Casa dos Contos Eróticos

Primos - Prazer 100 LIMITES -

Um conto erótico de Escritor Danyel
Categoria: Homossexual
Data: 27/10/2011 00:04:51
Última revisão: 18/06/2012 23:51:23
Nota 10.00
Assuntos: Homossexual, Gay

Bom, vou começar me apresentando. Moro em Florianópolis; chamo-me Raphael (Rapha), Sou branco; cabelo liso, castanho claro (quase loiro); olhos verdes; tenho 17 anos; 1,81m; 67kg. Não sou sarado, mais minha barriga tem meio um tanquinho.

Tenho um irmão mais novo o André, de 12 anos; ele é moreninho ( ele é adotado); cabelo liso e preto (usa aquele corte que fica parecendo um indiozinho, tanto que apelidei ele de Tainá, [do filme]); olhos pretos; magro e tamanho normal pra idade. Bom o fato aconteceu em setembro do ano passado, quando o meu primo Bernardo veio passar um final de semana com a gente.

Meu primo tem 11 anos (hoje tá com 12), é branquinho, magrinho, cabelo bem preto e olhos verdes. Ele chegou na quinta anoite pra voltar na terça cedo, meus tios deixaram ele perder 3 dias de aula pelo fato dele e de meu irmãos serem muito amigos, porém terem se separado quando o Bernardo foi embora pra Joinville com meus tios.

Então, o Bernardo chegou e foi aquela festa toda, minha mãe fazendo lanches, meu irmão todo feliz e ele super à-vontade. Ele iria ficar no quarto do meu irmão. Sexta feira meus pais saíram as 8:00h da manhã para trabalhar como qualquer dia, e só voltariam 19:00h. No dia eu não tinha aula, pois o pai de uma profº tinha morrido ai a escola estava fechada em luto.

Ocorreu tudo bem o dia todo, eu fiquei em casa com eles, que assistiram filmes, jogaram video-game e se divertiram como garotos da idade deles fazem. Quando meus pais chegaram eu fui pra casa de minha namorada e quando voltei já estavam todos dormindo. No outro dia meus pais estavam se arruamando pra irem trabalhar, e eu falei que iria sair pra ir a praia com uns amigos e minha namorada, e só voltaria lá pras 15:00.

Logo eles falaram pra os meninos ( André e Bernardo) que ficariam sós, passaram toda aquelas recomendações. Logo depois saimos. Só que quando chegou na praia eu briguei com minha namorada e acabei vindo embora umas 10:00h, quando cheguei em casa percebi o silencio, então sem fazer barulho vou até o quarto do meu irmão e me deparo com uma cena surpreendente.

Está meu irmão deitado com a pica no cu do Bernardo (Naquela posição que o passivo cavalga só que de costas pra o ativo).Não pude de deixar de reparar no pau do meu irmão, que já era grandinho, devia ter uns 13cm; e no do Bernardo que tinha uns 10cm. Fiquei de cara. E o que me surpreendeu é que o Bernardo cavalgava pra valer, fudendo mesmo.

Nossa, me deu o maior excitação. Assim que me viu ele congelou, depois saiu correndo e se trancou no banheiro, meu irmão começou a chorar sem falar nada, ninguém falava nada, só se escutava o choro do meu irmão que chegava a soluçar. Eu sai e fui pro meu quarto pensar no que tinha visto, e no que faria. Só que quanto mais eu pensava, mais duro meu pau ficava. Quando me vi, já tava batendo uma punheta, a melhor da minha vida.

Quando deu umas 12:30 eu fui até a cozinha beber água então vem meu irmão e começa:

-Raphael...

Eu logo interrompo:

-Vamos fingir que eu não vi nada valeu ?!

Ele:

-Você vai conta pra o pai e a mãe ?

Eu: Vamos fingir que eu não vi nada. Eu não vi nada. E vai se arrumar e chamar o Bernardo, vamos sair pra almoçar.

Dai eles se arrumaram e saímos, no começo eles estavam apreensivos, mais como eu realmente estava agindo como se nada tivesse acontecido, eles foram ficando mais avontade. (Não sei nem porque tomei essa atitude) Mais enfim... Depois do almoço passiamos um pouco e quando chegamos meus pais já estavam.

Se passou o resto do sábado e o domingo e apesar de fingir não ter visto nada, aquela cena não saia da minha cabeça, e sempre meu pau ficava duro, eu estranhava, pois sempre me considerei hétero, no entanto estava morrendo de vontade de comer meu primo. Decidir ignorar essa vontade.

Na segunda eu fui pra escola, mais com a cabeça em casa, imaginando que os dois provavelmente estavam transando, pois meus pais tinham deixado o André perder aula pra ficar em casa com o Bernardo. Quando dei por mim, já estava no ônibus de volta pra casa. Quando cheguei, por volta das 9:00h fui até o quarto do meu irmão e ele estava dormindo ainda. Então fui pra o meu quarto, quando eu chego lá tá o Bernardo batendo uma punheta cheirando uma cueca minha (suja). Nossa tava tão gostoso que ele nem me viu entrar, na hora que eu fechei a porta ele tomou um susto e ficou parado ai eu falei:

-Porra Bernardo, o que você tá fazendo cara?

Ele:

-Desculpa. (Com aquela cara de rel culpado, nossa, chegou me dá pena)

Eu sentei na cama e chamei ele pra sentar do meu lado, ele levantou o shot e sentou. Ai eu falei:

-Ber, você quer conversar sobre tudo isso que tá acontecendo ?

