Casa dos Contos Eróticos

Lua de mel com amigo do trabalho

Um conto erótico de Homem Sério
Categoria: Homossexual
Data: 20/12/2010 15:18:11
Nota 9.77

Levo uma vida pacata, sem muitas emoções, como se vê na tv.

Sou casado a mais dez anos e tenho 38 e sou representante comercial em um laboratório farmacêutico.

Como já estou casado a muito tempo, a vida sexual também não é lá essas coisas, é uma por semana no muito, agora quando saimos com os nossos amigos até voltamos mais animadinhos eu e minha mulher e pode rolar também.

Lá no laboratório tenho muitos colegas de trabalho, as vezes ficamos mais próximos. Quando enchemos o saco alguns pedem transferencia e vão para outras unidades.

A cinco anos atrás foi contratado um camarada chamado Romulo, um cara muito espirituoso, inteligente, pinta e muito simpático.

Ele foi um dos que não ficou na nossa unidade. Voltamos a encontrar nos treinamentos e avaliações que passamos semestralmente aqui na multi.

Eu venho me dando bem ao longo dos anos por aqui, já sou até chefe adjunto, embora não mande nada, mas tenho lá alguns privilégios.

Estamos nos preparando para lançar no mercado alguns produtos novos, quando isso acontece tem um esforço de todos.

Nos dividimos e vamos para todos os grotões do interior do Estado.

Este trabalho é feito em duplas e eu como chefe posso escolher quem vai viajar comigo.

Nos meus encontros atuais com este amigo Romulo, ele me andou contanto sobre sua vida afetiva.

Filho pequeno no interior e se separando da atual mulher e já tem uma amante.

Rimos, porque ele faz tudo ficar engraçado, mesmo sendo trágico.

Ele é muito sedutor e faz maior sucesso com a mulherada do laboratório. Ele é um moreno de corpão, deve ter 1,78m e pesar 76kg, corpo atletico, cabelos pretos e 36 anos. Tem um olhar penetrante, uma boca carnuda e um queixo quadrado. Anda muito bem vestido, de calça e camisa social.

Agora, eu sou bem normalzão, quase sem graça nenhuma, sou magro, peso 74kg, tenho 1,81m, branco, calvo e cabelos pretos e lisos e poucos pelos, uma pequena barriguinha, faço caminhadas 3 vezes por semana e já me dou por satisfeito.

A temporada de viagens é muito apertada, pois ficamos no mínimo duas semanas longe de casa, visitamos todos médicos, clinicas, unidades rurais e medicos de programa de familia.

Na segunda feira, pegamos o carro eu e o Romulo, colocamos nossas malas e todas as amostras gratis que iriamos trabalhar e fomos pra uma cidade polo que fica a 8 horas de carro.

Ele ficava com uma conversa sedutora comigo o tempo todo, perguntei tá treinando chavecar comigo, é isso?

Ele respondia ,nada, tô querendo é te comer mesmo...e assim foi , muitas piadinhas e brincadeiras durante a viagem.

Na primeira parada para mijar ele foi do meu lado do coxo e ficou exibindo o pinto pra mim e falando palhaçada.

Agora, não é que a pistola do cara é bonita mesmo, morena, cabeça roxa bem formada e grossa.

Continuamos e chegamos por volta das 16 horas e conseguimos atender 2 medicos, sendo o último na casa dele já no inicio da noite.

Depois fomos pro hotel, tomarmos banho, ele já foi logo ficando peladão, ai eu vi aquele corpão todo, pelos nas pernas e peito, ombros largos, peitoral peludo de fios lisos e pretos, coxas grossas, uma bunda que deve dar inveja num tantão de mulheres e aquele piru, grosso, bonito, imponente.

Fiquei incomodado com aquele homem nu na minha frente fui pro banho, sem entender direito o que passava na minha cabeça, misto de medo e tesão.

Sempre tive uma curiosidade nas historias sexuais dos amigos, gosto de ouvir, mas nunca tive nenhuma experiencia sexual com alguém do mesmo sexo.

Quando sai da ducha o viado tava ainda de cueca na cama e com a mão dentro da cueca, quando tirou tava visivel o volume, falei, vamos lá rapaz, senão não acharemos nada...ele respondeu: sei de uma churrascaria logo ali na esquina.

Fomos lá, tomamos umas cervejinhas e não demoramos muito para retormarmos pro quarto, porque estavamos muito cansado.

