Casa dos Contos Eróticos

dando cu a noite toda na virada do ano

Um conto erótico de rosa morena
Categoria: Heterossexual
Data: 24/08/2013 19:05:10
Nota 10.00

Meu esposo e cheio de fantasia, isto tem deixado nosso casamento sempre cheio de novidades e não cai na rotina. Para passagem do final do ano, ele comprou um vestido de bolinha e calcinhas fio dental vermelha, com abertura que vai da xana até o cuzinho, segundo ele, iria comer meu cuzinho a noite toda. Meu cunhado e minha irmã vieram passar as férias na nossa casa. Neste período aconteceu um fato que mudou muito minha cabeça. Vi meu marido comendo minha irmã, no momento pensei em fazer escândalo, mas me contive e aproveitei e tiver outra ideia.

Dar o troco na mesma maneira e com meu cunhado, afinal ele sempre me elogio e dava sempre em cima de mim, apesar de ser muito machista e de não aturar muito o mesmo. Então após esse fato comecei a dar mais confiança para o Orlando (meu cunhado, que chamo de Lando), aceitava todos seus elogios e disse que meu marido já quase não dava mais atenção pra mim. Ele ficou louco com essa abertura e perguntou o poderia fazer para ajudar-me. Eu disse “TUDO, Tudinho”, tinha deixado uma ficha para ele, afinal já tinha planejado minha vingança contra minha irmã e marido.

Na noite da virada de ano, falei pro meu cunhado que não bebesse muito, pois porre ele era muito chato, mas que deixasse a maninha bastante porre. Misturei e dei bastante bebida para meu esposo e para minha irmã. Lá pelas duas da madrugada, minha irmãzinha tava pra lá de Bagdá e dormiu no sofá, meu marido dormiu sentando na cadeira. Convidei o Orlando para colocar ele na cama. Levamos o para o quarto. Estava curvada, enquanto eu ajeitava as pernas do meu marido e cobria-o com lençol, deixando meu bundão à vontade. Lando veio por trás de mim e abraçou-me forte e empurrou sua rola na racha de minha bunda por cima do vestido – “ Voce é louco, que está fazendo?” ele não parou e disse – “ Eu sei que você planejou e quer isso sua safada”- disse que me achava linda é gostosa demais, até mais que minha sua esposa, e queria me possui.

Eu queria vingança e empurrei meu bumbum pra trás e sentir seu pau duro no meu rego. Ele me pegou pelo braço, me empurrou contra a parede, beijou meu pescoço e orelhas e abriu minha pernas, começou a esfregar seu pau no meu rabo. Levantou meu vestido e ficou admirando minha calcinha branca atolada no meu rabo. “ Caramba, que coisa linda cunhadinha“, então ele agachou, puxou a calcinha pro lado e enfiou a língua dentro do meu cu. Fique louca, fechei os olhos e soltei um gemido abafado, estava excitada. Ele enfiava a língua com força no meu rabinho. Ele virou-me, puxou meu vestido sugou meus seios, baixou, tirou minha calcinha e sentir sua língua procurando minha xana enquanto suas mãos abria minha bunda.

Apaguei as luzes e deixei a porta do banheiro entreaberta, deixando o quarto na penumbra. Ele me puxou pra beirada da cama, me colocou de quatro igual a uma cadela, suspendeu meu vestido e abriu bem minhas pernas e chupou minha xana, eu gemia baixinho enquanto sentia um calor tomando conta de meu corpo, meu cunhado ao perceber meu orgasmo se aproximando, mandou eu deita ao lado do meu marido que dormia tranquilo, achei excitante e uma loucura aquilo. Ele abriu minhas pernas e colocou a cabeça do pau (normal, uns 12cm), na porta de minha buceta, e ficou pincelando. E sussurrei desesperada – “ vai, coloca logo, estou pra gozar”- eu comecei a jogar meu corpo pra frente para ser penetrada logo, ele ficou ali na portinha, só com a cabecinha pincelando pra cima e baixo.

Eu já estava ficando louca, ele ficou pincelando e pincelando e nada. Desesperada, sem me incomodar com meu marido ao lado, segurei no pau do meu cunhado apertei com força e dirigi pra entrada da minha bucetinha. Tão logo a cabeça foi entrando, o otário gemeu e eu senti um jato quente jorrando na entrada da buceta e sobre minha barriga. Fui ao banheiro lavar a bucetinha insatisfeita, mas Orlando veio atrás e abraçou de novo e esfregava seu pau no rego e disse queria comer meu cuzinho. Eu disse que bastava, eu já tinha feito o bastante. Ao sai do banho ele estava sentado na beira da cama, e disse que não sairia do quarto se eu não desse o cuzinho para ele e mando ficar de joelho e chupar seu pau.

