Casa dos Contos Eróticos

como diz o velho ditado"cu de bêbada não tem dono"

Um conto erótico de Cara Comum
Categoria: Heterossexual
Data: 29/04/2011 00:50:25
Nota 8.17

GOSTARIA DE PEDIR PARA QUE LESSEM OS DOIS CONTOS ANTERIORES NA ORDEM, ACHO QUE VÃO GOSTAR, E APROVEITAR PARA ENTENDER MELHOR ESSE QUE ESCREVI. ARPOVEITEM PRA VOTAR E COMENTAR, GOSTARIA DE SABER SE VOCÊS ESTÃO GOSTANDO. AGRADEÇO.

Na semana seguinte em que fiz Lara gozar com a ponta do meu dedo em seu cuzinho e em seguida ela me fez gozar em sua boca, resolvi fazer uma festinha em casa. Era feriado, meus pais viajaram e minha irmã ficou para participar da festa.

O sábado chegou, tudo organizado, muita bebida, muita comida, som animado, o pessoal dançava e eu assistia Lara dançar com seu vestido preto, curto, na altura das coxas. Lara dançava e olhava pra mim, com uma carinha bem safada, eu sentia que o álcool já começava a fazer efeito nela, e em mim também.

Resolvi dançar com ela também e a gente começou a discretamente se esfregar, se bem que estava todo mundo já meio alto na festa. Cada vez que ela roçava a bunda em mim, meu pau endurecia mais, então resolvi sair da sala com ela. Subimos as escadas, fomos pro meu quarto, a festa continuava lá embaixo e ao entrarmos no quarto, fui tirando seu vestido e a deixando só de calcinha, já que não usava sutiã.

Beijei sua boca apertando sua bunda, em seguida chupei seus seios e coloquei meu pau pra fora.

-chupa ele. Pedi.

Lara não disse nada, apenas se abaixou e colocou meu pau na boca chupando com vontade. Depois de alguns minutos assim, a coloquei de pé abaixei sua calcinha e a levei pra cama, fui abrindo suas pernas e encaixando meu pau em sua bucetinha lisinha pequena e rosada. Comecei a chupar, lamber e deixar minha namoradinha gostosa doida, quando senti que ela estava com muito tesão, quase gozando, parei de chupar sua bucetinha, a coloquei de pé e pedi que vestisse seu vestidinho mas sem a calcinha.

-Por que ? perguntou ela.

-Por que eu estou afim de ver como se comporta sem calcinha na festa. Respondi abotoando minha calça.

Ela topou a brincadeira e colocou o vestidinho sem nada por baixo. Quando íamos saindo do quarto, ainda meti a mão por baixo do vestido e fiz um carinho em sua bucetinha molhada. Descemos e fomos beber mais.

Algum tempo depois Lara já estava muito bêbada e eu não estava nada sóbrio e enquanto dançávamos ela me falou ao ouvido:

-Amor, minha bucetinha tá muito molhada.

-Como assim? A gente não está fazendo nada, apenas dançando. Falei beijando seu pescoço.

-É que eu fico roçando uma perna na outra, e toda vez que você encaixa em mim, eu sinto seu pau duro me cutucando. Falou com a voz meio mole e muito safada.

-E o que eu posso fazer pra te ajudar? Perguntei

-Me leva pro seu quarto de novo e faz o que você quiser, desde que eu goze.

Paramos de dançar, o pessoal da festa também estava muito bêbado, inclusive minha irmã que conversava e ria alto com algumas amigas. Fomos pra cozinha eu e Lara e continuamos bebendo mais um pouco e conversando com alguns amigos, até que o pessoal voltou a dançar e ela disse:

-Passa a mão em mim, olha como eu estou de tesão.

-Mas aqui, na cozinha? Falei espantado.

-Sim, aqui, tá todo mundo pra lá, muita gente já foi embora, passa rapidinho.

Lara colocou as mãos na cintura e ficou com as pernas entreabertas esperando que eu fizesse algo, e eu fiz, cheguei próximo a ela, e enfiei a mão por baixo de seu vestidinho. Fui com gosto, encaixei sua bucetinha na palma da minha mão e senti que ela falava a verdade, estava realmente muito molhada.

-E então, o que vai fazer? Perguntou Lara.

-Vou colocar meu dedo carinhosamente nela, aqui, na cozinha, posso?

-Pode, mas só se for rápido e se a gente subir depois. Respondeu Lara na mesma posição.

Acariciei sua bucetinha, coloquei o dedo nela e com a outra mão apertei seu seio por cima do vestido mesmo. Lara fechou os olhos, gemeu e disse:

-Vamos subir, não agüento mais, quero ser sua.

Não falei nada, apenas tirei o dedo de sua xotinha encharcada, a peguei pela mão e fomos subindo pro meu quarto. Chegando lá fui fechando a porta e tirando minha roupa, Lara ficou me olhando sentada na cama. Cheguei perto dela e fiquei com o pau bem próximo a sua boca, ela sem cerimônia foi metendo a boca e segurando pelas bolas.