Mas isso, não impediu que ele fizesse uma das suas palhaçadas e a brincadeira que queria me comer.

No dia seguinte conseguimos muitas visitas , acabamos até um pouco mais cedo, fomos pro hotel, tomar banho e depois ir jantar.

Resolvi ficar pelado também desta vez e ele fez uma brincadeira, falando da minha bunda branquinha.

Brinquei também e falei, olha meu pau aqui , rapaz....que tem 17 cm quando duro, reto e cabeça rosada.

Fomos pra churrascaria que tava mais animada que na noite anterior e bebemos mais também que na noite passada.

A viagem transcorria bem e estavamos nos sentido bem, afinal também saimos da rotina da cidade grande , não é nada mal.

Retornamos pro quarto, na mesma hora da noite anterior, só que mais alegres e descansados , ligamos a tv e ele já foi ficando de cueca e deitou na cama ao lado da minha, que só era separadas por uma pequena mesa bem leve.

Ele falou que ia dormir peladão, perguntou o que eu achava, disse que eu dormia de cueca ou de short de pijamas.

Ele ficou insistindo no assunto pra eu dormir nu também, eu perguntei que papo de boiola é esse? e brincava com ele e o chamava de metrossexual.

Ele respondeu porque quero te comer, eu ri e respondi sem pensar, só se eu te comer primeiro, ele falou topo.

Falei que isso homem,? foi só brincadeira, somos macho, não vai rolar...não é que ele ficou peladão , já de pau duro, que quando vi, fiquei impressionado, com a beleza daquela ferramenta, grossa, calibrada e já vindo pra cima de mim.

Eu de cuecas , tentando acabar com aquela brincadeira , mas sem resultado, foi me abraçando e encostando aquele mastro em mim, eu de cuecas imóvel, sem reação, atônito e tonto.

Senti seu peito peludo me encostando, seus braços me enroscando e seu rosto roçando o meu.

Começou beijando meu pescoço, depois embaixo do maxilar e sua barba crescendo roçando também na minha face e seus lábios procurando os meus para beijar, tentei fugir, mas em vão.

Estava dominado pelo tesão homossexual irresistivel.

Meu pau duro dentro da cueca , começou a sair e encostar no dele, suas mãos começaram a se movimentar, passado na minha bunda, enfiando por dentro da minha cueca e começando abaixá-lá, pôs meu pau pra fora da cueca e espremeram um no outro.

Estava entregue, aos beijos, que me deixaram de pernas bambas, ao tesão de um cacete junto um do outro.

Ele foi me conduzindo pra minha cama, eu de costas pra cama, fui caindo com ele em cima, sem falarmos, só gemidos e tentativas em vão de não continuar naquela situação.

Me dei por vencido e acabei de descer minha cueca e o abracei forte também.

Ficamos atravessados na cama, com os pés no chão um bom tempo, só nos beijos, até que ele começou a morder meu pescoço e de repente, levantou meus braços e meteu a língua no meu sovaco, arrepiei, sua barba arranhando, meu suvaco...fiquei louco, com a maestria com que ele fazia as coisas.

Chupou meus mamilos, beijava minha barriga e eu só conseguia a gemer, meu pau tava melado como não ficava a muito tempo.

Mordiscou meu umbigo e depois cheirou meus pentelhos e meteu meu pau na boca...urrei, não aguentei, era um tesão demasiado parecia que ia gozar o tempo todo.

Ele chupou com calma, enérgico , mordia de leve o corpo do meu pau, passava a língua na cabeça suavimente, ele era um eximio profissional do sexo ...risos.

Levantou-se de cima de mim e levantou minha pernas, fiquei com meu rabo vunerável para aquele camarada, que meteu a língua no meu cu...gritei, ai, ai, ai...uma sensação que jamais tinha sentido, abria minha pernas e metia a língua lá dentro do meu cu.

Não tinha força pra muita coisa e o gozo não vinha, só a sensação inacabada do gozo imediato.

Depois disso tudo ele falou , faça agora comigo tudo que fiz com você...comecei lambendo seus peitos, passei a lingua com uma vontade louca, cheirei o subaco dele e achei o aroma muito bom, mordi debaixo do seus braços, lambia a lateral do seu corpão, cheguei na região da pistola, era como um imã, a cabeça da ceceta dele atraia minha boca.

