Casa dos Contos Eróticos

SM – Dominação... - Capítulo 2 – Instruções...

Autor: Edson TK.
Categoria: Sadomasoquismo
Data: 16/09/2013 03:23:27
Nota 10.00
Ler comentários (4) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Quinta-feira...

Fez tudo um pouquinho diferente...

Fez a caminhada que todos os dias fazia, mas foi à Academia... Estava tensa...

Precisava relaxar...

"Sr. Roberto... Sr. Roberto..." Ficava a lembrar do homem que visitara no dia anterior... Precisava esquecer esse dia...

Mas não era possível...

"Perder tudo..." Pensava nas palavras do Sr. Roberto...

Não era possível... Não estava acontecendo... Estavam apenas começando a viver...

Não sabia o que iria acontcer...

"Nova visita do Sr. Roberto..." "O que será que ele quer?" "Arrumar a sua casa... Como empregada?" Não entendia... O que esse homem queria? Quantas dúvidas... Muitas...

Esse homem lhe dava medo...

E mexia com seus sentimentos de forma estranha...

Não entendia como isso era possível...

Vestia-se como sempre, camiseta e calça largas, bem folgadas para executar os serviços de casa...

Na parte da manhã procurou realizar todas as tarefas para que quando o Sr. Roberto voltasse nada haveria como pendência...

Após terminar todas as tarefas foi tomar um banho e trocar de roupa.

No banho começou a tocar-se, admirando-se... estava em forma... Tinha seios médios, nem pequenos, nem grandes, bem feitinha... A bundinha tornara-se mais firmes, arredondavam-se... Se orgulhava, afinal, ia à Academia para melhorar sua aparência... Excitava-se, pensando no Sr. Roberto, nas palavras que havia dito, de como era bonita, assim acariciava seus seios... Parou...

"O que estou fazendo?" Pensou assustada...

Procurou as roupas que mais seriam apropriadas para a ocasião.

Uma camisa branca e uma calça jeans, folgadas, não justas...

Não poderia ficar sensual, precisava de uma roupa mais séria...

Diferente dos dias normais, Estela vestiu uma camisa branca e calça jeans, um pouco folgadas...

"Isso mesmo... Precisava estar mais descente do que ontem..."

Olhou-se no espelho e gostou do que viu...

Aparência bem normal, discreta e nada provocativa... Pensou...

Estava tensa...

A campainha tocou... Seu coração se acelerou...Mesmo assim foi atender...

_ Boa tarde Estela! Tudo bem com você?

Estela, vendo-o sorriu... Baixou sua cabeça e pediu que entrasse...

_ Boa tarde Sr. Roberto; entre... O Sr. queria conversar sobre ontem e a proposta... O Sr. quer alguma coisa para beber? Um drink?

Sr. Robetto entrou.

Ao ser fechada a porta o Sr. Roberto retornou, fecho-a com a chave e colocou em seu bolso.

Estela não entendeu bem, não compreendeu... Não entendia como, mas seu corpo estava tenso, sentia que seu corpo a traia... Não compreendia seus sentimentos, não esboçou qualquer reação...

_ Não Estela, por enquanto, não... Mas esperava encontrá-la com as mesmas roupas de ontem, mas a vontade...

_ Mas, Sr. Roberto, já terminei os afazeres de casa... Afinal, iriamos conversar sobre os assuntos de ontem... - Estela enrubesceu-se...

_ Bom, acho que poderemos continuar com nossa conversa... Vejo que está ansiosa para me ouvir... - Sr. Roberto tinha um sorriso em seu rosto... E em seguida sua voz tornou-se mais forte, dominando os pensamentos de Estela...

_ Sim Senhor... O que o Senhor deseja que eu faça? - Não compreendia como falara desse jeito...

_ Você sabe que vocês podem ficar sem esta vida que tem hoje, não é? E sabe também que eu sempre a quis ter sob meu domínio, não é? Sei que sente isso.

