Casa dos Contos Eróticos

O cara na parada de ônibus

Autor:
Categoria: Homossexual
Data: 27/09/2012 14:31:50
Última revisão: 28/09/2012 11:15:03
Nota 9.95

Oi, me chamo José e acompanho os contos do site há bastante tempo e resolvi compartilhar aqui as minhas histórias também. Tenho 19 anos, branco, 1,77 de altura, 74 kg, corpo legal e em geral faço muito sucesso com a mulherada, ninguem desconfia de mim.

Este relato aconteceu há alguns dias, quando saia de uma pesquisa da faculdade, pela noite. Sou estudante do curso de Educação Física e estava fazendo uma pesquisa e não tive resultados positivos naquele dia, estava cansado de ter "trabalhado" atoa. Estava a caminho de casa, com os pensamentos fora de mim, em função dos acontecimentos do dia, estava sem carro, pois havia dado alguns problemas e estava na oficina, teria que pegar ônibus, que eram muito lotados naquele horário em função da faculdade. Fui andando até o ponto de ônibus de cabeça baixa e fiquei aguardando até que o ônibus chegasse, e estava demorando, já tinham passado vários outros mas nenhum servia para mim.

Devo ter ficado esperando por uns 30 minutos ali de pé, o que estava me deixando com mais raiva ainda. A parada já estava quase vazia, havia apenas poucos universitários e ao meu lado tinha um cara conversando com o seu filho, e eu acabei ouvindo a conversa dos dois. O pai dizia para o seu filho que não pode comprar o presente de aniversário da criança, pois havia lhe faltado vinte reais, mas que no dia seguinte iria pedir emprestado para alguém. Eu fiquei com dó da situação e com um pouco de raiva de mim mesmo por estar reclamando do meu dia, mas que bem ali ao meu lado tinha uma situação bem pior. Prontamente me virei ao pai para lhe oferecer os 20 reais e disse "Ei!" e o pai e o filho olharam para mim. Neste exato momento eu não consegui dizer mais nem uma palavra, fiquei sem reação quando vi o quão lindo era aquele cara. Era um rapaz de uns 25 anos, barba ralinha, usava um boné largo, calça jeans e uma camisa gola polo, era mais alto que eu, e mais bronzeado, tinha um estilo meio "largado", do jeito que eu gosto. Fiquei ali abismado quando o homem pergunta "Ta tudo bem com você?" e eu não conseguia parar de olhar para ele, até que consegui responder "Sim. Ta tudo bem sim!" e ele continuou "Tudo bem mesmo?" e eu "Me desculpa mas eu acabei ouvindo a sua conversa com seu filho e quero te ajudar, eu te dou 20 reais para voce comprar o presente para o seu filho, e por favor, não recuse, eu insistirei". Eu estava trêmulo, com medo da reação daquele homem, pois ele poderia achar que eu estava chamando ele de miseravel. Até que ele deu um sorriso e disse pro filho dele "Olha filho, ainda existe gente de bem nesse mundo. Eu não queria mas já que você insistiu, eu aceito" e eu sorri, ainda não conseguindo desgrudar o olhar daquele homem. Peguei minha carteira e estava vazia, me senti tão envergonhado, que não tive reação, pois não havia nenhum caixa eletrônico ali perto para que eu pudesse sacar o dinheiro. Eu expliquei a situação para o cara e perguntei que onibus eles pegariam, para minha sorte era o mesmo que o meu. Pedi para eles descerem junto comigo, assim eu poderia pegar o dinheiro em casa e entregar para ele, mas ele achou melhor não, pois ja estava tarde e o filho dele tinha que acordar cedo no dia seguinte para ir a escola. Eu entendi, mas dei meu endereço para ele e disse para ele ir na minha casa no dia seguinte para pegar o dinheiro. O onibus chegou e embarcamos, não dialogamos mais, eles sentaram no fundo e eu mais a frente, desci antes deles e quando desci fiz um sinal de positivo para o rapaz e o filho dele, e os dois retribuiram.

