Casa dos Contos Eróticos

Não fui só eu que comi a noiva do colega!

Autor: Newton19
Categoria: Heterossexual
Data: 02/05/2014 20:12:44
Última revisão: 31/01/2015 08:09:08
Nota 9.92
Ler comentários (59) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

¨Pater is est quem nuptiae demonstrant¨. Um princípio romano, presente em todas leis modernas que faziam presumir que o marido era o pai. Até que apareceu o exame do DNA...

Roger é o nosso sub-gerente. Formado em administração, com mestrado na FGV. Boa pinta e noivo de Marcela, filha do fazendeiro mais rico da região. Sujeito até legal, se não fosse a mania de se achar o tal, sempre contando vantagens.

Com certa razão, porque, não precisa nem chavecar as gatas, que vivem dando em cima dele. Só na nossa agência já saiu com duas, além de algumas clientes. Depois que come, logo vaza e queima o filme, ficando numa só transa. E conta para todo mundo, cada escapada dessas, nos mínimos detalhes.

É só beber um pouco que o Roger começa a botar banca. Conta até como sua noiva gosta de chupar um cacete e dar de quatro. De como ao ser fodida, ela solta a franga, se comportando como uma verdadeira puta, pedindo para levar tapas na bunda e outras intimidades.

O bicho pegou num churrasco que um fazendeiro ofereceu para a turma da agência. Era domingo e Roger chegou com a noiva, dirigindo o Suzuki Gran Vitara da Marcela. O mala impressionando, já que a noiva é realmente uma gata, loirinha de olhos verdes, cabelos lisos e longos, corpo de ninfeta, bundinha empinada e deliciosa num vestidinho vermelho, curto, leve e solto.

Nossas colegas morrendo de inveja dela e os caras com suas namoradas ou esposas, perdendo feio para a mina. Para variar, Roger bebendo todas e dando uma de bacana. Acho que a turma ficaram com lombra e passaram a encher a bola dele, além de tudo que era tipo de bebida.

Antes da hora de bater uma boia, o cara já estava bem chapado. E a noivinha, pelo jeito, não disfarçava a contrariedade. Mais tarde, a galera jogando cartas e Roger apagado numa rede. Foi quando vi ela tentando acordá-lo e me aproximei. Ela dizia:

- Amor, vamos embora! Levanta, vai!

Ele resmungou algo e ao se levantar da rede, quase caiu. Sabe aquela mania que todo macho tem, de chegar na gata, dando uma de desinteressado, mas sonhando com outras intenções? Aquele lance em que a gente sabe que não vai rolar nada, mas, vai assim mesmo?

Pois é, galera, eu corri para ajudar. Apoiamos o Roger, um de cada lado e o levamos até o carro. Colocamos ele no banco do carona e prendemos com o cinto de segurança. Marcela me agradeceu e eu me ofereci:

- Olha, se quiser, posso ir com vocês para ajudar.

- Obrigada, mas, não precisa se incomodar. Eu dou um jeito de me virar...

- Não é incômodo nenhum. Eu vim de carona e já estava a fim de ir embora mesmo.

Avisei o Rafa que iria embora com o Roger e a Marcela. Me despedi dos donos da casa e se mandamos. Ela pelo jeito estava na bronca, porque saiu cantando os pneus. Passou à toda numa lombada, nem sei como não quebrou mesmo as molas. Entrou direto na rodovia preferencial, por pouco não provocou acidente e ainda por cima, levou uma tremenda buzinada.

Eu ali com o cu na mão, agarrado firme no ¨pega jacu¨, rezando para que chegassemos logo. Mentalmente eu dizia ¨mais devagar!¨, ¨cuidado!¨, o que não podia proferir, já que não tinha tal intimidade com ela. Numa curva mais fechada, ela derrapou e por pouco não capotamos.

Acho que isso a acalmou e graças a Deus, ela passou a conduzir o veículo com mais cuidado. Fizemos o resto do trajeto em silêncio, eu no banco de trás olhando a paisagem e de vez em quando, olhando para ela pelo espelho retrovisor. Numa dessas fui flagrado e disfarcei rapido, desviando o olhar para uma casa à direita.

Passado algum tempo, dei outra olhada no espelhinho e desta vez, não teve como fingir. Ela estava de olho, esperando, como tivesse certeza que eu olharia de novo. Nossos olhares se cruzaram e meio sem graça, falei:

- O churrasco estava legal, né?