Segurei seu pau e trouxe até minha boca quase que engolindo-o todo, fiquei ali mamando e me babando com sua porra em minha boca. E ele me colocou mais uma vez de quatro e começou a lamber meu cuzinho. É característica dele, ser chupador. Abriu minha bundinha e começou a massagear. Seu dedo começou a tocar meu orifício. Passou um pouco de óleo de amêndoa doce, que sempre tenho na mesinha da cama, justamente para essa ocasião e ia passando a mão, esfregando o dedinho. Vi que ele estava alucinado com aquela visão. Posicionei-me, empinei o bumbum e esperei sua investida.

Ele ficou lambendo mais uma vez meu cuzinho deixando super lubrificado de óleo e saliva e foi colocando devagar na portinha do meu cu, comecei a gemer um pouco alto, ele tapou minha boca e ficou parado e começou forçar com a cabeça do seu pau no meu cuzinho.. Neste momento meu marido começou se mexer na cama, dei um safanão e o pau nem entrou, pedir para o Orlando sair rápido do quarto. Fiquei com coração acelerado, nervosa, com medo de ser descoberta e com uma excitação danada e o cu cheio de gala e saliva. Meu esposo levantou meio tonto e perguntou se estava tudo bem comigo. Respondi ok, então ele disse que tinha sonhado que via eu tranzando com cara. Achei graça e disse que isto nunca aconteceria.

Então deitamos e ele me abraçou por trás começou alisar meu seios, depois foi descendo sua mão e seu dedo começou a tilintar minha buceta, sentir que ele estava superexcitado eu sentia seu pau cresceu por baixo do lençol, isto significava que ele ia querer sexo, é lógico eu também. Eu disse que ia ao sanitário. Lavei o cuzinho e a bucetinha. Ao voltar vestia somente uma calcinha fio dental vermelha, que não cobria nada. Meu esposo estava sentado na beira da cama. Insatisfeita e tarada, então baixei e peguei a picona e comecei a chupar. Ele me mandava fazer do jeito que ele gosta. Eu enfiava até alcançar fundo de minha garganta, e ficava naquele vaivém bem devagar.

Eu aperta sua rola com meus lábios e deixava por uns minutos e depois retirava. O esperma escorria pelo canto da boca. Pedi que ele comesse logo minha buceta. Mas ele disse que não, que seria diferente naquela noite. Ele pediu que deitasse de costa e levantasse o bumbum, ele enfiou sua língua e depois os dedos no meu cuzinho, eu gemia mais forte, e mais alto, eu sabia que o meu cunhado estava nos ouvindo do outro lado da porta. Ele abriu as minhas nádega, chupou por uns minutos, pegou o lubrificante, pingou bem no olhinho roxo e foi massageando enfiando um dedo, depois dois, e fazia movimento rodopiando de vaivém. Eu louca de desejo, gemia mais alto ainda. Preparei-me para ser arrombada de verdade. Tomou posição e foi colocando sua pica no meu reto. Eu gemi, dei gritinhos, sentir arder, mais meu marido foi colocando abrindo tudo e enfiou tudo e ficou parado. Sentia as veias do pau pulsar dentro do meu rabo.

Começou cavalgar com força. E eu o ajudava rebolando e empurrando meu cuzinho contra aquele cacetão. Ele parou, e pediu que chupasse seu pau de novo. Sentido o cheiro de esperma e merda, enfiei todo na minha boca, depois lambi sua bolas. Ele fechava os olhos e tremia todo. Ficamos no beijando e ele falou nos meu ouvido que queria voltar a pôr no cuzinho. Pedi que comesse minha bucetinha, pois a mesma estava latejando. Ele me mandou ficar em pé e levou-me para parede. Gelei, acho que o filha da puta sabia o que eu tinha feito. Ele abocanhou e ficou mamando longamente cada um dos seios, chupando e mordiscando os mamilos, e enfiava os dedos na minha buceta. Eu não conseguia conter os gemidos e a vontade de ser enrabada, sacrificada.

