Casa dos Contos Eróticos

004 - Série - PUTARIA FUTEBOL CLUBE – "O treinador me pegou emprestando meu cu pra dois..."

Um conto erótico de Escritor Danyel
Categoria: Homossexual
Data: 24/08/2011 23:32:05
Última revisão: 19/06/2012 01:58:30
Nota 9.33
Assuntos: Homossexual, Gay

A viagem toda com a galera rumo a Rio Verde foi muito animada, a galera dentro do ônibus se divertia e eu pensava em minhas escolhas, analisava a vida e os desejos, mas também não poderia deixar de lembrar da reação de Vitor e de Bruno quanto meu namoro.

Chegamos em Rio Verde ás 12:00 horas, e logo fomos para o restaurante onde iríamos almoçar, e em uma mesa enorme tinha o prazer de ter o do bom e do melhor, e sempre a garotada festejava toda esta mordomia, que por sinal, nosso treinador Carlão disse que iria acabar, pois a tarde teríamos treino.

Conversa vai e vem e daí estava eu lá, comendo feliz da vida e de rabo de olho na beleza de meus gostosos machos que tanto me comia.

Fiquei pensando na diferença entre os dois, pois Bruno tinha apenas o jeito de machão, forte e jogador profissional, mas na cama demonstrava a beleza e o desejo de seu comer, sem contar sua rola gostosa, já Vitor era menos romântico, mas também sabia meter gostoso, alem de um belo corpo moreno e um jeito sarista lindo.

Bom sem mais o dia foi de treino, de muita felicidade e é claro eu ia ao desejo, pois a cada gol marcado via a delicia dos garotos me abraçando e me fazendo sentir meu cuzinho piscar de vontades de dar pra todos.

O pior do treino era ter que ouvir nosso técnico Carlão gritando, pois ele era gente boa, e nos treinava muito, mas pegava pesado com os treinos, com os exercícios.

Carlão era um senhor de idade, tinha uns 55 anos, gordo, com aquela barriga de chopp e um jeito descolado e doido de treinar a galera daqui, mas era adorado por todos, pois teríamos que ganhar este estadual a amanhã seria o dia de ganhar mais um jogo.

A noite cai e daí a vantagem deste hotel era os quartos separados, então pude desfrutar das delicias de um estadual e da mordomia de um hotel bacana.

Logo me deixei ficar somente de cueca e andar pelo quarto e sem deixar de aproveitar de pular na deliciosa cama de casal.

Porem fui tomar um delicioso banho, logo adentrei no banheiro, senti a delicia da água morna e também a delicia de minha pica grossa estar sentindo a vontade de bater uma gostoso.

Ao ouvir o barulho da água caindo, eu me deliciava com tamanho prazer, meu pau estava grosso e totalmente ereto ao imaginar Bruno me comendo de novo.

Ao mesmo tempo em que eu batia uma gostosa punheta, eu também massageava meu anelzinho já tão sofrido por tamanha rola, realmente gostava muito de me auto enfiar, gostava de sentir meus dedos entrar em mim, mas também estava feliz por tal descoberta.

Mas a realidade era outra, então fomos jantar e o garoto hétero e comedor de xoxota tinha que enfrentar seu personagem, e então assim aconteceu, fui jantar com a turma e pela noite, alias exatamente ás 22 horas depois de muita putaria pude ficar sozinho no meu quarto e novamente ficar totalmente livre das minhas roupas se tornou um alivio e assim novamente, agora banhado, cheiroso me auto gostava de mim.

Eu um menino de pernas grossas, de rosto sem nenhuma mancha, de corpo franzino e adorado pelos outros meninos estava na duvida, me sentia estranho, e transar com Camila foi legal, mas os outros garotos não saiam da minha cabeça, mas eu tinha que continuar tentando-me auto conhecer.

Então logo mais tarde a campainha toca e eu mesmo de cueca resolvo atender e ao abrir a porta estava diante de mim Bruno e Vitor, e eu chocado com aquela visita os convidei para entrar, então eles entraram e logo senti o tocar de Bruno e de lado sendo levado para a cama com um beijo gostoso, Vitor logo na seqüência me dizia que hoje eu iria aprender a como ser comido por dois

- E daí viadinho, esta metendo na buceta daquela gata né, então agora você vai aprender a não trair nós, ainda mais com mulher, seu viadinho filho de uma puta.

Então Bruno me beija e eu o toco em seu gostoso corpo, ao mesmo tempo em que logo atrás de mim Vitor tira minha cueca e a delicia de suas mãos acariciam minha bundinha.