- É, estaria, se o Roger não enchesse a cara e desse vexame. Que vergonha!

- Bem, um pouco foi culpa nossa. Mas ele não deu vexame. Todo mundo, de vez em quando, bebe mais do que a conta.

- Mas não na casa dos outros e ainda por cima, com a noiva junto!

Levamos ele até o seu apartamento. Ao colocá-lo no sofá, o cara vomitou forte e o primeiro jato atingiu ela em cheio, bem no decote do vestido, respingando até na minha camiseta. Ela correu ao banheiro para se limpar.

E quando voltou, nossa, voltou só de calcinha e sutiã, um conjunto sensual de lingerie vermelho, ornado com rendas. Os seios pequenos e pontudos. Dava para ver que ela estava com as partes íntimas depiladas, já que a minúscula calcinha fio dental mal cobria seu vértice de prazer.

Eu ali embasbacado pela visão e a Marcela se comportando com naturalidade, passando a toalha no meu tronco. Seus cabelos exalavam um perfume adocicado e meu pau endureceu na hora. Atordoado, ouvi ela dizendo:

- Que droga! Essa sujeira não sai! Tira essa camiseta que vou passar água na mancha.

Obedeci maquinalmente, tirando a camiseta, ajudado por ela. Eu confesso que estava todo constrangido, enquanto ela ali, toda desibinida, seminua e agindo como se fosse a coisa mais comum do mundo. Nessa hora só pensei ¨putz grilo, a mina do Roger tem a cabeça bem feita¨. Minha pica não amolecia e eu me sentindo como um tarado, se excitando num ambiente evoluído de nudistas.

Foi ao banheiro e ao voltar, trouxe minha camiseta e seu vestido nas mãos. Estendeu elas nas cadeiras. A minha camiseta com mancha da água e pelos amassados na parte úmida, dava para ver que ela tinha torcido. O mesmo com seu vestido, principalmente na parte superior do decote.

- Deixa secar um pouco.

Disse enquanto sentava no sofá. Eu não conseguia tirar os olhos das suas coxas, brancas e lisas, disfarçando olhares libidinosos para sua púbis. Ela percebeu e disse:

- Que foi, nunca viu uma mulher de sutiã e calcinha?

- Já, já vi, mas..., nenhuma tão...tão perfeita assim...

Respondi engolindo em sêco, me sentindo um idiota que acabara de chutar o pau da barraca. Acho que ela notou a barraca armada e seu estado de espírito, de irada e preocupada com asseio, mudou rapidamente para a conotação sexual, entrando em sintonia com aquilo que eu já estava sentindo, desde que olhei aquele corpo deslumbrante exposto.

- Você me quer?

Puta que pariu! A noiva do Roger era mesmo uma gata desconcertante. Esperava tudo, menos ela me perguntar aquilo à queima roupa. Porra, para comer algumas barangas, temos que gastar a maior saliva nas cantadas, levando um monte de foras, dando maior trabalho para ganhar elas e ali, na minha frente, uma tremenda gostosa se oferecendo na maior facilidade. Achei que eu estava entendendo tudo errado e respondi:

- Como é que é?

- Você me quer? Cada vez que o Roger aprontar, ele vai levar o troco!

Nessa hora, nem dava para pensar direito. Parecia um sonho, um avião daqueles dando mole. Fui com tudo, dando um beijo de língua nela e partindo para o maior amasso. E assim, agarrados fomos até o quarto, jogando o resto das roupas no chão.

Mamei nos peitos deliciosos e cheguei com a boca em sua vulva. Fiquei chupando a sua bocetinha por um bom tempo, ela choramingando, gemendo e tendo vários orgasmos. Depois, ainda fizemos um 69 incrível e como seu noivo tinha contado, o boquete dela era mesmo formidável.

Tive de me segurar para não gozar naquela boquinha gulosa. A gostosa estava com a xoxotinha toda depilada, com lábios róseos e o grelho bem proeminente. Teve vários orgamos na minha boca, falando cada palavrão que só ouvindo para acreditar, que uma moça com ar de patricinha pudesse pronunciar.

Lembrei que estava sem camisinha e ela nem aí, toda doida. Ficou de quatro e pediu:

- Mete, mete logo!