Eu estava super excitada, tanto que sentia pingar gala no chão, pois estava com as pernas abertas ao máximo, e a vagina arreganhada. Meu esposo segurou seu pênis começou a roçar na minha buceta, eu gemia toda vez que passava no rasgo da vagina, do clitóris até o anus. Eu dizia – “Vai amor come minha bucetinha, por favor”- Ele segurava sua pica pela metade e só colocava um pouquinho dentro e tirava. Ele se abaixou, levantou uma das pernas, ficou no meio e chupava minha buceta e o cu ao mesmo tempo. Eu não aguentava mais, e mudei de opinião e pedir que comesse meu cu. Ele me colocou de frente para a parede, me apoiei e empinei o bumbum para receber sua tora.

Ele beijou minha nuca e disse pra mim –“ Vai sua vadia,pede para eu comer seu cu.” – E assim eu fiz - “Vai amor comer meu rabinho, me arromba, rasga meu cu.”.. Como sou um pouco mais baixa, meu marido se agachou um pouco, dirigiu sua pica pra entrada do meu rabinho e foi empurrando, e empurrando cada vez mais. E colocou tudo, eu sentia o cú arder e doía muito. Comecei a rebolar para não sofre tanto. De uma só vez, ele levantou-me com seu pau todo atolado no meu tobinha. Fique no ar, meus pés mal tocavam o chão. Foi uma dor horrível que eu gritei, e xinguei. Ele tapou minha boca e ficou parado com seu pau dentro do meu cu. .Eu chorei e lagrimava e minhas pernas estava bamba, meu corpo estava trêmulo e enfraquecido.

Então choramingado falei pro mesmo, - “ Por amor, você foi bruto agora, pedi que você comesse minha bucetinha e você só esfolou meu cuzinho”. Ele pediu desculpa, baixou-me, segurou pela cintura bem firme e enfiou de novo e acelerou o movimento de vai-e-vem. Ficou fudendo meu cuzinho por uns cincos minuto, enquanto seus dedos entravam na minha buceta. Fiquei louca, sentia aquela cabeçona, destruindo meu cuzinho, doía muito, ardia, dei um jeito e o pau saiu . Meu marido o me abraçou e prendeu em seus braços. O cu já estava todo esfolado e uma dor enorme tomava conta de mim, comecei a chorar. Pedir para colocar um tempo na bucetinha, enquanto dava uma folga no cú. Ele não queria saber disso e forçou novamente a entrada do meu cú, desta vez a cabeça entrou com um pouco mais de facilidade, mais ainda doeu muito,dei uma grito de “ ai,ai,ai...”

Vi estrelas e cada estocada que ele dava era um gemido e um soluço. O prazer começou a ser cada vez maior, eu gemia e delirava de tesão, não demorou muito e comecei a gozar, ele metia com mais força, destruindo de vez meu cuzinho, eu gritava e gozava com aquele cacete enorme enfiado no meu cú. O Marcos deu um uma urrada, e gozou, encheu meu cuzinho de gala...senti o esperma escorrer pra dentro do meu cuzinho e pude gozar. Ele retirou o pau ainda pingando e mandou eu chupar, fiz sem reclamar, pois quero sempre agradar meu maridão. Fiquei com o cu cheio de gala nesta noite. Reclamei, pois eu não tinha levado na buceta, ( mesmo tendo duas picas diferentes na mesma noite), ele sorriu me beijou e disse que pela manhâ ele faria isso. Dormimos abraçado e no dia seguinte, meu cunhado ironicamente veio dizer que queria acabar o ele não conseguiu. Achei graça, e disse que a chance deles já tinha dado e não teria outra vez.Bem finalizando; meu marido comeu minha bucetinha pela tarde. Meu cunhado descobriu que levou chifre e se separou de minha irmã.

Rosa morena

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
09/12/2015 21:03:19
Puxa vida fiquei muito excitado com seu conto!! Bj
09/12/2015 21:02:15
Catatau
16/09/2013 07:47:50
Adorei o conto, Rosa Morena, que vingança deliciosa! Que sexo anal delicioso! Adoro ser chupada no meu anelzinho como você foi. Também adoro essa mistura de dor e prazer que é dar o cuzinho. Beijos, da Dandara.
27/08/2013 21:16:09
MInha linda Rosa Morena. Bom demais saber que voce gosta tanto de dar o cu. Não quer ser minha doce esposinha? Te prometo casa, comida roupa lava e muita rola no cu todo dia. Um de meus contos: http://www.casadoscontos.com.br/texto/ beijos e me escreva