Cheguei em casa tenso, e meu colega de quarto perguntou o que tinha acontecido. Eu estudo em outra cidade, entao divido um apartamento com outro estudante. Expliquei para ele o que aconteceu no caminho para casa e ele me chamou de louco. Não disse a ele que tinha dado o nosso endereço para aquele homem. Meu colega disse que viajaria no dia seguinte bem cedo, a trabalho, o que me deixou mais aliviado, pois se o cara aparecesse, eu nao precisaria dar explicaçãoes. Fui para o meu quarto dormir e fiquei um bom tempo me revirando na cama pensando naquele homem, pensando que eu estaria agindo feito louco, pois ele é hetero, tem filho, tem familia e eu aqui pensando em destruir tudo isso apenas por desejo. Fiquei um bom tempo com isso na cabeça até que consegui dormir.

No outro dia acordei por volta das 11h da manhã (sou filinho de papai, sustentado por eles em outra cidade para fazer faculdade, logo, não preciso trabalhar), estava pronto para fazer meu almoço quando por volta de 12h30 o porteiro diz que tem alguem me esperando lá embaixo, pedi a ele que mandasse subir. Eu estava de camiseta regata e calção do uniforme do time da faculdade. Logo alguem bate na porta e para minha surpresa era o cara da noite anterior. Ele estava mais lindo ainda, com uma bermuda jeans, uma camisa larga e com o mesmo boné. Pedi para que ele entrasse e sentasse no sofá, sentei em uma poltrona e ele logo me disse "Eu só vim porque realmente estou precisando, faz dias que meu patrão não me paga e eu to sem nenhum centavo." Eu perguntei onde ele trabalhava e porque nao ia procurar os direitos dele, foi ai que ele me disse "Tu foi legal comigo então vou ser bem sincero. Eu trabalho vendendo droga pra um dos traficantes do meu bairro, eu tinha uma divida enorme com ele e se eu nao pagasse ele iria me matar, dai que eu tive que começar a vender pra ele como troca do pagamento da divida." eu fiquei com muito medo, pois tinha trazido um traficante para dentro da minha casa, e com muito odio de mim tb. Ele continuou "Eu ainda comi a filha dele de 15 anos, ela ficou gravida, o cara mandou ela pra fora de casa e eu tenho que sustentar ela e aquele moleque". Eu fiquei espantado, pois na noite anterior eu tinha visto ele sendo tão carinhoso com o filho dele. Já que eu estava ali mesmo resolvi perguntar "Mas voce parecia tão carinhoso com seu filho" e ele disse "Eu amo meu filho, mas tenho odio da mãe dele que nao faz nada, vive as minhas custas". Eu decidi dar os 20 reais para ele desde que ele realmente fosse comprar o presente, e não dar ao traficante, ele disse que era para o presente.

Todos aqueles meus pensamentos durante a noite de estragar uma familia haviam ido embora então eu criei coragem, afinal estava louco com aquele homem, pois além de lindo era vagabundo (confesso que tenho tesão em homem assim). Eu disse que daria o dinheiro, mas ele teria que fazer por merecer e ele perguntou se eu queria alguma droga em troca. Eu falei que não curtia droga e que queria era bater uma punheta pra ele. Ele não teve reação nenhuma, apenas me olhava com aquele olhar de macho, e eu ali aflito esprando a resposta dele, que se pronunciou dizendo "20 só?" e eu "Não é disso que tu precisa? Tu me faz um favor e eu te faço outro" e ele "Vem então, viado". Eu sentei al lado dele no sofá e comecei a passar a mão naquele homem, pedi para que ele tirasse a camisa e me surpreendi com o corpo sarado dele. Alisei seu peitoral, sua barriga totalmente definida, ele era lisinho, tinha apenas poucos pelos no suvaco. Eu fui descendo a mão até que alisei o pau daquele homem por cima da bermuda jeans. Ele não demonstrava reação alguma, ficava todo o tempo olhando para a frente, um olhar fixo para o horizonte. Abri a bermuda e pedi para que ele a tirasse, ficando só de cueca box, o que me deixou mais louco ainda, aquele macho bronzeado, com um corpo maravilhoso e um rosto lindissimo na minha frente, alisei bastante suas coxas, não muito grossas até que apertei o seu volume, que me agradou, logo pedi para que ele tirasse a cueca, eis que surge um pau ainda mole, raspado, com pelos bem curtinhos. Peguei aquele pau na mão e comecei a alisar, tentava punhetar mas ele nao subia. Isso tava me deixando com tesao, pois mostrava que realmente ele era hetero e tava fazendo aquilo apenas por dinheiro. Eu fiquei ali alisando até que de leve toquei em suas bolas, e ele nao resistindo soltou um gemido. Eu tinha achado o ponto fraco daquele macho!