O pau entrou fácil na bocetinha quente dela. Ela rebolava como louca, enquanto dizia:

- Vai, cachorro, me come! Me come inteira! Rasga minha boceta, vai, mete! Põe tudo!

A mina rebolava adoidado, às vezes até dificultando minhas estocadas. Ela era mesmo uma puta na cama, uma máquina de meter. Gritava, resfolegava, dizia palavrões e só parava quando tinha orgasmos, que eram seguidos, sei lá se completos, porém, um atrás do outro.

Senti que meu gozo estava vindo. Tentei parar para gozar fora, porém, estava tão gostoso que acabei não tirando e estoquei fundo, sentindo meu pau pulsar, enchendo a xoxota dela de porra. E mesmo assim, ela não parava, mexendo o quadril de forma frenética.

Me segurei como pude, tentando manter o pau ereto. Estava meio mole e me foquei em continuar dentro dela. Ela percebeu que meu ritmo não era o mesmo e perguntou:

- Você gozou?

Só respondí um ¨hum¨ afirmativo. Ela pareceu acordar do seu transe sexual, desengatou e deu um pulo, falando com a mão na xana:

- Gozou dentro?

- É, tava tão bom que não deu prá segurar...

- Puta merda! Era pra me avisar. Era pra gozar fora!

Correu para o banheiro. Enquanto isso, me vesti rapidamente, coloquei a camiseta ainda úmida e vazei.

Depois disso, não tivemos mais nada. Só tinha notícias dela pelo Roger, que vivia falando das fodas que dava com ela, além de contar seus outros casos.

Uns meses depois, Roger disse para todos que marcara o casamento com a Marcela. E todo feliz, dizia que ia ser pai, já que ela estava grávida. Um outro colega, que estudava na mesma faculdade da Marcela, comentou:

- Coitado do Roger. Se ele é comedor, a noiva dele é uma devoradora de homens. Na facul já andou com um monte de caras e cá entre nós, não comentem, mas, até eu já comi a bocetinha depilada dela. Vocês precisar ver, ela é mesmo uma máquina de trepar, uma verdadeira ninfomaníaca!

Ao saber disso, fiquei um pouco mais aliviado. O pai vai ser o Roger, mas, não sou só eu o suspeito em ser o verdadeiro pai. Tem outros na moita, como eu, loucos para ver e apadrinhar o bebê...

