Casa dos Contos Eróticos

A vida me deu você 02

Um conto erótico de Ramon
Categoria: Homossexual
Data: 29/07/2014 22:19:04
Nota 9.00
Assuntos: Homossexual, Gay

Bom, quero agradecer a todos que gostaram e comentaram enfim, vou tentar postar todos os dias, acho que se eu parar de postar vai ser no maximo 1 dia só, espero que vcs gostem de verdade, eu não sou escritor e nunca fiz isso então me descupem algum erro .

Capitulo passado : - Oi mãe , Oi pai ! – meus pais não sabem sobre minha sexualidade, não quero falar por enquanto, meu pai tem um certo preconceito - os dois estavam sentados sobre o sofá assistindo a novela , dei um beijo nos dois e subi para o meu quarto , joguei minha bolsa no chão do quarto e me jogue na cama , fiquei pensando naquele abraço por um tempo e adormeci. Acordei com a minha mãe

- Filho , tem um garoto la em baixo te chamando ! , Continua ...

Rapidamente me sentei na cama , cocei meus olhos – Mãe , diga a ele que já vou descer ! , - minha mãe saiu do quarto e eu rapidamente me levantei, tirei meu tênis e fui ao banheiro que fica em meu quarto mesmo , lavei meu rosto e escovei meus dentes. Desci as escadas e ao chegar a sala vejo ele, Estava sem boné , pude ver seu cabelo escuro e arrepiado, estava com uma camiseta basica e uma bermuda, no pé usava um chinelo , sorri e sem me aproximar disse – Ei , vamos subir – ele sorrio e subimos pro quarto, omo ele estava lindo .. mesmo fechei a porta e olhava pra ele, de chinelo e bermuda estava perfeito pra mim! , Olhei no relógio ,já eram 20h35 e nada da Bruna e do Caio chegar , então pedi licença e desci pra sala , peguei o celular da minha mãe e liguei para os dois , eles disseram que não poderiam vir, os dois arrumaram uma desculpa esfarrapada e eu desliguei o telefone , subi novamente e fechei a porta , olhei para Eduardo e ele estava sentado em minha cama mechendo no celular ,. Percebi que ele se assustou ao me ver chegar , sorri – então . meus amigos não vão vir ! vamos ter que estudar sozinhos mesmo , me sentei do seu lado olhando para ele , vi seu olhar de encontro ao meu e ouvi dizer – Ah .. que tenso , enfim , vamos estudar –

Me levantei e fui a uma estante , tentei pegar alguns livros mas senti algo cair em minha cabeça , cai no chao e passei a mão sobre a testa , estava sangrando , rapidamente vi o Eduardo em minha frente com uma expressão bem preocupada , eu estava morto de vergonha mas sabia que não tinha culpa, pedi pra que ele fosse ao banheiro pegar algodão e álcool e ele foi , trouxe e começou a limpar o machucado

- Poxa ta feio isso aqui hein,-ele limpava e eu sentia o seu cheiro maravilhoso - ,

Sorri e disse

: - é acho que sim , (riso) , obrigado por estar se preocupando tanto comigo , (nós rimos juntos) , me levantei e fui até o espelho , tinha parado de sangrar, do espelho podia ver ele atrás de mim , me virei e e vi ele bem próximo , senti sua respiração se misturar com a minha , meu olhar estava em sua boca, vi ele passar lentamente a ponta de sua língua sobre os seus lábios , aquilo me deixou completamente arrepiado, sem conseguir controlar os meus atos simplismente o roubei um selinho demorado , sentia meus lábios sobre os seus e foi a melhor sensação que eu já havia sentido , senti ele me empurrar , olhei pra ele com uma expressão de decepção e ele disse:

- Cara você ta louco ? olha o que você fez ! já pensou se seus pais aparecem aqui ? – ele suspirou e se sentou na cama . na hora eu corei , me sentei do seu lado e olhando pro chão disse baixo quase que saindo como um sussuro – Desculpa – olhei pra ele e suspirei – Eu não sabia que você não curtia cara ! foi mal , não vai mais acontecer ! , abaixei a cabeça e senti seus dedos macios e quentes encostarem meu queixo levantando minha cabeça , olhei pra ele e ele simplismente me tascou um beijo , eu sem reação dei continuidade , sua mão percorria meu corpo com desejo e rapidez , era um beijo quente e intenso, sua língua deslizava sobre a minha lentamente , paramos o beijo e nos olhamos por alguns segundos , sorrimos juntamente e ele me deu um selinho , na hora eu corei e abaixei a cabeça sorrindo , cara como aquilo foi perfeito , eu realmente não estava esperando algo até por ele ter ‘recusado” o selinho que eu havia o dado .

- Isso nunca aconteceu comigo ...

Levantei a cabeça e o olhei , sorrio e respondo :

- isso o que ?

Ele sorri – Nunca fiquei com garotos , nunca senti nada assim .. nunca senti esse desejo que senti por homem algum !

Eu sorri e o olhando disse : Isso me deixa feliz ;..

Ele se levantou com as bochechas bem rosadas e meio que sem jeito e tentando desviar o olhar de mim o maximo possível :

- É, acho que não vai haver estudos (risos) , acho melhor eu ir pra casa antes que fique tarde demais

Ao Eduardo terminar a frase me levantei – ah, fica pra janta , depois eu te levo em casa sem problemas !

Eduardo concordou com a cabeça e fomos pra sala , vi meu pai sentado no sofá assistindo o jornal e de la dava pra ver minha mãe na cozinha terminando a janta , fui até ela e dei um beijo em sua bochecha.

- Mãe, O Eduardo vai jantar aqui hoje viu?

- Ta bom meu filho, vai demorar um pouco! Disse minha mãe me olhando fixamente

- Ok mãe, a gente espera ;

Eu e Eduardo fomos pra rua , ficamos sentados na calçada aguardando minha mãe terminar o jantar, conversamos o tempo todo sobre a escola, percebi que Eduardo estava falando da escola apenas pra não falar sobre o que havia acontecido no quarto , até que eu resolvi tocar no assunto:

- Ei Edu, você gostou ?

Ele me olhou por alguns segundos e em seguida desviou o olhar

- Olha Fernando, gostei sim, mas queria que você não comentasse com ninguém – ao terminar a frase ele voltou a me olhar.

Balancei a cabeça positivamente e ouvi minha mãe nos chamar , me levantamos e fomos a cozinha , nos sentamos e jantamos juntos, Minha mãe, meu pai, Eduardo e eu.

Ao terminarmos Eduardo se levantou e pediu pra que eu fosse o levar em casa , até porque estava bem tarde e ele morava longe , seria perigoso pra mim também, mas pelomenos passaria um tempo com ele.

Ele se despediu dos meus pais (Ana e Carlos).

Fomos pra sua casa, o caminho todo quietos, senti por varias vezes sua mão tocar a minha, nos olhávamos e sorriamos de canto desviando o olhar, o meu desejo de beijar Eduardo era intenso, mas me controlei . Ao chegarmos na casa de Dudu ele me abraçou, foi um abraço forte e longo, fechei meus olhos e apenas senti o seu cheiro, senti seu corpo se afastar do meu aos poucos , Puxei Eduardo novamente e roubei um selinho, senti sua mão quente em meu rosto acariciando-o , sorri e o beijei .. foi um beijo intenso e com desejo, estava tudo tão bem quando ouço um grito

Eduardo , que baixaria é essa ? – Era a mãe de Eduardo na sacada com uma cara de assustada e ao mesmo tempo de desprezoCONTINUA !

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
30/07/2014 00:21:27
sempre tem roubo de selinho na maioria dos contos uma hora a dentadura cai fica bom pra fazer uma gulosa
29/07/2014 23:09:39
aí vem problema -_- ..esta muito bom ..esperando pelo próximo :)
29/07/2014 22:53:05
Eita e agora??