio das minha pernas, é não estou falando só da minha xota, vi quando você chupou a xota da Carmem, você adorou!

Eu – Eu não disse que não gosto de transar com mulher, claro que gosto, mas, prefiro um cara, você nunca me viu cavalgando uma pica, se você visse, saberia que adoro é uma rola!

Gerusa – Tá certo, mas, queria que você conhecesse minha amiga Cláudia, ela é linda, têm olhos azuis, cabelos loiros, magrinha, branquinha, corpinho bem malhado, cintura de violão, enfim, a mulher é um sonho, queria ela como minha amante fixa.

Eu – Pelo jeito, ela também gosta de buceta, e você tem a mais linda buceta que já vi na vida, então, tudo está caminhando pra você ter uma amante fixa só pra você.

Gerusa - Claro que não Geralda, meu marido jamais permitiria, ele me deixa ter um casinho ou outro, mas, amante fixa, não deixa de jeito nenhum.

Eu – Não entendo essa sua relação com o maridão, ele deixa você comer fora ou não deixa?

Gerusa – É como já lhe disse: Não é que ele deixa, ele apenas suporta, eu sempre conto quando tenho uma aventura fora, ou quase sempre conto, às vezes ele reage super bem e até fica excitado e me pergunta detalhes sobre minha trepada com o cara, mas, tem fez que ele fica puto da vida e até começa uma discussão, que sempre não da em nada, e terminamos na cama trepando.

Eu – sei bem como ele é! Já conheço a peça, se seu marido fosse meu marido já teria adestrado o corninho a muito tempo, já estaria com um amante fixo bem gostoso, dando assistência ao nosso casamento, mas, mudando de assunto: é a Fernandinha, você ainda tá colocando câmeras no quarto dela?

Gerusa – não, parei, fiquei com medo de descobrir que minha filha é uma putinha muito mais tarada que a mãe.

Eu – E ela pegou mesmo a prima? No ultimo capitulo dessa novela, ela arrumou a trepada da prima com o seu filho, agora que o teu filho Pedro já tirou o cabacinho dela, quais os próximos capítulos dessa novela?

Gerusa – Você acredita que ele pegou de jeito a pobre da prima? Deu uma prensa na menina e conseguiu levar pro quarto. Cara, ela e a amiga chuparam a Joaninha inteirinha, e quando eu digo inteira é inteira mesmo, até o cuzinho, a menina deve ter gozado umas dez vezes, ela gemia feito uma égua no cio, e chupou buceta também, tanto a da Fernanda quanto a da Renatinha, nunca fiquei tão molhadinha vendo um vídeo pornô da minha filha, da prima e da melhor amiga, bati até uma siririca, coisa que não costumo fazer, mas, estava muito excitada com aquelas bocas e bucetas se esfregando, que coisa deliciosa é uma bucetinha raspada, e aquelas três são todas lindas.

Meu marido que se deu bem, ele foi chegando em casa e fui logo atacando o corninho, dei-lhe logo um beijão na boca e apertei aquele pauzão entre os dedos, ele até estranhou, não costumamos transar qualquer dia da semana, e era uma segunda-feira, trepamos por mais de duas horas, coitadinha, homem é tão ingênuo, se eu tivesse colocado um chifre nele e não contasse ele nunca saberia, o corninho ficou todo feliz no dia seguinte, sorridente me beijou de manhã, e até me mandou flores do escritório, nem me perguntou porque eu estava tão tarada no dia anterior, se perguntasse jamais poderia dizer, que estava tarada porque vi um vídeo com nossa filha, a prima e a melhor amiga trepando no quarto dela.

Eu – que fofo teu marido! Mas, essas coisas, são coisas que não devemos falar pros maridos, isso é segredo de mulher, coisa de meninas, seu marido iria infernizar a vida da sua filhinha putinha, mas, mudando de assunto: Estou maluca pra conhecer um corninho igual ao seu, detesto ser solteira, acordar de manhã e não ter ninguém ao meu lado, quero dividir minha escova de dente com um maridinho bem mansinho.

Gerusa – o corninho da Cláudia é lindo e muito bem adestrado.

Eu – você está querendo dizer que o marido dela é corninho mando?

Gerusa – É sim! Conheci o cara ontem, ele deixa ela dá pra quem ela quiser e não precisa nem pedir pra ele, mas, ela me disse que conta todas as suas aventuras dela pra ele, e ele adora ouvir as putarias da esposa. A mulher é um exemplo de mulher moderna: Trabalha, sabe bem o que quer, tem diversos casos amorosos, com homens e mulheres também.