-Pára, para senão eu vou gozar. Falei segurando-a pela cabeça.

Lara olhou pra mim e disse:

-Goza, goza de novo na minha boca como você fez semana passada.

Ao dizer isso, voltou a chupar meu pau e a mistura do tesão com a bebedeira fez com que eu gozasse em poucos minutos na boquinha gostosa da minha namorada. Dessa vez ela foi esperta, e não tirou o pau da boca, toda minha porra ficou na sua boquinha e rapidamente ela engoliu. Lara deu ainda mais umas mamadas gostosas, deixou meu pau limpinho e ficou de pé.

Tirei seu vestidinho, deitei na cama, e pedi pra que ela ficasse de joelhos, sob minha cabeça pra encaixar a bucetinha na minha boca, e se apoiar na cabeceira da cama. Ela o fez rapidamente, ao sentir minha boca em sua bucetinha gemeu e começou a mexer. Fui lambendo a xotinha, apertando o grelinho nos meus lábios, segurando ela pela bunda, enfiando a língua na xotinha e sentindo ela cada vez mais molhada.

Na medida que ia chupando Lara ia ficando cada vez mais tesuda até que tentou anunciar:

-Continuaaaaaaaa, acho que vooooooouuuu gozzzaaaarrrrrr.....

Falou enquanto gozava na minha boca.

A segurei forte pela cintura e chupei bem gostoso toda sua bucetinha para que gozasse com vontade. Sentir o gozo dela na boca fez meu pau voltar a ficar duro, Lara após o orgasmo se jogou na cama ao meu lado, de bruços, deixando exposta sua bundinha gostosa e branquinha assim como ela toda. Abri as pernas de Lara e me encaixei entre suas pernas, pensando que esse seria o dia que ganharia a virgindade do seu cuzinho.

Ao ficar entre as pernas de Lara que estava mole ainda pelo orgasmo, resolvi ir com calma, coloquei meu pau na entrada da sua xotinha e fui forçando a entrada.

-Ai que delicia, adoro isso, olha como ela está bem mais apertada, continua, enfia. Gemeu com o rosto de lado, deitada num travesseiro.

Conforme meu pau ia entrando na bucetinha dela, ela ia arrebitando a bunda pra facilitar a penetração. Assim que meu pau entrou todo, comecei um vai e vem com força, ouvia até o barulho do meu corpo batendo em sua bunda cada vez que eu enfiava. Quando o tesão nos dois já estava a flor da pele novamente, resolvi dar o bote. Saí de dentro da bucetinha, pedi pra ela ficar de 4 e enquanto ela se posicionava, eu peguei na gaveta do criado de cabeceira, um KY.

-Arrebita mais o bumbum pra mim amor. Pedi carinhosamente.

Lara atendeu meu pedido, sem estranhar o produto na minha mão, a gente costumava usar para o sexo vaginal também. Mesmo com ela toda abertinha e arrebitadinha pra mim, eu abri ainda mais com minhas mãos e dei a famosa lambida que começa na xotinha e termina no cuzinho. Ela se arrepiou todinha e deu um gemido gostoso enquanto eu voltava minha boca pra sua bucetinha e apertava seu grelinho nos meus lábios.

Passei a pomada no meu dedo e continuei chupando Lara, só que agora passando o produto no seu cuzinho, espalhando vagarosamente e enfiando o dedo em seu cu. Comecei a fuder sua bucetinha com a língua e seu cu com o dedo, ela gemia e rebolava bem gostoso.

Coloquei um travesseiro embaixo dela, na altura da barriga, parei de chupar e pedi pra que ela se deitasse.

-Pra que? O que você vai fazer amor? Perguntou.

-Você disse que dessa semana não passaria, hoje é sábado, tecnicamente a semana está acabando, então acho que está na hora. Falei baixinho já passando o KY no pau.

-Se eu pedir pra parar você pára? Indagou insegura.

-Sim.

Foi o que disse enquanto começava a encaixar meu pau em seu cuzinho virgem. Comecei a enfiar com certa dificuldade, e sem que eu pedisse, Lara tratou de levar as duas mãos à bunda e abrir pra facilitar a entrada.

Não adiantou muita coisa, estava muito difícil penetrar o cuzinho virgem de Lara, que gemia, mais de dor do que de qualquer outra coisa. Resolvi empurrar um pouco mais forte até que a cabeça entrou. Com a entrada da cabeça saiu um grito de Lara, abafado pelo travesseiro que estava próximo ao rosto. Como ela não pediu pra parar, eu continuei forçando a entrada.

