Casa dos Contos Eróticos

Uma Vida de Sexo - Fantasias e orgias uma combinação perfeita 4/6

Um conto erótico de JuniorRJ42
Categoria: Homossexual
Data: 15/01/2012 15:49:21
Última revisão: 15/01/2012 18:05:02
Nota 9.75

Quando cheguei na área social, vi realmente quantas pessoas haviam na festa eram aproximadamente 16 pessoas algumas já estavam sem fantasias somente com uma mascara de baile. Fui indo em direção a churrasqueira e fui parado por um japonês que depois fui saber que tinha 15 anos que foi passando a mão no meu peitoral e falando “Você deve ser o Junior que o tio Fe falou, sou o Marcelo”, depois que ele se apresentou pegou no meu pau que estava meia bomba ainda e disse que estava ansioso para experimentar e ficou indo atrás de mim. Dei uma olhada pra ver se reconhecia alguém no meio da orgia e não tinha ninguém familiar ate que Marcelo me pegou pela mão e me levou para a beira da piscina onde Fernando estava sendo chupado por um outro japonês e Marcelo grita, pai achei o tal Junior que o tio fala, confesso que de começo fiquei um pouco chocado com a naturalidade que a galera encarava aquela cena dois irmão se chupando e o filho de um deles falando naturalmente como se eles estivessem jogando domino alem de transando na frente dele só sei que minha moralidade referente ao assunto morreu naquela noite e naquela hora.

Fernando me viu próximo ao sobrinho e chamou ele pra perto e beijou a boca dele fui indo pra perto deles e reparei que o Faraó que estava dando uns pegas no Padre, parou e ficou me olhando com maldade e voltou a se atracar com ele. Quando finalmente cheguei perto do trio Fernando apresentou a sua família; o irmão Marcos e o sobrinho Marcelo, que me abraçaram e me deram um beijo na boca cada um meu pau já estava começando a querer da sinal de vida denovo e Fernando perguntou onde estava o Rafael, informei onde ele estava e ele me disse para trazer ele pra área da piscina junto com a galera que estava na sala.

Voltei com todos eles e Fernando pediu um momento na festa e nos apresentou a todos como meio irmãos e disse que tínhamos que tomar o leite um do outro na frente de todos para que sejamos aceitos no grupo e disse que deveríamos fazer isso na próxima reunião do grupo quando todos estivessem presentes para sermos aceitos no Clube do Incesto. Eu e Rafael começamos a nos pegar na frente de todos estávamos já com pouca roupa ele estava já sem a camisa e o short de jogador e ficou só com a caneleira, chuteira e meião com uma marca de sunga por conta da tarde no sol que tivemos e eu estava com a gargantilha com gravatinha e a punhadeiras e com uma marca de sunga também. Ele sussurrou pra mim falando que me amava e me pediu pra gozar primeiro na minha boca, beijei ele e também disse que o amava e fui lambendo o peitoral dele e o bico do peito dele e ia beijando sua barriga ate chegar no seu pênis e comecei a passar a língua em volta da cabeça e ia lambendo toda a extensão ate chegar no talo e finalmente coloquei só a cabeçinha na boca e ia chupando um pouco dando umas linguadas no cogumelo. Ele só gemia e fazia carinho na minha cabeça e fui indo ate por tudo na boca segurando bem firme a bunda dele, ele começou a ditar o ritmo da mamada segurando na minha cabeça e trazendo de encontro ao pau dele.

Tinha hora que engasgava e ele ficava cheio de tesão e me puxava para dar um beijo e voltava a foder minha boca, ate que ele foi acelerando a metida e mandou eu por dois dedos no cu dele e notei que o rabo do meu macho estava todo melado da porra provavelmente do Boxeador e mais alguém e ele foi indo cada vez mais rápido e mais fundo ate que na hora de gozar fizemos como fomos instruídos nos afastamos um pouco para que vissem os jatos entrando na minha boca alguns foram fora mas caíram no meu rosto. Ele veio de encontro ao meu rosto e lambeu o gozo mostrei o que caiu dentro da boca a todos e Rafael me deu um beijo juntando a porra toda e engolimos cada gota. A galera estava só olhando com a rola estourando alguns já se masturbavam e outros estavam rebolando no colo do outro sem penetrar, me levantei e Rafael começou a fazer o serviço na minha rola que já estava doendo de tanto tesão e não demorei muito pra sentir vontade de gozar, mandei ele acelerar a chupada e tirei da boca dele segundos antes de gozar e minha porra caiu mais fora do que dentro da boca dele, limpei o rosto dele e dei um beijo de língua e engolimos a porra toda.