Segurando aquele pau com uma das mãos e com a outra acariciando suas bolas, eu senti aquela vara dar sinal de vida ali na minha mao, não demorando para ficar durrissima feito pedra. Eu comecei a punhetá-lo sem tirar a mao de suas bolas, com medo de que voltasse a ficar mole, ele gemia baixinho, ainda olhando para frentem, para o nada. Fui me aproximando aos poucos até que consegui dar uma lambida na cabeça daquele pau, de uns 20 cm, não muito grosso, mas também não era fino, levemente inclinado para cima. Ele nao recusou a lambida, então abocanhei aquele caralho, engolindo pouco a pouco até chegar no talo, onde ele deu um gemido alto e longo. Comecei a mamar naquela vara, eu estava delirando ali, pois não acreditava que estava tendo aquele macho ali pra mim. Aquele homem me enloqueceu por completo ao ponto de fazer uma loucura dessas, e ele era maravilhoso, além de lindo, gostoso, era higienico e tinha um pau muito bom. Eu continuava mamando ele, da cabeça até o fim, enquanto ele gemia, meu tesao se tornou maior ainda quando avistei seu rosto, ele estava de olhos fechados, aproveitando a minha mamada.

Eu fiquei muito tempo mamando aquele pau, eu estava de 4 no sofá e ele sentado, até que eu senti sua mão pegar em minha bunda e baixando meu calção e minha cueca, indo direto ao meu cuzinho com aqueles dedos ásperos. Eu vi estrelas naquele momento, não conseguia acreditar em tudo aquilo. Ele tentou enfiar os dedos a seco dentro do meu cu, e eu me pronunciei com um gemido de dor, ele então me fez chupar seus dedos junto com seu pau e passou a mão babada em meu cu, que ajudou a deslizar mais facil. Ele ficou brincando na entrada do meu cuzinho enquanto eu me deliciava chupando o pau dele. Após muito tempo de silencio, apenas de gemidos ele chega próximo ao meu ouvido e diz "Dá pra mim, vai?" e eu suspirei e disse "Vamos para o quarto". Ele me pegou no colo e me levou até o quarto do meu colega e eu disse "Aqui não, no outro". E assim entramos.

Ele me jogou em cima da cama, perguntou se eu tinha camisinha e eu apontei para uma gaveta do guarda-roupa, ele pegou e colocou em seu pau. Disse que queria me comer de 4 e eu rapidamente fiquei na posicão que ele pediu na beira da cama. Ele encaixou seu pau no meu cuzinho que ja estava um pouco aberto com as dedadas que havia recebido e aos poucos foi me penetrando. Ele foi com calma, enfiando pouco a pouco até que eu senti seus pentelhos esfregando em minha bunda. Aquele cara sabia o que tava fazendo. Nunca tinha dado para um pau como o dele, apenas menores mas aquele macho não me fez sentir quase dor alguma. Ele começou um vai e vem de leve e eu delirando gemia a cada estocada daquele pau. Ele tirou todo deixando só a cabeça e meteu de novo, parecia que aquele pau nao iria parar mais de entrar em mim, ele repetiu isso algumas vezes e começou a me foder. Ele dava gemidos baixos e secos, me segurando pela cintura e eu revirava os olhos de tanto prazer. Ele me virou na cama sem tirar de dentro, me deixando de frango assado e continuou fodendo meu cu e era delicioso demais ver aquele macho maravilhoso me comendo até que ele me pegou no colo ali daquele jeito mesmo que eu tava, eu coloquei minhas pernas por cima de seus ombros. Ele me jogava pra cima e me deixava cair até enterrar todo aquele pau dentro de mim, eu gozei ali mesmo sem me tocar e ele percebeu e disse "Tu ta gostando né safado" eu fiz que sim com a cabeça e pedi pra ele me comer mais, ele me colocou de ladinho na cama e meteu vara pra dentro, apoiando suas maos em minhas coxas.