Comentários

Ly@
22/01/2017 20:31:57
Ah que gostoso ler esse também Newton, Parabéns! Beijos
14/12/2016 08:29:45
Dizem que sorte ou azar, é estar no lugar certo na hora certa. Vc teve uma boa chance e aproveitou bem. Só acho que o casamento desse seu colega não vai durar muito. Rs. O conto está excelente, mostrando toda sua evolução na arte de escrever boas histórias. Parabéns!
29/11/2016 01:52:28
Fantástico seu conto!! Tremendamente excitante e bem escrito. Agradecida por visitar meu blog. Senti-me honrada. Nota mil, querido!
12/07/2016 19:06:40
Nossa!!! Curti muito!!! Engraçado que conheço histórias assim. Estão esperando a criança crescer pra ver com quem parece hauahaua obrigada pela visita aos meus contos! Bj enorme
07/05/2016 12:44:38
He he mas é bem por ai tem muitos k viva se gabando que come todas,mas nem sabe que a própria mulher é metedeira,uma fábrica de trepar, uma operária do sexo. Gostei.👍
07/05/2016 02:41:17
Pois é, tem horas que não dá para não gozar dentro.
29/04/2016 07:55:05
Uau que gostoso.... Mas eu sei como ela se sente... É difícil para os homens entenderem, mas quando se sabe que já ganhou é tão mais fácil ser direta... O díficil é achar homem que passe segurança para ter este comportamento.
01/01/2016 15:35:56
DENTRE MAIS DE CENTO E VINTE MIL CONTOS, ESTE ESTÁ ENTRE OS 120 MAIS COMENTADOS DO SITE, COM 72 VOTOS. Bem escrito, merece a nota máxima.
18/12/2015 08:19:03
Acho que o sexo tem relação com status social. Quanto mais alto e estável financeiro, mais liberal. Como essa riquinha que faz o que quer. Sortudos os que estão em seu caminho. Excelente conto.
03/12/2015 08:46:46
Pow kara!!!... Um colega assim vale OURO...Com certeza depois de casada essa GATA vai continuar dando mais que XUXU... Gostei da sua nova AVENTURA...Mas, vamos às notas... Pela bebedeira do noivo - Nota: CINCO, média de zero pelo vexame e dez por deixar a noiva solta... Pelo Suzuki Vitara dela - Nota: DEZ (e eu andando com uma Brasilia queimando óleo. snif...) Pelo ótimo relato - Nota: MÁXIMA, muito excitante... Mando um chute na bunda do Roger, na sua e dos outros comedores da gostosa, além de uma deliciosa MAMADA na xana e GRELHINHO da Marcela... Valeu!!!...e XAU!!!
J_P
10/11/2015 14:58:51
😴
08/11/2015 11:29:07
Mto massa, valeu!
08/11/2015 10:36:29
Bom, bem escrito e bem humorado...
05/11/2015 08:40:59
Chumbo trocado ñ dói, o Roger tb ñ era santo e p/ piorar, ñ sabia beber, tem mais é q tomar corno msm, otário, kkkkk...
04/11/2015 17:48:55
Hmmm, quem resiste a uma patricinha safada como essa? Conto delicioso... Parabéns! Leia o meu tb. Abs.
04/11/2015 09:38:21
Muito bom os teus contos, cara. Todos nota 10. Gozar dentro é bom, só que tem que tomar cuidado pra não entrar em fria.
06/10/2015 07:46:27
Nesses tempos de liberou geral, como tem riquinhas filhinha de papai dando adoidado, sem qualquer responsabilidade. A diferença para os homens é que acabam grávidas e sempre tem um trouxa para assumir. Como escritor vc é uma revelação, garoto.
05/09/2015 20:37:05
Ótimo conto. Acho até que esse Roger sabe que é corno e gosta. Kkkkk.
11/08/2015 05:26:02
BOM PRA DEDÉU ESTE RELATO. JÁ QUE O NOIVO É UM MOCORONGO, O NEGÓCIO É FINGIR DE ÉGUA E CONTINUAR COMENDO ESSA GATA, SEM DAR MANOTA.
07/07/2015 11:34:52
Meu lindo, adorei o relato, muito bom. Rico em detalhes, enredo bem explorado, dando a impressão de ver você praticando tudo que narra. Essa noiva lembra muito uma colega minha, bem danadinha que engravidou e estava na duvida de quem era o pai. Parabéns. Quero ler outros contos teus. Beijinhos adocicados na boquinha.
06/07/2015 14:44:13
bom demais.....
04/07/2015 21:03:57
O negócio do corno é a grana do pai da putinha. Valeu!
15/06/2015 16:54:23
Sensacional! Um dos melhores que já li! Seus contos são bem realistas, ao contrario dos meus que são um pouco fantasiosos! Nota mil, beijinhos e obrigada.
06/06/2015 01:00:14
Baita conto, guri. Mui excitante. Ainda bem que a guria tinha um noivo para assumir o piá, senão, tu estarias mais enrolado que linguiça de venda. Esse Roger vai ser mais chifrado que vaqueiro taipa. Publiquei meu primeiro conto. Se puderes, leia ele. Hasta la vista.
04/03/2015 17:54:52
E ainda corre o risco de ser o pai da criança... Ótimo texto.
05/02/2015 22:24:06
