Casa dos Contos Eróticos

@ NYC #7

Um conto erótico de Marc
Categoria: Homossexual
Data: 20/02/2014 00:19:35
Nota 10.00

Quando eu disse a Luke que eu queria que aquela fosse a minha primeira vez ele tomou o controle da situação. Luke sempre fora muito carinhoso, e continuou sendo, mas estava muito mais intenso. Seus beijos me tiravam o fôlego, sua boca sugava forte a minha língua me causando certo desconforto, mas muito prazeroso. O toque de suas mãos era firme, ele me conduzia de maneira forte, era sem dúvidas o dono da situação.

Luke me virou de costas, e beijava a minha nuca e costas. Ele dava leves mordidas e sugava a minha pele, me causando arrepios. Eu estava completamente entregue a ele, agora ele poderia fazer qualquer coisa comigo, ele havia me dominado.

Sinto que ele vai descendo, me beijando todo o corpo, desce pelas costas até chegar na minha bunda. Nesse momento eu estava tenso, o que ele faria? Ele começou a beijar minha bunda, e deu uma mordida forte, eu soltei um gemido alto, de dor e prazer misturados.

- Te machuquei? – ele perguntou, depois de ouvir meu gemido.

- Não – eu suspirei – só continue, por favor.

Ele continuou, quando fez algo que eu não esperava nunca. Ele abriu as duas partes da minha bunda, deixando meu ânus exposto, e colocou a língua. Nesse momento, involuntariamente, eu dei um pulo, susto ou surpresa, não sei explicar ao certo. Eu havia saído de perto dele, um pouco, ele me puxa novamente e recomeça o que estava fazendo.

No início era suave e com o tempo foi aumentando a intensidade, até uma hora em que ele parecia descontrolado, era mais voraz, não me machucava, mas não era delicado como no começo. Ele de repente morde minha orelha, com suavidade.

- Você tem certeza Marc?

- Não fale mais nada Luke, por favor.

Eu virei minha cabeça para encontrar sua boca. Ele me beijou, sua suavidade e delicadeza haviam voltado. Senti ele passar algo gelado em minha bunda, acho que era algum tipo de creme, e encostou seu pinto em mim.

- Relaxa, eu vou bem devagar.

Ele começou a forçar, não sei se pelo meu nervosismo mas não ia. Quando ele empurrava ia para cima ou para baixo, mas não entrava. Eu tremia, estava muito nervoso.

- Calma Marc, respira, se não for hoje não tem problema.

- Não Luke, tem problema sim, eu não aguento esperar um dia sequer!

Me virei de frente para Luke e o abracei, ele me beijou. Nos levantamos, o mar estava calmo e o barco balançava pouco, era quase imperceptível. Ele abriu minhas pernas em volta de seu quadril, fiquei completamente aberto.

- Relaxa – ele disse.

Senti o seu pinto encostar, dessa vez não houve resistência, mas quando começou a entrar eu gemi alto e o abracei, estava doendo muito!

- Ai, para, por favor – eu disse, escorria lágrimas de meu olho.

- Calma meu amor, calma – ele disse, nervoso – só dói um pouco agora, já passa.

Luke permaneceu imóvel por algum tempo. A dor não cessara, mas havia ficado mais suportável, ele reparou que eu estava mais tranquilo e relaxado e colocou todo o resto, nessa hora eu gritei, senti muita dor.

- Luke, tira, por favor, eu não aguento!

- Tenta Marc, por mim.

Quando Luke me pediu aquilo eu não tive o que fazer, eu não podia me negar a dar prazer a ele, já havíamos passado por tanta coisa, eu amava tanto Luke que eu simplesmente queria.

Ele me deitou novamente na cama e veio por cima de mim, viu que eu estava chorando, beijou minha bochecha onde uma lágrima escorria.

- Eu vou ficar parado, quando você estiver pronto me avisa.

- Ok – eu disse, resignado com a dor.

Doía muito, e a dor não passava, não diminuía... aquilo parecia não ter fim. O curioso é que, mesmo com toda a dor eu tinha prazer, aquilo estava me agradando e eu não entendia isso. Eu já estava quase sem conseguir (handle it anymore?) aguentar mais, decidi pedir para ele continuar.

- Estou pronto.

Quando disse isso ele começou um movimento com seu quadril, tirava quase que completamente e recolocava até o final, quando eu sentia suas bolas batendo em mim eu soltava um gemido contido, doía muito, mas eu tentei aguentar.

Não sei ao certo quanto tempo se passou, pode ter sido 20 minutos ou 1 hora, mas Luke começou a acelerar o movimento, e eu não sei exatamente como mas eu gozei, muito! Senti os movimentos involuntários do meu ânus, e Luke também porque na mesma hora ele não aguentou e gozou também.