Estela assustou-se com a declaração, feitas com determinação!

Mas também, em seus pensamentos, lembrava do Sr. Roberto observando-a, como se observa um pertence seu... E Estela percebia isso, sentia-se dominada por nesses momentos... Assim sentia sempre um arrepio a percorrer seu corpo; entretanto nunca dividiu esses sentimentos, ficando guardados somente para si... Tinha medo da reação do marido...

_ Sim Senhor... Sei que podemos perder esta vida que o Senhor nos permite. Desta forma, o que o Senhor tem em mente para continuarmos nos mesmos moldes atuais? E sobre ontem, quer que eu vá sempre para organizar seu apartamento?

_ Boa menina... Lembra das coisas, mas não desejo isso não. Vou ser direto nas minhas pretenções. Entende? Primeiramente quero ouvir de você...

_ Senhor, desde a confraternização de final de ano, o Senhor vem me observando. Já percebi que o Senhor o faz para que eu perceba, sem que Márcio saiba. Mas ainda não compreendo...

_ Você é uma mulher bonita, dócil, inteligente, na medida certa... rs.... Gosto assim... E desta forma vou querer sentir o quanto faria para manter as mesmas aparências atuais. O quanto se dedicaria a mim.

Estela assustou-se ao ouvir "... dedicaria a mim.", como assim, mas o que poderia fazer? Respirou fundo e lhe disse:

_ Sr. Roberto, não compeendo, mas faria tudo que fosse necessário para que nada mudasse e o Márcio não perdesse o emprego.

_ Boa decisão. Eu quero que você seja minha mulher, obediente às minhas vontades e ordens. Quero sua submissão a mim e a tudo que for imposto a você. Isso será fácil para você. Vamos ver o quanto está disposta a estas regras. Nada mudará no seu dia-a-dia, por agora. Faremos as mudanças aos poucos. Sei que por dentro você é uma putinha obediente. E não gostei dessa roupa.

_ Desculpe-me Senhor... - Estela já sentia seu domínio – O Senhor quer que eu troque...

_ Não!

_ A Primeira Regra é você estar disponível quando estiver comigo. E quando estivermos a sós você deve estar e ficar descascada.

Estela assustou-se, estar disponível, como assim?!?! Não entendeu... muito menos a palavra "descascada"... Sr. Roberto percebeu as dúvidas de Estela... Riu e disse:

_ Gosto disso... Sua inteligêcia é relativamente curta... rs... Vamos, descascada já. Tire suas roupas!!!

Estela sentiu a voz mais forte do Sr. Roberto. Ficou com medo e logo tirou sua camisa, calçados, meias e calça jeans. Ficou de calcinha e sutian apenas...

_ Tudo! Pelada!!!

Rapidamente desfez de suas últimas peças... Tentou cobrir seus seios e sua intimidade.

Entretanto o Sr. Roberto olhou-a com reprovação e ordenou que mantivesse os braços paralelos ao corpo. Estela sentiu o poder de seu olhar e, mesmo tímida, obedeceu. Sr. Roberto levantou-se, rodou em volta de Estela, Deu um tapa em sua bunda, Estela assustou-se, mas manteve-se na posição... Sentia os bicos dos seios duros, excitados, que logo foram tocados e apertados pelos dedos do Sr. Roberto. Estela mexia-se e quanto mais se movimentava Sr. Roberto, agora Dono da situação, apertava mais... Procurou aguentar o máximo possível... Soltou... Calmamente o Sr. Roberto sentou e ordenou:

_ Venha aqui! Deite-se com a bunda para cima.

Assim fez, deitou-se sobre as pernas do Sr. Roberto, com a bundinha disponível, virada para cima.

_ Até agora poucos erros. Depois cobrarei as falhas Mas está aprendendo... Como Segunda Regra: do pescoço para baixo sem pêlo algum. Quero toda peladinha, lisinha. - Sr. Roberto ficava acariciando a bundinha de Estela enquanto falava. Vez por outra tocava-lhe o cuzinho. - Não gostei de suas roupas íntimas traga tudo para cá, todas as peças, limpas, novas, sujas, todas.