Reparei na platéia e vi Marcelo com a rola do pai toda entalada no cu e Fernando chupando a rola do sobrinho, Flavio estava com o Advogado na ponta do pau, Tales e Thiago estavam de passivos para o Zorro e para o Boxeador e estavam se beijando o Capoeirista estava cavalgando o Faraó e os outros três estavam de voyeur se masturbando lentamente. Me aproximei do Fernando, Marcelo e Marcos e vendo aquele japa cavalgando a rola do pai enquanto o tio chupava o seu pau me revigorou rápido e Marcelo perguntou pro pai se eu podia comer seu cuzinho, ele disse que sim mas ele tinha que ficar deitado em cima do pai porque ele queria sentir as estocadas e assim fizemos. Fernando deu licença e Marcos que já estava deitado no chão recebeu o filho nos braços e disse pra ele rebolar e gozar que nem um homenzinho e fazer o papai orgulhoso. Subi um pouco Marcelo pro colo do pai e a rola do pai ficou tipo que roçando na bunda dele e eu fui enfiando no rabo dele devagarzinho já que a diferença da grossura da minha rola pra do pai dele era grandinha. Depois de um tempo o moleque começou a roçar na barriga do pai e disse que estava muito bom e eu não dava trégua e ia empurrando e com as estocadas na bunda dele ia pressionando a rola do pai com a minha virilha ate que Marcos chamou o irmão pra perto pra dividir a rola dele com o filho e lá estava eu curtindo mais uma putaria bem safada entre membros de família.

Logo depois senti o cuzinho do Marcelo apertando meu pau com tudo e Marcos começou a falar “isso me deixa orgulhoso filinho goza em cima da barriga do papai vai, geme pra eu ouvir sua satisfação vai” e moleque gemia e se tremia todo. Marcos me pediu pra tirar a rola do rabo do filho e pegar a porra dele e passar na sua rola porque ele ia gozar no rabo do filho e usar a porra como lubrificante, atendi a solicitação e passei todo o leitinho na rola dele e ele foi metendo no cu do filho e falando “Papai vai deixar esse cuzinho melado pro seu amigo meter mais gostoso ta filinho?” Marcelo estava no automático e só mexia a cabeça e sussurrava, essa conversa safada e carinhosa tava deixando meu pau em pondo de bala e fiquei esperando Marcos encher o rabo do filho. Fernando anunciou o gozo e deu tanto para o irmão quanto para o sobrinho que deram um beijo e dividiram a porra e Marcos encheu o rabo de filho de leite e mandou eu meter logo em seguida, tirei rapidamente a rola dele e ainda saiu uns jatos que sujo a bunda do moleque e caiu na minha barriga. Comer aquele cuzinho apertadinho com porra do pai e dele mesmo tava demais pra mim e gozei o mais fundo possível e Marcelo gozou denovo sujando a barriga do pai, joguei o peso em cima deles e depois tirei ele de cima do pai e fiquei com ele em cima de mim e fiquei beijando a boca dele. Fernando limpou a porra do sobrinho da barriga do irmão e Marcos foi chupar a rola do filho ate deixar ela limpa e eu meti denovo no rabo dele enquanto o pai ficava lambendo minhas bolas e limpando a porra que escorria. Gozei novamente no fundo dele e ele gozou na boca do tio que estava mamando a rola dele enquanto o pai lambia meu rabo, saco e rola e as vezes ate tirava pra me chupar. Fudemos a noite toda ate as 3-4 da manha muitos trenzinhos, DPs, boquetes entre outras rolavam ao nosso lado mas, enquanto estava com os três só conseguia dar atenção a eles.

Continua.....

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
17/01/2012 01:03:52
10 brother!
15/01/2012 16:55:05