Quase a metade do pau já estava dentro do cuzinho recém desvirginado de Lara, então comecei a fazer um vai e vem aproveitando pra enfiar o resto. Lara apertava a bunda com as mãos, tanto que já estava ficando vermelha pelas marcas de seus dedos, eu ouvia seus gemidos abafados no travesseiro e um pré-choro. Minha namoradinha gostosa mostrava-se valente naquele momento, suportando a dor do meu pau enterrado em seu cuzinho. Alguns minutos bombando devagarzinho em seu cuzinho eu disse:

-Volta a ficar de 4 agora amor, pra ver se melhora.

Ela nada disse, apenas se posicionou como eu pedi e novamente tive dificuldade em entrar naquele cuzinho rosado e apertado. Mas com um pouco menos de dificuldade eu consegui e voltei a fazer o movimento de vai e vem dentro do cu de Lara, segurando-a pela cintura agora.

Lara suportou o quanto pode, eu estava com muito tesao, em mais alguns minutos gozaria, só que ela não agüentou virou o rosto pra trás e pediu:

-Pára meu amor, tá doendo demais, pára.

Ao ver os olhos vermelhos e lacrimejando dela, parei na hora e percebi seu suspiro ao sentir que meu pau tinha deixado seu cu. Lara se jogou na cama, de frente pra mim e as mãos na cabeça. Eu nada disse, apenas deitei por cima dela e a beijei na boca. Ela retribuiu meu beijo sentindo meu pau duro como uma pedra e foi abrindo as pernas. Sem parar de me beijar, levou a mão até o meu pau e encaixou na entrada de sua bucetinha.

Fui empurrando pra dentro e deixei todo dentro dela enquanto a gente se beijava. Lara se mexia embaixo de mim pra sentir minha pica se movimentar dentro dela, assim que paramos de nos beijar eu fiz o que ela queria, comecei a bombar bem gostoso, tirava quase todo o pau, e enfiava todinho novamente pra dentro de sua xotinha.

Ver os pequenos seios de Lara balançando com a força das estocadas, me dava muito tesão. Fiquei apoiado num braço só, o outro eu levei ao seu seio e fui falando enquanto a comia:

-Como é gostoso fazer amor com você, como você é gostosa, apertada, deliciosa.

-Então continua, vem, continua me fudendo, mete na minha bucetinha vem, fode amor. Gemeu ela.

-Não fala assim que eu gozo minha safadinha. Gemi aumentando a intensidade das estocadas em sua xotinha.

-Goza , vai, goza na bucetinha da sua safadinha que eu vou gozar com você, vem tesão, mete, forte, vem.....

-Vou gostosa, vou, mexe, rebola, sente meu pau, vai, vou gozar, vai, não agüento, vou gozaaaaaaaaaarrrrrrr....

Assim que comecei a gozar na bucetinha de Lara, senti as contrações de sua xotinha apertada, anunciando que ela gozava comigo. Fui gozando e apertando forte seu seio, Lara gemia, estremecia e gozava, eu senti o mesmo calafrio despejando os últimos jatos de porra em sua bucetinha.

-Adoro fazer amor com você. Sussurrou Lara largada na cama.

-Eu também, adoro tudo que faço em você, adoro tudo que você faz em mim, eu amo você. Respondi dando-lhe um beijo gostoso na boca.

Tirei meu pau de dentro dela, deitei ao seu lado, e ficamos abraçados por alguns minutos sem nada dizer um para o outro. Em seguida, nos levantamos, fomos para o banheiro, tomamos um banho rápido e descemos para a festa, que já tinha bem menos pessoas agora.

Voltamos a beber, ficamos conversando um com outro, vez e outra, alguém chegava pra conversar com a gente, o pessoal de maneira geral se divertia na festa. Em um determinado momento Lara estava sentada no meu colo, me abraçando pelo pescoço e a gente rindo por alguma palhaçada feita por alguém na festa, até que ela chegou próximo ao meu ouvido e disse:

-Agora eu entendo aquele ditado.

-Qual? Perguntei.

-cu de bêbado não tem dono. No meu caso, de bêbada, seu tarado. Respondeu rindo e me beijando.

E foi assim gente, a primeira vez que Lara deu o cu, numa próxima oportunidade eu conto como foi a primeira vez que eu gozei em seu cuzinho. Comentem e votem gente.

Abraços a todos.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
13/09/2016 12:48:57
Muito bom o conto por isso vou mandar um deis. Sou casado e morro de vontade de dar a bunda, apesar de não sentir atração por homem. Só sinto atração por picas. Gostaria muito de ser uma fêmea completa para outro macho e matar esse desejo escondido que tenho. Troca-troca tambem e bem vindo. Alguém interessado me mande mensagem... E-mail: gilvillamachado@uol.com.br
07/04/2016 14:22:20
Delicia de conto! Tem alguma safada de Belem q gosta de anal...? gatoliberal2003@yahoo.com.br
14/12/2014 15:26:59
muito bom vc é fantastica com suas narrativas
29/04/2011 10:53:44
sensacional
29/04/2011 10:40:17
Adoro seus contos... são muito excitantes....