Casa dos Contos Eróticos

Angel and the Devil parte 13

Autor: Halloween
Categoria: Homossexual
Data: 12/02/2018 18:06:10
Nota 10.00
Ler comentários (6) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Ao olhar para cara da mãe do Felipe, me desesperei, voltei a imaginar o que aconteceu comigo e com minha antiga família há dois anos atrás, meus nervos à flor da pele, ela mandou nós dois descermos e simplesmente nos deu a costa e desceu, estávamos paralisados mas a mão de Felipe continuava segurando a minha, óbvio que ele estava nervoso, mas ele não queria transpassar para mim, achei fofo.

Rafael: Felipe o que vamos fazer agora? - queria pensar em um plano para que ele não sofresse o que eu sofri.

Felipe: primeiramente, vamos tomar um banho rápido para tirar o suor e depois descemos - ele falou firme e já me levando para o banheiro que tinha no meu quarto.

Tomamos uma ducha muito rápida mas tenho que compartilhar com vocês, quando a espuma do sabonete passou pelas minha costa e desceu pela minha bunda, senti uma ardência, só ai vi o estrago que Felipe me deixou, ele reparou e começou a rir de minha cara, foi um momento de descontração mas que serviu para nos acalmássemos.

Foi a primeira vez que tomei banho com o Felipe, na verdade ele me deu um banho d eu dei um banho nele, adorei aquilo mas tínhamos que ser rápidos, a mãe dele estava nos esperando e minha mãe é meu pai adotivos também estavam por chegar,

Saímos do banho e fomos se trocar, a cada peça colocada ficávamos mais nervosos, Felipe colocou um roupa minha, dei a mais larga que tinha, afinal, ele era uns 10 cm mais alto que eu, fomos em direção à porta do meu quarto e antes de eu abri-la ele me segurou me jogou contra a porta e me lascou um beijo doce e calmo, terminando com selinhos e olhou nos meus olhos e disse:

Felipe: não importa o que eles disserem, você é meu e eu sou seu! Ficaremos juntos, não tenho mais condições de ficar longe de você! - ele falava firme mas sentia sua mão tremendo me apertando, ele estava nervoso com essa situação!

Rafael: eu que não tenho mais forças para ficar longe de você! Meu medo maior será se eles quiserem nos separar! - eu já estava prestes a lacrimejar até eu sentir seu polegar em meu rosto me fazendo um carinho.

Felipe: eles não irão conseguir nos separar! - nossa como ele conseguia me tranquilizar, depois de um longo abraço ele me soltou respirou fundo e abriu a porta, fomos ao encontro de nossos pais.

Descemos a escada e fomos em direção à sala, dona Sara a mãe do Felipe estava sentada na poltrona que fica em diagonal com a televisão eu e o Ricardo paramos em frente à ela de mãos dadas, ela estava com o rosto virado para a parede sem nos olhar e apontou para o sofá de dois lugares e assim entendemos o recado e sentamos no sofá!

Pairava naquela sala o silêncio, aquilo era angustiante, eu estava sufocado, estava me faltando o ar, mesmo assim, ficamos esperando ela se manifestar, mas como isso não ocorreu imaginei que ela esperaria os meus mais chegarem, remou 15 minutos para eles chegarem, até escutarmos o portão da frente se abrir, Felipe apertou ainda mais minha mão! Estava na hora!

Meus pais adotivos passaram pela porta com as suas faces fechadas, ninguém abriu a boca ele entraram da sala e pararam na nossa frente, nem eu e nem o Felipe olhamos em seus olhos, eu já estava encarando o carpete que tinha no centro da sala de estar, vi pela minha visão periférica eles se sentarem em nossa frente no sofá de três lugares e ouvi a voz rouca e forte do meu pai falar!

Pedro: espero que vocês tenham uma boa explicação para nos dar! Se o que a Sara nos falou for verdade, não saberei como agir!- falou de forma autoritária e eu já está me tremendo todo e me surpreendi com a iniciativa do Felipe.

Felipe: seu Pedro eu amo seu filho há muito tempo e não vou negar ele é o amor da minha vida, no começo eu e ele se encontrávamos pelos cantos mas por medo de minha mãe ou vocês ou qualquer outra pessoa não aceitar, sempre fugia de ficar perto dele, hoje para mim foi demais, vi um garoto boa pinta, super gente fina olhar para o meu Rafa e começar a bater papo com ele, fiquei louco de raiva, não do Rafa mas sim de mim! Por causa do meu medo poderia perder ele para outra pessoa, não poderia conviver com isso! Seu Pedro eu o amo, de todo meu coração, depois do que aconteceu hoje não quero mais correr o risco de perder a pessoa mais importante de minha vida! Mesmo vocês não querendo nossa relação é quiserem nos afastar, garanto, não conseguirão sem ao menos nos ver lutar pelo nosso amor! - Felipe falava firme olhando nos olhos do meu pai e já meu pai o olhava sérios com um olhar apático, não sabia o que aquele olhar significava.