Eu – quantos anos ela tem?

Gerusa – Tem trinta aninhos e nem parece, parece ter uns 24 ou 25 no máximo, é tão linda, cheirosa, gostosa, tem uma pele macia feito de pêssego, gostosa de tocar, a mulher é muito gostosa, você tem que comer pra saber como ela é deliciosa.

Eu – pelo jeito você já comeu essa bucetinha?

Gerusa – claro que comi! Se não tivesse comido não estaria falando tudo isso, se você quiser deixo você comer também, tenho certeza que você vai adorar comer aquela coisinha linda.

Eu – cara, eu estou sem namorado, tem duas semanas que não trepo com ninguém, estou subindo nas paredes, mas, queria rola, esse negocio de chupar buceta não me satisfaz totalmente, é bom, mas, pau é melhor. Sou muito feminina e gosto é de pica.

Gerusa – Eu também gosto de pica, mas, isso tudo é papo furado teu! Você adora uma buceta e sou testemunha ocular disso.

Eu – tá bem Gerusa, pode trazer sua amiga, eu topo comer a gatinha gostosona, mas, se ela não for tudo isso que você está falando, vou ficar muito puta com você, não vou chupar a buceta de qualquer uma mulher feia, tem que ser gata mesmo pra eu chupar buceta!

Gerusa – não esquenta a cabeça menina, você vai adorar a Claudia, ela é a mulher mais linda do mundo.

Eu e Gerusa marcamos o encontro pra noite em meu apartamento, ela disse que ia ligar pra tal amiga e que me retornaria pra confirmar, minutos depois, ela me retornou e confirmou, porém, disse que o marido da tal Cláudia também viria. Não gostei da novidade.

Eu – Gerusa você é maluca, nós nem conhecemos esse cara, e se ele ficar com ciúmes da esposa, e armar um barraco aqui no meu apartamento.

Gerusa – você está querendo me fazer ri Geralda? Nem o seu ex-marido era tão corninho quanto o marido dela, o cara faz o que a Cláudia manda, literalmente, e gosta muito de ser corninho. Mas segundo a Cláudia, ele gosta mais de ser corno de homem, de mulher nem tanto. Adora saber que a Cláudia deu pra um bem dotado, até já arrumou comedores pra putinha, ele gosta de conferir a bucetinha vermelhinha de levar rola do comedor, já fizeram até ménage juntos.

Eu - Então ele é mesmo mais corninho que o meu ex-marido. O meu ex-marido não admitiria nunca ficar no mesmo ambiente que o comedor. Ele adorava ser corno, mas, não gostava de ver o cara metendo rola em mim, só gostava de está junto quando eu transava com mulher, ai ele gostava de ver e até participar.

Gerusa – Interessante, lembra que uma vez que nós transamos, ele ficou o tempo todo sentado naquela poltrona do seu quarto olhando a gente trepar, o pauzinho dele ficou muito duro, e o cara nem punhetava pra aliviar a tensão sexual.

Eu – Claro que lembro, depois fui lá e punhetei pra ele, o meu corninho gozou muito, eu que não deixei ele participar naquela hora, queria transar com você sozinha, tinha muita vontade de transar com uma mulher, só tinha transado com você quando éramos adolescentes, e tinha vontade de experimentar novamente.

Ele me comeu depois que a gente trepou, estava meio sem porra por causa da punheta que toquei pra ele, mas, o corninho gozou muito gostoso.

Gerusa – lembra que ele não me comeu na hora, só me comeu muito depois, lembra que eu pedi pra você deixar ele me comer, achei a pica dele linda e te pedi pra dá pra ele e você deixou.

Eu – verdade, só você mesma pra eu deixar trepar com meu homem. Não gosto que homem meu transe com outras mulheres, mas, você é minha melhor amiga, abri uma exceção, e confesso que fiquei excitada em ver você sentada na pica do meu marido. Fala a verdade, você adorou a rola do meu ex-marido, não adorou?

Gerusa – pra falar a verdade eu gostei, o seu ex-marido tem um pau muito gostoso, e faz com tanto carinho, que da vontade de ficar com aquela rola dentro da gente, o dia inteiro, nem parece esses brutos que já entram querendo arrombar a vagina toda.