Claro que você é o pai, mas nem se preocupe com isso, o Roger vai se achar progenitor pelo resto da vida, portanto afaste a preocupação de ter que depositar a pensão do rebento mensalmente. Mas da outra vez bota uma camisola, vai que pega um "sapinho" no bilau! / Um contaço, amigo, nota DEZ!
01/02/2015 22:07:26
Newton, obrigada pela visita e pelo comentário. Fiquei feliz sabendo de sua `homenagem` pelo meu conto. Mas se gostou dele, leia o conto O Book Erotico... é quase uma continuação do conto anterior. Bjs.
29/01/2015 00:20:48
Que noiva!!!adorei o conto,bem narrado,tesudo...adorei! *-*
23/12/2014 02:24:16
D+++, gatinho. Aquilo do e-mail é seu mesmo? Putz, tô pensando. Até...
08/12/2014 22:27:07
Muito gostoso seu conto. Leia os meus se quiser / 10
02/12/2014 18:01:10
adorei o conto, muito bem escrito,você escreve muito bem, sem erros de português, meu deu um tesão danado, já havia lindo antes, mas quis ler de novo. Beijos da Geralda. Quando tiver um tempinho leia meu ultimo conto (A DESPEDIDA DE SOLTEIRA DA MINHA ESPOSA). beijos novamente da Geralda.
11/10/2014 20:59:51
EXCELENTE.
11/10/2014 09:13:56
Muito bom o conto, gostei.
05/10/2014 11:15:57
05/10/2014 05:14:32
Escura qui...e aquela tal da Siundrome da Imunodeficiência Adquirida...como fica...essa puta do caralho se estivesse infectada teria fodido da vida de dezenas de homens.
01/10/2014 19:17:32
sensacional
28/09/2014 20:26:36
Parabéns , se poder me visita tá , bjs
25/09/2014 11:20:21
adorei!!!!
05/09/2014 11:56:04
É isso aí, guri! Tendo chance, tem mesmo que faturar todas. Não faça como eu, que hoje me arrependo de não ter comido algumas. Muitas, foi exatamente pelo medo de problemas. Afinal, sempre existem os Rogers da vida para assumir. Rss. Abração!
30/08/2014 19:50:02
Sei beeemmm o susto que vc passo, amigo!
20/08/2014 15:43:56
Conto excitante!
17/08/2014 16:47:10
Delicia de conto, menino! Bem erótico e que envolve quem lê. Tenho a impressão que esse casamento do Roger não vai durar muito não. E você ainda pretende ter outros momentos como essa Marcela? Beijos.
15/08/2014 22:41:27
NOSSA... GAROTO! ALÉM DE SE UM FOFO VC ESCREVE PRA CA**LHO. ADOREI O CONTO, SAFADA A MARCELA HEIN? MAS O MALA DO NOIVO BEM QUE MERECE... VALEU PELO COMENTÁRIO NO MEU CONTO. VOU LER TODOS OS SEUS COM CALMA DEPOIS. PELO CONTO "MARA!" EU SÓ POSSO TE DAR 10, BEIJOS GATISSIMO...
28/07/2014 13:51:48
Obrigado.
16/07/2014 09:46:45
Muito massa. Valeu!!
16/06/2014 14:47:14
Belissimo conto!!!!excitante, cara metido a comedor e gabola merece ser corno mesmo!!!parabéns
30/05/2014 18:40:49
Delicia de conto, muito excitante New. E que loucura de vocês, principalmente da Marcela, de transar sem camisinha. Ela, com certeza, deve saber quem é o pai. Será você? Rss. Um beijo carinhoso.
30/05/2014 14:28:34
Legal cara. Muito bem escrito e um tesão.
27/05/2014 17:12:46
O casamento começou bem
25/05/2014 11:01:47
Porisso o mercado da prostituição está difícil. O que tem de patricinhas dando de graça a torto e direito... Belo conto, garoto. Tu estás escrevendo cada vez melhor. Nota dez e beijocas.
24/05/2014 22:33:56
Sei ñ mas vc é o papai rrrrrrrrrr :) mina k mete muito e gostoso é raro hoje em dia.
21/05/2014 16:21:47
Cara você escreve muito bem, sem erros de português, coisa rara nessa página, minha nota pro seu conto nao poderia ser outra. 10 parabéns.
12/05/2014 21:59:11
¨Alea jacta est¨ (a sorte está lançada). Pois é, vai que o garoto nasça com sua cara e focinho... Rss. Como você não se descreveu e nem deu a aparência do Roger, o jeito é torcer para que o bebê nasça loirinho, com a carinha da mãe. Muito bom o conto, gostei.
12/05/2014 05:06:15
Muito bom 10, come essa tua professora também.
10/05/2014 21:04:05
Muito bom tens muita sorte de conseguir uma loira gostosa dessa.
09/05/2014 12:31:37
Show de conto, bem excitante. O pior tipo que existe, é desse seu colega que fica contando para os outros as suas transas. E tanto vc, como a safadinha da Marcela, precisam carregar preservativos na bolsa. Rss.
08/05/2014 16:53:24
Adorei....desenvolveu de uma forma muito excitante...Vc tb ganhou uma fã gato...rs....Bj
03/05/2014 07:59:48
Gostei
02/05/2014 21:52:21
Gostei deste seu conto. Envolvente desde o início, e bem desenvolvido. Pra resumir, um conto nota 10!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.