-Desculpa Rapha, to com vergonha.

-Olha Ber, você tá se descobrindo, eu sei. Só quero te ajudar. Olha, vou te perguntar, mais se você não quiser responder tudo bem tá?

-Tá!

-Você gosta de meninos ou de meninas?

-De meninos, mais não conta pra ninguem por favor Raphael...

Tá, calma, relaxa. Não vou contar, só vou te ajudar. Mais vc ja experimentou alguma coisa com menina?

-Eu já beijei.

-E gostou? Sentiu o que?

-Não, senti meio nojo.

-Olha, pode contar comigo pra o que vc precisar viu. Se quiser ficar com essa cueca pode ficar. Eu sei como e bom bater punheta, e a sua parecia que tava boa. (Risos)

Nessa hora ele me deu um abraço apertado, aquele abraço de gratidão sabe? Nossa, chegue ficar emocionado. Então ele completou:

-Obrigado Rapha, vc e muito legal.

-Tá Ber, mais me solta agora.

-Pq, vc nao gostou? Desculpa

-Não Ber, pelo contrario, eu gostei, até demais. Por isso mesmo que to pedindo pra vc me soltar. Já te vi batendo uma hoje e agora vc me abraça assim, ai eu fico de pau duro.

-Mais quando a gente fica de pinto duro e pq a gente tá com vontade.

Nessa hora eu levantei, tirei a roupa e fiquei só de cueca, ai eu falei:

-Ber, olha o jeito de vc me deixa, assim eu não consigo resistir. É errado fazer alguma coisa com vc. Vou pro banheiro bater uma punheta.

Na hora que eu virei as costas ele me puxou pelo elástico da cueca e falou:

-Não Rapha, deixa eu chupa, só um pouquinho

Nessa hora eu não aguentei mais. Nossa, já tava explodindo de tesão, então tirei a cueca, sentei na cama e ele se ajoelhou. Começou a chupar, a lamber, nossa, fazia bem pra caralho. Chupava meu saco (Adoro que chupem meu saco) Ficou chupando uns 10 min. Ai eu levantei ele e falei:

-Ber, quero muito te comer, muito mesmo, mais vc quer? Vc deixa? Olha se vc nao quiser tá tudo bem, eu nao vou contar nada pra ninguem e nem vou fazer nada. Vc so faz se vc quiser.

-Para de fala Rapha, eu quero sim. Tava batendo pensado em vc fazendo comigo.

-Tá Ber. Mais olha, meu pinto e maior que o do André, se doer vc fala que eu paro.

Nessa hora coloquei ele de 4 na cama dai me veio o estralo de cuspir e meter um dedo, ele suspirou, ai eu meti 2, ele começou

-Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii, Raphaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa, Aaaaaaaaaaaiiiiiiii, ta gostoso.

Tirei pra meter o terceiro dedo, então eu percebi que não estavam sujos de coco, foi a deixa que eu precisava, abri aquela bundinha branquinha e meti a lingua naquele cuzinho lisinho, ele deu um suspiro fundo, tremeu e caiu na cama.

-Que foi Ber, não gostou

-Gostei, e muito bom, faz mais faz. Por favor, faz isso de novo que eu faço o que vc quiser.

Nossa, ele deitado de bunda pra cima eu comecei a chupar aquele cuzinho até cansar a língua. E nisso meu pau só que babava, ai eu falei:

-Ber, vou meter viu ?

-Tá!

Comecei a meter, de vagarzinho, gostoso, com carinho mesmo. E ele sem falar nada, quando eu meti tudo eu perguntei

-Tá doendo?

-Não, quer dizer, um pouquinho de nada, mais mexe vai.

(O cuzinho dele já tava treinando com o pau de meu irmão, com a baba do meu pau e a saliva, acho que não causou dor. Ficou fácio encarar meus 16cm.)

Nossa, que cu gostoso, apertado, quentinho. Bem melhor que a buceta da minha namorada.

meti muito, bombeei bastante. Depois o coloquei sentado no meu colo e meti mais ainda. Depois o coloquei de joelhos na cama escorado na cabeceira, meti mais um pouco e não agüentei, gozei naquele cuzinho, muito leite mesmo. Acho que dava umas 3 gozadas. Começou a escorrer pelas pernas dele. Eu peguei minha cueca e limpei. Beijei o pescoço dele, a cabeça e perguntei

-Gostou?

-Adorei Rapha. E vc gostou?

-Nossa Ber, muito. Foi a melhor de toda a minha vida.

-Posso te pedir uma coisa?

-Pode Ber, peça.

-Me da um beijo

Nessa hora eu sentei na cama, ele levantou, eu o abracei pela cintura e segurei em sua cabeça e deu um selinho nele, mais não rápido, looooooooooooooongo. Não consegui colocar lingua, não seu pq, mais foi um beijo bom.

Depois disso nem deu pra fazer mais nada. Mais se gostarem conto como foram as férias e como consegui fazer uma brincadeira com meu irmãozinhoEsta história é de autoria do nosso leitor Raphael de Florianópolis -

#FIM

Autor: Danyel

escritordanyel@hotmail.comAcesse e leia mais ;

www.casadoescritor.blogspot.com

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
14/01/2012 02:05:44
Delícia!
29/10/2011 01:20:07
Continua se o fim d semana foi assim imagina as ferias kkk
27/10/2011 17:59:03
MUITO BOM!!!!!!!!!!! CONTINUA LOGO AS FÉRIAS!!!!!!!!!
27/10/2011 10:32:21
mto legal ^^