Descontrolei quando meti minha boca naquele cacete, tinha um gosto delicioso, nem respirava direito, ele gemia também e ria junto aos gemidos.

Eu não queria tirar minha boca daquela pistolona, que soltava uma babinha oleosa e salgadinha e eu engolia tudo.

De repente ele , segurou minha cabeça e pediu pra parar. Parei. Ele me puxou pra cima da cama e começamos a nos beijar de novo, isso trocando todos os fluidos que experimentamos um do outro.

Deitei em cima dele e seu pau foi para o meio das minhas pernas, era gostoso, quente, diferente, ter no meio das coxas uma pistola que não era a sua.

A sensação prolongada de gozo não passava, ele já dizia que estava em ponto de bala e disse que queria me enrabar.

Enfiando o dedos no meu cu e eu também procurando o cu dele. Nem acreditava que tava beijando o cara e ainda por cima com o dedo no cu dele.

Eu ainda sem confiar nele, disse que só se eu fosse primeiro, ele falou então, venha e me fode, quero dar pra você.

Perguntei você já fez isso antes , ele respondeu lógico, desarmei com a coragem e a sinceridade dele, eu bobalhão, nunca tive uma experiencia dessas.

Tomei a iniciativa e o coloquei de bruços, o qual ele aceitou plenamente, sem nenhuma resistencia e perguntou sabe o que fazer?...rindo, eu disse sim, ai lambi aquele cuzinho, da bunda masculina mais gostosa que eu conhecia.

Senti o cheiro do seu anus, os pelos de seu rabo na boca, era tudo novo para mim. Ele foi gemendo e dizendo, lambe mais, deixa bem molhado meu cu, vai...eu entendi , fiz o que ele pediu e levantei e mirei a cabeça do meu pau direto naquele cu.

Ainda sem acreditar, no que estava acontecendo, sentiu uma pressão na cabeça, que ainda estava longe da portinha.

A bunda era daquelas que o cuzinho ficava longe. Insisti e cheguei na portinha, ai que sensação maravilhosa, cutuquei mais, forcei mais e seus gemidos aumentaram e os meus também, pois estava passando da entrada, a cabeça do meu pau tava penetrando para onde parecia ser um paraiso do gozo.

Não resisti muito o gozo veio logo, não era uma ejaculação precose e sim uma explosão que estava guardada a muito tempo.

Quase desfaleci depois do gozo, sem que meu pau entrasse todo nele.

Sai de cima dele, ele virou passou a mão no rego e já me gozando, pô Alvaro esporrou na minha bunda...risos...eu ainda saindo daquele esta de extase. Ele foi falando que agora era a vez dele.

Deitou em cima de mim de frente e foi me beijando...depois abaixou de repente e levantou minha pernas, e lambeu meu cu novamente...

Deixou-o bem molhado e foi falando pra eu aguentar, foi me dizendo como deveria fazer, ficou com a cabeça da caceta apontada na portinha do meu cu, e pondo pressão...disse, força pra fora , fazia o que ele falava a cabeçona entrou na portinha...foi uma dor du caralho, pensei que fosse cagar todo...falei com ele pára, pára, pára...ele respondeu calma, segura a onda que passa, tô paradinho, sem fazer nenhum movimento...e tava mesmo, mas só que tinha uma pressão enorme querendo entrar no meu rabo.

Passou uns instante o tesão foi cedendo e ele conseguiu enviar mais...e junto os beijos, muito beijos, ele realmente tinha a manha. Quando vi, estava totalmente envolvido por ele, seus braços que passanvam por baixo dos meus, sua boca junto da minha e seu pau todo dentro de mim.

Começou os movimento bem devagar, sentia aquele atrito forte do seu cacete dentro do meu cu, só gemidos abafados pelos beijos, até que ele começa a gritar meu nome, repetindo ah, Alvaro , ah Alvaro ...e da aquela última estocada, liberando toda sua porra dentro do meu cu.

Começamos a desfazer a posição que estavamos, ficamos ainda mais um tempo encostados e deitados na mesma cama.

Ele me fez um carinho e mudou de cama, levantei e fui pro chuveiro, fiquei só pensando naquilo tudo que tinha rolado.

Quando sai do chuveiro ele já estava dormindo, tranquilo.