Quando ele terminou me deu um beijo demorado.

- Eu te amo Marc, obrigado.

- Eu também te amo Luke.

Ele ficou deitado em cima de mim, a posição estava desconfortável e pedi para mudarmos de posição, ele atendeu, quando seu pau saiu de mim doeu muito! Ele me pediu desculpas, mas eu balancei a cabeça dizendo que tudo bem. Me deitei em cima de seu peito, e ele me abraçou. Dormimos assim.

Quando eu acordei Luke estava no banho, me levantei para me banhar junto com ele. Eu estava muito dolorido, até me mexer doía, quando me levantei vi sangue no lençol e dei um grito, Luke saiu correndo do banheiro, pelado, ver o que tinha acontecido.

- Lu-luke... – eu comecei a falar – t-tem sangue.

- Calma Marc, isso é normal.

- Não Luke, você me machucou! – fui para o canto e comecei a chorar, eu estava com medo, já havia visto que pessoas que são estupradas precisam levar pontos, eu teria de ir para o hospital?

- Marc, calma! – ele disse, vindo perto de mim – Foi a sua primeira vez, é normal sair sangue na primeira vez, assim como nas mulheres.

Não respondi, apenas fui tomar banho. Quando eu estava me lavando fui lavar minha bunda, passei o sabonete e ardeu muito! Eu quase gritei, mas resignei-me a respirar fundo e continuar o banho. Apesar de ter sentido muita dor eu não podia ficar bravo com Luke, eu que quis tudo aquilo, eu havia levado ele para ali, eu tinha planejado tudo.

Saí e fui comer alguma coisa, Luke também estava comendo.

- Marc, por favor, me desculpe.

- Você não tem com o que se desculpar Luke, fui eu quem pedi.

- Mas eu queria que você sentisse prazer! – ele disse, desesperado – Agora você nunca mais vai querer nada.

- Luke, me escute – eu disse – Brigitte já me disse que a primeira vez dela doeu muito, mas que depois melhora. Ontem eu sofri bastante, não vou mentir, mas você me deu muito prazer. – me levantei e dei um beijo em seu rosto – Eu não sei quando vou aguentar repetir isso, mas quando eu estiver pronto te aviso.

Luke apenas olhou para mim, aquele olhar meloso e apaixonado. Teríamos de voltar para NYC, nosso final de semana dos sonhos havia acabado, mas nossa história de amor estava apenas começando.

---

Desculpem demorar para publicar essa parte, eu e Luke discordamos de uma parte e eu reescrevi até ambos acharmos satisfatório, mas isso é normal, esse dia foi muito diferente para mim e para ele.

Eu fico muito feliz com o apoio que venho recebendo, vocês são todos incríveis! Fiquei muito feliz que você tenha gostado "Lukeeh", e seu nome lembra o do meu Luke. Prometo que vou ler sua série, é que estou bem sem tempo agora, então tá tudo uma loucura!

Sei que a maioria não se importa mas eu acho textos demasiadamente longos extremamente cansativos e estou tentando deixar o menor que consigo, sem perder os detalhes. Está difícil, mas estou tentando.

E, por fim, é isso! Vou tentar postar amanhã, não sei se vou conseguir (porque ainda não escrevi), e devo terminar a série @ NYC em mais uns 10 episódios, é claro que muita coisa aconteceu desde então mas toda essa história é sobre o começo do meu relacionamento, não teria sentido eu prolongar tudo.

Como eu já disse vou tentar convencer Luke a escrever a versão dele de tudo, porque eu mesmo quero saber o que ele sentiu, eu já sei algumas coisas hoje bem interessantes sobre o dia que nos conhecemos, mas mesmo assim quero que ele escreva.

É isso, obrigado a todos novamente e um grande abraço a todos!

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
22/02/2014 16:26:10
gostoso quando a preparação existe tanto do macho que esta tesudo quanto ao passivo na espera do desconhecido e quando o passivo não abre mao de sentir ser amado.A minha 1 vez foi um penetração rápida mas que me marcou e sonho em ter esta experiência com um macho como o seu email oafand@bol.com.br
21/02/2014 14:50:52
Wow! Confesso que a quando vi o título do seu conto pensei 'here we go, mais uma ficção chata'. Mas quando eu abri me espantei com a forma como fui conquistado pelo conto... fora que você me ganhou quando disse que trabalhava com moda em NY - a vida dos sonhos. Também sei que você acha isso bajulação mas não é! Adorei seu conto e parabenizo ao casal por tantos momentos lindos.
20/02/2014 16:03:06
Minha primeira vez foi quase impossível também, entendo o que você passou!
20/02/2014 06:31:35
Gostei. A primeira vez desse ser bem dificil. Continua loo. Ate mais.