Casa dos Contos Eróticos

O Garoto da Praia

Um conto erótico de Caliban
Categoria: Homossexual
Data: 21/02/2009 11:54:57
Nota 9.14
Assuntos: Homossexual, Gay

Trintão, mulato, sarado, sempre tive uma forte atração por garotos de 18 anos. Tenho o maior tesão só de vê-los, nas quadas, na praia, seminus, com seus corpos quase sem pêlos e com a pele macia.

Numa tarde de verão fui à praia e fiquei numa barraca, tomando uma cerveja e olhando alguns garotos tomando banho. Meu pau quase estourando só de vê-los ali. De repente, chegou um carinha que eu ainda não conhecia. Baixinho, no peso certo, cabelos encaracolados, pele lisa e uma bundinha empinada, redonda. Enfim, um tesão de moleque. Eu não tirava os olhos dele. E não é que o danado percebeu? Após um bom tempo dentro tomando banho, ele saiu da água e veio pra perto de onde eu estava e pediu uma água de côco. Puxei conversa e ficamos ali, falando do calor, do verão... descobri que se chamava Tiago e que tinha acabado de completar 18 anos. Resolvi arriscar:

- Poxa, que pernas você tem... faz muito exercício? – comentei esperando sua reação.

- Acha mesmo? - perguntou fazendo cara de inocente – Você é que uns pernão, parece de jogador.

Meu tesão era tão grande que não perdi tempo, resolvi ir mais fundo convidando-o para irmos até minha casa, pois tinha notado seu tesão e sua vontade. Para minha felicidade ele topou. Quando chegamos disse pra ele ficar a vontade enquanto eu ia tomar uma ducha. Deixei-o na sala tomando um suco e ouvindo uns cds. Quando voltei sentei perto dele e continuamos o papo, só que agora a conversa era mais picante, perguntei sobre sua namorada, se trepava muito, essas coisas. Tiago me surpreendeu:

- Olha, cara, te saquei lá na praia e vou me abrir contigo. Nunca transei com um cara mas já tive vontade... sei lá. Mas eu gostei de você e se você quiser...

Não esperei mais nada, abracei-o e o beijei. No começo ele estava envergonhado. Quase gozei só com o toque de seu corpo no meu. Ficamos nus. Beijei todo seu corpo, arrancando gemidos cada vez que minha língua tocava sua pele. Lambi seu pescoço, mordisquei seus mamilos, e fui descendo pela sua barriga, sua virilha. Seu cacete estava duro. Passei a língua na cabecinha, no saco, enquanto explorava seu corpo com minhas mãos. Acariciei seus cabelos encaracolados e levei seu rosto até perto da minha pica. Passei a cabeça da rola pelos seus lábios vermelhos. Mandei que abrisse a boca e introduzi meu cacete duro entre seus lábios macios. Minhas mãos tocavam seu rosto. Tiago ia chupando gostoso e eu enchia sua boca com meu cacete. O garoto aprendia depressa e logo já estava engolindo meu pau sem engasgar. Fui descendo as mãos pelas suas costas até chegar na sua bundinha. Meus dedos tocaram seu botãozinho apertado.

Tirei o pau da sua boca, e deitei-o de bruços. Passei a lambe-lo, começando pela nuca e arrastando minha língua pelas costas até sua bundinha. Procurei seu cuzinho e enfiei a língua bem fundo, o que fez Tiago suspirar de tesão. Abri suas nádegas para ir mais fundo com a língua. Fazendo com que ficasse de barriga para cima levantei suas pernas, deixando à mostra aquele cuzinho virgem, que logo eu ia arrombar. Mais uma vez atolei ali a língua, lubrificando bem seu botãozinho, molhando suas preguinhas e relaxando o anelzinho. Comecei a prepara-lo para a penetração.