Acordamos pela manhã e ele foi me dando bom dia e tentando ser carinhoso comigo, aceitei o carinho. Me pareceu que ele estava bem, sem muito pudor com o acontecido. Começou tirando sarro da minha cara, falando que alguém tinha perdido o cabacinho pra ele...não tive como ficar puto, o cara era muito do bem, vi que queria me confortar...sabia que poderia estar passando por um momento dificil, afinal.

Trabalhamos normal, eu confesso que estava um pouco aéreo ainda, ele procurou cobrir qualquer vacilo que eu dava.

Me deixava bem seguro, quis dirigir a maior parte do tempo, me deixava a vontade.

Chegamos a noite no quarto para o banho, eu tava com muito medo, não sabia o que poderia acontecer.

Ele chegou pra mim e me abraçou, falou no meu ouvido, cara, te curto demais...vi que não escaparia de novos acontecimentos, porque logo logo acendeu meu tesão.

Falou vamos tomar banho juntos, foi me puxando para o box, abriu o chuveiro e deixou a água cair sobre mim, começou me dando um banho, tava extremamente gentil, passou xampu nos meus cabelos, de uma forma muito carinhosa, depois foi pegando o sabonete e passando por todo meu corpo e passando a mão e massageando minha costas, braços e pernas.

Lavou meu pau e bolas com muito cuidado, tava ficando excitado, depois passou a mão no meu rêgo e meteu o dedo no meu rêgo, passando sabonete no meu cuzinho e eu deixei, ele fazer o que queria, me senti como uma criança.

Me beijou, abracei-o durante o beijo, nossos paus juntos e a água caindo sobre nós.

Acabou o banho, os dois sem gozar, vestimos nossas roupas e fomos pra uma pizzaria, comemos e voltamos pro quarto.

Chegamos ja na porta ele pondo a mão nos meus ombros, num gesto de carinho e disse, vamos dormir juntos.

Removemos a mesinha , juntamos as camas, ligamos a tv , tiramos as roupas e nos abraçamos e beijamos.

Reconheci que estava gostando muito daquela situação, nem imaginava quanto. Sentia também um pouco de culpa, mas o tesão a removia.

Tivemos que combinar uma folga pra ele me comer naquela mesma noite, disse que tava um pouco dolorido, mas que queria comer ele...ele concordou e disse te como pela manhã, pode ser? Não tinha como recusar a proposta e o comi gostoso de novo e depois o mamei até ele gozar em recompensa.

Logo cedo ele já veio me cutucando, me beijando e dizendo que tava morrendo de tesão, que pela manhã é quando tinha mais tesão.

Eu ainda tava com sono, ele deitou em cima de mim, amaciou meu cuzinho e me penetrou.

Passamos toda a viagem nesta situação, na segunda semana ficou ainda mais confortavel porque mudamos de cidade e o hotel que ficamos tinha uma cama de casal e outra de solteiro. Sem duvida que ocupamos a de casal.

Metemos todas as noites, sendo que eu o comia mais de noite e ele me comia pela manhã.

Foi como uma lua de mel.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
29/09/2015 23:23:58
Adorei. Muito bom mesmo.
31/12/2014 10:36:55
Parabéns! O melhor é que você expõe o fato sem pornografia e isso fica mais excitante ainda!
31/01/2013 11:16:27
Obrigado Andy, por ter curtidos os meus contos.
30/01/2013 21:52:38
Gostei muito. Muito bem elaborado. Nota 10
12/10/2012 23:21:27
cara, como você consegue relatar tão bem assim?
19/09/2012 15:32:37
10
24/01/2011 23:08:14
MARAVILHOSO. MUITO BEM DETALHADO. GOZEI GOSTOSO.
30/12/2010 22:51:30
Muito bom. Já fui vendedor viajante, e perdi a oportunidade de ter essa experiência. Maravilha.
22/12/2010 14:22:27
Agradeço os comentários, que bom que gostaram. Abraço a todos!
22/12/2010 00:24:09
muito bom, 10!
21/12/2010 15:54:26
Muito bom!!!
21/12/2010 14:04:31
Muito bom..tesao puro.....delicia de conto.....
21/12/2010 13:24:15
Nossa, maravilhoso. Fiquei excitado o tempo todo
21/12/2010 09:48:52
Gostei demais!!!!
20/12/2010 17:12:15
maravilhoso o seu conto. gostei muito mesmo. nota 1000