Eu – Gosto de homem que entra pra arrombar tudo dentro da gente! É uma delicia a dor de um pauzão entrando e saindo com força, detesto homem que tem pena de buceta, que fica metendo devagarinho, e o meu ex-marido tinha esse defeito, às vezes quando estávamos transando, eu até mandava ele me arrombar todinha, deixar minha buceta ardida. Voltando ao assunto: então tá combinado, pode trazer o corninho, mas, me diga uma coisa, a gente pode comer o corninho também?

Gerusa – cara, eu não sei, não perguntei pra ela, mas, vou perguntar pra Cláudia agora mesmo.

Eu – então pergunta, estou maluca pra dá, já tem três semanas que acabei com meu ex-amante e não dei pra ninguém, estou na seca, estou tão doida por pica, que meu ex-amante ligou pedindo pra voltar e quase cedi, estou morrendo de saudades daquele pauzão delicioso, mas, ele é passado e não quero voltar ao passado pra sofrer duas vezes.

Gerusa – tudo bem amiga, se não rolar com o corninho dela, eu peço ao meu amigo Gerson pra resolver seu problema de carência de rola. E antes que você pergunte, ele é lindo e gostoso, e vai adorar comer sua bucetinha.

Eu – promete amiga?

Gerusa – claro que prometo, quem não adoraria trepar com uma mulher linda como você.

Eu – você é meio exagerada, não sou tão linda assim!

Gerusa – eu te acho linda e sei que ele também vai achar, só você não se acha linda.

À noite, por volta das 21 horas à campainha toca, eu estava terminando de me arrumar, e fui abrir a porta, quase tive um ataque cardíaco quando abri, o corninho da Cláudia era mesmo o homem mais lindo que já vi. Tinha um rosto lindo, 1,80 de altura, mais ou menos, olhos azuis, cabelos aloirados, boca fina, nariz afilado, proporcional ao rosto, o cara era muito gostoso, e já me imaginava na rola dele. Cumprimentei a todos com beijinhos no rosto e convidei-os a entrarem e sentarem, enquanto eu e Gerusa fomos pra cozinha desembalar os petiscos, a Cláudia e o marido ficaram sentados na sala conversando.

A Cláudia era mesmo linda, a Gerusa não tinha exagerado nem um pouco, e reconheço que apesar de não ser muito chegada à xoxota, não resisto à mulher bonita, toda delicadinha, mais parecia uma princesa, a idade, claro que ajuda muito, com trinta anos qualquer uma tem pele de pêssego, eu tenho 45 e ainda me orgulho da minha pele e do meu corpo, gosto de malhar e não tenho barriguinha. Se você gosta de dá pra homens gostosos, tem que se cuidar, homem gosta de mulher bonita, que se cuida, homem gosta de qualidade, o mesmo acontece com nós mulheres, só que nós mulheres vemos mais além que os homens, se o cara é legal e nos faz ri, dá uma vontade de dá pra ele, mesmo ele não sendo o seu tipo de homem.

Comemos e bebemos muito, estava uma noite muito agradável e o casal era maravilhoso, inclusive no bate papo.

Eu já estava com tesão, estava doidinha pra dá pro cara, e se ela entrasse no pacote tudo bem, não podia era sair dali sem comer aquele cara lindo e gostoso.

Gerusa – Claudinha você está maravilhosa, estou morrendo de vontade de beijar essa boquinha linda, que saudades dos teus lábios minha branquinha maravilhosa.

Cláudia – o apartamento é da Geralda, se ela deixar tudo bem, adoraria beijar você também.

Gerusa avançou pro lado dela e tascou-lhe um beijo na boca, as duas ficaram naquele beijo por uns dois minutos. Sorri e falei:

Eu – nem precisou da minha permissão, porque vocês duas não vão pro meu quarto?

Gerusa – nós vamos amiga, mas, depois queremos você também na brincadeira, a minha amiguinha veio aqui só pra brincar com você.

Cláudia sorriu e móvel a cabeça em sinal de aprovação, eu e o Toni, “marido da Cláudia”, ficamos conversando na sala. Eu estava maluca pra seduzir o Toni, mas, sabia que tinha que comer a Cláudia primeiro, ela tinha vindo ao meu apartamento só pra ficar comigo, ela estava me querendo e pra chegar ao marido dela,, tinha que comer ela primeiro.

