Casa dos Contos Eróticos

Passivo - 1ª vez

Um conto erótico de Curto Coroa
Categoria: Homossexual
Data: 14/01/2014 01:55:35
Última revisão: 31/12/2017 17:14:14
Nota 9.38

Atualmente moro no interior do Rio de Janeiro e estou com 35 anos. Até o ocorrido deste conto, o ano de 2005, todas as minhas relações homossexuais tinham sido como ativo, de lá pra cá eu só tive relações homossexuais sendo passivo.

Para iniciar vou contar como me relacionei com um ex-patrão por quase 03 anos e foi ele quem me iniciou.

Meu nome é Diego e o meu ex-patrão se chamava João, na época ele estava com 56 anos e eu com 22 anos. Semanalmente eu ia ao seu apartamento para comê-lo. De vez em quando ele adorava passar as mãos por minha bunda, dar beijos nela, apertar procurando abri-la para ver meu cu e assim foi se passando.

Lembro que um dia quando passávamos em frente a um grande espelho que tinha na sala dele, ele pediu para eu parar de costas para o espelho e junto dele ficar admirando a minha bunda. Que de acordo com as suas palavras, era uma delícia e digna de revistas de nu gays. Mesmo sem entender compreendi que se tratava de um elogio.

Outra coisa que eu reparava era que todas as vezes que eu ia comê-lo, o seu pau estava sempre duro. Como eu tinha vontade de experimentar ser passivo aquilo me dava uma vontade doida de ser passivo pra ele, mas a vergonha não me deixava expor isso. Não vou me prender em contar mais detalhes senão posso estender a história.

Mas no dia que isso aconteceu foi o seguinte... Eu cheguei a sua casa e tudo normal: ele me recebia na porta com um sorriso de lobo me oferecendo um lanche, depois tirava a minha roupa, eu ia para o banho e depois para o seu quarto para comê-lo.

Ao sair do banho e ir para o seu quarto, ele (como sempre acontecia!) já estava pelado na cama de pau duro me esperando e assim que eu me deitava ao seu lado, ele começava a me acariciar, depois se levantava e entre as minhas pernas passava a me chupar com muita volúpia. Isso era um ritual! Sempre era assim.

Nesse dia foi a mesma coisa, só que as suas chupadas foram descendo para o saco e depois voltava para a cabeça do meu pau e muita baba ele deixava cair pau abaixo. Seu João levantou um pouco as minhas pernas, dobrando meus joelhos me fazendo abri-las ainda mais. Aquilo já estava diferente.

Ele se voltou para as chupadas em meu saco e entre os barulhos de lambidas, eu escutei sua voz me pedindo para eu abrir um pouco mais as pernas. Na hora eu abri e pude sentir sua língua encontrando com o meu cuzinho, ele foi se abaixando e pode ficar bem mais ajustado. Eu estava adorando aquilo, eu sinto muito prazer em ser chupado na bunda e cu.

Certa vez eu estava comendo um cara que pediu se podia chupar minha bunda, eu fiquei meio receoso, mas a curiosidade me deixou agir. Foi uma delícia!

Voltando... Seu João dizia que meu cu era uma delícia e me pede para eu levantar as pernas, fiquei em forma de frango-assado. Minha respiração estava aceleradíssima e meu pau bem duro. Meu ex-patrão passa a punhetar meu pau e tenta enfiar um dedo em meu cu e me pergunta: “Deixa eu te comer?”.

Pela primeira vez alguém estava a fim de realmente me comer, mas eu não sabia como aceitar aquele inusitado e tentador pedido. A vontade era muita, porém a vergonha em aceitar era grande. E ele continuava insistindo com as perguntas: “Vai deixar eu comer esse cuzinho?” Nisso ele pega uma camisinha que estava na mesinha de cabeceira, ao lado da cama, abri e começa a encapar seu pau. Eu continuava com as pernas arreganhadas em posição de frango-assado. Com o pau já em riste e tremendo de rigidez, ele cospe em meu cu, passa um dedo espalhando aquela saliva me aprontando para o abate.

Ele via em meus olhos a vontade de dar o cu. Se aproximou encostando suas coxas das minhas, posicionou a cabeça da piroca no meu cu e logo recebi aquele cacete que devia medir uns 17cm de pura safadeza. Não sei dizer se devido o pau dele não ter o tamanho muito grande ou se a minha vontade de dar o cu era muito maior, que eu não senti dor alguma e quando percebi já estava tudo dento.

A cara do meu ex-patrão de satisfação era vertiginosa, era um sorriso meio sacana com um misto de realização. Ele se segurava em minhas pernas, que estavam para o alto, me deixando bem arreganhado e metia sem parar. Tirava até a base e metia tudo de volta, dava pra sentir seu saco batendo na minha bunda, fazendo aquele barulho típico de sexo e dizia: “Que cu gostoso você tem. Delícia!”

Por instinto ou tesão comecei a piscar o cu, ele ao perceber ficou doido e começou a meter mais rápido, dizendo cada vez mais alto que era pra eu não parar de piscar o cu. Senti suas mãos apertando minhas pernas com mais força e depois deu um urro despejando sua porra dentro da camisinha. Ficou fazendo movimentos cadenciados até parar de se mexer. Dava pra sentir seu pau pulsando e a sua respiração acelerada.

Com um sorriso no rosto ele disse que meu cu era uma delícia e que eu o tinha feito gozar como há muito tempo ele não gozava. Senti tirando o pau de mim e vi que a camisinha estava um pouco suja. Seu João foi para o banheiro se lavar e me deixou ali todo arreganhado e com aberto...

Delicia!

Ficou curto, mas foi assim que aconteceu minha primeira vez como passivo.

hquerhmaduro@hotmail.com

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
31/12/2017 01:35:52
Valeu!
10/01/2015 17:47:20
Me chama: gosto.quero @ gmail . Com
26/03/2014 13:32:45
Sempre tive tesão no cu, desde cedo. Minha primeira experiência foi num troca troca. Assim, mesmo jovenzinhos, eu e meu amigo nos iniciamos: dando o cu e comendo o cu. Lembro que botávamos, sem gozar. E íamos revezando. Até que ele não aguentou e gozou em meu cu. Em seguida eu meti e também gozei. Lembranças encantadoras até hoje...
18/02/2014 06:23:19
no final todo macho tem vontade de ser amado e bem trabalhado dar seu cuzinho e ficar viciado
24/01/2014 00:39:48
Delicia de conto
24/01/2014 00:39:32
hmmm..muito bom
15/01/2014 20:39:31
Nossa, gostei muito!!! Um sonho...
14/01/2014 11:56:50
Breve, mas, envolvente!