Casa dos Contos Eróticos

A Putinha da Familia ll

Um conto erótico de DNA Passivo
Categoria: Homossexual
Data: 07/08/2014 00:33:53
Nota 9.50

Continuação Putinha da Familia

Como relatei no anterior, acordei com o pintão do Papai na boca. Alegria minha por estar com paizinho sendo o viadinho dele como ele mesmo disse, por estar de boca cheio da rola de um supermacho, e por ver a alegria dele em me encontrar do jeito que ele pediu.

-Bom dia meu Anjinho, meu viadinho lindo. Bom demais ver que obedece direitinho e com toda felicidade de um viadinho feliz em atender seu macho. Está feliz meu Anjinho.

-Estou sim, paizinho pintão.

Ele se acaba de rir por eu responder sem tirar a rola da boca, falando sem me fazer entender direito.

-Mas nem pra falar meu Anjinho larga da madeira. Gosta mesmo de rola meu putinho?

Apenas sorrio com os olhos. Ele grita o nome de meus irmãos e diz que continue mamando mas que eu ficasse de quatro com a bunda bem empinada. Meus irmãos chegam ainda nus na porta do quarto do papai.

-Mas olha que bonitinho nosso irmãozinho finalmente ganhou o que tanto queria. Disse o Zé.

O Pedro já com a rola dura, pergunta.

-Estava doidinho por isso não é irmãozinho?

O pintão totalmente duro me escapa da boca, agarro na mão e respondo ao Pedro.

-Queria meu irmão, mas também queria os pintos de vocês, vão dar pra mim?

-Claro que vamos, a gente só estava esperando o dia que você não aguentasse mais de vontade e pedisse.

O Zé pergunta a papai.

-Parece que a putinha gosta mesmo né pai?

-Nunca vi um viadinho novato com tanta fome. Acreditam que dormiu com ela na cara? Pediu pra ficar entre minhas pernas, com a cara juntinha da rola. Olha a cara dele de felicidade.

-Vai ter rola agora a dá de rodo, rola e leite não vai te faltar viadinho. Vai mesmo ser nossa putinha e viver sempre ocupado numa rola.

-Claro que vou Zé, vou fazer tudo que vocês e o papai mandarem. Paizinho posso brincar com eles também?

-Claro minha menininha loirinha. Chega ai meninos vamos dar boas vindas a nosso viadinho de casa.

Eles se deitam conosco e me sobem ao peito do papai e juntos todos me abraçam e beijam. Eram seis mãos a me alisar, me apertar a bunda, chupar meus mamilinhos, a dedar minha bunda. Zé e o Pedro passam suas rolas varias vezes no meu rosto, me fazendo perseguir suas rolas de boca aberta, Se riem de minha loucura por rola, da minha língua tentando agradar aos três machos.

Zé corre a brincar com minha bunda, me faz gritar passando os dentes, chama o Pedro para ver seu dedo entrar me tirando gemidos de dor e tesão.

Pedro pergunta ao pai se já descabaçou o meu cu. Papai diz que ninguém vai meter até que ele libero.

-Primeiro vamos ensinar a mamar nossas rolas do jeito que cada um prefere. Viu meu putinho lindinho? Tem que aprender como agradar cada um de nós.

-Vou sim pai.

-Otimo, fica com seus irmãos, vou cagar, quando eu for tomar banho te chamo. A partir de hoje vai tratar, limpar e banhar todos os três.

Fiquei na cama só com os irmãos. Eles brincavam me pondo por cima e por baixo de cada um deles. Se diziam felizes vendo que eu estava adorando, com sorriso que não saia da cara.

Zé me pergunta.

-Papai pediu para ser acordado com sua boca todo dia.

-Sim, não vou falhar dia nenhum

-Assim que se diz. Nós também queremos assim, é acordar e ordenhar os três, para tomar leitinho logo de manha. Pode fazer isso?

-Eu ia pedir isso mesmo. Já falei para o paizinho que quero fazer tudo na hora que pedirem aonde quiserem.

Ele puxa meu rosto e me dá o primeiro beijo na boca, durante o dia ganharia muitos de todos. Pedi para o Zé.

-Queria que brincasse com meu buraquinho enquanto cuido do Pedro.

-É pra já irmãozinho.

Corro para pegar a rola do Pedro.

-Que linguinha safadinha viadinho tem. Pena que não consegue por nem a cabeça ainda.