Após me comer por um bom tempo, ele anunciou que iria gozar e eu pedi para ele parar, pois eu disse que queria sentir o leite dele em mim, ele tirou de dentro, tirou a camisinha, eu me deitei na cama e ele ficou em pé por cima de mim, me deixando entre as pernas dele. Eu tinha uma visão maravilhosa ali de baixo, aquele macho começou a punhetar e eu também até que ele começou a gemer mais alto e começou a jorrar jatos de porra no meu corpo, ele gozou muito, me deixou todo sujo até que eu gozei também. Ele me olhou ali todo sujo com a porra dele e me deu um sorriso safado e eu retribui.

Ele parecia cansado então eu perguntei se ele nao queria tomar banho, ele aceitou, eu entrei primeiro e me limpei, depois foi ele, e eu fiquei me deliciando com a cena. Ele me provocava pegando no pau e olhando pra mim, até que eu entrei e chupei ele mais uma vez até ele gozar, na minha cara desta vez. Saimos do banho e nos vestimos, eu disse para ele aguardar na sala que eu iria pegar o dinheiro e ele disse que nao precisava, mas eu insisti. Fui ao meu quarto e peguei cem reais e o entreguei. Ele olhou o dinheiro e disse, se uma foda dessa valia 20 e tu me deu 100, então temos mais 3 dessas pela frente e riu. Eu ri junto e disse que sempre que ele quiser, sabe onde me encontrar, e ainda disse "Só não te peço em casamento pq sei que tu nao vai aceitar" e rimos juntos. Ele disse que viria novamente, pois nunca tinha comido um homem e tivesse gostado. Minhas suspeitas de que ele ja tinha comido algum outro cara antes quando disse que "ele sabia o que tava fazendo" eram verdadeiras. Isso aconteceu essa semana ele ainda não apareceu novamente, mas estou aqui aguardando.

Esse foi o meu primeiro conto aqui no site, em breve conto mais alguns relatos. Espero que tenham gostado e peço desculpa por algum erro de portugues.

Comentários

16/03/2014 00:56:44
poxaaaaaaa que delicia adorei em
10/11/2013 21:49:30
Valeu cara... Parabéns!
26/06/2013 00:40:21
Delicia! Posta mais! :D
03/02/2013 16:31:38
10 :)
19/01/2013 20:32:26
FODÁSTICO, MUITO GENEROSO. hehehe
20/10/2012 13:04:17
Cara foi um fodão, pena que ele não derramou dentro da sua boca. deve ser uma delícia recerber jatos de porra na boca. tacosta@ig.com.br
30/09/2012 19:07:22
Ótimo muito bom.
28/09/2012 13:16:48
Muito bom...
27/09/2012 23:24:55
FANTÁSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSTICO!!!!!!!!!!!!!!!!
27/09/2012 21:37:31
27/09/2012 21:37:28
10...
27/09/2012 21:34:38
Muito bom. Leia os meus também, e dê a sua opinião.
27/09/2012 20:19:53
NOssa, muito bem escrito... Cara, meu sonho passar por algo assim!!!
27/09/2012 18:25:56
Ficou show, muito bom.
rah
27/09/2012 16:06:23
10 =)
27/09/2012 15:17:44
10

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.