Então esta eu, um garoto com dois projetos de homem, Bruno em minha frente e eu logo sentindo novamente seu delicioso beijar e tocando em seu corpo, sentindo a delicia de sua pele e logo atrás esta meu outro comedor, com sua pele morena, mãos de macho que então abrias minha bundinha e começava a me dedar gostosamente.

Sem muito perder tempo minha bundinha totalmente pelada sentia o acariciar de Vitor enquanto minha boca era sugada pela delicia dos lábios de Bruno. Deste modo meu rego era conduzido ao prazer total com as dedadas de meu macho que também ma fazia tremer de tanto prazer e a língua de Bruno me fazia sentir-se a bicha mais sortuda do mundo.

Ambos não me deixavam reagir e queria apenas abusar de meu corpo, eu estava totalmente dominado por tanto prazer, ter meus dois gostosos naquela noite seria a melhor coisa que poderia me acontecer.

Então Bruno me pegou pelos cabelos e diz:

- Cai de boca aqui na minha vara meu viadinho...

Nossa!, era demais sentir cada milímetro do gostoso poder de comedor deles, então como um doido eu caia de boca feliz da vida ao sentir a gostosa e grossa rola de Bruno, ao mesmo tempo em que sentia também o precionar de uma chupada também na rola de Vitor, que por sinal era uma coisa morenamente gostosa.

Estava eu de joelhos e tendo em minhas mãos duas rolas grossas e gostosas que me fazia gemer de tanto prazer, era gostoso sentir a diferença entre as duas varas e também mamar em uma e depois na outra. Ate desafiei enfiar as duas na minha boca e tive uma sensação de prazer maravilhosa, pois passava minha língua na cabecinha de ambas as rolas, sentia o pulsar da veia de cada um e também méis lábios engolir, mamar e fazer pressão de sugação em cada uma...

Meus lábios pareciam sortudo, pois tinha duas opções de escolha, e ele fazia então o atendimento aos dois, sugava a pica de Vitor, enquanto minha mão batia uma punheta pra Bruno e assim por diante.

Neste momento o garoto sentia o deleite da vida, os prazeres de ter duas rolas grossas e grandes somente pra mim, via dois meninos me comer de forma única e sentir os prazeres da carne em dose e rola dupla.

Ver o olhar de meus comedores, sentir o suar deles e o gemer de ambos diante de minha boca quentinha que os conduzia a perdição do prazer entre o sexo entre homens.

Enquanto mamava na rola de Vitor, sentia o caminhar de Bruno em direção ao meu rego gostoso, logo estava eu de quatro, de bundinha empinada e sentindo as dedadas dele me fazer tremer na base, sentia seus dedos fazerem movimentos de entrada em meu cu, e daí eu não sabia qual era mais gostoso, a pica na garganta de Vitor ou as dedadas gostosas de Bruno.

Ele enfiava gostosamente seus dedinhos e massageava meu anel arrombado, sentia o degustar de um caldo de porra na minha boca ao mesmo tempo em que quatro dedos adentravam em meu rabo e abria passagem para o prazer total.

Ele com todos aqueles dedos fazia movimentos dentro de mim, era um prazer muito forte sentir aqueles dedos me fazer gemer alto de tanta vontade, prazer e desejo.

Eu nunca havia sentido tanto prazer na vida, pois meu cu era atolado gostosamente e sem muito demorar Bruno fez de sua pica o principal naquele momento e eu de quatro começava a ser atolado pela garganta e pelo cu, onde Bruno já estava introduzindo seu gostoso mastro.

Sentia meu corpo tremer de tanta felicidade e arrepios tomavam conta de mim, pois eu era comido, atolado e fudido gostosamente e a mão de meu garoto atolava minha garganta em seu mastro de menino pervertido.

Sentir uma rola daqueles na bunda era realmente um gesto de machismo, pois era uma dor filho duma puta, mas o prazer era compensado com o vai e vem da pica dele entrando e saindo, enquanto ele segurava fortemente minhas ancas e puxava em direção de seu mastro, e também eu sentia as bolas gostosas de Vitor todas em minha boca, que logo o fazia gemer também.

Dar o cu pra dois homens era realmente algo gostoso, e principalmente ser comido com o sentido de pressão, medo, pois tínhamos toda uma historia me fazia realmente delirar de tanta vontade de continuar sendo enrabado.

Logo eu trocava de posição e Vitor sentado na cama tinha como alvo o barraco de meu anelzinho fazendo a rola dele sumir, enquanto suas mãos me forçavam em direção ao teto e fazendo movimentos fortes e ousados, pois Bruno também aproveitava para me beijar e me fazer agora cair de boca em sua pica.