Fui pro meu quarto junto com o Toni, e quando entramos, as duas estavam nuas em um sessenta e nove maravilhoso, a Cláudia estava por cima e achei muito linda a bunda branquinha dela, toda redondinha, não muito grande, senti até inveja, apesar de ter uma bunda linda também! A dela era maravilhosa e sabendo que ela me queria, passei a mão na bunda dela com suavidade, ela olhou pra traz com um sorriso no rosto e falou:

Cláudia – da um beijinho nela amiga, eu estou querendo a sua linguinha no meu rabo!

A mulher era muito safada, aquela carinha de anjo era só a cara. Subi na cama ainda vestida e fiquei beijando aquela bundinha linda, passei a língua nas nádegas e não resisti e abri as nádegas e lambi o cuzinho dela, tão cheiroso, mais cheiroso que o da Gerusa, olhei o rosto da Gerusa que estava entre as pernas dela e a língua não parava, lambia a xoxota lisinha de nossa amiga. Senti aquele cheirinho da xoxota excitada, molhadinha, confesso que adoro aquele cheirinho de xoxota molhada, e por isso resolvi repartir aquela xoxota com a Gerusa e comecei a lamber também, mas, vi que ela não estava interessada na Gerusa, ela estava interessada em mim, e era compreensível, apesar da Gerusa ser muito mais bonita que eu, ela já tinha comido a Gerusa, agora eu era a próxima, e confesso não estava nem um pouco insatisfeita, muito pelo contrario, estava muito excitada em saber que em poucos minutos estaria chupando e sendo chupada por ela. A Cláudia levantou de cima da Gerusa, foi em minha direção, me deu um beijo na boca, tentou enfiar a língua na minha boca e claro que deixei, depois meteu a mão nos meus seios, por cima do vestido, e continuamos nos beijando de língua, ela começou a desabotoar o meu vestido, tirando com muita pressa como se eu fosse fugir, me deu um tesão danado ver aquela mulher linda, ansiosa pra ter o meu corpo, ela tirou meu vestido e o soutien, só me deixando de calcinha, chupou meus seios paixão quase machucando, nos abraçamos avidamente e quando vi a Gerusa já estava fora da cama, me deixando sozinha com a gata tarada, ficamos abraçadinhas, uma ao lado da outra, esfregando nossos corpos, muitos beijos, confesso que estava muito excitada, buceta completamente encharcada, a mulher tinha um hálito delicioso, uma boquinha gostosa de beijar, as pernas lisinhas encostadas na minha vagina molhada, ela fazia questão de roçar a coxa entre as minhas coxas, roçando no meu clitóris, ficou mais deleitoso ainda quando ela começou a chupar meus seios de novo e abaixando a cabeça, beijou e lambeu minha barriga, coisa que me deixa maluca, quase gozando.

Vi o tanto que ela adorava trepar com mulher, ela era igual a Gerusa, transava com mulher como se não existisse homens, elas eram essencialmente lésbicas mesmo, homem era só uma consequência da vida, só pra procriação, reprodução. Eu sou diferente delas, estava com uma gata na cama, mas, estava pensando na rola do marido da Cláudia.

Chupei e lambi muito a xota da putinha, e gozei gostoso também na língua dela, a Gerusa, claro, vendo que não tinha lugar pra ela em nossa transa, atacou com o maridão da amiga, “o Toni”, que pra minha surpresa, estava aos beijos com a Gerusa, ela sentada no colo dele com as pernas bem abertas e ele com o dedo atolado na xota dela, o pau do cara estava pra fora da braguilha e estava muito duro entre as pernas dela, não era nenhum pauzão, mas, era um pau respeitável, uns 17cm, e que saudades eu estava de uma piroca, quase fui lá tomar o pau dela, mas, fiquei na minha e vi grandes possibilidades de ser a próxima a ser preenchida.

A Cláudia olhou pros dois, e parecia que estava com mais ciúmes da Gerusa do que do marido, na hora tive um pensamento diabólico, pensei que eu podia ser amante da Cláudia, só pra ter acesso ao marido dela, e claro que ele seria o prato principal dos nossos encontros, mas, vendo o interesse da Gerusa em ser amante da Cláudia, tinha medo de ferir os sentimentos da minha melhor amiga Gerusa.

Continua

Comentários

17/10/2016 16:40:43
Gostei
23/01/2015 16:07:42
Mais um conto excelente...parabéns!!!!!!!
22/01/2015 16:17:39
Whatssap
22/01/2015 15:35:53
adorei.
22/01/2015 12:30:50
o conto é em parte real, mais também tem elementos fictícios. espero que gostem, boa leitura.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.