Estela ia se movimentando para sair, mas, de repente parou, ficou pensativa.

_ Meu Dono me permite ir buscar as minhas calcinhas e sutians?

Sr. Roberto deu uma gargalhada e deu três fortes tapas na bunda de Estela! E falou:

_ SIM!!! Vá, traga todas as peças! Todas! Traga também uma tesoura. E coloque aqui no chão.

Envergonhada, levantou-se, estava nua, doía lhe as nádegas...

Foi recolher todas as suas roupas íntimas, como lhe fora ordenado, trouxe-as rapidamente e as colocou no chão juntamente com a tesoura...

_ Muito bom... Espero que estejam todas aqui... Pegue a tesoura e corte as alças dos sutians, corte cada bojo em duas partes. Deixe tudo separado em montes, alças, bojo direito, bojo esquerdo. As calcinhas corte as laterais e o fundo, separando-as, partes da frente e de trás. Faça dois montes. Eu vou ao seu quarto ver como se veste e quais são as suas roupas...

Estela envergonhada, humilhada, no chão agachada, cortando suas peças íntimas, sentia as lágrimas descerem de seus olhos, correndo seu belo rosto... Separava os cortes como lhe fora ordenada...

Sr. Roberto retornou com duas grandes malas... Estela assustou-se imaginando o que poderia ser...

_ Estela... Não gostei destas roupas, são horríveis. Vou mandar ajustar para que caiam melhor em você... Fique tranquila, eu trarei suas roupas de volta, ajustadas, e vamos sair um pouco... Você fica muito tempo em casa... Durante estes dias, enquanto Márcio viaja, até 4ª feira, 18:00h, quando ele chegar no Aeroporto, Você ficará assim, pelada nestes dias. Vá se acostumando. Venha, vamos ao seu quarto, amanhã você tem sua rotina, Academia e caminhada.

Sobre a cama estavam apenas seu shorts(largo) e uma camiseta regata. Estela arregalou seus olhinhos! Todas as calcinhas estavam picadas na sala, assim como os sutians. Todos perceberiam que estaria com seus seios nus e em alguns aparelhos veriam que estaria sem calcinha! Seu coração batia tanto que a impressão é que sairia pela boca!

_ Amanhã você usará este uniforme, foi o melhor que consegui encotrar no meio do péssimo gosto de suas vestimentas. Terá novos "Personal Trainers", um casal, que a acompanhará em seus treinamentos diários nos exercícios. Deverá obedecê-los integralmente, eles têm minhas instruções, faça tudo conforme for ordenada; serão apenas sessenta minutos diariamente. Agora, a Terceira Regra. Nunca mais usará sutians, você não precisa, tem seios firmes, não grandes nem pequenos, perfeitos; portanto não precisará escondê-los. Não usará calcinhas, nunca mais, deverá sempre estar disponível para mim, quando e onde for. Apenas usará quando eu determinar e trarei a adequada para a ocasião.

Estela não acreditava que estava a concordar com tudo aquilo! E agora, Academia diariamente! Com novos "Personais"! "Porque um casal?" pensava Estela, quando Sr. Roberto lhe tira do transe e diz:

_ Aqui está o endereço da Clinica onde deverá ir tirar esses pêlos. Já está com a cunsulta marcada para daqui uma hora. Não se atrase. Às 23:25h ligue seu computador. Haverá instruções. Siga-as. Quanto as roupas, deixei as melhores dentro do guarda-roupa. Use as para ir à Clinica. Já está na minha hora. Venha aqui minha putinha.

Estela, trêmula, aproximou-se do Sr. Roberto.

Chegando perto Sr. Roberto pegou no bico do peito de Estela e foi puxando para baixo. Assim Estela ajoelhou-se, ficou próximo ao pênis de seu Senhor.