-Me diz como fazer que aprendo;

-Ai eu teria que empurrar sua boca com força.

-Então faz.

Zé sorriu raspando a barba áspera na minha bunda e pondo a língua no cuzinho me endoidando.

Pedro diz

-Zé meu irmão, o viadinho é talentoso mesmo, olha pra isso?

Ele mostra um dedo da cada mão abrindo minha boca. Parecia que a qualquer moimento me rasgaria a boca. Quando no limite ele pede ao Zé.

-Empurra a cabeça do viadinho Zé, vamos ver até a putinha consegue.

Com força de verdade o Zé empurra minha nuca e assim me vejo com o cabeção todo na boca. Quando tentei tirar o Pedro fala mais serio.

-Fica mais viadinho. Boqueteiro só tira rola da boca quando o macho manda. Força mais Zé, o viadinho aguenta.

Entra mais uns centímetros e meu sentimento é de alegria pelo feito. Varias vezes eles repetem. Sai muita saliva de minha boca e vi que eles adoravam isso. O Zé reclama sua vez. Um pouco maior a cabeça, porem bem rápido repeti o feito, bastou o Pedro meter seu dedo maior e a insanidade que me possuiu tornava todo possível. Percebendo eles que não demoraria a papai me chamar, me põe de joelhos no chão e com seus pintos a me bater na cara, a me pedirem mais saliva e de novo engolir as cabeças avisam que eu deveria abrir a boca quando eles estiverem esporrando e que se eu perdesse mesmo que um pouquinho de seus leites iriam ficar zangados.

Pedro foi o primeiro a meter a cabeça, agora mais roxa ainda e parecendo pulsar enquanto eu me virava para beber tudo. Ele termina de esporrar, mela a rola com o que sobrara na boca e manda que limpe. Faço na maior alegria e com carinha inocente pergunto se fiz direitinho.

-Fez sim, você nasceu pra isso mesmo loirinho lindo. A partir de hoje é só ter vontade e pode me pedir, ou então esteja pronto para quando eu mandar.

-Esta bem Pedro. Adorei esse leitinho. E você Zé vai me dar também?

-Viadinho safado. Abre essa boquinha de chupeteira, lá vai o café da manha.

Parecia o dobro de porra. Por mais que tentei,escapou pelos cantos da boca. Zé achou lindo minha cara melecada de porra.

-Agora fica com ela na boca, vem comigo desse jeitinho pra papai te dar a parte dele.

Me pega e me põe de ponta a cabeça me segurando pela cintura e mandando ver na lingua em meu cu. Papai se acabe de rir, me faz carinho nos cabelos e me manda ajoelhar. Digo a ele que meus irmãos me ensinaram a por na boca.

-Mostra pro pai.

-Mas o senhor tem que ajudar empurrando minha cabeça.

-Olha para isso Zé, parece que cuida de rola desde o berço. Kkkkk

-É pai parece que agora temos o melhor putinho viadinho da região. Se numa noite já aprendeu esse tanto, imagina semana que vem. Duvido que esse vadiozinho não vá implorar pra ser enrabado em menos de uma semana. Tenho certeza que mesmo novinho assim, nem quinze tem, vai conseguir tomar no cu até do senhor.

-Tem razão Zé. Olha a vontade e alegria dele com uma rola. Meta o dedo no cu desse viadinho que vai receber a maior carga de leite da casa.

E foi a mais pura verdade, tanta porra que foi impossível não fazer, então recolhia com os dedos e passava na cara. Tudo isso remexendo no dedo do Zé atolado no meu cu. Papai descansou um pouco encostado na parede enquanto eu fazia a faxina. Papai saiu pra enxugar e o Zé mandou mamar de novo. Só parei depois de uns dez minutos quando bebi mais leite.

Zé mandou que eu ficasse com a cara esporrada o dia todo, avisou aos outros sua ordem dizendo que só quando ele mandasse eu lavaria.

O toque da campainha quebrou nossas brincadeiras. Papai atendeu e só ouvíamos sua voz dando uma super esculachada no viado cabeleireiro que apareceu sem ele chamar. Entra com arrastando o viado pelos cabelos e manda que ele me mame até me tirar leite.

-Agora seu viado descarado. Vai mamar meu caçula e só sai daí quando tomar leite de menino.

Eu devia ter na época, m meio a adolescência uns 15 cm ainda. Papai mandou que eu encostasse de pé na parede, agarrasse os cabelos do viado e não tivesse mínima pena, que fodesse a sua boca como se fosse um buraco qualquer.