Como seria sua primeira vez, eu sabia que ia ser difícil, pois meu pau além de medir 21cm, é bem grosso e com um cabeção taludo. Enfiei primeiro um dedo molhado de saliva. Ele gemeu baixinho e piscou o cuzinho. Coloquei outro e comecei a massagea-lo. Tiago gemia de dor e prazer. Dei um beijo naquela boca gostosa e disse no seu ouvido:

- Agora eu vou comer seu cuzinho... Relaxa e confia em mim. – pedi, morrendo de medo que ele desistisse.

- Por favor, não me machuca, ta? – pediu, com uma voz cheia de medo e de tesão.

- Fica tranqüilo, jamais te machucaria... – disse dando-lhe mais um beijo.

Lubrifiquei bem seu cuzinho e pincelei meu pau na portinha. Apontei o caralho e forcei com firmeza. Seu rabo era bem apertado e Tiago recuou com medo. Segurei-o com mais força e forcei a entrada do seu buraquinho virgem. Desta vez o anel cedeu e a chapeleta entrou, juntamente com quase metade do meu cacete. O garoto travou o cu e começou a gritar:

- Ai, ta doendo! Ai! Tira, por favor! Tira... – ele chorava e tentava fugir, mas eu o mantinha firme.

- Calma... relaxa o cuzinho, garoto. Relaxa bem que a dor logo passa. Isso... pica o botãozinho e sente o cu relaxando... assim... Pisca o cu pra aliviar a dor.

Minhas palavras no seu ouvido começaram a surtir efeito, Tiago parou de tentar fugir e começou a piscar seu cuzinho desesperadamente. À medida que ele piscava o cu, meu caralho deslizava rabo a dentro. Ele chorava baixinho mas não pedia mais para eu tirar o pau da sua bunda. Com o cacete todo enterrado no seu cuzinho, abracei-o e beijei sua boca. Lambi suas lágrimas e pedi que me avisasse quando a dor diminuísse. Ficamos alguns minutos parados, minha rola enterrada naquele garoto gostoso. A cada minuto que passava parecia que minha pica inchava e crescia naquele rabo quente e apertado. Mordendo os lábios ele sussurrou que estava tudo bem.

Comecei a bombar bem devagar, sentindo seu esfíncter alargar-se com meu caralho atolado nele. Tiago parecia mais relaxado, então comecei a meter com mais força, enquanto suava e pingava em cima daquele garoto. Seus gemidos agora eram além dor também de tesão. Aumentei meus movimentos ao mesmo tempo que o masturbava. Ele arfava e mexia a bunda debaixo de mim. Comecei a gemer mais forte e gozamos juntos, ele na minha mão e eu no seu cuzinho ardido. Ficamos um bom tempo abraçados, com meu cacete enterrado no fundo do seu rabinho.

Quando tirei meu pau muita porra escorreu do seu cuzinho, que estava bem aberto e vermelho. Enquanto tomávamos banho abracei Tiago e perguntei:

- E aí? Doeu muito? Você gostou?

- É, doeu pra caralho, mas foi bom. Só peço uma coisa, por favor, não vai contar pra ninguém, ta?

- Claro que não! Isso será nosso segredo.

- Legal – comentou aliviado, depois virou para mim e falou – Se você quiser, qualquer dia a gente pode fazer tudo de novo.

- Claro que eu quero. Agora que te descobri não vou deixar você fugir de mim. – falei dando um beijo na sua boca.

Ainda hoje nos encontramos. Tiago já esta com 22 anos e se tornou um amante perfeito. Tem uma namoradinha mas não deixa de levar na bunda meu caralho... e de vez em quando ainda chega aqui em casa com um amiguinho... que nós dividimos... e ensinamos como dar a bunda.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
08/03/2009 08:25:32
Tesão de conto
26/02/2009 17:02:20
adorei, delicia, gostaria de estar no lugar dele
23/02/2009 14:37:20
Sensacional!!D+
21/02/2009 13:47:13
Muito Bom- 9 Muito Realista Pena q ñ teve uma troca no final