_ Quando eu for sair, toda vez virá até mim, ficará de joelhos e deverá me felar até eu lhe dar meu leite. Não deve desperdiçar. Deve sorver tudo. - E Sr. Roberto continuava a apertar o bico do seio. Estela estava pasma! Ali, nua, ouvindo, submissa, às instruções, mas tinha de ser rápida se desejasse sair daquela situação...

_ Senhor, me permite felar seu pênis e receber o leite de sua putinha? - Não sabia de onde tirou essas palavras... Sentia-se humilhada... Sr. Roberto começou a apertar com mais força o bico do seio. Estela sentia muita dor!

_ Não! Está péssimo seu pedido, nem parece a Puta que é. Peça direito!!!

Estela, recordando dos comentários que ocorriam no tempo de faculdade, respirou e falou...

_ Senhor! Permita-me chupar seu cacete, receber sua porra e me nutrir das proteínas do leite de meu Mestre!

Sr. Roberto sorriu, aliviou o apertar do bico do seio e disse:

_ Puta! Aprende rápido! Sim, tem a minha permição.

Estela, desceu o zíper, colocou a mão por dentro. Assustou-se, mas continuou a trazer para fora aquele pênis que mal cabia em sua pequena mão. Foi colocando em sua boca e recebeu um tapa. Não foi forte, mas suficiente para humilhar, correu-lhe uma lágrima de seus olhos. "Sem as mãos." Ouviu... Assim, somente com a boca, com muita dificuldade envolveu a cabeça do pênis que preenchia totalmente sua boquinha. Sr. Roberto destrancava a porta e a abria totalmente. Estela apavorou-se, mas continuava no seu intento.

_ Chega. Você é uma Puta muito Burra!!! Assim você vai morrer de fome!!! - Tirou seu pênis e guardou. - Mais tarde você vai aprender fazer direito. - Retirou a chave da porta, colocou em seu bolso e foi-se deixando a porta totalmente aberta!!!

Rapidamente Estela fechou a porta!!! Mas não podia trancá-la. Lembrou-se da Clínica! Presisava ver o bilhete onde marcava o horário da consulta. 19:10h era a consulta, olhou o relógio da estante, 18:23h marcava... "Estou atrasada!". Foi correndo ao quarto, abriu todas as portas do guarda-roupas e encontrou apenas um vestido! O vestido de tecido leve e fino que mais detestava!!! Frente-única e a barra da saia ia até os joelhos. Não tinha opção. Vestiu-o.

Assustou-se! A barra da saia e um pouco das laterais haviam sido cortadas! Estava acima do meio de suas coxas! "Se houver escadaria verão que estou sem calcinha!!!" Pensou... E a frente apenas cobriam seus seios... Calçados apenas a sandália de salto alto... Voltou rapidamente à sala! Mas sentiu que se movesse rapidamente o vestido mostraria sua bunda!!! Pegou o bilhete com o endereço, ficava no Tatuapé... Logo abaixo escrito, vá de coletivo...

Desesperou-se, não viu a chave de seu carro, no lugar o dinheiro para a passagem de ida e um bilhete de metrô... Olhou para o relógio, 18:30h, não daria tempo, mas respirou e foi...

Não sabia o que esperava...

Comentários

09/02/2016 10:28:49
muito maravilhoso esse conto esrtou adorando e imaginando a minha mulher passando por isso..delicia
10/01/2016 08:20:34
Ótima continuação. Pelo andar da carruagem, tudo indica que teremos uma obra prima na narrativa de submissão. Como garota de programa, tenho um cliente que antes de transar, adora ser feito de escravo e humilhado. Só assim se excita. Rss. Agradecida pela vista. Nota dez e beijocas.
09/12/2015 09:57:19
Cada vez melhor, Edson. Muito excitante essa escalada de submissão da esposinha fiel. Outra nota dez.
11/02/2014 18:56:17
delicia de conto

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.