-Seja macho filho arregaça a boca do viado.

Fiz como ele mandou, usava toda minha força metendo na boca da bixa, que mesmo engolindo tranquilamente, a força e rapidez bruta que eu impus, fez ele babar até mais que há pouco eu babei. Os três negões adoravam me ver macho maltratando o viado. Perto de gozar papai manda.

-Primeiro mela a cara dessa bixinha, depois soca dentro e termina bem no fundo da garganta, não larga a cabeça desse viadinho relento.

Mesmo sendo passivo nato, gozei fartamente em minha virilidade adolescente. Os três se diziam orgulhoso do novinho da casa. Bateram palmas entusiasmada quando tirei a rola da boca dele e mandei bem homão

-Limpa minha rola bixa.

Assim que o viado terminou. Papai o levantou pelos cabelos e jogou o viado fora de casa.

-Vai com a cara melada de porra do meu menino sua vadia relenta e insolente, só aparece quando chamar, se fizer de novo, não é rola que vai ganhar e sim uma surra de te deixar troncho. Some da minha vista.

Ele voltou e me encontrar com o cu pra cima sendo atendidos no pedido de língua no cu, os dois se revezavam, enquanto um chupava meu cu, o outro me ensinava como gostava que cuidasse de suas bolas.

Depois do almoço um afilhado do papai, um garotão que eu era doido pra ter a rola desde que o vi nu tomando banho lá em casa. Toda vez que ia a noite na pracinha não desgrudava os olhos de recheio na calça. Claro que ele sacava e uma vez me deixou por a mão dentro da cueca dele num cantinho escuro da praça. Assim que papai desligou o telefone contei a ele.

-É meu Anjinho estou vendo que esse cuzinho pisca de fome não é de hoje. Ele esta vindo pra cá, quer chupar a rola dele?

-Se o senhor deixar, quero sim.

-Putinha sem freio, se eu deixar mama todas as rolas da cidade.

-Se o senhor mandar faço mesmo.

-Sei disso. Vamos pra sala, quero que quando ele chegar te veja cuidando de todas as rolas da casa. Nem olhe pra ele, continue trabalhando, e só quando mandar ser putinha Del, você faz o que ele pedir.

-Sim senhor.

O Zé

-Incrível esse viadinho, só em falar olha a rola dele já torada de dura. Kkkkkkk Vem pra sala de quatro viado e agora quem escolhe a ordem que vai mamar é você.

Foi a dele a primeira. Fiz os três rirem ao dizer quero engolir mais dessa vez, pode forçar bastante.

A próxima, conto do afilhadinho, garotão gostoso demais. Foi a primeira que engoli inteira para alegria dos machos da casa, me ver com os 18 cm do bonitão desaparecer garganta abaixo. Os fiz exclamar quando numa pausa para tomar fôlego pedir ajuda para quando entrar toda me ajudarem a por o saco também.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
Lx
14/06/2015 22:50:12
Bom
13/10/2014 19:05:18
Show!!! Nota 10!
18/09/2014 19:48:43
Que idiota porra isso e um conto gay que bucete vai pra rodivia
28/08/2014 15:23:22
10
11/08/2014 12:45:12
Muito bom! Vc escreve muito bem, consegue envolver e excitar sem ser cansativo. Continue logo! Abçs
07/08/2014 11:10:35
Conto legal.
07/08/2014 09:39:35
Conto legal.
07/08/2014 01:28:24
legal o conto, mas eu gosto mesmo é de buceta a minha ex me abandonou e tem uma vizinha que é até parecida é tesuda tem uns peitos que deve ser uma delicia, eu imagino aquela buceta depilada na minha cara eu fico uma hora chupando ali sem parar depois do quarto orgasmo ai vou pondo meu pau bem devagar pra sentir aquela vagina engolindo e apertando meu pau com certeza é duas sem tirar de dentro, tomara que a minha ex nao leia porque ela vai sentir saudade, eu fazia até melhor do que imaginei ela era muito gostosa pena que foi embora, quem sabe a vizinha me da, ou tem um monte de mulher por ai, mas agora eu tenho que castigar uma pensando na vizinha da licença o bregogerio ta de pé tinindo,o bichinho ta doido pra fazer uma buceta feliz , ele vai ter esperar um pouco ainda, mas eu prometo que agora ele vai pegar coisa nova e boa.