Sara: então quer dizer que você está preparado para as consequências meu filho? Não terei dó e nem piedade de você! Não depois do que eu ouvi hoje! Vocês tinham que ver a gritaria que foi! Acho que todo o quarteirão ouviram a safadeza de vocês! - meu rosto estava queimando de vergonha, eu já estava me encolhendo todo depois que a mãe do Felipe falou aquilo!

Felipe: mãe sei que não era o que a senhora queria para mim! Mas o que você ouviu foi a demonstração de amor que tenho pelo Rafa e ele tem por mim! Eu estou envergonhado que a senhora tenha ouvido mas não me arrependo de nada do que fiz!

Laura: não se arrependem de desonrar a minha casa? - falou ela indignada

Rafa: envergonhado estou, mas arrependido de amar o Felipe não! - pela primeira vez falei e mesmo tremendo encarei todos com o olhar fixos em minha mãe!

Laura: pois bem, se assim que vocês pensam se preparem para o que está por vir!!! - falou ela em um tom ameaçador!

Ela veio na minha direção me pegou pelo braço, Felipe na mesma hora se levantou para impedir até que viu algo que nem eu e nem ele estava esperando!

Minha mãe estava me abraçando, dona Sara se levantou e foi ao encontro de seu filho e o abraçou também, meu pai veio logo em seguida e com um abraço de urso abraçou nós quatro!

Não conseguia para de chorar tanto eu quanto o Felipe nos sentíamos acolhidos, depois do abraço nos recompomos estava o ar bem mais leve, olhei para meus pais e para dona Sara e eles estavam rindo

Laura: vocês acharam mesmo que nós não sabíamos do envolvimento de vocês dois? - falou ela dando uma gargalhada no final!

Sara: meu filho! Sou sua mãe, sei tudo de você, sempre soube! Não se esqueça que você dorme no meu quarto e você fala a noite! Sempre chamando pelo Rafael - Felipe ficou sem jeito e sua mãe também esboçava um riso!

Pedro: sabíamos de vocês desde o início, não falamos nada pois queríamos que vocês tivessem esse tempo para se decidirem o que queriam de sua vida!

Laura: Rafael meu filho, quando te trouxe para essa casa eu já sabia que você era gay! Como assim você ficou com medo de nossa reação? Já não provamos que amamos você pelo jeito que você é?

Eu já estava aos prantos, estava muito emocionado, não conseguia explicar aquele sentimento acolhedor que estava sendo emanado pela minha família

Sara: Felipe, eu te amo meu filho! Não importa com quem você se relacione, só quero que seja feliz! E enquanto você seu Rafael! A partir de hoje quero ser chamada de sogra não mais de dona Sara! - ela tinha apontado o dedo para mim e no final de sua fala veio me abraçar e logicamente retribui o abraço!

Felipe: obrigado mãe, isso é muito importante para mim! Dona Laura, seu Pedro, cuidarem do meu Rafa e garanto que farei ele muito feliz! - ele falou meio envergonhado mas fiquei orgulhoso dele!

Laura: nada disso, quero ser chamada de serrinha! - falou minha mãe dando risada

Pedro: e eu de sogrão! - acompanhando a risada de minha mãe!

Depois disso tivemos uma longa conversa, sobre relacionamentos e preconceitos que podemos sofrer, mesmo assim a conversa foi bem tranquila, tanto eu quanto Felipe estávamos felizes, depois falamos como seria nosso namoro, já que morávamos juntos, e com muito custo conseguimos uma coisa incrível, Felipe poderia sempre dormir no meu quarto desde que, a porta ficasse aberta, afinal, éramos adolescentes ainda.

Laura: mas me contem, quem é o passivo?

Rafael: MÃEEEEE - estava chocado, esqueço que minha mãe adora ser uma mãe moderna.

Felipe: o Rafa! - eu olhei para ele com minha cara de incredulidade?

Rafael: FELIPEEEEEE! - falei repreendendo

Todos estávamos tomando o café da tarde e depois da resposta do Felipe, todos a mesa estavam rindo de mim ficar encabado !

Pedro: estão usando camisinha? - céus queria morrer, estavam quase entrando dentro da cadeira de tanta vergonha

Sara: é muito cedo para decidirmos quantos netinhos queremos ter?

Felipe que estava tomando seu café se engasgou, eu quase desmaiei, aqueles três pares de olhos olhando para nós! Preciso que esse dia acabe o quanto antes!

****************************

Olá pessoas, está entregue mais uma parte de minha obra, fiquei feliz que tem gente que está gostando!

****************************

Alex98: estava meio desanimado mas vendo seu interesse resolvi me dedicar mais! Obrigado.

****************************

Atheno: que bom que está gostando! Fico feliz!

****************************

Até a próxima!

Comentários

21/02/2018 15:39:12
Estou lendo todos os capitulos hoje e estou amando, nao sou de comentar mas sempre fico de olho.. Ta de parabéns, doida pra vê a volta do rafa na antiga cidade, todo poderoso kkkkk
13/02/2018 13:08:25
13/02/2018 10:11:24
Eu, amei, ficou perfeito. Se você para eu te mato.
12/02/2018 23:31:32
Perfeito
12/02/2018 23:31:16
Perfeito
12/02/2018 23:30:59

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.