Eu rebolava com gosto na pica de Vitor, sentia suas bolas e gemia com tamanho prazer de dar o cu, sentia a pegada forte dele e o jeito comedor sem noção que me fazia também tremer de desejo.

Meu cuzinho parecia algo estourado, vermelho e arrombado estava ardendo de tento sentir pica dentro dele, era dois machos me comendo gostosamente, sentia as mãos o carinho, o prazer e a forma de demonstrar ser bom de cama de cada um deles.

Sentia as diferenças, pois enquanto Bruno se fazia de machão, mas beijava, me acariciava e era sensível na cama, Vitor era mais coisa de meter mesmo, não se importava em beijar, ou coisa do tipo, mas realmente comia muito bem um rabo de garoto.

Era duas picas me fazendo um viadinho vagabundo, me fazendo ouvir de meus machos que me comiam que realmente eu era bom de cu. E que eu merecia era muita rola depois de ter arrumado uma namorada sem permissão deles.

Eu estava todo feliz, pois me sentia realizado com tais palavras ao mesmo tempo em que um calafrio tomava conta de meu corpo, pois setnia cada centímetro da rola de meus machos.

Bruno e Vitor, comedores de cu, garotos que curte mais que jogasr futebol profissional, mas sim também gostam de fazer de um viado a coisa mais prazerosa pra ambos.

Meus comedores, meu anelzinho perdia toda a elastidade que antes não existia muito e agora era totalmente arrombado, minhas pregas já não existia mais, e meu cu parecia estar em chamas com tamanhas metidas e bombadas.

Nossa, era realmente a coisa mais gostosa, dar o cu de quatro, de lado, sentindo Vitor meter e Bruno me beijar, de banda, de bunda para o auto e principalmente de frango assado, pois Vitor metia em minha bunda enquanto Bruno me fazia engasgar com seu pedaço de pica.

Logo Bruno tomou o lugar de Vitor e disse.

- Larga o cu dele que quem vai gozar dentro dele é eu, faz ele engolir tua porra, enquanto eu encho o rabo dele de leitinho também.

Eu me deleitava com tamanho comentário de Bruno, e é cvlaro já obedecido por Vitor que me fazia sentia a cabeça entrar em minha boca e ele bater uma gostosa somente pra me fazer beber sua porra.

Já Bruno me fazia erguer ainda mais minhas pernas para o alto e abrir meu rego para gozar profundamente em mim.

Olhando para o teto, com uma pica morena na boca e outra atolada em meu rego eu estava inevitavelmente pronto pra ser alvo da porra dele, e sem muito demorar e com muito suor do prazer sentia minha boca encher de leite, Vitor me fazia engolir tudinho sem deixar nenhuma gota.

A porra quente de Vitor era uma delicia, aquela goza branca, pastosa com um sabor pouco bom, mas também diante do fogo no rabo que tava não me importava em sentir leitinho me fazer delirar, pois Bruno continuava a me comer.

Sem muita presa a pica morena de Vitor estava limpinha diante de minha língua, pois fiz quentão de sentir o fuder de Bruno limpar gostosamente a pica de seu parceiro de foda.

Então o suor do prazer e o gostoso modo de sentir aquele prazer me faziam também sentir dentro de mim o gozar de Bruno, que naquele momento me fazia gemer e suar também.

Mas algo sai errado e ao gozar e fixar meu olhar para a porta vejo que diante de nos estava o Carlão. É isto mesmo! Nosso treinador estava parado na porta e via toda aquela cena, eu de perna para o ar, com uma torra no cu colocado por Bruno e Vitor também do lado direito da cama com sua pica ereta para cima.

Realmente nos três ficamos parados, e como em uma cena congelada via que Carlão parecia não acreditar em tal acontecimento, mas a realidade caia diante de meu olhar, pois meu cu já era arrombado e minha carreira de jogador também.

Porem a reação de Carlão foi a pior de todas, ele disse a seguinte frasse.

“- Então temos uma bicha no time, e esta na hora de você aprender a dar o cu pra um homem de verdade e aprender a virar homem...”

ContinuaLEIA TAMBÉMSérie - PUTARIA FUTEBOL CLUBE - Como tudo começou...

http://www.casadoscontos.com.br/texto/ Série - PUTARIA FUTEBOL CLUBE - A chantagem...

http://www.casadoscontos.com.br/texto/ Série - PUTARIA FUTEBOL CLUBE – “Depois de aprender a dar meu cu, resolvi comer uma biceta...”

http://www.casadoscontos.com.br/texto/Autor: Escritor Danyel

escritordanyel@hotmail.comAcesse e leia mais ;

www.casadoescritor.blogspot.com

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
11/04/2013 16:54:13
continua