Casa dos Contos Eróticos

2ª Vez

Autor: AdrianoB2
Categoria: Heterossexual
Data: 17/10/2014 07:09:05
Última revisão: 06/01/2017 14:29:32
Nota 10.00
Ler comentários (1) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Segunda vez (verídico)

Este eu acho que será curto, apenas para encerrar o conto anterior.

Depois de ter comido a Luíza, fiquei aguardando que nem louco o próximo fim de semana que é quando havíamos combinado de nos encontrarmos.

Perto do final de semana ela me liga e combinamos então de nos encontrarmos no sábado de manhã no mesmo hotelzinho tosco e barato da vez anterior bem no centro da cidade.

Na data marcada eu chego e logo depois ela também chega. Dou um beijo em seu rosto, quase encostando em seu lábio e a agarro fortemente pela cintura.

Então, sem perder tempo, entramos no hotelzinho.

De cara, como um esfomeado, já pego e tiro sua blusa, calça, calcinha e, literalmente, a jogo em cima da cama, abro suas finas pernas e já caio direto com a boca naquela bucetinha gostosa. Eu já não me agüentava mais de tanto tesão, afinal já havia perdido a conta de quantas punhetas eu já havia tocado me lembrando dela durante a semana.

E pelo visto ela também estava louca de tesão pois sua bucetinha estava deliciosamente molhada.

Começo a lamber aquela bucetinha gostosa, surpreendentemente meio pequena até, devido a sua idade de 33 anos. Ela logo começa a gemer e retorcer todo o seu corpo (adoro mulheres que gemem).

Ela então pega o travesseiro e morde ele, gemendo cada vez mais alto.

Então , de repente, ela segura minha cabeça, me puxa para cima e começa a me beijar a boca, limpando todo o seu melzinho que estava escorrendo por toda a minha cara. Fiquei mais louco de tesão ainda; ela lambendo seu próprio melzinho... Que delícia.

Ela, então, me deita na cama e começa a lamber minha orelha (adoro que lambam a minha orelha), meu pescoço , vai descendo passando a mão pelo meu peito, lambe minha barriga até chegar no meu pau, que já estava explodindo.

Com suas mãos pequenas ela pega meu pau e começa a punhetá-lo. Hum... Que mãos macias.

Ela começa a dar pequenos beijos no pau, passa de leve sua língua na minha cabeçona e começa , meio desajeitadamente a lambê-lo e a chupá-lo de leve.

Eu, com o meu tesão de piá novinho que eu era na época (19 anos) só queria gozar logo na boca dela.

Ela continua a chupar meu pau , só a cabeça dele, e talvez adivinhando que eu estava prestes a gozar, pára de me chupar e fala "me come", de uma forma que eu nunca vou me esquecer.

Eu levanto e começo a colocar a camisinha. Foi menos difícil colocar a camisinha desta vez, mas não foi fácil :)

Depois de superado a batalha contra a camisinha, deito em cima dela, abro suas pernas na posição de frango assado e, devagar , fico passando meu pau ao redor dos seus grandes lábios até encostá-lo na entrada da sua grutinha. Então começo a enfiar devagar.

Que gostoso é sentir cada milímetro do meu pau entrando. Fui enfiando até sentir ele dar uma trancada e então começo a bombar dentro dela. E começo a aumentar a velocidade. Ela começando a gemer. Logo eu já estava bombando com tudo, sentia até as minhas bolas baterem na sua bunda. Ela começa a gemer que nem louca até que eu não agüento e gozo dentro dela (passei anos até aprender a não ter ejaculação precoce :) )

Nem tiro meu pau de dentro dela e logo já estava em ponto de bala de novo e volto a meter com tudo. E dessa vez dura bastante.

Até que além de gemer ela começa a contorcer todo o seu corpo e, então , me agarra as costas cravando suas unhas nas minhas costa e começa a urrar ferozmente... Ela estava gozando.

Não existe sensação melhor que ver e sentir uma mulher gozando. Sentir seu corpo tremendo, seu suor, sua respiração ofegante e então todo o seu corpo ficar mole, sem forças sequer para mexer um dedo.

Eu me deito ao seu lado e começo a beijar seu rosto, sua boca, a fazer carinho em seu rosto.

Depois que vejo que ela se recuperou do gozo, eu a viro de quatro e começo a enfiar nela na posição de cachorrinho sem dó nem piedade.

Ensaio uns tapas em sua bunda até que ela se deita na cama e eu continuo a bombar com tudo. E quando eu sinto que ela vai gozar de novo eu acabo gozando junto com ela... Que coisa boa.

Desabo todo o peso do meu corpo sobre suas costas e fico lá, ainda com meu pau dentro dela até recuperarmos a força.

Com o pique retomado, a viro de lado e começamos a fudeu de ladinho até eu gozar novamente. Dessa vez eu não sei se ela chegou a gozar pois ela estava nitidamente exausta.

Depois dessa maratona, me deito ao seu lado e nos abraçamos. Até que tomo coragem e falo que na semana passada ela tinha sido a minha primeira mulher. Que eu era virgem então.

Ela se senta, se vira pra mim e fala dizendo que não acreditava em mim, que não podia ser verdade; falando isso estranhamente com uma cara de espanto.

Repito dizendo que era verdade e ela diz que não podia ser verdade o que eu tinha dito.

Até que ela olha o relógio e diz "Meu Deus, está muito tarde, preciso ir embora".

Nos levantamos, nos vestimos, pago o hotel e saímos.

Eu digo pra ela que foi muito bom, ela, estranhamente perturbada também diz que foi.

Pergunto quando que a gente se vê de novo e ela disse que a gente se via no próximo fim de semana, que ela me ligava, como na semana passada.

Nós despedimos com um looongo beijo na boca e então ela vai embora sem olhar pra trás.

Perto do final da próxima semana ela não me ligou. Liguei pra ela e deu que o número chamado não existe... Nunca mais consegui me encontrar com ela de novo...

Pra mim ela ficou completamente diferente quando eu falei que eu tinha perdido a minha virgindade com ela. Não sei porque... E pelo visto nunca vou saber...

Nunca mais tive notícias dela. Anos depois fiquei pensando se talvez ela fosse casada... Bem, vou ficar com essa dúvida pra sempre...

Espero que tenham gostado do conto.

Beijos gostosos

Comentários

14/12/2014 10:24:07
Dizia uma propaganda que o primeiro sutiã a gente nunca esquece. É verdade. E a primeira transa também. Que boba essa mulher, de sumir assim. Com a idade dela, poderia desfrutar muito, além de ensinar bem um garoto de 19 anos, todo taradinho. Publiquei um conto novo. Me visite outra vez, clicando no meu nome. Bjs.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.